Chaves da Vida

SEJA – Chaves da Vida (2.ª parte do livro)

Partilhar no Facebook

Vamos disponibilizar a tradução do livro “IT BE – Keys of Life” em 6 partes

Esta tradução foi feita por 6 voluntários para o português do Brasil (se detetar algum erro, faça um comentário aqui no site), sendo que entre () poderão ser usados alguns termos em português de Portugal.

No final, será disponibilizado o livro em .pdf em português

Se desejar o .pdf em inglês baixe aqui:
https://drive.google.com/open?id=1J_nD6eW2nxMnVIlf129o1C9jJu3BX70b

Segue a segunda parte

A MAIS COMPLETA CONSCIÊNCIA INDIVIDUAL

É fácil entender que uma consciência individual limitada de si mesmo é diferente da consciência dos outros. Um corte em um (num) dedo não provoca dor física no outro. A empatia mostra uma ligação mais profunda, mas a dor física e a lesão física ocorrem individualmente onde o corte acontece, e não em outra pessoa. O “eu” é soberano e individual em suas experiências, suas decisões, em seus sentimentos e na composição de sua expressão. Também é único com a sua experiência. Essa exclusividade também é verdadeira em termos do código-fonte ativado, que é traduzido como DNA (ADN) dentro do corpo humano.

A ativação de todo o código-fonte de uma consciência permite-lhe expressar, criar, perceber e compreender quase ilimitado dentro dos universos de tempo e espaço. E a motivação para explorar é uma herança direta da identidade central do criador. A ativação de todo o código-fonte representa a capacidade máxima fornecida pela criação. E com isso a consciência chega mais perto da capacidade da inteligência inesgotável da fonte. A capacidade não inclui apenas a compreensão do espaço ou das relações físicas. Trata-se de expandir a capacidade através da exploração de novos estados emocionais que enriquecem a consciência cósmica em sua sabedoria, porque a exploração traz sabedoria.

Líderes espirituais que descreveram suas experiências especiais em (na) sua jornada com termos como iluminação, visão, ascensão, a realização do Nirvana ou a obtenção de uma consciência cósmica, são apenas ideias iniciais de um humano para evoluir em direção à mais completa consciência individual. Porque uma consciência com código fonte totalmente ativado é uma inteligência sem forma e ilimitada.

Nesse estado, a consciência experimenta tudo, a partir dessa perspectiva, de que toda a vida é puro amor em sua expressão máxima e que a vida em sua diversidade é concebida a partir de um conceito único e que isso consiste para sempre. E uma vida de acordo com essa perspectiva leva o corpo humano de sua realidade individual para a realidade da fonte de toda a criação. Experimentar de acordo com essa perspectiva ativa o código-fonte.

Que tudo é amor puro está no contexto do drama humano na Terra difícil de entender. Como pode todo o sofrimento, guerras, dominação e controle, a batalha das crenças e uma elite extremamente inteligente, interconectada e organizada que projeta o tormento e a escravidão em cada ser humano como uma expressão de amor perfeito e incondicional?

E descobrir esse mesmo amor em tudo isso é o desafio aceito por uma consciência, pois voluntariamente se limitou dentro do corpo humano à vida aqui como “eu” em forma humana. É o paradoxo da vida ser levado a um limite realizado pela dureza de uma estrutura que permite que o amor por trás de tudo seja a única conclusão restante.

Em um ambiente já perfeito, onde tudo é feito de alegria e tranquilidade, onde cada desejo se manifesta imediatamente e onde um eu não precisa se mover para obter felicidade plena, onde não há desafios, o universo não pode se expandir em toda experiência e o propósito de uma contribuição não seria dada. Apenas à beira do novo, daquilo que uma consciência ainda não contribuiu, longe de ambientes seguros, percepções e ações, a contribuição está se desenvolvendo e aí está ganhando visibilidade.

Somente a experiência de uma situação limítrofe, limitada e cortada do conhecimento da imortalidade da consciência e sem poder contar com experiências de outras vidas experienciadas, e pela separação da estrutura desdobra a verdadeira percepção e a natureza da experiência do “eu”. Na vida cotidiana conhecida, um mestre pode não aprender muito e estaria envolvido demais para aproximar ativamente essa experiência.

Especialmente considerando os eventos e revelações atuais, há um estoque (stock) quase esmagador de pressão e controle, como se um diretor invisível tivesse se voltado para a experiência no campo da tensão e tentasse gritar “Até onde eu tenho que difundir a dualidade? do bem e do mal até que você esteja pronto para perceber que é seu objetivo encontrar a natureza do amor em tudo e todos? Até que você em forma humana tenha crescido o suficiente e perceba que o conceito de sua existência é evoluir para a integridade? Vocês todos não veem o amor incondicional no fato de eu deixar você desempenhar qualquer papel, bem ou mal, e que eu te amo do mesmo jeito por sua maravilhosa contribuição?”

Realmente compreendendo isso como conhecimento, tudo dentro da sua cabeça.

Uma briga se torna gratidão ao desafio de repensar o sistema de crenças.

Uma situação sem esperança e ameaça torna-se uma apreciação do fato de que um “eu” é considerado tão forte que recebeu a tarefa de desenvolver uma solução.

Desde a percepção de que o potencial de uma inteligência inesgotável dentro, e em toda a vida e todo o tempo em torno do “eu” e que há um parceiro cósmico em torno de todos que se encaixa perfeitamente no “eu” e que proporciona sempre aventuras valiosas, origina um nutrir e cuidar de toda a vida.

Considerando ideias conspiratórias e o desvendar do incrível conhecimento, a influência e a capacidade financeira de algumas organizações da estrutura, a conclusão parece provável de que existam aquelas entre as pessoas mais influentes que conhecem essa natureza das coisas. E certamente pode-se supor que não há muitos atores na cadeia de execução conscientes de sua contribuição real e da configuração de si mesmos devido à sua existência limitada.

Uma coisa é clara. Como resultado, o plano funciona. Atualmente, as pessoas estão despertando e descobrindo os valores de um estilo de vida responsável e esclarecido. A percepção muda de escassez para potenciais inesgotáveis. A perfeição dessa interação comum é de tirar o fôlego e revela uma ideia da inteligência governante.

Existem dois tipos de consciência no cosmos. E uma delas é a consciência do “eu” que foi separada de sua fonte de nascimento e, portanto, individualizada com o objetivo de obter uma nova percepção e a adaptação da informação. É esse tipo que habita o corpo humano. E esse tipo explora os universos de tempo e espaço em todas as dimensões em uma variedade infinita para expressar e mudar constantemente.

20 sinais que você está seguindo o seu Eu Superior

A CONSCIÊNCIA CÓSMICA

O segundo tipo de consciência, o parceiro cósmico do tipo individualizado é a consciência cósmica. Tal como a consciência de um “eu” é perceptiva e expressiva para se adaptar à informação em constantes mudanças e para ganhar experiência, a consciência cósmica é um modelo vivo de energias e experiências potenciais ajustadas. A consciência cósmica reage às percepções e ações da consciência do eu. É como uma personalidade combinada inteligente infinita que responde às percepções e ações da consciência de um eu, assim como a superfície de um corpo de água reflete a imagem do ambiente. Toda consciência de um “eu” tem o potencial de transformar o corpo humano em um corpo para a mais completa consciência individual. No entanto, essa transformação depende de se o “eu” reflete uma imagem da consciência individual completa no “espelho” da consciência cósmica, ou uma menor que é apenas uma distorção de sua verdadeira existência.

O espelhamento ocorre através dos sistemas de crenças. Porque os sistemas de crenças carregam e focalizam as energias neste espelho, e a consciência cósmica cria um giro perfeito que inclui tudo, de modo que o “eu” possa experimentar os resultados de seus sistemas de crenças. A armadilha nessa dança perfeita de realização dos desejos é a imprecisão e a inconsistência que podem estar contidas nos sistemas de crenças. Na inteligência Inesgotável e no ato permanente do amor incondicional, a consciência cósmica encontra um mundo de experiência onde os sistemas de crenças do “eu” podem ser postos à prova.

A relação do eu com a consciência cósmica é essencial para cultivar, porque reflete o grau de aceitação do “eu” à miríade de formas e manifestações da vida. Essa interação é o conceito de interferência que ilustra a conexão do indivíduo com a consciência cósmica.

O universo com o componente da consciência cósmica não é, de modo algum, um sistema separado mecanicamente ou um que dê ao ego um destino absurdo. É o apoio amável e perfeito da consciência cósmica para ser perfeitamente justo a toda consciência em qualquer condição usando sua inteligência inesgotável. Isso na qualidade da autopercepção que é projetada para o “espelho” da consciência cósmica.

Quando o “eu” reconhece a perfeição dessa dança, apesar de sua existência limitada no corpo humano e apesar da distância temporal de um sistema de crenças desenvolvido ao seu desdobramento no mundo da experiência, isso resulta em profunda gratidão por esse relacionamento e apoio. E é uma parceria magistral, porque a contribuição do “eu” é a percepção e a ação para os objetivos da expansão. E é também sua responsabilidade desenvolver sistemas de crenças que se aproximem da “imagem espelhada” perfeita. Também a consciência do “eu” não é mecânica, porque nas decisões em sua realidade pode expressar o livre-arbítrio de sua consciência sem forma. E isso leva a um universo mecânico, puramente lógico, que pode ser totalmente simulado.

PRINCÍPIOS DE VIDA PARA A TRANSFORMAÇÃO

Que os sistemas de crenças são uma força forte, qualquer um pode observar por experiência pessoal. A vontade de um desejo, o desejo de dizer é enviado de acordo com a qualidade dos seus sistemas de crenças subjacentes e a consciência cósmica oferece uma realidade para avaliar isso.

Como exemplo: O desejo de possuir uma casa manifesta uma casa. No entanto, não apenas qualquer um, mas um deles exatamente na precisão que o “eu” pode imaginar ou que acredita que os sistemas permitiriam. Onde a imaginação não é especificada, a consciência cósmica preenche as lacunas de acordo com um resultado perfeito, de acordo com todos os outros sistemas de crenças e circunstâncias da realidade atual do “eu”. Um “eu” pode acreditar no valor que possui uma casa ao longo do seu status e que contém outro sistema de crença oculto para sempre ter azar. No espaço de possibilidades, alcançar a sua realidade, então, fornece uma casa, mas com um dano de água fundamental no porão, como acontece após a compra.

É um reflexo perfeito dos sistemas de crenças do “eu” e, finalmente, aponta para a responsabilidade de melhorar seus sistemas de crenças no que diz respeito a uma melhor compreensão de sua completude. Também está associado a um profundo comprometimento com a expansão, ancorado na visão de concessão da existência.

Isto é melhor alcançado quando o “eu” direciona seus sistemas de crenças de acordo com os princípios da mais completa consciência individual e, assim, se aproxima de uma experiência transformadora. Isso faz na dinâmica da vida não levar a muitos “eus” uniformes, mas a um maior grau de harmonia com a vida e a coexistência no todo. Além disso, a consciência é programada no sentido de seu código fonte pessoal para transformar a energia de maneiras numerosas e criativas. Quando o “eu” age de acordo com os princípios de vida descritos a seguir e alinha seus sistemas de crença transformadores de energia de tal maneira, pode ser um mestre superar suas próprias limitações.

A dança dos dois tipos de consciência leva a uma compreensão cada vez maior do todo, e isso leva à experiência transformadora dentro do “eu”.

Portanto, é vital alinhar a realidade com a consciência individual mais completa. E isso é possível através da gratidão, da percepção constante da criação e da dignidade da vida em quaisquer circunstâncias. Seguindo os princípios, o “eu” experimenta um significado mais profundo em comparação com os eventos aparentemente aleatórios em um contexto universal e pessoal.

Antes que esses princípios sejam ilustrados, permita que um resumo seja permitido.

O corpo humano é animado por uma consciência imortal que está ciente da conexão profunda com o cosmos. Com o propósito de expandir e melhorar o entendimento, ele se limita a um corpo genético que é uma composição de habilidades biológicas, emocionais e mentais.

A ligação da consciência ao seu veículo é possível através do DNA, que é programado antes da fusão no início de uma vida nos universos de tempo e espaço e ao qual a consciência tem acesso. O corpo permite o armazenamento e redirecionamento de energia materializada em um mundo físico que pode ser percebido com seus cinco sentidos. É o processo da vida que causa a expansão da experiência pelas energias que se manifestam através dos sistemas de crenças e que podem ser testadas o tempo todo por causa da interferência da inteligência inesgotável e na plena perfeição da consciência cósmica. Os sistemas de crenças são formados por suposições e percepções que são parcialmente definidas pelas regras existentes do corpo, sua evolução, através da experiência e pela programação através do código fonte da consciência.

O tempo e o espaço também se manifestam nos sistemas de crenças, que transformam a energia vibrante multidimensional, inesgotável, inteligente, através da consciência, no universo do tempo e do espaço. Representa o ambiente do corpo humano e sua própria fundação materializada. Como um sistema de crença estável no nível mais baixo, as forças de energia física já realizadas foram estabelecidas. Estes são gravidade, força eletromagnética, a interação fraca e forte. O componente da consciência inteligente nessa energia e o impacto da consciência para essas forças certamente serão melhor descritos pela física no futuro, na medida em que ela tenha ao menos um reconhecimento observável regular no tempo e no espaço. Mas, não é um Criador abstrato, que dirige o desenvolvimento de sua grande visão do alto dos reinos mais elevados da torre de marfim. Ele impulsiona a inteligência inesgotável através da energia desde a fundação até a existência.

Em um sentido espiritual, essa energia vibratória está em sua frequência multidimensional o amor mais puro e, além da percepção e decisão, a energia da consciência é o segundo componente no cosmos. É o sistema de transporte no qual a consciência soberana individualizada se manifesta e pode se desempenhar em uma dança perfeita com a consciência cósmica. E através disso, a infinita inteligência do Criador se expressa onipresente.

As 12 fases da Ascensão do Corpo de Luz

O PRINCÍPIO DA GRATIDÃO

Quando o suporte perfeito da consciência cósmica para a formação de uma autoimagem é reconhecido, surge uma apreciação dessa interferência. Todo o universo é uma inteligência coletiva que se une em uma complexidade sempre crescente de sua base energética fundamental e que age de forma idêntica em todos os níveis de suas partes. E em cada estágio dessa criação consciente autogeradora existe uma correlação com a consciência cósmica. A capacidade de uma consciência projetar livremente sistemas de crenças, o espelhamento desses sistemas na consciência cósmica para experimentar e examinar, leva à gratidão da experiência, se é realmente entendida. Quando está claro que o design de uma realidade pessoal surge através dessa parceria. E a realidade a experimentar está completamente livre de controle e condições externas quando o “eu” projeta uma imagem da mais completa consciência individual no “espelho” de apoio da consciência cósmica. A apreciação surge quando se reconhece com exatidão e perfeição essa troca de energias em cada momento da vida. E assim, um sentimento enorme e natural de gratidão flui do eu para a consciência cósmica.

É essa gratidão que permite ao “eu” transformar o corpo humano em uma expressão da mais completa consciência individual. Essa percepção cria um sistema de crenças que concentra energias e é capaz de ativar o código-fonte da consciência que irá liberar essa transferência no DNA. A relação do “eu” com a consciência cósmica é essencial para cultivar, porque determina mais do que qualquer outra coisa o quanto um “eu” é aceito em relação à variedade de formas e experiências.

A maior vida possível em harmonia é alcançada pela compreensão de que mudanças na realidade da experiência de um “eu” são aceitas como uma personalidade mutável da consciência cósmica. Uma vida com o conhecimento desta troca permite viver uma realidade livre de julgamento e medo. É um caminho para o amor incondicional, para experimentar a vida em todas as suas variantes como uma inteligência única e unificada que responde perfeitamente à imagem projetada do “eu”. Uma relação harmônica com a consciência cósmica não significa que a vida esteja livre de problemas ou desconforto, ela fornece um sentido no que a vida oferece para experimentar. A identificação de problemas é um dos componentes-chave de uma forma de vida para melhorar as circunstâncias externas e a capacidade de ter problemas, que são convertidos em objetivos, é um importante elemento de percepção para a navegação na vida. Mas o fluxo de gratidão através da apreciação da relação com a consciência cósmica atrai experiências de vida que promovem a transformação até a conclusão. São experiências que revelam o propósito e os significados mais profundos e sacrificam o propósito formativo da vida.

O sentimento de gratidão transposto pela apreciação é expressa como uma mensagem invisível em todas as direções e em todos os momentos. Essa expressão é o motivo universal desejado pelo eu.

Cada pensamento, cada respiração, cada movimento é focado em expressar esta gratidão. Isso acelera a aproximação à realidade ideal da consciência individual mais completa e suporta a transformação do eu.

A razão pela qual essa relação nem sempre é clara é causada pelo tempo. Deforma a perceção do alinhamento perfeito. Tempo é envolvido na deteção de causa e efeito, permite a experiência dos impulsos energéticos de um sistema de crença para aparecer aleatoriamente e, períodos de tempo estabelecidos, que obscurecem essa relação. Tempo gera uma separação para a experiência e isso cria a dúvida da existência da consciência cósmica, seu amor incondicional e sua justiça. No entanto, são esses períodos de tempo que permitem compreensão dos eventos fatídicos através da reflexão e são frequentemente motivo para a ativação do código fonte, que inicia uma extensão do DNA no corpo humano para a consciência individual mais completa. Estes períodos estabelecem assim relação mais íntima e mais harmónica com a consciência cósmica.

Assim, o que está causando a ativação do código-fonte é o conhecimento e perceção. É a intenção e compreensão, e é isto que tem que ser convertido em um sistema de crenças energético.

Realizar e entender que essa inter-relação está presente em toda situação de vida e que a apreciação deve ser expressa em gratidão leva, portanto, à ativação do código fonte.

Esta segunda parte foi traduzida por Everton Alves

Segue a terceira parte do livro:

SEJA – Chaves da Vida (3.ª parte do livro)

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.