revelação cósmica temporada 09

S09E01 Guia dos Seres Não Terrestres (Corey Goode)

Partilhar no Facebook

Um breve resumo do episódio:
Neste episódio Corey Goode começa a falar da sua infância quando aos 5 anos teve contacto com os seres não terrestres.
Fala de reuniões onde estavam os seres não terrestres e entra em detalhe dos 60 tipos de seres que estavam nessas reuniões, portanto muito bom.
Nas reuniões discutiam-se os 22 experimentos genéticos que estão a ocorrer na Terra.
Os Dracos não participam nessas reuniões, porque acusam a confederação galáctica de há 65 milhões de anos terem interrompido o seu experimento que eram os dinossauros com mistura com os mamíferos.

S09E01 Guia dos Seres Não Terrestres (Revelação Cósmica ~ Corey Goode)
S09E01 Guide to Non-Terrestrial Beings (Cosmic Disclosure)

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome (watch the episode by clicking on the link below, using the chrome browser):
https://drive.google.com/open?id=1bEO7PPLhDeHy7yvBLboWh1NzGuP4A6Ue

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook), para indicarmos outro link.

Episódio com legendas não formatadas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

revelação cósmica temporada 9 episódio 1

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Bem-vindos de volta ao ”Revelação Cósmica”. Sou Corey Goode e serei o apresentador hoje.

Hoje, vamos nos
aprofundar mais que nunca

nos diversos tipos de ET

com os quais tive contato
na minha infância,

no treinamento MILAB e, por
fim, nos programas espaciais

secretos.

Minhas primeiras experiências
com seres não terrestres

começaram quando eu
tinha só cinco anos.

Fiquei com vontade
de ir lá fora.

Não sei por quê.

Quando saí de casa, havia
três orbes dourados

flutuando no céu.

Comecei a observá-los
atentamente, não estava com medo.

De repente, comecei a flutuar e,

em seguida, eu
estava em uma sala.

Só me lembro de
começar a flutuar

e aparecer nessa sala.

Nessa sala, havia
uma mulher nórdica

e vários Greys pela sala.

A mulher nórdica
guiou-me até outra sala

onde havia crianças brincando.

Algumas das crianças
eram carecas

e seus olhos eram um
pouco diferentes,

mas elas pareciam
humanas, talvez híbridas.

Também havia alguns
humanos normais

como eu.

Lembro-me de um casal de irmãos

de cabelos ruivos que
eram da minha idade.

Eles estavam interagindo
e brincando

como as outras
crianças, as híbridas.

Então, a moça nórdica veio

e entregou-nos um dispositivo.

Era um quebra-cabeça em 3D.

Havia quadrados e
círculos saindo dele,

e tínhamos que encaixar as
formas umas nas outras.

Eu consegui resolver
o quebra-cabeça.

Quando eu o resolvi,
a moça nórdica

veio e guiou-me
para fora da sala,

levando-me até uma
sala de controle.

Era mais escura.

Vi outros nórdicos operando
painéis de controle,

com luzes âmbar refletidas
em seus rostos.

Apareceu uma névoa, como se
fosse uma televisão curva,

na minha frente.

De repente, começaram a aparecer

mapas estelares. Ela me
perguntava: “Esta é a sua casa?”

Eu respondia: “Não, eu
moro com a minha mãe.”

Então, ela passava
para o próximo.

“Esta é a sua casa?”

Ela também me mostrava planetas.

Havia um planeta muito grande

parecido com Saturno, com
uma lua que o orbitava.

Era obviamente habitado.

Ela apontou para ele e
perguntou: “Esta é a sua casa?”

Tive uma reação estranha.

Senti vontade de…

Comecei a pedir para
voltar para casa.

Disse que queria ir para casa.

Eles me guiaram para fora
e me levaram para casa.

Essa foi a primeira
experiência de verdade

que me lembro de ter com
um ser não terrestre.

Logo depois disso,
os navios piratas

começaram a aparecer.

Eu tinha cinco anos.

Nós morávamos com os meus avós.

Era a mesma sensação de antes.

Eu senti uma certa
vontade de ir lá fora.

Eu tinha cinco anos.

Era um bairro perigoso.

Eu sai de casa,

mas não fiquei com medo.

