revelação cósmica t21, Ricardo González

S21E02 Agendas Alienígenas (Ricardo González ~ Revelação Cósmica)

Partilhar:

Porque é a Terra tão importante para toda a civilização extraterrestre que nos visita?
Alguns seres veem a Terra como uma escola mundial ou um laboratório planetário, outros estão aqui para trabalhar com militares de alto comando e cientistas experientes.
Ricardo González, que tem contacto com seres de Alpha Centauri chamados Apunianos, descreve várias razões pelas quais as civilizações extraterrestres interagem com o nosso planeta.
A benevolente agenda alienígena considera que o desenvolvimento humano é de primordial importância.
Assim, foi emitida uma quarentena em torno da Terra para evitar que deixássemos o sistema solar e que espécies perigosas tivessem demasiado controlo sobre a direção do nosso destino.

S21E02 Agendas Alienígenas (Revelação Cósmica ~ Ricardo González)
S21E02 Alien Agendas

revelação cósmica temporada 21 episódio 2

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO

EPISÓDIO TRANSCRITO – arranjo por Renato Suffert

Hoje, em “Revelação Cósmica”, recebemos Ricardo González, autor e pesquisador peruano que teve vários contatos diretos com uma espécie extraterrestre chamada Apunianos. Hoje, vamos falar sobre agendas alienígenas.

Ricardo Gonzalez / Emery Smith

– Ricardo, bem-vindo ao programa.

[Ricardo] -Obrigado.

– De acordo com seu contato com os Apunianos, por que a Terra é tão importante para eles?

[Ricardo] -De acordo com as experiências que tive com esses seres, a Terra é importante para as civilizações extraterrestres que nos visitam porque é um mundo escola, um planeta laboratório, um lugar de aprendizagem, um planeta que, de fato, tem envolvimento e está ligado a histórias antigas de origens extraterrestres.

– Qual é o papel deles na relação com a Terra e a humanidade?

[Ricardo] -Todas as experiências em nosso mundo, de acordo com esses seres, também estão relacionadas a eles. Tudo que os seres humanos podem aprender neste planeta tem um efeito no conhecimento cósmico.

Permita-me dar um exemplo. Dizem que uma criança neste Universo tem três níveis principais de consciência. Quando atinge a consciência individual, a consciência dentro de si como um ser humano, ela adquire a consciência da Terra, do planeta onde vive.
Representa um ser consciente que vive em harmonia com seu planeta e com os recursos que o planeta oferece, e essa consciência se reflete no comportamento do ser com o planeta e como administra seus recursos.
É o que o antigo povo peruano chamava de consciência da Pachamama, como mencionei antes, a consciência da Mãe Terra.

E há um segundo nível de consciência, a consciência solar, quando a criança não só tem conhecimento, contato e equilíbrio com seu planeta, mas também conecta essa consciência com a estrela que mantém o equilíbrio em seu sistema solar.
O Sol representa conhecimento, compartilhamento radiante. Os egípcios falaram de certa forma sobre essa consciência solar, e também os incas, e, é claro, muitas outras culturas do mundo.

Nosso sistema solar tem apenas uma estrela, porque Júpiter não se transformou na estrela que deveria se tornar. Normalmente, os sistemas solares no espaço são binários ou ternários. Em outras palavras, eles têm dois ou três sóis.
Mas, como eu disse, nós só temos um, uma estrela que é uma anã amarela. E essa consciência solar também tem a ver com a conexão com os recursos e a energia do Sol.

Uma vez que uma criança humana tem consciência de si mesma, do planeta, e de sua conexão com o Sol, ela passa para o próximo estado, que é muito mais elevado, para uma consciência galáctica, onde pode se conectar ao núcleo de sua galáxia.

Segundo nossos cientistas, no coração das galáxias, existem singularidades poderosas. Essas singularidades podem ser buracos negros supermassivos de onde nem mesmo a luz pode escapar. Ou a consciência galáctica leva humanos em uma viagem além do núcleo da Via Láctea.

Esse conceito que os extraterrestres mantêm não é muito diferente daquele que ficou conhecido nos anos 60 pelo astrofísico soviético Kardashev, quando ele falava sobre os tipos de civilizações segundo o uso dos recursos energéticos.

Escala de Kardashev

Mas a Escala de Kardashev, como é conhecida hoje, que os cientistas usam para mensurar quais tipos de civilizações extraterrestres podem existir teoricamente, é diferente, porque os extraterrestres falam mais sobre a consciência de uma civilização do que sobre seus recursos.

Em outras palavras, para se tornar uma civilização do tipo III na Escala de Kardashev, o que seria uma civilização extraplanetária capaz de viajar no sistema solar e usar recursos além da Terra, você precisa atingir os três níveis de consciência que os extraterrestres sugerem.
Os extraterrestres operando em nossa realidade são civilizações do tipo III ou tipo IV, e nós, humanos, atualmente aspiramos ser uma civilização do tipo I.

S01E12 Portais: Teia Cósmica ~ Viajar para uma outra Galáxia em minutos

Por isso é importante entender a agenda extraterrestre. Porque, em nosso próprio mundo, não podemos ter intervenções diretas que podem impedir nosso próprio aprendizado. Esses seres podem ajudar ou intervir um pouco, mas eles não podem fazer o trabalho por nós, obviamente.

No passado, quando eles tentaram acelerar processos na Terra, até mesmo se envolvendo em nosso desenvolvimento genético, afetando ou intervindo em momentos importantes de nossa história, eles cometeram erros.
Então, eles decidiram que nossa civilização precisa caminhar sozinha, mas ser vigiada.

Esse é o nosso papel no planeta, aprender a amar e cuidar dele, para nos desenvolvermos em harmonia aqui, e nos transformarmos em uma civilização do tipo I ou tipo II gradualmente, através da consciência.

– Lindo, Ricardo. Sabe se os Apunianos fazem parte de alguma federação ou parlamento galáctico?

[Ricardo] – Claro, civilizações extraterrestres são organizadas. Na verdade, durante décadas no contatismo, o termo “Federação Galáctica” tem sido usado para descrever essa organização extraterrestre ou civilizações extraterrestres, mas entendo que é um termo muitas vezes rejeitado.
Como resultado de séries de TV de ficção científica, como “Star Trek”, ou declarações estridentes na mídia sobre uma federação de mundos galácticos, isso parece muito estranho. “Star Trek” seria um exemplo disso. Lá, eles usaram o termo Federação Galáctica.
Então, as pessoas dizem: “Ah, isso não é real. Eu vi isso em Star Trek.” Mas a realidade precede a ficção.

“Star Trek” também nos mostrou tecnologia que não existia naquela época, por exemplo, telas sensíveis ao toque ou dispositivos semelhantes a pen drives USB, ou mesmo hologramas, que atualmente são uma realidade.
Vou divagar para explicar que nem tudo que você vê na ficção científica é ficção.
Aquela Federação Galáctica que aparece em “Star Trek”, na realidade, existe, talvez com outros nomes ou outras características longe da imaginação humana, mas há um grupo organizado de civilizações extraterrestres operando em conjunto, e nesse grupo organizado está a civilização de Alpha Centauri, também conhecido como Apunianos.

S19E01 Os Apunianos, uma espécie extraterrestre de Alpha Centauri

Existem diferentes grupos de civilizações extraterrestres com agendas diferentes. Está claro para mim que os seres que encontramos – e eu digo isso por experiência, por minha percepção ao longo de décadas de contato – as intenções deles são positivas. Eles são fraternos.
É como se fizessem parte de uma missão antropológica que está tentando aprender conosco e nos alertar sobre alguns perigos para nossa espécie.
E quando eles se referem a algumas de suas visitas antigas ao nosso planeta, e quando os pesquisamos em nossas lendas, nossos mitos, nossa história, vemos que eles são positivos.

No entanto, também há outra história. Também existem mitos, lendas e tradições que falam sobre outras civilizações dos céus que não pareciam ter tais intenções amigáveis com a humanidade, ou que tinham um ponto de vista cético do nosso desenvolvimento evolutivo.
E quando eu perguntei aos seres que me contatam sobre esses comportamentos hostis de extraterrestres com a humanidade, eles me disseram que isso realmente aconteceu.

Pelo que eu disse antes, existem diferentes agendas. Seres que acreditam em nós e que o nosso desenvolvimento irá afetar positivamente esses seres, que acreditam que a raça humana se tornará algum tipo de vacina para um vírus que estagnou a evolução do Universo…

– Ou somos o vírus?

[Ricardo] – Exatamente, Emery, ou que somos o vírus. Vamos fazer um exercício.
Vamos imaginar que somos seres extraterrestres, e agora estamos debatendo sobre uma espécie em um planeta azul, a humanidade, e você me mostra imagens tiradas da história dessa humanidade, em que você pode ver como prejudicamos o planeta, a forma como exploramos os recursos, nossas guerras, nossa desigualdade, nossas conspirações, e você me diz: “Essa espécie é perigosa.”
E, dando minha opinião, respondo: “Também há cenas de amor e compaixão, eles superaram a dor, avançaram e sobreviveram, surgiram seres interessantes, como Madre Teresa ou Gandhi, ou Buda, ou Jesus, ou grandes mestres do mundo.”

No Universo, duas posições se desenvolveram, uma que é prudente e cética em relação aos humanos, que, como humanos, interpretamos como sombrios e temerosos, querendo nos destruir – porque uma coisa é como os humanos percebem as coisas e outra é como o Universo funciona – e a outra posição, que acredita em nós e tem fé em nós.
Em outras palavras, estamos no meio de um jogo de xadrez em que, se a humanidade demonstrar que pode mudar seu destino e se tornar uma civilização consciente, afetaríamos positivamente as realidades das civilizações que nos precederam.

– Você falou sobre os Apunianos e a interação deles conosco. Você conhece alguma outra civilização extraterrestre que está interagindo conosco agora? Qual é a agenda deles?

[Ricardo] – Até agora, eu tenho me referido a uma agenda global de seres extraterrestres, com o segmento dos Apunianos sendo apenas uma parte do filme.
Os seres que conhecemos no Peru, obviamente, têm uma agenda dentro de uma agenda maior, uma agenda que é, obviamente, positiva, fraterna, respeitosa e, como eu disse, parte de um plano maior, se assim preferir.
Mas dentro da grande matriz dessas agendas extraterrestres, entendo que, de fato, existem outras civilizações com suas próprias agendas e objetivos de vir à Terra e estar entre nós.

Por exemplo, existem alguns grupos de antropólogos extraterrestres que tentaram estimular e impactar com uma mensagem, com informações, testemunhas muito verossímeis, como cientistas importantes, alto comando militar. Acho que sabe muito bem do que estou falando.
Mas, obviamente, essas testemunhas nem sempre se atreveram a falar em público sobre esses contatos. É por isso que existe outro segmento desse grupo de antropólogos extraterrestres, que fez contato com o que chamamos grupos com ampla difusão.
Esses grupos com ampla difusão têm como objetivo seguir suas experiências de contato, torná-las conhecidas, divulgá-las, revelá-las.

Em outras palavras, existem missões antropológicas extraterrestres que tentam contatar humanos com testemunhas muito verossímeis e testemunhas regulares, para que divulguem amplamente seus testemunhos.
Mas também existem outras missões extraterrestres nessas agendas, e seus planos não visam qualquer contato com humanos. Eles são basicamente cientistas. Eles não são vistos e trabalham em sigilo. Eles pesquisam nossos oceanos, nossos lagos. Eles têm muito interesse na água.

Dizem que a água da Terra é muito especial, que é o elemento que une a vida de todas as criaturas com aparência física em toda esta região do Universo. É um elemento que se formou graças às estrelas.
Quando as primeiras estrelas explodiram, criando uma maravilhosa mistura no cosmos, essa foi a origem do que chamamos de H2O, a fórmula da água. É por isso que encontraremos muitos tipos diferentes deste elemento em todo o Universo.
Mas os extraterrestres dizem que a água aqui na Terra é muito especial. Eles a estão pesquisando. Eles pesquisam como o mecanismo funciona, a natureza desses portais em nosso planeta. E eles também usam essas redes de portais dimensionais para se comunicarem com seus mundos nativos.

– Você acha que outros extraterrestres lá fora têm alguma aliança ou contratos com os Estados Unidos ou outros governos aqui no planeta Terra?

[Ricardo] – Essa é uma pergunta muito complicada e delicada, Emery. Não consigo responder com um sonoro sim, nem consigo responder com um sonoro não. Eu vou te dizer o que esses seres me transmitiram quando eu os vi e tivemos contato, e eu perguntei a eles sobre esses assuntos.
Em primeiro lugar, sim, eles tiveram contato com o alto escalão militar e cientistas importantes nos Estados Unidos e na União Soviética durante a Guerra Fria. Eles também tiveram contato com alguns membros importantes da antiga União Soviética e de outros países também.

Pelo que entendi da história de Antarel, o ser que tem tido contato comigo, foi mais um contato diplomático, uma primeira abordagem, uma tentativa de comunicação formal.
Isso aconteceu, e foi tentado em tempos ainda mais recentes, mas esses contatos ou comunicações, na verdade, não prosperaram. E estou me referindo aos seres de aparência humana que têm agendas fraternas e chefiaram essas missões antropológicas.

E em segundo lugar, devo dizer, sempre com base na minha própria fonte de contato, nas minhas informações, mas esse boato que se espalhou por toda a ufologia americana, onde foi dito que uma aliança foi forjada entre os militares americanos e extraterrestres de aparência desagradável e baixa estatura, dizendo algo como “vocês nos dão tecnologia e vamos abrir o planeta para que possam fazer suas abduções e experimentos”, isso não é como uma aliança entre um argentino e um árabe.

Greys – diferentes tipos e o porquê da sua presença

Estamos falando sobre civilizações do tipo III ou tipo IV que estão agindo em nossa realidade. E se eles pretendem vir e levar pessoas, e fazer pesquisas ou o que seja, e se eles não tiverem uma agenda amigável, eles não precisam pedir permissão a ninguém.
Eles têm a tecnologia e o conhecimento para fazer o que quiserem. Além disso, se esses seres realmente fizeram o dever de casa, se eles realmente estudaram nossa história, eles sabem que nós, humanos, não respeitamos acordos.
E se não mantemos nossos próprios acordos, e travamos guerras, eles achariam que teríamos alianças com extraterrestres?

O que eu acho que aconteceu é outro problema, que explica alguns testemunhos militares confiáveis de extraterrestres em complexos militares.
Ocorreram quedas de objetos não-humanos em nosso planeta, e em alguns desses acidentes de naves não-humanas, alguns seres extraterrestres sobreviveram. E segundo alguns testemunhos, esses são alguns dos seres que foram vistos em complexos militares.

– Você acredita que os militares já abateram um veículo extraterrestre de propósito?

S20E14 Pilotos Eben de Roswell ~ os testemunhos dos seres capturados

[Ricardo] – Na realidade, a maioria das quedas de extraterrestres em nosso planeta não foi devido a causas humanas. Então, o que aconteceu? Perguntei aos seres que me contatam: “Qual é a resposta?” “Como isso aconteceu?” “Como isso pode ser explicado?”
“Houve alguma falha de navegação na nave deles e isso causou a queda?” “Foi um acidente?” E eles responderam: “Houve um fator externo, não humano.” “Houve um confronto com outros seres.”

Eu sei que o que estou dizendo parece loucura, mas eles explicaram essa história para mim, que está dentro dessas agendas extraterrestres. Como dissemos, há um grupo extraterrestre com intenções fraternas. O aprendizado e o desenvolvimento humano na Terra são importantes.
E foi esse grupo de civilizações extraterrestres fraternas que estabeleceu um tipo de quarentena para proteger o planeta. Essa quarentena era muito mais rígida nos anos 40.
Desde que começamos a fazer experimentos com portais dimensionais e a dividir o átomo, enviamos um sinal perigoso para o Universo.
E criaturas que são muito científicas, poderíamos dizer, muito frias, muito racionais, vieram à Terra para ver o que estava acontecendo com a raça humana, que fazia experimentos com coisas perigosas.
Assim nós nos mostramos, nos apresentamos para o Universo com um terrível cartão de visita. Então, as criaturas que começaram a se aproximar mais do planeta estavam vindo com essa ideia, com essas intenções, por assim dizer.
Elas não são criaturas que tiveram uma grande dose de ética ou emoções. E estou descrevendo isso em termos humanos.

Então, quando se manifestaram em nossa realidade, em meio à quarentena estabelecida pela organização extraterrestre fraterna, houve confrontos, houve batalhas.
E é por isso que as naves que caíram em nosso planeta são as naves que foram abatidas por aqueles que nos protegem e cuidam de nós.

Um padrão com todas as naves que caíram em nosso mundo é que, na maioria dos casos, elas são os mesmos tipos de criaturas, pequenas criaturas com rostos enormes, uma cabeça muito grande, com olhos grandes e muito escuros, e sem umbigo. Eles são como robôs biológicos.

– Então, há uma guerra acontecendo entre extraterrestres, e essas naves que caíram na Terra foram abatidas por extraterrestres bons ou maus?

[Ricardo] – Sim. Na verdade, as naves que foram abatidas em nosso planeta foram abatidas por outros seres extraterrestres, mas por aqueles que nos protegem, aqueles que cuidam de nós com essa quarentena.
Mas essa quarentena, que foi implementada há muito tempo em nosso mundo, foi para que não tivéssemos grandes intervenções de outros seres extraterrestres em nosso planeta, para que possamos culminar nosso processo por meio de nosso próprio mérito como espécie.

Essa “quarentena” também tem outras finalidades. Não foi implantada apenas para que algo não pudesse vir e nos machucar, mas também foi implantada para que não possamos sair.
Muitas pessoas me perguntam: “Bem, se esse é o caso, e o que você falou em outras entrevistas sobre a viagem a Alpha Centauri? Porque se uma missão humana viajar no futuro para Alpha Centauri, eles têm que deixar o sistema solar e viajar quatro anos-luz.”

O que os extraterrestres dizem é que tudo vai mudar com uma descoberta científica, quando a humanidade descobre a Minius, o problema da partícula divina, a partícula de Deus, a Minius, é uma grande parte da agenda extraterrestre.
Então, a quarentena deixará de existir, porque vamos quebrar o protocolo. Nossa descoberta científica nos fará crescer de repente. Não precisaremos ser vigiados. Os céus estarão abertos para qualquer um entrar ou sair.

É por isso que algumas descobertas científicas são perigosas até que nós, como espécie, estejamos prontos através da consciência.

– Quando encontrarmos essa partícula, estaremos no nível de consciência certo para viajar?

[Ricardo] – Sim. Se descobrirmos essa partícula, esse Santo Graal da Física, através da consciência, um novo universo se abrirá para nós.
Isso nos permitirá entender tudo sobre o que falamos nessas entrevistas, Emery: os portais dimensionais, o tecido da criação, por que existimos, por que escolhemos a Terra. Porque quando falamos sobre contato extraterrestre e tecnologia, estamos apenas arranhando a superfície.

-Você fala da partícula. A questão é: como recebemos essas informações? Porque, obviamente, não somos espertos o bastante para fazer sozinhos.

[Ricardo] -A resposta também é muito complexa, Emery. Obviamente, essa corrida para encontrar a partícula, antes de mais nada, não é apenas intuição da ciência humana. Também há vazamentos de entidades extraterrestres, para que possamos encontrá-la.

Eu me sinto um pouco estranho falando sobre isso na televisão. Às vezes, é difícil para mim discernir o que devo dizer publicamente e o que não devo, não porque é segredo, mas pela seriedade do assunto, não?
Mas acho que chegou a hora de contar tudo, e, com o tempo, as coisas vão se encaixar. Um dos vazamentos extraterrestres não tinha boas intenções, porque acelerar nossa descoberta da partícula antes do tempo é perigoso para nós.

É uma forma de sabotar nosso processo, e uma forma de quebrar o protocolo da quarentena. Os extraterrestres da Aliança, como os chamo, quero dizer, aqueles com intenções amigáveis, eles tentam trazer consciência para o significado dessa corrida científica para encontrar essa partícula, a Minius.

Eu fui ao CERN, na Suíça, para pesquisar o acelerador de partículas. E sem entrar em detalhes, porque eu não posso, falei com um funcionário do CERN que me revelou que, de fato, eles fizeram descobertas sobre outros mundos, realidades interdimensionais que não foram publicadas ou divulgadas.

Em outras palavras, a busca pela Minius está sendo feita por meio de grandes colisores de hádrons.
E, finalmente, direi que também me disseram lá, por essa fonte no CERN, que os aceleradores não serão apenas colocados nos Estados Unidos, na Europa, ou em países do primeiro mundo, como são conhecidos, mas também há um grande projeto de estabelecer um no Deserto do Atacama, no Chile.

-Você sabe de alguma aliança extraterrestre com a Cabala? E se sim, também existem alianças que estão apoiando a Cabala ou talvez lutando contra a Cabala?

[Ricardo] – A situação que você mencionou varia bastante, Emery. Não existem exatamente alianças específicas entre a humanidade e seres extraterrestres, devido às razões que expliquei há alguns minutos. O que existe são influências, que é algo muito diferente.

Hoje, muitos pesquisadores falam sobre um governo secreto ou uma cabala, ou uma grande conspiração humana na Terra. Essas teorias da conspiração colocam a responsabilidade nessa Cabala, ou Estado Profundo, para tudo o que acontece em nosso mundo na geopolítica.
O que posso dizer é que existem muitas distorções e exageros nessas informações que estão circulando, mas, por trás de toda essa névoa, há alguma verdade. Existe um poder por trás do poder.

Aqueles de nós que pesquisam o fenômeno OVNI e viveram experiências de contato sabem que foram feitas tentativas de esconder evidências, adulterar testemunhas, desinformar.
É por isso que não tenho dúvidas de que entidades não-humanas, de origem extraterrestre, que têm intenções céticas em relação aos seres humanos, elas tentam forçar, influenciar e agir sobre esses grupos que estão no poder, o poder que está por trás do poder.

– Como sabemos quem está influenciando quem para o bem maior da humanidade e da Terra?

[Ricardo] – Acho que os grandes mestres da história da humanidade ensinaram isso perfeitamente. Uma árvore é conhecida por seus frutos, e todas as influências não-humanas que estão em contato conosco não precisam destruir sua vida, nem deveriam levar você a fazer coisas que não quer fazer.

É uma coisa, para uma pessoa que teve contato, passar por uma crise, porque a experiência foi muito intensa. Todas as testemunhas de contato passaram por isso. É inevitável. Mas estou falando de outra coisa.
Estou falando sobre uma influência sustentada que leva você a ser destruidor para si mesmo e para os outros, que o compele, o força a fazer coisas que você não quer fazer. Se você planta maçãs, não pode colher bananas.
Com as experiências, com os resultados, você percebe o que está ouvindo, quais fenômenos você está vivendo.

– Qual foi o papel dos extraterrestres na evolução da vida humana, primeiramente, e a vida na Terra foi criada ou influenciada por seres avançados?

[Ricardo] – Como podemos ver, o papel dos extraterrestres tem estado muito próximo da raça humana, porque todos esses contatos e grupos que estamos analisando não apenas estiveram envolvidos muito recentemente, mas desde o início da Terra, desde antes de nós, seres humanos, estarmos aqui.
Isso nos faz mergulhar profundamente em parte das informações extraterrestres, nessa grande agenda ou grande plano do qual fazem parte.

Eles dizem que, primeiramente, o planeta foi escolhido. Foi um tipo de experimento, onde uma nova espécie poderia alcançar novos horizontes de evolução.
Tinha que ser um planeta localizado em um sistema solar que possuísse apenas uma estrela, segundo os protocolos desses seres. Eles os chamam de planetas com aura azul. E nosso mundo é um planeta com uma aura azul, com apenas uma estrela.
Segundo esse conceito extraterrestre, é um mundo laboratório com um grande potencial para uma vida diversificada. Então, com a tecnologia deles, eles ajudaram a natureza a prosperar.

Por exemplo, eles podem ter influenciado os oceanos, que eram ácidos, para rapidamente se tornarem mais alcalinos, e implantar neles padrões de vida que, mais tarde, levariam aos tipos de vida que, agora, vivem em nosso planeta.
Muitos cientistas consideraram que a vida talvez tenha vindo do espaço, ou de um cometa, ou um asteroide que nos atingiu, plantando vida aqui na Terra centenas de milhões de anos atrás.

Será que foram mesmo seres de outros mundos que plantaram cuidadosamente essa semente na Terra para a vida surgir aqui?
Isso significaria que talvez nós, humanos, podemos ser seus descendentes, descendentes de alguma ação que eles criaram há muito tempo, e também descendentes no sentido de que houve mistura de nossos ancestrais com extraterrestres de aparência humana.
Mas, com certeza, o papel desses seres conosco não é recente, mas tem sido desde o início.

– Qual é a agenda atual deles, então?

[Ricardo] – Em nossa época, obviamente, essa agenda evoluiu, esse plano para o nosso planeta. A Terra não é mais um pedaço do sol em processo de resfriamento. Os dinossauros foram extintos há 65 milhões de anos.
Nós, humanos, estamos aqui na Terra há apenas alguns milhões de anos, e nossa civilização, de acordo com a maioria dos arqueólogos e historiadores ortodoxos, só começou na Mesopotâmia 6.000 ou 7.000 anos atrás. E agora, estamos bem aqui, no século 21, tentando colonizar Marte, voltar à Lua.

Então, qual é o estágio atual desse plano? Ver como os seres humanos se desenvolveram neste mundo azul, como estão crescendo diante de desafios e dificuldades, em uma fase em que podem usar tecnologia, e como irá utilizá-la nesta nova oportunidade.

Continentes Lemúria e Atlântida ~ Segredos das Cidades Subterrâneas

E por que digo “nova oportunidade”? Porque, de acordo com esses seres extraterrestres, houve outras civilizações humanas como nós que foram extintas milhares de anos atrás, das quais não sabemos muito, segundo a nossa arqueologia e história.
São apenas lendas, que não existiram, porque, por enquanto, não há provas concretas de que existiram. Mas elas eram civilizações humanas com conhecimento e tecnologia avançada, e elas desapareceram, porque a tecnologia foi mal utilizada, e após a catástrofe que aconteceu no planeta, teve que começar do zero.

De acordo com os extraterrestres, seres humanos têm amnésia histórica e só podemos traçar nossa civilização em alguns milhares de anos. Eles dizem que não podemos falhar novamente.

– Os Apunianos compartilharam algo com você sobre o futuro próximo?

[Ricardo] -Esses seres nos falaram sobre muitas coisas, sobre as diferentes possibilidades no que chamamos de futuro.
Eles nos disseram que a humanidade vai enfrentar uma série de processos difíceis nessa época, que enfrentaríamos mudanças climáticas que ficariam mais intensas com o tempo, guerras em lugares que têm interesses energéticos importantes para grandes potências, pragas e doenças, e a tentativa de superá-las com sucesso.

Curiosamente, Stephen Hawking, o importante cientista de Cambridge, quando ele falou da necessidade de explorar Alpha Centauri, depois de conversarmos sobre nosso contato e a mensagem que todo mundo conhece, Hawking concordou com os extraterrestres em dizer que uma pandemia, mudança climática ou impacto de um asteroide nos forçaria a fugir da Terra.
Impactos de um asteroide. E a primeira coisa que nós, humanos, dizemos quando ouvimos coisas assim é que isso não vai acontecer conosco.

Quando falamos da gripe espanhola, que aconteceu há muito tempo e matou cerca de 60 milhões de pessoas – e estamos falando sobre 1918 – e quando analisa as circunstâncias que aconteceram no planeta, parecem que foi há muito tempo e que não poderiam acontecer novamente, como uma história inimaginável.

-“Isso não poderia ter acontecido.” -“Não vai acontecer de novo.” Esta geração está passando por isso agora.
Claro, com menos mortes do que com o que chamamos de gripe espanhola, mas uma boa parte do mundo foi desligada, cheia de medo e preocupação, a economia sendo destruída neste mundo globalizado, e levou tempo para enfrentarmos essa pandemia, ou o que seja.

O que aconteceria se acrescentarmos uma grande mudança climática a isso, que afetaria nossos recursos, nosso alimento?

Todas essas coisas estão acontecendo agora. E os extraterrestres que estão em contato conosco já haviam nos alertado que entre 2020 e 2027 seriam anos chave para nossa espécie, quase como uma provação, como um teste final, para ver como reagiríamos, se poderíamos sobreviver em paz, com consciência, e construir um futuro melhor.

Nestes sete anos que estamos passando agora, segundo o tempo que esses seres extraterrestres me transmitiram, para que possamos nos analisar, aprender e mudar, essa é uma grande oportunidade para nos transformar ou fracassar.

Quando a Peste Negra ocorreu, que todos lembramos da Idade Média, foi um dos pontos de inflexão que, mais tarde, levou ao fim da Idade Média. E quando a Idade Média terminou, o Renascimento começou, e fez de Florença, na Itália, um epicentro de novas artes e pensamento humano.

Quando a 1ª Guerra Mundial e a gripe espanhola que mencionei acabaram, tentamos nos recuperar disso. Fundamos a Liga das Nações, a antecessora das Nações Unidas. E os Loucos Anos Vinte começaram, com pessoas experimentando moda, diversão, dança.
Você se lembrará disso especialmente aqui na história dos Estados Unidos. Claro, também houve momentos dramáticos, aqueles momentos de nossa civilização. Mas, nessas circunstâncias em que estamos agora, precisamos ter uma nova Renascença.

Os extraterrestres insistem que eles veem isso como uma oportunidade.
Assim como a Renascença foi uma transição entre a Idade Média e a Era Moderna, neste momento, esses sete anos precisam ser a transição para dar início a uma nova era espacial, uma era espacial que deve ser baseada, como já discutimos, Emery, na consciência.
Não devemos desperdiçar esta oportunidade. Há um detalhe interessante que gostaria de compartilhar. Venho falando sobre isso há muitos anos. Está em vários documentários na TV, nos meus livros.
Você sabe que aqui, nos Estados Unidos, um relógio de contagem regressiva foi posto na Cidade de Nova York, no meio de Manhattan, um relógio climático, marcando o ponto sem volta, o prazo final, o ano de 2027. E eles colocaram lá na cidade de Nova York bem debaixo do nosso nariz.

As Alterações Climáticas são um embuste

Os modelos das Nações Unidas também especificam os anos de 2025 a 2027 para que uma ação seja tomada. Do contrário, teremos problemas. Então, estamos vivendo anos de grande transformação, de grande mudança, e temos que enfrentar isso sem medo, porque o medo irá controlar você.

Spoiler
Desculpe, apenas utilizadores com sessão iniciada podem ver spoilers.
Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar:

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments