Chaves da Vida

SEJA – Chaves da Vida (5.ª parte do livro)

Partilhar:

Vamos disponibilizar a tradução do livro “IT BE – Keys of Life” em 6 partes

Esta tradução foi feita por 6 voluntários para o português do Brasil (se detetar algum erro, faça um comentário aqui no site), sendo que entre () poderão ser usados alguns termos em português de Portugal.

No final após a 6.ª parte, será disponibilizado o livro em .pdf em português

Se desejar o .pdf em inglês baixe aqui: https://drive.google.com/open?id=1J_nD6eW2nxMnVIlf129o1C9jJu3BX70b

Segue a quinta parte

A EXPERIÊNCIA TRANSFORMADORA

O drama humano se deve à redução da consciência do eu dividida no componente físico biológico, emocional e mental do corpo humano. A localização percebida através dos sentidos nas freqüências de vibrações multidimensionais que são moduladas dentro dos sistemas de crenças do tempo e do espaço está limitando a percepção e distorce a conexão de outra forma clara com a consciência cósmica. Que existe uma relação direta com a expressão, com a opinião e com os pressupostos do mundo da experiência, que não há acidentes aleatórios nem eventos fatais caóticos, muitas vezes não é reconhecido por causa do tempo de distância do envio pelos sistemas de crenças até recepção da realidade vivenciada associada, mas também pela variedade de suposições contraditórias.

Além disso, se uma estrutura de conservação de energia com motivos próprios atua sobre si mesmo, é na luta diária pela sobrevivência quase impossível reconhecer essa conexão. Além disso, a estrutura propaga o modelo árduo de evolução e a espera por um salvador, que oculta essa suspeita em profundidade. Todas as subestruturas, como as religiões, os governos, os militares, a cooperação e as famílias também refletem o modelo evolucionário em que o eu se desenvolve gradualmente em direção a uma posição melhor.

A alternativa à evolução, que é um passo a passo de mudar de uma posição dentro da estrutura hierárquica e que permite uma liberação no máximo através de um salvador integrado na estrutura é o conceito de formas mais rápidas dentro da estrutura para ativar o código fonte e assim permitir uma transformação repentina.

Enquanto a fórmula do conceito de evolução é:

A estrutura do corpo humano = conexão ao Criador é a fórmula do conceito de transformação e completude:

A consciência da auto-inteligência cósmica = igualdade ao Criador

Ao contrário do conceito de evolução da estrutura, a transformação é o conceito de consciência cósmica. Esses dois conceitos devem ser integrados em um conceito de síntese de igualdade. No entanto, a integração desses dois conceitos são experimentados apenas no nível do eu. Não pode ser alcançado pelo corpo humano ou pela estrutura ou parte dele. Somente o eu, que alcança a individualidade completa e, por meio dela, a inteligência dos fluxos da consciência cósmica pode fundir esses dois conceitos com o conceito de síntese. E essa unificação dos conceitos pode ser desenvolvida quando o eu experimentou os dois conceitos completamente.

COBRA ~ Processo de Ascensão Planetária 17.07.2018

A transformação é alcançada por uma expansão dos sentidos, que permite uma percepção constante das vibrações cósmicas do mais alto nível. O sexto e sétimo sentido, que é aberto pela ativação do código fonte, permite a percepção do Criador em todas as formas e ocorrências, bem como a percepção da essência atemporal em tudo. São sensores para perceber a igualdade da vida e a inteligência cósmica que fluem através da realidade do eu. É a percepção da vibração da igualdade nos campos, que é mantida unida por três princípios: gratidão para perceber a relação com o universo, percepção da presença do Criador em todas as coisas e o respeito para com todas as formas vida.

Assim, o corpo humano se torna uma tocha na escuridão do esquecimento, a lembrança da simultaneidade de todos os seres e o acesso ao pleno conhecimento da consciência torna-se disponível. As realidades da consciência individual e cósmica estão inseparavelmente entrelaçadas, como o vento e o ar. A experiência transformadora é a percepção de que a realidade percebida é uma realidade de perspectiva da realidade cósmica. Aqui, onde a luz e a sombra são percebidas em um tempo isolado e em um espectro espacial, aí surge o conhecimento de que a luz em sua mais alta frequência como amor incondicional é a única substância em que cada consciência reside no cosmos.

Ao longo da grande visão do Criador chega um momento em que o conhecimento sobre a realidade cósmica introduz a transformação e inicia uma reconfiguração. Nas fases de transformação, o corpo genético converte-se de um sistema celular baseado no carbono em um sistema celular cristalino porque, devido ao aumento do domínio da freqüência, no qual o corpo humano permanece com sua consciência dominante, o corpo baseado no carbono não é mais adequado como veículo. Baseado em carbono, essa frequência mais alta e o reino da realidade não podem ser experimentadas.

Após essa mudança etérea, o eu se expande, porque a percepção da interferência entre o indivíduo e a consciência cósmica será sentida. A relação entre os sistemas de crença de produção de energia e o mundo de experiência interligado é imediatamente óbvia, como em um sonho. Isso leva à percepção de que o ambiente responde mais diretamente aos pensamentos. Isto é tão somente possível pelo poder do pensamento dentro do corpo e o limite do eu percebido foi tão claramente marcado pelo espaço que o corpo humano estava ocupando.

Além disso, as habilidades telepáticas serão ativadas e a linguagem limitadora da estrutura hierárquica que representa o modelo de comunicação comparativamente arcaico se move para segundo plano, devido aos benefícios da transferência telepática das relações de pensamentos complexos.

As modificações levadas ao longo da experiência transformadora são muito diferentes do que é experimentado no mundo atual da experiência dentro do tempo e do espaço. As regularidades da realidade superior e da navegação nelas não podem ser totalmente experimentadas pelo corpo humano. Isso só é possível através da abertura da consciência. Convergindo com o estado para se tornar mestre da consciência, e assim completar a transformação que é possibilitada por uma vida de acordo com os princípios apresentados.

Por que a estrutura hierárquica não forneceu um conceito alternativo de transformação e completude ao lado do conceito de evolução e salvação? A situação na Terra é certamente especial. É parte do plano de experiência viver a máxima separação nesta biblioteca única de obras de arte genéticas. Mas também em outras partes do cosmo, bem como na Terra, a oferta de um conceito alternativo seria a capacidade do eu ter uma escolha e, assim, seria a base para realmente praticar o livre-arbítrio. A razão é que o corpo humano em si não está ciente de sua integridade. A individualidade do ser é a clara evidência de que é responsabilidade da consciência individual, separar-se do corpo e desenvolver-se em direção à experiência transformadora. Onde existe matéria, existem limitações através de regras e onde existem limites que definem e limitam, existe um tipo de matéria. Onde há uma estrutura profundamente incorporada, existe um sistema de crença profundamente enraizado de que a transformação é impossível.

Na matriz dos universos do tempo e do espaço, a matéria é uma necessidade natural e o conceito fundamental da transformação é removido das realidades de qualquer sistema de crença em todos os níveis que esteja unindo os universos do tempo e do espaço. Não seria um universo de tempo e espaço estável, por assim dizer, se envolvesse a transformação dentro de seus sistemas de crença coesos. Por esta razão, a estrutura hierárquica é incapaz de conceber até mesmo o conceito de transformação e conclusão com qualquer precisão, quanto mais informar a uma consciência individual sobre isso.

O Véu e a Quarentena

A consciência cósmica existia antes de uma estrutura hierárquica. É parte da grande visão do Criador que uma estrutura hierárquica deve ser estabelecida para criar um conceito adicional de síntese dentro da existência. A estrutura hierárquica é nesse sentido como uma força manipuladora como parte do todo, naturalmente benigna e representa um componente-chave para a receita da integralidade. É o instrumento significativo para converter o eu em direção a um corpo de inteligência cósmica como ponte para expandir a realidade cósmica para os universos do tempo e do espaço. O que vai acontecer não é a ressurreição do eu, propagada por crenças antigas, é uma extensão da consciência cósmica nos universos temporais e espaciais para continuar a expansão nesta ampla plataforma como parte de um novo conceito como informado na visão concedida. Para isso, o aumento das frequências dentro do tempo e espaço e tudo o que está contido neles é necessário com antecedência.