Lá longe, eu vi um navio pirata,

como uma folha ao
vento, descendo

e aproximando-se de mim.

Então, quando ele aterrissou,

ele ficou sólido.

Parecia um navio-fantasma
enquanto descia,

mas ficava sólido
quando aterrissava.

Então, eu entrei nesse
navio pirata e,

de repente, apareci
em uma sala circular

que tinha uma janela
de 360 graus,

cobrindo toda a circunferência.

Quando eu olhei pela janela,

eu vi o meu apartamento.

Vi a cidade inteira.

Então, ele partiu
do mesmo jeito.

Ele aterrissou como uma folha e
eu fui levado até uma caverna

que dava acesso a
outras cavernas.

Então, apareceram as
cavernas de parede lisa,

que pareciam ter sido
aplainadas mecanicamente.

Nas paredes, no chão e no teto,

havia números, como os
que vemos em navios

ou pistas de pouso.

Depois de atravessar algumas
delas, aterrissamos em uma área.

Quando eu sai, o navio
virou um disco voador.

Eu tive que andar pela caverna.

Ninguém me indicou o caminho.

Ninguém me disse aonde ir,

eu andava de forma autônoma.

Quando olhei a minha volta,

eu vi pessoas de todas
as idades e cores

esperando na fila,
tirando suas roupas

e colocando-as em mesas dobráveis
como as que os militares usam.

Essas pessoas estavam
esperando na fila.

Nesse lugar, havia
luzes cirúrgicas

apontadas para um mesa.

Todo mundo deitava
na mesa sem roupa.

De um lado, havia
um Grey muito alto

e dois Greys pequenos.

Do outro lado, havia médicos,

médicos humanos de jaleco.

Eles faziam exames ou
procedimentos em conjunto.

Não tenho nenhuma memória de ser
submetido a esses procedimentos.

A próxima memória que tenho

é de ficar consciente
de novo na nave,

na mesma sala circular,

e eu me vi flutuando
de volta para casa.

Então, eu vi o navio
pirata indo embora.

Esses foram os meus
primeiros encontros

com seres não terrestres.

Quando eu tinha uns
sete anos, em 1977,

fui levado para participar
dos programas MILAB.

Recentemente, vi uns documentos

do Sigmund, pseudônimo de
um oficial da Força Aérea

que já me passou
algumas informações,

dizendo que eu fui um
ativo deles entre 1977

e 1997.

Então, parece que o
treinamento do programa MILAB

começou quando eu tinha
sete anos de idade.

Como eles identificaram que
eu tinha empatia intuitiva,

eu era uma ferramenta
perfeita para eles.

Eles começaram a me treinar.

Comecei a ter experiências
estranhas no MILAB.

Eles me levavam a uma sala

para fazer um treinamento
holográfico.

Quando eu entrava,

via várias pessoas
da Força Aérea

em mesas dobráveis,
às vezes também havia

pessoas de jaleco.

Eu me sentava em uma cadeira.

Passava pelo procedimento.

Porém, quando eu
saía, de repente,

havia um alienígena
Grey sentado à mesa.

Foi assim que eles começaram
a me aclimatizar.

Eles estavam tentando

aproveitar as minhas habilidades
de empatia intuitiva

e treinar-me para interagir
com seres não terrestres.

Esse treinamento durou

dos sete anos de idade
até eu completar

16 anos de idade, logo
antes de eu entrar

no Programa Espacial Secreto.

Minha primeira experiência real
com a minha empatia intuitiva

em uma situação da vida real

foi quando eu tinha 13 anos.

Fui levado para fora do planeta,
até uma pequena base espacial

fora da órbita de Júpiter.

Era uma anomalia temporal
que não podia ser vista

a olho nu.

Tínhamos que entrar e sair
dela pelo mesmo ponto.

Eles chamam isso
de “bater o ponto”

com as mesmas coordenadas.

Era uma anomalia temporal.
Quando chegamos lá,

ficou tudo escuro.

Não havia estrelas.

Só dava para ver outras naves

aproximando-se dessa
estação espacial.

Uma ponta da estação
parecia uma concha,

e a outra ponta era
um disco grande.

Dentro do disco, havia uma sala
de conferência tipo a da ONU.

Fui levado a essa
sala de conferência

como um de três agentes de
apoio de empatia intuitiva.

Geralmente havia duas crianças
ou adolescentes comigo.

Eles precisavam de
três para triangular

qualquer tipo de
mentira ou medo,

ou algo que o participante principal
da reunião precisasse saber.

Eles deram a um
representante da Terra

o direito de participar
dessa assembleia.

Havia cerca de 60
seres diferentes

que já estavam perambulando
dentro dessa sala,

alguns estavam sentados.

Lembro-me de entrar nessa sala.

Em primeiro lugar,
eu só tinha 13 anos.

Todos esses seres,
ou boa parte deles,

eram mais altos que
um humano normal.

Para mim, um adulto normal
já parecia muito grande.

Na maior parte do tempo, eu
ficava estudando e observando

esses seres diferentes
para tentar ler

a energia deles.

Eles basicamente me ignoravam.

Não estavam nem aí para mim
e nunca interagiam comigo.

E parecia que muitos deles
não queriam interagir

uns com os outros.

Acho que não era um
encontro muito amigável.

Muitas dessas pessoas tinham
problemas umas com as outras

devido aos 22 programas
genéticos genéticos diferentes

que competem entre si, mas
que são administrados

por esse comitê.

Foi a primeira vez que vi

vários tipos de
ser não terrestre

no mesmo lugar.

Posteriormente, fui levado
de novo a essas reuniões

algumas vezes.

Já participei de três.

No geral, nas últimas
duas reuniões,

quando eu já era adulto, era
praticamente o mesmo grupo,

exceto na última ocasião.

A última ocasião ocorreu

quando surgiu uma espécie
de barreira energética

em volta da Terra,

impedindo que vários
seres não terrestres

entrassem ou saíssem.

Estavam presentes
vários extraterrestres

que eu nunca havia visto.

Vários seres aquáticos
e vários outros seres

do tipo insectoide que
diziam que estavam aqui

para fazer pesquisas não
relacionadas aos humanos.

Estavam mais interessados nos
nossos oceanos e florestas.

Não estavam nem aí
para os humanos.

Porém, alguns deles
ficaram presos aqui,

e eles queriam negociar com
aqueles que estão no poder

para dar um jeito de
tirar o pessoal deles

da Terra.

O mais interessante
nessas reuniões

é que eles geralmente
se anunciavam

antes de subir na
plataforma para falar.

Porém, por algum motivo, isso
foi apagado da minha memória.

Em outras ocasiões,

havia seres não
terrestres na sala,

mas parecia que eles
não tinham rostos.

Não dava para ver…

Era algo que eles faziam

mentalmente.

Eles tinham rostos.

Várias contramedidas
eram empregadas

nessas reuniões

para que ninguém saísse de lá

com certas informações.

Geralmente,

quando a minha empatia intuitiva
era usada nessas situações,

a menos que estivéssemos
interrogando outras pessoas,

que chegou a acontecer depois,
nós não captávamos muita coisa.

Captávamos muitas
emoções e energias

que tínhamos que tentar filtrar.

Vários desses seres estavam
presentes, e nós tínhamos que…

Além de terem uma aparência
completamente diferente

do que estamos acostumados a ver,

esses seres também têm

uma assinatura emocional diferente.

Quando você interage
com um humano,

não importa se esteja
em um país diferente,

com um estilo de vida diferente…

As pessoas têm o mesmo
tipo de energia

quando estão tristes ou felizes.

Dá para ler isso.

Com esses seres, você tem
que estabelecer uma base,

mas é difícil fazer isso

sem interagir com eles.

Na maioria das vezes,

tentamos captar qualquer
coisa que pareça mentira,

medo ou pânico.

Então, relatamos isso por
meio dos aparelhos portáteis

aos participantes da reunião

que estamos apoiando.

Sempre éramos interrogados
depois desses encontros,

e era sempre um
interrogatório químico.

Eles nos usavam basicamente
como um Pen drive.

Eles nos colocavam
em uma situação,

mandavam-nos cheirar tudo,
ouvir tudo, degustar,

ver tudo.

Quando voltávamos,
eles conseguiam

baixar essas informações de nós

nas mesmas cadeiras holográficas
que usavam no treinamento.

Depois de baixar todas
as informações,

eles realizam um
segundo procedimento

após o interrogatório para
apagar a sua memória.

Como várias pessoas que
assistem a este programa

devem se lembrar,
3% a 5% das pessoas

cujas memórias são apagadas
começam a recuperá-las.

No meu caso, comecei a
recuperar trechos de memórias

muito rapidamente.

Com esses trechos, é
possível recuperar o resto,

obtendo-se acesso a blocos
maiores de informações.

Quando você obtém
algumas informações

que começam a se encaixar,

você passa a ver o quadro geral.

Nessas reuniões da
Super Federação,

os seres que estavam presentes

discutiam os programas genéticos
e um programa espiritual

em desenvolvimento na Terra.

Eles descreveram 22
programas diferentes,

que tinham componentes
genéticos e espirituais.

Havia 60 extraterrestres
diferentes participando

nesses programas. Várias
pessoas nessas reuniões…

Éramos orientados a
chamá-los de pessoas.

Quando essas
reuniões aconteciam,

dava para sentir a
animosidade entre os grupos.

Havia alguns seres que não
emitiam boas energias

na direção de outros grupos ou,

quando outro grupo
se aproximava deles,

o nível de ansiedade
aumentava de repente,

vertiginosamente.

Eu consegui captar
por conta própria,

antes de ler as orientações
posteriormente,

que esses seres não
necessariamente

se dão muito bem
uns com os outros.

Portanto, dizer se os seres
com os quais interagi

ou, ao menos, observei nessas
reuniões são bons ou maus

seria muito difícil.

Esses seres que estavam lá…

eles só queriam
validar seu programa,

seus experimentos.

Eles estavam lá para
apresentar informações

sobre esses experimentos,

além de queixas dos outros
grupos que haviam interferido

em seus experimentos genéticos.

Eles estavam mais focados
em seus experimentos.

Então, do nosso ponto de vista,

eu diria que a maioria
deles é amoral.

Havia vários seres de
aparência estranha.

Havia humanoides.

Alguns iam de 1,5 a
1,7 metros de altura.

Este aqui, ilustrado por
um artista para nós,

fui um dos que vi na nave.
Eles ficavam sentados

com um sorriso maroto,
basicamente observando tudo.

Nunca os vi ficar de pé e falar.

Eles pareciam estar
só observando.

O mesmo ocorria com
vários dos seres

que estavam lá.

Nem todos tinham uma
participação direta

nos programas genéticos.

Eles pareciam estar
só observando.

Esse ser parecia ser um desses.

Acho muito interessante
que alguns desses seres

sejam muito parecidos conosco.

Alguns deles têm tons de
pele levemente diferentes,

mas alguns deles são
exatamente como nós.

Eles poderiam andar entre nós.

Talvez fossem vistos como
humanos meio estranhos.

Um desses grupos é
o dos nórdicos,

que eu já conhecia da infância.

Meu primeiro encontro
foi com uma nórdica.

Os nórdicos estavam
muito envolvidos.

Parece que eles têm
uma posição de clero

nesse conselho.

Havia vários representantes deles

nas reuniões, eles
ficavam indo e vindo,

discutindo com grupos separados

de seres não terrestres.

Eles certamente estão
muito envolvidos

nos diversos programas que
estão sendo realizados.

Várias pessoas usam o termo
genérico “nórdicos”,

mas há várias
espécies diferentes

que podem ser chamadas
de “nórdicas”.

Alguns têm de 2,4 a
2,8 metros de altura.

Eles são loiros.

Parece que sempre usam um corte
de cabelo de cuia ou chanel.

E eles têm seis dedos.

Eles são muito musculosos.

E eles têm olhos azuis.

Outros seres que não necessariamente
são de outros planetas,

mas que também entram na
categoria dos “nórdicos”,

como os grupos que chamamos de
grupos do interior da Terra,

que têm uma aparência nórdica
e poderiam ser descritos

como nórdicos.

Vários desses seres não terrestres
são parecidos com os humanos.

Este se parecia muito
com um humano.

Tanto homens quanto
mulheres são carecas.

Eles têm pele e olhos azuis.

Eles eram altos, deviam
medir uns 2,8 metros

ou mais.

Quando os vi, eles
ficaram sentados.

Eram bem fortes.

Vestiam túnicas brancas.

Usavam cintos dourados e muito
finos ao redor da cintura.

Nunca os vi se levantar e
falar nessas conferências,

mas eles estavam presentes.

Meus olhos sempre pousavam neles.

Alguns serem tinham esse efeito.

É por isso que esses
seres me marcaram tanto.

Eu ficava sentado lá,

e eles nos mandavam olhar
para o dispositivo de vidro,

usando isso como distração,

mas eu olhava ao meu
redor de vez em quando

e meus olhos pousavam
em um desses seres,

ou eu só dava uma olhada,

mas eles tinham uma
aparência tão diferente,

que eu ficava olhando para eles.

Eles realmente tinham um certo…

Eles tinham certo ar de
nobreza ou de realeza.

Eles pareciam ser
muito pacíficos,

mas estavam muito,
muito confiantes

e pareciam estar observando tudo.

Esta imagem deve ser familiar.

É o que as pessoas
descrevem como um Eben.

Muitas pessoas já relataram
ter sido abduzidas

por esse grupo e já
interagiram com os Ebens.

Havia um grupo específico

que era tão ativo
quanto os nórdicos

e interagia com
os outros grupos.

Eles também pareciam
ter um certo poder,

porque os outros
grupos vinham até eles

e pediam sua ajuda para
resolver algum problema

que tinham com outros grupos.

Acho que eles são um
grupo de observadores

responsáveis por garantir que
o experimento siga o plano

sem ser desviado
de alguma forma.

Esta é uma imagem do
povo de pele verde

que já discuti antes.

A pele deles era literalmente

da mesma cor de uma
azeitona em conserva.

Nenhuma diferença.

Sempre havia um homem e
duas mulheres presentes.

Eles devem ter…

O homem devia ter uns
dois metros de altura,

e as mulheres deviam medir

1,8 metro.

Eram muito musculosos.

O homem tinha cabelo
curto, estilo militar,

um corte militar.

As mulheres tinham cabelos pretos
e longos extremamente brilhosos,

cabelos pretos muito brilhosos

que iam até o meio das costas.

As mulheres sentavam-se
com o homem,

e eles ficavam muito
quietos durante a reunião,

mas ficam muito
sociáveis logo depois.

Eles se separavam, cada um
conversava com um grupo diferente.

Eles estavam socializando.

Achei interessante que,
na minha última visita,

eu me encontrei com
uma das mulheres.

Foi a única vez que
tive uma conversa

com um ser não terrestre
nessas reuniões.

Gonzales e eu estávamos lá,

junto com uns militares do
Programa Espacial Secreto

que tinham empatia intuitiva.

Eles fizeram uma piadinha,

dizendo que ela se parecia com
a namorada do Capitão Kirk.

Então, uma das
mulheres veio até mim.

Através de empatia ou
telepatia, ela havia entendido

o que estávamos falando.

Acho que ela entrou tanto
na nossa consciência,

que nós entramos na dela também.

Ela veio e nos perguntou
se o Capitão Kirk

era o nosso superior.

Isso foi um choque.

Ela veio até nós e falou
conosco em inglês,

perguntando seu o Capitão
Kirk era o nosso superior.

Isso foi meio constrangedor

para mim e para os outros.

Esta imagem aqui ilustra outro

dos seres semelhantes
aos humanos.

É um ser de aparência
meio asiática.

A pele deles tem um
tom meio alaranjado,

e eles têm olhos
azuis meio felinos,

com a íris ocupando quase
toda a parte visível

do globo ocular.

Eu os vi interagir bastante

com os outros grupos
de aparência humana.

Eles pareciam querer distância
do grupo do tipo insectoide.

Parece que há uma rixa
entre esses dois grupos,

provavelmente uma disputa
nesses programas genéticos.

Ela tem olhos de
aparência felina,

mas ela não deve ser confundida
com a raça dos felinos,

que eu só vi uma vez.

Eu estava na nave de pesquisa
quando vi o corpo de um deles.

Havia uma ordem de capturar
ou matar esses seres,

mas esses seres se locomoviam
por teletransporte.

Eles conseguiram pegar um
deles, que acabou morrendo.

Eles não conseguiram
mantê-lo vivo.

Era um ser lilás de
aparência felina.

A cabeça, as orelhas e o rosto
eram iguais ao de um gato.

O corpo tinha um torso
mais humanoide.

Esta imagem ilustra
um dos mantídeos,

ou uma das raças de mantídeo.

Eles estão muito envolvidos
na parte genética

desses 22 programas diferentes,

participando de vários deles.

As pessoas muitas
vezes veem mantídeos

junto com Greys, com nórdicos,
ou mesmo com reptilianos.

Esses grupos trabalham em vários
programas genéticos diferentes,

e são conhecidos como
mestres geneticistas

na nossa nuvem estelar local.

Talvez vocês se lembrem
de várias histórias

de pessoas que foram abduzidas.

Há vários relatos de
encontros assustadores

com esses seres.

O mais estranho é que
eles não percebem emoções

como os outros seres
mais humanoides.

A forma em que eles
se comunicam entre si

é uma espécia de
rede neurológica

que funciona como telepatia
ou consciência compartilhada.

Para que eles se conectem
e se comuniquem conosco…

Isso requer um esforço
da parte deles.

Eles são totalmente diferentes de
nós no que diz respeito às emoções.

Podemos chamá-los de amorais,

mas, quando estão
interagindo conosco,

eles não pensam:
“Pobres humanos!”

Isso simplesmente não entra
na consciência deles.

Eles só estão
desenvolvendo um projeto,

e nós somos os sujeitos
desse projeto.

Esta imagem mostra
os Greys altos.

Eles são chamados de “Greys
altos” por motivos óbvios.

Eles medem 2,4 metros.

Eles são muito parecidos
com os Greys típicos

que as pessoas descrevem.

Porém, os Greys de 0,9 a 1,2
metros geralmente são vistos

ao lado desses Greys altos.

Os Greys pequenos geralmente

são um tipo de robô biológico,
uma forma de vida programada.

Esses Greys pequenos são
vistos com os nórdicos.

São vistos com os reptilianos.

São vistos com vários grupos.

São como hardwares padrão

que todos lá fora usam.

Como aqui, onde todo mundo
tem um Mac ou um PC,

todo mundo usa esse
tipo de tecnologia.

Já os Greys altos estão
muito envolvidos

na parte genética desses
22 programas diferentes.

Eles competem com o
grupo dos insectoides.

Eles também competem com
os grupos de humanoides,

mas colaboram com eles
em vários aspectos

desses vários programas.

Eles têm mais autonomia

de descer aqui e trabalhar
entre os humanos

nesses programas genéticos,

colocando a mão na massa.

Vários desses seres
são os que vem

encostam nos humanos e
coletam os espécimes

necessários para o trabalho,
relatando para esse órgão maior.

Talvez algumas pessoas também
se lembrem de casos de abdução

em que a pessoa
descreve um Grey alto

ao lado de um homem de uniforme,

de farda das forças
armadas dos EUA.

Isso se deve ao forte
laço e ao acordo firmado

entre os Greys altos
e o governo dos EUA,

o governo oculto, que envolve a
troca de espécimes biológicos

e tecnologias de fora da Terra
em troca da autorização para que

venham aqui fazer os
experimentos deles

sem nenhuma interferência.

Muitas vezes, militares humanos

estão presentes nessas
abduções como observadores,

anotando os nomes de
todos os envolvidos,

o horário, o que foi feito…

Eles mantêm um registro
porque, no início,

esses seres deveriam
nos fornecer

as informações de quem
estavam abduzindo,

mas depois descobrimos que
não estavam sendo honestos.

Porém, como já conseguimos,

graças aos nossos programas
espaciais avançados,

impedir que certas naves
entrem na nossa atmosfera,

eles têm que colaborar conosco agora,
permitindo observadores humanos

em suas naves.

Talvez vocês tenham notado

que não relatei ter visto muitos
reptilianos do grupo dos Dracos.

Isso é porque existe
muita animosidade.

Os Dracos alegam que esse
grupo, a Super Federação,

muito tempo atrás…

Milhões de anos
atrás, 65 milhões,

para ser mais exato…

Eles vieram à Terra e
destruíram um experimento

que já estava em andamento,

um experimento dos reptilianos.

Eles alegam que os dinossauros…

Eles estavam fazendo algum
tipo de experimento,

misturando reptilianos
com mamíferos,

era um experimento com mamíferos.

Esse experimento foi aniquilado.

Então, vieram as raças dos
fazendeiros genéticos,

que passaram a integrar
a Super Federação…

Eles começaram a vir
e mexer na genética,

criando um novo experimento
apenas com mamíferos

aqui na Terra, sendo que, antes,

os Dracos alegavam que
o planeta era deles

e que eles já tinham um
experimento em andamento.

Eles tinham representantes

que participavam das
Super Federações.

Havia seres de
aparência reptiliana,

alguns tinham estruturas ósseas
parecidas com a dos humanos,

mas com pele de lagarto
cobrindo os ossos.

Eles pareciam mais uma mistura
de humanos com Dracos.

Então, os Dracos não
podiam participar

dessa reunião pessoalmente,
mas vários membros,

como os vários seres insectoides

que se parecem com formigas…

Esses seres colaboram
com os Dracos

e agem como intermediários
em reuniões desse tipo.

Esta imagem ilustra um
ser obviamente diferente

daqueles que mencionamos antes.

Sinceramente, nunca havia visto

nenhuma descrição desses
seres nos programas.

Quando entrei nos programas,
no Programa Espacial Secreto,

no começo, por
cerca de 10 meses,

fui colocado no Programa
de Interceptação

e Interrogatório de Intrusos.

Eu interagia com seres
de diversos tipos

nesse programa.

Nesses programas, eu
nunca havia ouvido falar

de pássaros azuis de
2,4 metros de altura.

Por volta de 2011, tive
um sonho muito vívido,

desses que não são sonhos de
verdade, no qual esse Aviário Azul

apareceu para mim e
começou a gesticular,

comunicando-se comigo
telepaticamente e movendo

os lábios.

Depois desse sonho,
fiquei muito perturbado.

Sabia que não havia
sido só um sonho,

mas nunca havia ouvido falar
de um ser daquele tipo.

Depois, ele acabou aparecendo
para mim fisicamente.

Eu estava com o meu
cachorro nesse momento.

Eu estava sentado no sofá,
meu cachorro estava ao lado,

e ele apareceu na sala.

Foi um grande susto para
mim e para o meu cachorro.

O ser tinha 2,4 metros de altura,
era azul, mas parecia humano.

Ele tinha cinco dedos.

Ele se comunicou comigo,

dizendo que fazia parte
de um grupo de seres

que estavam aqui para
auxiliar na nossa transição

para uma densidade superior.

Eles não estavam nem aí
para os 22 programas

genéticos.

Eles estão mais preocupados
com um componente

mais energético e espiritual.

Os seres do Conselho
da Super Federação…

Nós provavelmente os consideraríamos
de quarta ou quinta densidade,

na escala das densidades.

Os Aviários Azuis e os
grupos que estão com eles

alegam ser de sexta
densidade ou superior.

Eles conseguem aparecer e
desaparecer quando quiserem.

Basicamente, eles me explicaram

que eles se ligam à
vibração do lugar

aonde querem ir e
simplesmente aparecem lá.

Foram eles que me
forçaram a vir a público

com o meu relato.

Eles também me apresentaram

a vários outros seres.

Eles me apresentaram a seres
como o povo do Micca,

que já descrevi aqui no
”Revelação Cósmica”.

São seres de aparência
polinésia, muito pacíficos,

que vivem na nossa
nuvem estelar local.

Aliás, na estrela mais próxima.

Eles me apresentaram
a outros seres

como este ser de
cabeça triangular.

Nunca me comuniquei
nem interagi com ele.

Porém, eu estava em uma reunião
do Comando de Operações Lunares

e fui colocado na frente de
um salão de conferências,

ou um anfiteatro universitário,

com cadeiras subindo
até o fundo do salão.

Fui colocado no meio do salão
sem nenhuma explicação.

As pessoas começaram
a zombar de mim

porque eu não sabia o
que estava acontecendo.

Eu só estava lá de pé,

totalmente exausto.

Todo mundo ficou em
silêncio. Atrás de mim,

apareceu o Teir-Eir,
o Aviário Azul

com quem geralmente interajo.

O outro ser era dourado,
tinha três metros de altura

e a cabeça triangular.
Era muito estranho.

Ele tinha três dedos em
cada mão e em cada pé,

usando os dedos do
pé como um tripé.

Os dedos do pé moviam-se assim,

subindo e descendo um pouco.

Parecia que ele estava
dentro da água,

pois seus braços não
pareciam ter ossos.

Eles ondulavam.

Eles ondulavam, subindo e
descendo ritmadamente.

Era muito estranho.

Todo mundo ficou em
silêncio nesse momento.

Foi então que o Teir-Eir
se comunicou comigo

e permitiu que o público

fizesse perguntas.

O triângulo dourado nunca tinha
feito nenhum tipo de contato

com ninguém.

Porém, o mais interessante

é que há outro ser que faz parte
da Aliança dos Seres das Esferas

que é uma esfera mesmo.

O tamanho não importa para eles.

Eles podem crescer até englobar

todo o Sistema Solar, o
que eles já fizeram,

ou podem ficar do tamanho
de uma bola de ping pong.

São bolas índigo
brilhantes que flutuam.

São eles que vêm me buscar

e me levar para as reuniões

com o Teir-Eir.

Ele me disse que eles
eram de nona densidade,

seres não corpóreos

que faziam parte do coletivo.

Muita gente talvez se
lembre desta imagem.

Tive um encontro com esse ser.

Fui muito mal preparado.

Levaram-me a um hotel
que parecia abandonado

no meio do centro-oeste dos EUA.

Ficava no meio do deserto.

Nós subimos no
telhado do prédio.

Havia uma porta de entrada.

Em seguida, entramos
em um elevador

que descia até um pátio.

Todos os quartos
ficavam na lateral,

mas todos estavam vazios.

Havia um elevador
de vidro que descia

até o saguão.

Estávamos nesse elevador.
Comecei a ficar ansioso

à medida que descíamos,

pois comecei a ver vários
seres olhando para cima,

observando-nos.

Senti-me como um peixe no aquário.

Estava muito desconfortável.

Assim que as portas se abriram,
senti de cheiro de urina e almíscar

entrando no elevador.

Era um cheiro horrível.

Nós até engasgamos, mas
depois nos acostumamos.

Nós entramos e vimos…

Havia seres do tipo insectoide.

Havia outros reptilianos que as
pessoas estão acostumadas a ver,

os que têm escamas verde-oliva,

com armas no formato de lanças,
na posição de “Sentido”.

Então, entrou o lagarto branco
de 4,2 metros de altura.

Fiquei paralisado assim
que ele entrou na sala.

Tentei manter a compostura,

pois sabia que tinha que
interagir com aquele ser.

Ele veio até mim. Não
chegou muito perto,

mas dava para ver que ele
era muito intimidador.

Ele começou a interagir comigo.

Porém, não foi o mesmo
tipo de interação

que eu já conhecia,
que é mais passiva,

sendo como uma conversa
que vai e vem.

De imediato, como um raio de atração,
ele capturou a minha consciência

e começou a ler o
que queria de mim.

Foi como um estupro mental.

Ele estava me controlando. Seus
olhos começaram a mover-se,

as pupilas abriam-se
e fechavam-se.

Era um ser muito poderoso.

Depois disso, nunca mais aceitei

ter um encontro com
esse tipo de ser.

Foi assustador.

Todo mundo na delegação,
os seguranças,

todo mundo conseguiu ficar calmo.

Porém, no elevador,

na volta para a nave,
estávamos todos tremendo.

Todo mundo estava tremendo muito.

Os equipamentos eram
como chocalhos.

Todos estavam tremendo

devido à adrenalina do encontro.

Foi um encontro
muito assustador.

Este é o ”Revelação Cósmica”.

Sou o apresentador, Corey Goode.

Obrigado por assistirem.

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO
COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

 

Na foto acima os seres das “aves azuis” (blue avians), seres de sexta densidade ou superiores. Conseguem aparecer e desaparecer quando querem.

 

 

Partilhar no Facebook

6 Comments on “S09E01 Guia dos Seres Não Terrestres (Corey Goode)

  1. Bom dia meus irmãos, gostaria de ajudar, e de receber suas postagens, edificantes, quero cooperar com a ascensão planetária. E por vocês serem sérios gostaria de compartilhar. Beijos a Corey goode.

    1. quarta-feira será reposto noutro servidor. tem acontecido ultimamente uma restrição dos episódios tal como as publicações deste site no facebook (no facebook na opção “seguir” clicar na seta do lado direito e premir a opção “Ver primeiro” e fazer gostos, senão poderá não ver as publicações). sempre que vir que algum episódio não dá, comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.