Chaves da Vida

SEJA – Chaves da Vida (3.ª parte do livro)

Partilhar no Facebook

Vamos disponibilizar a tradução do livro “IT BE – Keys of Life” em 6 partes

Esta tradução foi feita por 6 voluntários para o português do Brasil (se detetar algum erro, faça um comentário aqui no site), sendo que entre () poderão ser usados alguns termos em português de Portugal.

No final, será disponibilizado o livro em .pdf em português

Se desejar o .pdf em inglês baixe aqui:
https://drive.google.com/open?id=1J_nD6eW2nxMnVIlf129o1C9jJu3BX70b

Segue a terceira parte

O PRINCÍPIO PARA PERCEBER O/A CRIADOR/A

Este princípio explica que o Criador é sempre reconhecível em tudo. É Ele mesmo, que Se manifesta de todas as formas pela projeção de Sua inteligência inesgotável. Embora Criador com seu poder unificado, pode ser percebido mesmo na mais forte distorção das condições de vida. As manifestações ainda podem parecer muito incoerentes e caóticas, mas é o ato de reconhecimento que faz a diferença. Este ato capacita o corpo a perceber as vibrações da igualdade que o raio do Criador emana para as realidades e formas individualizadas que todas as formas de vida compartilham e têm em comum. Essa energia vibra em seu estado imaculado, atemporal, idêntico em todas as manifestações, e isso é o reino compartilhado, que une tudo com o Criador. Quando o Self começa a perceber toda expressão e toda manifestação de vida com uma visão de igualdade, pode ver o Criador em todas as coisas. Por praticar o reconhecer, este princípio aparentemente abstrato torna-se mais claro. Todas as experiências, situações e perceções precisam expectativa indiscutível que o Criador sempre se apresenta na situação em completa perfeição. Tudo está em sua legitimada posição, é realizado na melhor função possível e, desdobra seu propósito de acordo com a maior expressão possível no agora. Isto é a perspetiva de que toda a vida, independentemente de suas características e condições, está no melhor estado possível de realização e experiência. É a perceção de que a vida em seu desdobramento, é perfeita porque flui de perfeição. E independentemente de quão divergentes sejam suas manifestações, é vida e um desdobramento da realidade do Criador.

Isso parece ingénuo no contexto das tensões na Terra. Como pode o drama na Terra ser percebido como qualquer momento perfeito?

E é precisamente nesta aparente contradição onde a perfeição pode ser percebida. Porque a consciência individual liga-se, através da genética, a um corpo que causa, nas dimensões de tempo e espaço e elementos de energia e matéria, uma limitação perspetiva da perceção. E somente esta perceção limitada torna possível coletar experiências valiosas e, assim, contribuir para

a expansão em sua jornada de volta à perfeição. A consciência é amplamente reprimida no self e subvalorizada no drama humano, então as falácias óbvias da vida são percebidas como um obstáculo em vez de como perfeito.

A vida é perfeita em sua solução para expansão e manifestação de uma expressão de inteligência ilimitada. A expansão é o propósito da vida, estabelecido na grande visão, impulsionado pelo poder que a vibração equivalente, a presença do Criador, pode ser percebida em tudo. Os sinais sensoriais dessas vibrações estão limitados a faixas de frequência específicas, que os sentidos humanos podem sentir o equivalente real de vibrações.

A vibração original só pode ser percebida através da consciência e pensamento focado e a capacidade de olhar além das coisas. Somente isso torna possível ver a imagem da perfeição e da igualdade em todas as coisas por trás de uma situação.

Aceitar que uma perspectiva é limitada e, portanto, que pressupostos e entendimentos limitados distorcem o quadro da perfeição, é o primeiro passo. Todas as circunstâncias da vida são, sem dúvida, perfeitas a qualquer momento e em todos os níveis e dimensões. Quando isso não é assim, é uma indicação de que, simplesmente, tem que ser observado com mais conhecimento, a fim de reconhecer a perfeição que está de fa(c)to presente em tudo. O corpo humano tem um sistema de alerta de percepções errôneas em sua inteligência autônoma. Este é o sistema de habilidades emocionais, que são expressas pela percepção de sentimentos.

SEJA – Chaves da Vida (1.ª parte do livro)

Se uma situação experiente parecer desconfortável, os entendimentos e sugestões dos sistemas de crenças causais têm que ser modulada, através do pensamento focado, de tal forma que a perfeição pode ser percebida. O ajuste e expansão de sistemas de crenças transformando energias imediatamente, com base nos insights integrados, abre uma relação mais harmoniosa com a vida.

Essa é a responsabilidade de um eu. É a contribuição para ganhar melhor compreensão e é também a razão pela qual a vida se desenrola nessa variedade.

Esta percepção exige novos sistemas sensoriais que vão além dos cinco sentidos, expandindo os sentidos que refletem mais do que a atual filosofia da compreensão. Esse novo sentido vem da

ativação do código fonte que modula a genética do corpo. Esta é a primeira fase da experiência transformadora que coloca o corpo não apenas em posição de sentir a presença do Criador, mas também a essência atemporal em toda a vida que é separada e individualizada desta fonte criadora.

A percepção da consciência no eu é o caminho ideal para ativar uma sensibilidade contínua da vibração equivalente. Então, o self pode desenvolver a capacidade de sentir o Criador em tudo o que não é representado apenas em todas as várias manifestações de energia, mas também a totalidade.

SEJA – Chaves da Vida (2.ª parte do livro)

O PRINCÍPIO DA DIGNIDADE PARA A VIDA

A vida neste contexto é entendida como o reino da experiência ou da realidade do eu. É a existência da perspectiva autônoma, que é expressa através do corpo humano. A vida é a soma das experiências que flui para a dimensão temporal da presença dominante.

Não é uma experiência final no sentido de um começo ou um fim, mas em vez disso, uma expansão em curso para expressar a onipresente inteligência da realidade do Criador em todo o universo.

A dignidade para a vida e as circunstâncias é que são ação para identificar, em qualquer energia, a motivação da mais alta intenção em direção a sua expressão mais completa. Esta identificação deve ser realizada sem avaliação, análise, julgamento ou apego a uma conclusão. Isto é a simples apreciação e desdobramento da energia que flui de todas as manifestações e suporta assim a expressão da vida.

Afastando-se da percepção comum de que apenas o impacto, insights, experiências, formas e relacionamentos são suportados, o que são consistentes com a vontade pessoal, muda em direção à dignidade de todas as expressões. É a apreciação do desdobramento de energia como extensão da vida do Criador, que é expressa por sua inteligência inesgotável.

Isso leva à conclusão de que não há mal, mal direcionado ou energia maliciosamente carregada. Mesmo tais impulsos percebidos são energias em busca de uma expressão mais elevada.

Mais uma vez, a dignidade para a vida e suas circunstâncias, é a atuação que suporta as circunstâncias atuais de quaisquer ocorrências às suas maiores expressões. Requer a capacidade de reconhecer esta mais alta expressão em tudo, assim como encontrar a realidade subjetiva.

A energia é uma força motriz fundamental da vida, que é inteligente acima de toda a compreensão, e através dessa, o Criador deixa fluir sua ilimitada sabedoria. Portanto, a energia se desdobra e se desenvolve constantemente, mesmo que ela aborde motivos humanos que não pareçam seguir a mais alta expressão. Nunca é estático ou empurrado de volta a seu estado natural, mas sempre preservado. O objetivo principal do corpo humano é desenvolver um modo de expressão através desta energia e percepção, para expandir a realidade pessoal do eu, para se aproximar da perspectiva da consciência individual completa.

Há muitas maneiras de respeitar a vida das atuais circunstâncias. A consciência do eu é programada dentro do seu código fonte para transformar energia nos parâmetros de forma e talentos de diferentes maneiras e, para armazená-los e redirecioná-los através do corpo. Em todos os casos, a energia da visão pessoal ou cósmica, deve servir à expansão e ao bem-estar.

A conversão de energia em uma vida é o mais efetivamente possível desenvolvimento de sistemas de crenças. Suposições e sugestões de um sistema de crenças são a fonte para gerar essa energia, que é convertida em correntes pelas regras do sistema, permitindo experiências da vida concreta. As energias são moduladas pelos sistemas de crenças em suas frequências e representam o “espelho” que é projetado na consciência cósmica. Abordar uma realidade que reflete a realidade

da consciência individual, completa com maior precisão esses sistemas de crenças, para manter e ser modulado de uma forma que suporte a vida em toda a sua diversidade. Quanto mais claro e não contraditórias forem essas suposições e expectativas, mais diretamente o sistema de energia, suas correntes e as experiências de vida resultantes, estarão envolvidas no agora. O “espelho” da consciência cósmica fornece circunstâncias de vida com base exatamente nesta precisão. Nesse sentido, o universo do eu é uma grande máquina de desejos, entrega as circunstâncias à vida na qualidade como são desejadas. E isso acontece com uma precisão perfeita que não pode ser coberta pelos cinco sentidos, mas apenas com capacidades mentais, por causa do efeito do tempo e da percepção limitada dos ecos dos campos vibracionais. Além disso, as reflexões na realidade individual, ocorrem no período de tempo e com a variância que são definidos pelos sistemas de crença de produção de energia. Porque, muitas vezes, vários sistemas parcialmente contraditórios estão envolvidos na modulação da imagem espelho em contextos aparecendo sequencialmente, a identificação da percepção dessa perfeição é difícil.

O corpo humano confirma essa precisão com suas habilidades emocionais através dos sentimentos. Quando a associação de coisas experimentadas no sistemas de crenças tem sucesso e as emoções são emoções negativas, então o sistema de crenças não é adequado para o ego. Ou explicando de outra maneira. Preenchendo os sentimentos de acordo com o causado pelo sistema de crenças, uma melhoria sobre o que o self gosta toma lugar – em resultado, a autopercepção será melhorada.

Mais uma vez, a dignidade para a vida é tão crítica para a realidade universal, que contém todos os campos vibracionais que são impulsionados por sistemas de energia e todos estão entrelaçados como os fios de um tecido. Pela realização do poder criativo da conversão de energia, o eu desperta. E se assim escolher um apoio sustentável de que toda a vida é portadora da realidade do Criador, (o self) se torna o arquiteto de um novo conceito de existência.

A Escada de Cristal ~ Aula de Sananda e Arcanjo Miguel (3.ª parte do livro)

A PRÁTICA DOS PRINCÍPIOS

Quando o eu aplica os princípios da vida, a consciência leva mais e mais a identidade da inteligência cósmica e, o corpo humano, mais e mais a identidade da consciência. Então a consciência desperta e se transforma na mais completa consciência individual. Quando o propósito não é a mudança de consciência para o indivíduo mais completo em consciência, tais outros fins permanecem incompreendidos, porque a imagem espelhada da consciência cósmica permanece distorcida e o efeito catalítico para a prática dos princípios permanece inativo. Também esta é uma indicação da perfeição com que o Criador trouxe a grande visão à existência.

Na ativação total do código-fonte, é a perspectiva dos com mais consciência individual completa, de que toda a vida é amor puro e está sempre na expressão mais completa possível de seu status e, que cada vida permanece para sempre neste conceito.

Esta é a crença fundamental e todas as outras visões e sugestões derivam harmoniosamente com a intenção de apoiar esta perspectiva essencial, do universo da totalidade como o local de nascimento se origina, desenvolve e confirma cada vida. E os princípios da vida fornecem a dignidade através da observação, percepção e apreciação, bem como navegar através de expressões e comportamentos de apoio.

Portanto, deve ficar claro que todo um universo reage diretamente às intenções e ações do eu. É o dom do Criador em sua expressão do amor incondicional que contraiu o indivíduo consciência, como um parceiro da criação para trabalhar em expansão e para cumprir sua visão de concessão.

Porque cada desdobramento no campo de seu amor inesgotável vem com um suprimento ilimitado de energia neste campo de jogo, não é razoável acreditar que tem qualquer intenção de julgar ou punir. Teria criado o quadro de oportunidades de forma diferente em sua perfeição. Mas o quadro favorece a prática dos princípios da vida que representam uma abordagem para a sua realidade. No tempo em que o Criador puniria a motivação e as decisões da exploração de novos campos, as fronteiras da individualidade e do livre arbítrio teriam sido estabelecidas muito estreitas. No tempo em que o eu estaria em risco de cometer um pecado com cada decisão, então seria mais um autômato do que um espírito de pesquisa e que certamente não seria uma contribuição valiosa no caminho para a conclusão.

Sem a chance de uma autêntica exploração dos mundos de criação, o valor seria severamente limitado tanto para o criador quanto para a consciência individual. E sem poder mergulhar em qualquer escuridão concebível com as decisões, o desenvolvimento de singularidade não seria dado. Isso não deve ser entendido como um convite. Ele simplesmente fornece o amplo quadro do âmbito de desenvolvimento dos sistemas acreditados e da dada gama de livre arbítrio.

A verdadeira história do planeta Terra

Individualidade e independência foram os presentes para a consciência e uma percepção única é o presente para o Criador. O único esperado digno de nota, definindo a si mesmo, é cuidar de si e entregar uma única perspectiva durante a sua jornada em seu corpo genético e dentro do seu tempo ao Criador.

O reconhecimento da igualdade da consciência individual à consciência cósmica, se torna aparente quando está claro que o campo de experiência não pode ser simulado como um universo mecânico, porque cada energia que se desenvolve consciência, tem as capacidades de livre vontade. Esta é uma parte essencial do design perfeito da existência.

Há uma forte afirmação de que o Criador não jogaria os dados e tem que haver uma fórmula aritmética desconhecida em algum lugar na fundação dos campos energéticos. Dentro do reconhecido de leis físicas nas faixas de frequência de campos de vibração que reduzem energia para o tempo e o espaço, isso se resume a uma certa profundidade de observação como essa.

Mas há um componente adicional de uma consciência, perceptível além da razão, que é capaz de solicitar um status para decidir a partir das frequências e isso com seu livre-arbítrio irrevogável. E isso no campo permanente do agora que torna a mudança no estado energético perceptível como Tempo.

Na ciência humana da matemática há um bom exemplo da presença e influência. O símbolo do infinito numa maneira diferente, a fórmula constante é ajustada em seu espaço de significado através do contexto pretendido da consciência avaliadora. A quantidade de todos os números inteiros de 1 a infinito correspondem exatamente à quantidade de todos os números inteiros divisíveis por 2, porque a consciência observadora amplia o significado do infinito em ambos os casos. Então, direcionar a perspectiva da consciência é compreensível.

Essa consciência individualizada em todos os níveis – não apenas esse exemplo principalmente mencionado que é capaz de ocupar o corpo humano – está agindo sobre os campos dos universos atuais, sublinha a dignidade de apoio para toda a vida em suas muitas expressões e manifestações. Tal deverá, em particular, conduzir a uma convergência de consciência de grupo da humanidade e deve moldar para lidar diferentemente do que é atualmente com o seu ambiente, que é também o corpo planetário vivo e consciente da Terra.

Os princípios apresentados são meramente receitas simbólicas para o desenvolvimento do eu para a experiência transformadora. Não há rituais ou técnicas que são necessários para a aplicação destes princípios, porque são apenas percepções perspectivas. Dependendo da implementação de um estilo de vida de acordo com essas perspectivas, a ativação do código fonte ocorre mais cedo ou mais tarde. E isso somente quando os objetivos estão em linha com a perspectiva do Criador.

O poder de transformação é induzido por uma certa atitude e pensamentos. A extensão dos sentidos é a expansão do espectro de percepção dos campos de frequência da realidade do self, expandindo o uso de DNA das áreas inexploradas.

Esta terceira parte foi traduzida por Katia Kosorus

Para ler a 4.ª parte clique no link abaixo:

https://www.oevento.pt/2019/11/21/seja-chaves-da-vida-4-a-parte/

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os autores não usam facebook, portanto se tiver alguma pergunta, coloque aqui no site, na secção dos comentários (não do facebook)
3. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.