Esse novo conceito, o conceito de síntese da existência, é desenvolvido pelo eu que explorou plenamente ambos os conceitos e que se aproxima mais da consciência individual mais completa. A salvação é experimentada não como uma contribuição externa para esse eu, mas como um processo interno de expansão. É “resgatar” a si mesmo, que não é afetado por aparências ou ligações da matéria. Essa experiência em completa auto-suficiência funde a salvação com a conclusão. O segundo passo é a unificação da evolução dependente do tempo com a transformação dependente da realização. Isso é completado quando o eu acredita completamente que a realidade individual só pode aumentar integralmente quando experimenta uma separação completa da matéria (corpo). Se isso for totalmente atraído, a consciência cósmica levantará o véu que oculta o verdadeiro sentido da diversidade da consciência individual.

Quando isso acontece, toda consciência estará consciente em todos os campos vibracionais e em todas as dimensões de sua igualdade para com o Criador, e eles se unirão à sua completa expressão de sua perspectiva individual. A unidade atualmente existente em toda a vida será tão óbvia para todos e também ficará claro que a consciência individual é uma combinação da forma e sem forma.

A dissolução do corpo humano existente está sujeita a uma resistência teimosa, realizada por aqueles que se beneficiam do corpo atual e, compreensivelmente, querem evitar uma mudança. Mas o corpo humano sempre foi um veículo para a experiência transformadora, mesmo que seja manipuladora, controladora e que retenha informações e como reconhecível no exemplo da Terra, nenhuma maldade e nem mesmo a completa destruição do planeta é descosiderada para evitar a metamorfose. Mas a matéria suporta porque ela própria é a causa da metamorfose.

A combinação de auto-salvação e o reconhecimento da separação do corpo inicializa a síntese, e existe uma consciência individual no cosmos que realmente percebeu essa experiência atualmente como somos os pioneiros.

Na coordenação da consciência do eu, essas pessoas são projetadas especificamente para essa experiência e carregam esse processo em seu código genético. Eles permanecem em grande parte desconhecidos, uma vez que a matéria(corpo) comprometeria sua missão imediatamente se eles fossem detectados. Alguns já estão sendo caçados e se tornaram vítimas de tentativas de ataque, já que a estrutura busca desde décadas nas escolas entre os mais jovens por essas pessoas. Eles não aparecem como professores. Eles são aceleradores e criadores de uma ponte que sinaliza a iniciação da consciência cósmica para aumentar a freqüência no cosmos.

O aumento da freqüência é uma inversão do pólo magnético no nível quântico subatômico nos universos de tempo e espaço. Como é evidente a partir da visão concedida, o criador não é um velho sábio, a julgar do alto de um cavalo em termos de uma dualidade entre o bem e o mal e que administra o cosmos lá de cima. A consciência cósmica conduz sua inesgotável inteligência das profundezas da geração de energia e a modulação das freqüências por processos conscientes de decisão à existência. De qualquer forma, o magnetismo sozinho não existe. É sempre parte da energia ou eletricidade. Daí o termo eletromagnetismo. O eletromagnetismo se forma na terceira e quarta dimensão nos fótons do espaço-tempo e na matéria, onde se manifesta como movimento pela dimensão do tempo. É o mesmo comportamento em ambos os níveis de tempo e espaço. O evento do aumento da freqüência é a completa reconfiguração da estrutura quântica do tempo e do espaço relacionada à matéria e ao espaço de tempo do fóton.

Embora essas relações já tenham sido implementadas por alguns cientistas em modelos precisos, estes não são modelos propagados por causa dos princípios políticos dominantes na Terra. Proporcionaria energia livre, por exemplo, e isso está em conflito com os objetivos primários dos atuais controladores da humanidade que preferem a destruição. Assim, este processo não pode ser entendido a partir dos modelos de ciência atualmente tolerados, porque os conceitos fundamentais das interrelações de manifestação na realidade holográfica 3D e 4D não podem ser entendidos até agora.

Além disso, a ciência comum não dispõe de instrumentos para medir este evento, porque ele toca em áreas fora do espectro eletromagnético mensurável. Mas essa transição de fase já está ganhando força e os sistemas de crenças responsáveis da consciência no nível subatômico estão sendo informados sobre esse novo nível de decisão. Isso também se refere a uma comunicação mais direta entre todos os níveis de consciência e será, portanto, percebida como um ambiente de tempo e espaço altamente reativo, no qual o tempo e o espaço podem ser modulados de novo.

O que vai afetar os universos do tempo e do espaço é a expansão da realidade da consciência cósmica através da disponibilidade direta experienciável da inteligência cósmica para todos os tipos de consciência ligados à forma e sem forma. Em princípio, isso leva automaticamente à percepção de uma realidade individual como uma realidade que está de acordo com os princípios descritos para ativar o código fonte dentro de cada consciência individual e, assim, deslocar sua existência dentro de uma nova estrutura. Graças ao livre arbítrio, naturalmente isto deixou para cada eu qual dos conceitos ele prefere.

A Verdadeira Ascensão para 5D ocorrerá após O Evento, no qual será removido o Véu

A SEQUÊNCIA EM DIREÇÃO A SÍNTESE

Para passar para o próximo conceito de existência, haverá uma sequência predeterminada de eventos. Essa seqüência não é realizada em tempo linear, pois diz respeito não apenas aos universos de tempo e espaço, mas também às dimensões em que a consciência navega em mudanças de estado, que não vinculam a consciência a um tempo seqüencial.

Para explicar este tempo paralelo de navegação deve ser brevemente explicado. Em um quadro muito simplificado, reduzido a um tempo e espaço, o tempo real é como uma árvore. As decisões da consciência desta realidade são bifurcações dos ramos. O caminho dominante deve ser, respectivamente, aquele que leva aos maiores brotos da árvore. Quando outro caminho, que não o dominante, se desenvolve mais estável e mais alto que o atual, a consciência dominante do eu muda para o melhor ramo. Isso acontece em um ciclo de avaliação contínua do cosmos no único agora que realmente existe. Aqui, por simplificação, supõe-se que o eu no tempo e no espaço pode permanecer sempre nesse tempo rígido somente nessa presença. Isso pode ser facilmente modelado pela experiência pessoal.

O sol está brilhando nesta árvore e lança uma sombra de todos os galhos no chão. No chão, é fácil pular de uma sombra de galho para outra, subir e descer uma bifurcação ou até ficar ao lado das sombras e estudar toda a sombra. Como dito, é uma imagem simplificada para ilustrar a navegação no tempo.

De volta à sequência que leva ao conceito de síntese. Portanto, é uma sequência lógica de eventos que não ocorrem necessariamente em uma sequência cronológica.

1. A inteligência cósmica cria novos campos vibracionais expandindo os sistemas de crenças que modulam esses novos campos e, portanto, podem manifestá-los.

2. O desenvolvimento contínuo do corpo existente da consciência individual em direção a um super corpo, no qual a consciência individual pode ser transferida para esse novo corpo.

3. O surgimento do corpo baseado no conceito dominante da matéria – a Terra é o conceito de evolução e salvação.

4. A introdução do conceito dominante da consciência cósmica – o conceito de transformação e conclusão, realizado pelo tipo especialmente projetado.

5. A mistura desses dois conceitos em direção a um conceito de síntese de igualdade ao Criador para toda a consciência.

6. A extensão da realidade da consciência cósmica para sua integração em todas as dimensões e em toda consciência individual.

Quando os eventos dessa sequência são completados, o processo da existência é reconfigurado com tudo o que a inteligência cósmica aprendeu até agora e um outro elemento da grande visão do Criador será revelado. Este elemento adicional não é conhecido atualmente pela própria consciência cósmica. Também não é o momento da finalização. No entanto, é provável que a conclusão seja iminente e se desdobre em breve.

O que deveria ser absolutamente claro em todos os graus de liberdade, a consciência individual sempre navega para o cumprimento da grande visão. Esta é uma clara restrição do livre arbítrio e esta regra se destaca do livre arbítrio.

COBRA ~ Processo de Ascensão Planetária 17.07.2018

O LIVRE ARBÍTRIO

É a característica fundamental da grande visão do Criador em se esforçar para a expansão e a conclusão, para permitir que qualquer consciência individual em todos os níveis aja de livre vontade. Este princípio é uma regra intocável que também a matéria tem que seguir. No caso da Terra, também é estabelecido que não deve haver influência de fora para a matéria até a conclusão da seqüência. Lá, a separação máxima é para ser experimentada e também quando as pessoas corajosas na Terra pelo “alto mergulho” na fusão da consciência com o corpo em um subsistema fechado não se lembram disso por causa da limitação associada, elas fornecem uma experiência extraordinária por causa disso. Todo pensamento, toda decisão, toda expressão e toda ação é sujeita a um monitoramento atento. É devido ao presente do esquecimento através da limitação, de modo que a atuação nesse alto grau de separação e dualidade possa ocorrer da maneira mais natural e não afetada possível. O conhecimento adquirido dessa maneira contribui direta e imediatamente para a experiência de todo o cosmos e, assim, suporta a arquitetura da nova estrutura e a parametrização dos sistemas de crenças para reconfigurar a fundação.

No entanto, o livre arbítrio sofre restrições.

A decisão sobre a origem e o destino de uma consciência não está sujeita à consciência individual, mas apenas à consciência cósmica. Dentro desses limites, há uma gama quase infinita de manifestações pessoais de criatividade. Como uma consciência individual está sempre no campo dependente de todas as outras consciências – incluindo a consciência cósmica, muitas manifestações e eventos são percebidos como resistência na experiência pessoal da realidade no drama humano.

Este é o ambiente estável e perfeito do agora que já está descrito nos princípios, a partir dos quais a experiência pessoal da realidade é criada no grau de precisão do “espelho”.

Uma intervenção nas ações restritivas da matéria é permitida nas circunstâncias em que o destino de uma consciência seria afetado de acordo com as especificações da inteligência cósmica. Esses momentos foram e são existentes e deixam sentimentos de “milagre” no eu ou eles expõem a natureza holográfica dos universos de tempo e espaço nas dimensões experienciadas. Esses momentos dizem respeito a mudanças de matéria e saltos no tempo, bem como aquisições de situações perigosas do corpo humano. As interferências com o livre arbítrio dizem respeito, em particular, às pessoas e suas realidades, concebidas como precursoras para o desenvolvimento e progresso do conceito de síntese. Essas intervenções sobre o livre-arbítrio são aceitas pela consciência cósmica, pois o destino comprometido de acordo com a grande visão é julgado superior em relação ao espaço de decisão.

Só porque a origem e o destino de uma consciência são dados em um fundamento eterno de existência, esses são os pontos de ancoragem, que permitem a determinação da igualdade. Nas liberdades de agir de acordo com o livre arbítrio, esses vínculos não podem ser identificados pela enorme diversidade. Esse sistema de crenças ancorado, essa especificação é obrigatória e o compromisso amoroso do Criador, que deve ser entendido a fim de dar sentido à igualdade nos fundamentos da existência. É o caminho de onde tudo se origina e para que tudo retorna. Entender isso e ouvir a frequência que tudo origina desencadeia a ativação do sétimo sentido.

Esta quinta parte foi traduzida por António Rossi

Disclaimer: Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
Este site publica artigos próprios e de outros informantes no qual se limita a publicá-los: isto quer dizer que pode não concordar com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo.

Partilhar:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

5 Comentários
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments