revelação cósmica temporada 09

S09E02 Emery Smith – Denunciante (Revelação Cósmica)

Partilhar:

Um breve resumo do episódio:

O convidado é Emery Smith que participou no famoso documentário Sirius (está disponível aqui no youtube) onde se faz uma autópsia a um extraterrestre de 15cm (COBRA já confirmou existir este tipo de ser).

Emery Smith vem a este episódio divulgar informação confidencial. Trabalhava na base aérea de Kirtland que é a 5ª maior do mundo.

Indica que as naves tinham vida e consciência tal como David Adair (tem aqui um resumo da 2ª parte da entrevista a David Adair que é uma das melhores entrevistas).

Fala dos programas mais secretos da Cabala que revertem o envelhecimento e que descobriram uma proteína, a globulina A2M, Alfa 2 Macro.

O envelhecimento pode ser travado, revertido e isso já é uma realidade (já foi passado para a área civil e dentro de anos será anunciado)…

fala dos túneis existentes que nos levam a qualquer parte do mundo em pouco tempo…

e o episódio termina com as tentativas de assassinato sobre este informador e onde são usados satélites que conseguem espiar/ver o interior de paredes, por exemplo (já outros informadores haviam revelado que os satélites da Cabala conseguem penetrar no cimento)…

S09E02 Emery Smith – Denunciante (Revelação Cósmica ~ Emery Smith)
S09E02 Emery Smith – Whistleblower (Cosmic Disclosure)

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome:
https://drive.google.com/file/d/1kZjBCfG4UeT5ji66lT9bs_gnJoKeNshR/view?usp=sharing

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook), para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

revelação cósmica temporada 9 episódio 2

 

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO
COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

O Informante Emery Smith

Muito bem.

Bem-vindos ao
”Revelação Cósmica”.

Sou o apresentador,
David Wilcock.

Temos uma surpresa hoje.

O informante que chamo de Paul.

Pela primeira vez,

posso dizer o nome
dele, Emery Smith.

Talvez já o conheçam
do filme “Sirius”.

Bem-vindo, Emery.

Obrigado.

Fico muito feliz de estar aqui.

Já faz 10 anos que
trabalhamos juntos

e temos um bom relacionamento.

Basicamente, foi graças a você

que progredi
bastante neste campo

de informações confidenciais.

Ao mesmo tempo, chegou a
hora de vir a público.

Obrigado por ajudar-me

a chegar aqui.

Como você sabe, nos últimos
três a cinco anos,

eu estava meio que
segurando as informações.

-No filme “Sirius”… -Sim?

eles fazem uma autópsia
de um ser de 15 cm

que parece ser extraterrestre.

Certo.

No filme, quem faz
essa autópsia?

Eu fui vice-presidente do CSETI
por cerca de cinco anos.

O que aconteceu foi
que, obviamente,

havia esse ser que foi adquirido

por um laboratório
civil na Espanha.

Na verdade, ele já havia
pertencido ao governo,

mas ninguém sabe disso.

Então, os meus colegas do CSETI

decidiram que seria uma
ótima ideia ir até lá,

fazer uma autópsia e
coletar o DNA desse ser.

Com o DNA, qualquer outra
hipótese seria descartada.

A ideia era pedir a uma
universidade fazer a autópsia.

Com o meu histórico de
trabalhar com tecidos

de fontes não terrestres.

Nesses programas
compartimentalizados,

eu vi mais de 3
mil desses seres.

Então, eu era o candidato ideal

para fazer a autópsia
na equipe sênior.

Eu também contei com o auxílio

do Dr. Steven Greer
e do Dr. Jan Bravo.

Eles foram os médicos

que testemunharam isso e me
ajudaram a coletar o tecido.

Acho que não me perdoariam

se não falássemos, pelo
menos no primeiro episódio,

pois é só o começo,

sobre como você obteve
tantos conhecimentos

do nível de doutorado nos programas
militares confidenciais.

Eu…

Podemos falar sobre o que
você fazia no serviço militar

com essa biologia estranha?

Sim, claro.

Na verdade, tudo começou

quando era muito jovem e
entrei no serviço militar.

Eu era o que chamam de 90252.

Acho que não usam
mais esses códigos,

mas tinha a ver com ser tipo
um técnico de cirurgia.

Uma pessoa que passa os
instrumentos para o médico.

Eu também era paramédico
e socorrista cirúrgico,

e passei a lecionar isso de
repente, de um dia para o outro.

Então, fui transferido para
a Base Aérea de Kirtland.

Eles me ofereceram um trabalho
especial, que eles chamam

de “bico”.

Eu ainda era um menino.

Era muito jovem, mas era
muito inteligente e maduro

para a minha idade.

Eu achava incrível
quando eles me colocavam

no comando de
equipamentos caríssimos

que as pessoas normais
jamais poderiam utilizar,

são equipamentos que
nem foram liberados

-para uso civil.
-Certo.

Isso me convenceu a trabalhar com…

“Vamos dizer que você faz
isto, Sargento Smith,

mas, na verdade, você fará isto.

Porém, você ainda
receberá o seu salário.”

Eu disse que tudo bem.

Então, eu trabalhava para programas
civis compartimentalizados,

mesmo estando ativo
no serviço militar.

E deu certo.

Eu sei que havia muitas…

As pessoas com quem eu
trabalhava nas salas de operação

sempre se perguntavam por
que eu saía ao meio-dia

todos os dias.

“Aonde ele vai?”

“Ele tem um problema no joelho.

Ele faz fisioterapia.”

Coisas assim.

No topo da cadeia de comando,

eles sabiam que algo acontecia,

mas tinham que justificar
minha ausência

até conseguirem me tirar de lá
para trabalhar em período integral

dissecando tecidos de
origem desconhecida.

Foi assim que fui sugado

e fiquei obcecado
com o que fazia.

Isso aconteceu na Base
Aérea de Kirtland?

-Sim, foi na Base de
Kirtland… -Onde fica?

Foi onde tudo começou. Em
Albuquerque, Novo México.

Além de trabalhar lá,

eu fazia esse bico
depois do expediente,

mas isso era nos laboratórios
de Sandia e Los Alamos.

Sandia?

Sim, o laboratório de Sandia
é outro local protegido

na Base de Kirtland.

-Certo.
-Sim.

É uma base dentro da base

que tem vários andares
subterrâneos.

Vamos explorar isso
um pouco mais.

Já falei com você sobre isto.

Você já me deu algumas informações

por mais de uma década

Com o tempo, você pôde
compartilhar mais.

Permitiram que você
me contasse mais.

Vamos deixar isso registrado agora.

Você confirma que recebeu
autorização para revelar

o que estamos discutindo agora?

Você tem uma autorização oficial?

O meu contrato de confidencialidade
já venceu, mas eu ainda…

Não vou falar sobre nada

que eu não me sinta a
vontade para falar,

caso eu acredite que seja algo
que possa nos colocar em risco

até o momento certo.

Porém, acho que o que vou
falar hoje não tem problema.

Nunca fui ameaçado por
dizer estas coisas.

A única vez que fui ameaçado

foi quando trouxe o DNA
da Espanha ilegalmente,

de Barcelona.

Quando o governo…

Quando estavam me ameaçando, e
eles tentaram me assassinar

três vezes…

Eu lembro.

Foi muito aterrorizante.

Eu achei que fosse porque
eu havia trazido o DNA

e contrabandeado o
material para Stanford.

Porém, não tinha
nada a ver com isso.

Foi porque alguém
ficou com raiva

porque pedi demissão.
Eles colocaram

três laboratórios
compartimentalizados que,

durante o meu trabalho
com esse grupo,

tinham suas próprias
equipes de assassinos,

como são chamados, para
fazer o trabalho sujo.

Porém, consegui escapar.

Ainda bem! Aliás, fui ajudado
pelo governo dos EUA.

Alguns militares e agentes da
CIA. Agentes do Exército e da CIA

ajudaram muito, mas
depois voltaram atrás

e me ameaçaram.
Porém, não era só eu.

Também havia outro colega meu

que estava examinando

um dos seres.

Então, imediatamente,
tudo parou.

Eu achei que eles haviam me dito,

quando fui levado
para a sala molhada…

Porque eu estava fugindo de
onde estava, na Flórida,

devido a essas ameaças.

Eles me levaram até lá de avião.

Eu queria saber o que havia
feito, porque estava lá,

mas eles…

Para quem não sabe,

uma sala molhada tem
paredes e piso de azulejo

com um ralo no meio,

e a parte molhada
refere-se ao seu sangue.

Sim.

E é uma forma rápida…

É onde eles matam as pessoas,
porque é mais fácil de limpar.

Tem um ralo grande e
várias mangueiras,

e um sistema de desinfecção enorme.

E você sabia disso quando
eles o levaram lá.

Com certeza.

E eles o intimidaram.

Já vi outros tipos
de sala molhada,

não para humanos, mas
para outras coisas

e outros projetos
compartimentalizados,

mas nunca em Washington, DC.

Foi só: “Você
violou o contrato.”

Eu disse: “Antes de me matarem,

podem me mostrar que parte
do contrato violei?

Eu gostaria de saber.”

Eu disse: “Vocês sabem
tudo da minha vida.

Vocês me observam.

Ouvem as ligações, leem as
mensagem, sabem de tudo.

Tudo está grampeado.

O que foi que eu fiz?

Eu quero saber.”

Oito horas depois, eu
já estava suando ali,

eles voltaram e disseram:
“Perdão, Sr. Smith.

Foi um problema interno. Você nunca
mais terá que se preocupar com isso.

Pedimos desculpas.

Foi um momento lindo.

Foi a primeira vez que senti

que aquela aliança de
pessoas tentava me proteger

ou fazer algo positivo

em vez de expor-me ou
prejudicar a minha família.

Você foi até Sandia e…

Sim.

Eu já estava morando na base.

Eu já tinha uma casa na base.

Eu trabalhava em um
hospital fora da base.

O Hospital da Base Aérea de
Kirtland fica fora da base,

o que é muito estranho.

Não se esqueça de que
a Base de Kirtland

é a quinta maior do mundo,

e é onde eles escondiam
armas nucleares

-nas montanhas.
-Nossa!

Meus manipuladores
e outras pessoas

já me levaram para
ver as portas.

São gigantes, mas não são
mais usadas para isso,

são para outras coisas.

Novo México e Nevada

ficam um ao lado do outro.

E, é claro, a Área 50 align:middle
line:84% fica em Nevada.

São todas conectadas.

Você já usou o sistema de
transporte subterrâneo?

Só de Sandia até Los Alamos,

e talvez tenha ido e
voltado de Dulce,

mas não sei onde ele parou.

Eles tiveram que fazer algo.

Existem quatro deles…

Quatro o quê?

Desses trens do tipo “Maglev”.

Porém, ouvi dizer recentemente

que foram atualizados e estão
totalmente diferentes.

Agora, são tubos de
vácuo magnéticos.

Também trabalhei
com essas coisas.

Como eu estava envolvido na
área de regeneração de tecidos,

muitas das naves…

Eu fui colocado em vários
projetos para analisar as naves,

porque elas têm vida.

-Nossa!
-Sim.

As naves tinham vida.

Tinham vida e consciência.

Parece com o que ouvimos

do David Adair em sua
descrição da Área 51,

quando ele viu um
sistema de propulsão

que era um ser vivo.

Era um objeto enorme

que tinha uma espécie de
esqueleto na superfície.

Havia componentes de
tecido e de tecnologia.

Era uma mistura
estranha de tecnologia…

É isso mesmo.

E isso já foi feito.

Também participei desse
movimento de combinar tecidos

com titânio.

Chama-se integração óssea.

-Sério?
-Sim.

Seria legal falar
disso no futuro

porque foi isso que levou
nós dos projetos secretos

a dizer: “Já que podemos
combinar tecidos com titânio,

podemos usar essa
combinação nos seus ossos.

Você vai ficar muito forte!”

Seria difícil romper
essa ligação.

Adicionando células-tronco e
plasma rico em plaquetas,

isso aumentaria a densidade
óssea em até 10 vezes.

Os seus ossos. Imagine só.

Parece a história do Wolverine
dos filmes dos X-Men.

Exatamente.

É uma integração óssea

com a qual usaram placas
protetoras de aço,

mas ele também era capaz
de curar-se muito rápido.

Esse é o segredo.

É isso que todos querem saber.

Como eliminar o tempo de repouso?

E agora que não precisamos
mais do tempo de repouso…

Não só nos programas de super
soldados dos quais participei,

falo dos programas de soldados

dos quais nunca ouvimos falar.

São os escalões mais altos da
Cabala, os projetos secretos

nos quais eles querem
reverter o envelhecimento.

E agora que descobriram
essa nova proteína,

a globulina A2M, Alfa
2 Macro, minha nossa!

Eles acabaram de
reverter o tempo.

Agora que publicaram
isso, posso dizer que,

dentro de uns 5 a 10 anos…

Deve levar uns 10 anos para a FDA.

Trata-se de um inibidor
da protease, ou seja,

ele bloqueia todas as inflamações.

Assim, o corpo pode
curar a si próprio.

Tudo de que precisamos para
sobreviver para sempre

ou por muito tempo já
está no seu corpo.

O problema são os campos
ao nosso redor e os…

Os alimentos que ingerimos,
tudo está envenenado.

Isso causa inflamações
no nosso corpo.

Não importa se você sofreu
um acidente de carro

ou tem uma doença, tudo
começa com a inflamação.

Se você interromper a
inflamação, o seu corpo

será curado naturalmente.

Isso é muito empolgante.

É muito empolgante.

A propósito, não fui eu
quem descobriu essa A2M.

Só participei de um projeto
especializado nisso,

foi assim que fiquei sabendo.

Estou muito animado.

Ela foi lançada para os
civis, agora já era.

Certo.

Vamos falar sobre
como você se envolveu

com biologia extraterrestre.

No começo, você sabia que estava
fazendo autópsias de ETs?

Não.

Como fazem isso?

Eles… Era muito engraçado,

porque a entrada pela qual eu passava
era o laboratório de Sandia,

mas não ficava no mesmo edifício.

Era um prédio separado

que tinha uns 30
andares no subsolo.

Quando eu descia lá,

havia vários corredores,
e… No meu primeiro dia,

eu estava em uma salinha

como as que vemos em filmes.

Toda branca, com uma mesa de aço

e vários instrumentos.

Eles me escoltaram
até esse lugar.

Quando eu entrei, já havia
um pedaço de tecido.

Havia um sistema de ventilação
com pressão positiva.

Então, eu entrei…
Eu tive que colocar

um avental cirúrgico,
igual a um cirurgião,

com capuz e tudo.

Tinha que fazer tudo isso.

E tinha que rotular
tudo como fazemos

com os sapos na faculdade.

Tínhamos que dizer:

“Isto é um músculo.
Isto é uma língua.”

A minha função era rotular
e coletar amostras,

colocando-as em potes
e jarros diferentes,

e, em seguida, eu colocava tudo

dentro de uma gaveta na
parede e alguém pegava,

era só isso.

Eu só tinha que coletar amostras

do tecido que já estava lá.

Alguns eram parecidos com salmão.

Outros eram diferentes,

nem consigo explicar.

Então, a cada três ou seis meses,

eles aumentam o nível
da sua autorização.

Então, eu fiquei nessa função.

Você já havia me contado
que você os chamava

de filés de salmão.

Quando você começou,
eram tecidos quadrados

mais ou menos deste tamanho?

Sim, era um corte
quadrado perfeito,

com artérias, veias, nervos…

Tipos diferentes de tecido.

Aliás, tipos diferentes
de tecido celular.

Às vezes, aparecia uma
cartilagem em uma área estranha.

Às vezes, aparecia
substância neural.

Variava muito.

Então, as amostras começaram
a ficar mais intactas.

Dava para identificá-las.

“Isto é uma mão.”

Nessa etapa, eu ainda não
sabia identificar nada.

Não sabia nem…

E você não pode fazer perguntas.

Você faz o seu trabalho,
não fala com ninguém

e ponto final.

E se você contasse aos seus
amigos ou à sua família?

Havia alguma instrução
quanto a isso?

Sim, me matariam.

-Sério?
-Sim.

Você mencionou uma mão.

Como seria essa mão?

Dê-me um exemplo de mão.

Imagine todas as criaturas
deste planeta que têm mãos.

Daqui a um bilhão de anos
de evolução, elas chegarão

ao formato de estrela…

Como a estrela humana?

A estrela humana.

Então, podia ser uma
mão muito pequena,

parecida com a de um sapo,

embora um pouco diferente,

com uma palma,

com impressões digitais,

com unhas.

Podia ser a mão de um guaxinim.

Porém, estamos falando
de algo diferente.

As mais fascinantes eram
as dos insetos gigantes.

Elas eram enormes.

Não era apenas tecido vivo,

também havia tecido vegetal.

-Sério?
-Sim.

Eles estavam fazendo
ou desenvolvendo algo

que envolvia tecidos
vegetais com algum tipo

de tecido vivo, eles
misturavam vários tipos

de tecido híbrido.

Isso é antigo.

Todo mundo desses
projetos sabe disso.

Você já deve ter
ouvido falar disso.

Eles já misturaram todos os tipos
de tecido ou DNA animal com humano

para ver o que acontece.

-Como em Dulce, Novo México.
-Sim.

Todas essas loucuras.

Então, eles começaram
a adicionar mais.

Quando começaram a
trazer coisas de lá,

foi aí que tudo ficou estranho.

Se era ou não um extraterrestre,

eu não saberia dizer à época,

podia ser algo desenvolvido
por eles que eles mataram,

esquartejaram

e distribuíram os pedaços.

Eu não era o único
técnico que fazia isso.

Uma das coisas

que eu gostaria de
analisar mais a fundo

seria uma descrição
mais detalhada da base

onde você trabalhou.

Vamos falar disso.

Vamos falar até das
coisas mais simples.

Havia um estacionamento?
Ou havia uma garagem

no subsolo?

Sim, exatamente.

É como as histórias
das pessoas voam

até Nevada, até a Área 51.

Só tem uma entrada e uma saída.

Nesses lugares, há várias
entradas e saídas,

dependendo de onde você trabalha

e da seção.

São bases subterrâneas enormes.

Estamos falando de 40
hectares em vários andares,

com várias alas especiais onde
certos projetos são desenvolvidos.

Seja na área de propulsão
ou regeneração.

Também há várias áreas médicas.

Tem até uma pequena cidade

onde moram algumas pessoas

que nunca saem de lá, pelo
menos até onde eu saiba.

É um lugar muito dinâmico.

Para mim, como eu
já morava na base,

era mais fácil. Eu
ia de bicicleta

até um prédio pequeno.

Esse prédio pequeno,

que parecia uma torre de incêndio,

ficava no meio de uma área maior.

Dava para estacionar
uns mil carros lá.

Ninguém suspeitaria de nada.

Eu entrada, pegava um elevador

e chegava a um corredor.

Era uma escada rolante.

Era como as escadas
rolantes dos aeroportos,

ela era muito longa.

Ela demorava uns 10 minutos.

Nossa!

Ela levava a outro lugar…

-Ela era rápida?
-Sim, muito rápida.

-Sério?
-Sim.

Dava para sentar.

O que você via?

Era um túnel?

Só um túnel. Um corredor.

Era branco, com um
teto de mármore preto.

Parecia ônix preto.

Não sei o que era, era como…

Era translúcido, mas
era muito diferente…

Àquela época, era difícil ver isso.

E o túnel não era grande.

Você acha que uma dessas
tuneladoras subterrâneas

-pode ter feito esse túnel?
-Sim.

A que funciona com calor.

A que derrete as rochas e…

É assim que fizeram toda a lava.

Eles fazem tubos de lava agora.

Eles ainda estão
fazendo isso por aí.

Fazendo rodovias
subterrâneas que levam

a qualquer lugar do mundo.

Quando pensamos em
escadas rolantes,

elas têm várias ranhuras
verticais lado a lado,

-com dentes entre as
camadas… -Não, não.

Ela era totalmente plana, feita
de um tipo de policarbonato,

Não era translúcida.

Você podia ficar em pé ou
sentar-se em uma cadeira.

-Havia cadeiras?
-Sim.

Sim.

Mas, era uma esteira
que se movia?

Era uma esteira que se movia.

O que você descreve

parece um túnel
futurístico super legal

pelo qual você passava.

Só isso já seria muito inspirador.

Sim. Perto disso, o
Epcot é uma piada.

Sem querer ofender.

Conheço um cara que
ajudou a construir.

Porém, àquela época…

Você precisa entender
que estamos falando

no começo dos anos 90. Fazer
parte disso era simplesmente

fantástico.

No fim do trajeto, havia
um posto de verificação.

Como era?

Onde ficava? O que você via?

Você estava em um túnel,

-mas o que via ao sair…
-Havia portas de vidro.

Elas abriam como as
portas do “Star Trek”.

Elas se abriam.

Havia dois postos.

Se houvesse alguém
em ambos os postos,

eu tinha que esperar fora.

Podia haver outras
pessoas na fila.

Elas eram entrevistadas,
algo assim?

-Sim, era uma vistoria.
-Certo.

Havia outros dois
postos de vidro.

Quando você chegava,
a porta se abria.

Havia um segurança
aqui e outros aqui.

O que acontecia com
esses soldados

nos postos?

O que você…?

Eles verificam a impressão da sua
palma e a leitura da sua retina.

Então, você mostra o seu crachá.

É um crachá bem genérico.

E o soldado conversa com você?

Ele pergunta alguma coisa?

Sim, eles fazem perguntas.

Às vezes, eles fazem
algumas perguntas,

mas outras você passa direto.

Eles faziam isso com as pessoas

e também tinham uns
animais especiais.

Eram cachorros, mas eram
cachorros especiais.

Especiais?

Não se pareciam com cachorros?

Eles eram treinados,
ou talvez híbridos.

Eles eram um pouco maiores,

pareciam uma mistura de pastor alemão,
mastim e cão de Santo Humberto.

Sério?

Eles ficavam em um compartimento,

mas conseguiam farejar
quando você passava.

Era impossível passar por
eles sem ser farejado.

Eles sempre sabiam como…

Eles sabiam quando farejar.

Então, você passa por
mais duas portas

e entra nos vestiários.

Tem uma porta para cada gênero.

O vestiário feminino
e o masculino.

No seu vestiário, você
tira a roupa e coloca

um avental.

É tipo um avental
cirúrgico ou um macacão.

Você sai pela outra
porta, que não tem nada…

Só tem uma parede.

Você passa por outro
corredor e entra

em uma sala à direita, onde
você pega as suas ordens.

É onde você pega sua
pasta e sua pulseira.

Certo.

Alguém lhe dá ordens?

Em geral, elas já estão lá.

Às vezes, há alguns…

Chamamos de gerentes.

Eles só aparecem

quando têm algo para lhe dizer.

Eles são avisados meia hora
antes que você está chegando.

Todos sabem de tudo, ainda mais

quando você coloca a pulseira.

Eles vêm e explicam as coisas.

Eles explicam o que
está acontecendo

e o que você tem que fazer.

Quando você sai, você vê
os guardas de branco.

Eles o escoltam.

Se não houver nenhum
guarda de branco,

você segue as faixas coloridas.

Faixas coloridas?

As faixas aparecem
quando você passa

pelo corredor branco.

Há várias alas de
salas de operação.

Salas de operação pressurizadas.

Parece que está entrando
em um avião 747,

porque as portas são
grandes e hexagonais,

e funcionam a vácuo.

Nossa!

E as cores indicam a ala

onde você vai trabalhar.

Isso dá uma ideia de
quantas alas existem lá.

Cada ala pode ter
de 30 a 50 salas.

-Nossa!
-Sim.

Essas salas a vácuo.

Quantos andares existem?

-Onde eu trabalhava?
-Sim.

Mais de 50.

Nossa!

Mais de 50 andares
só na parte médica.

Agora que entendemos
exatamente o que você fazia,

o número de corpos extraterrestres

que eles tinham
devia ser incrível.

Era surreal.

É como…

E você disse que não
havia muita repetição

nas coisas que você via,

nessa parte da história.

Exato. Não havia. Era
sempre diferente.

A questão era: isso foi
desenvolvido aqui?

Não dava para saber, certo?

Eles usavam informações
falsas para me confundir,

caso eu decidisse vir
a público um dia.

Ninguém acreditaria se eu dissesse
que vi um reptiliano de 3 metros

-no corredor.
-Então, você viu um reptiliano?

Eu vi vários seres clonados,
híbridos, impressos em 3D…

Não sei se eram seres conscientes.

Eles são muito bons com
efeitos especiais.

Usam isso para amedrontar
ou ameaçar os cientistas,

caso achassem que
pudessem vir a público,

e revelar onde trabalhavam.

A melhor forma de fazer isso
é mostrar algo horripilante.

Se eles estivessem planejando

dizer algo ou pedir demissão…

Agora, eles sabem que essas
coisas existem mesmo, mas será?

Será que é real?

Não sei dizer.

Não sei.

Ver algo não significa
que é real.

É a mesma coisa com
os novos satélites

que projetam coisas em carros ou
no chão, com sombras e tudo mais.

Sistemas palpáveis que fazem
parecer que estou bem aqui,

mas não estou.

Eles podem projetar algo

parecido com um
carro, com sombra,

mas que não é um carro? É só
uma projeção de satélite?

É uma projeção de um
carro que é palpável,

mas que você poderia atravessar

se quisesse.

Porém, é o bastante para colocar
uma certa quantidade de átomos

em uma área e refletir a luz.

-Interessante.
-Sim.

Interessante.

E isso muda tudo.

Então, é difícil dizer
que eu vi uma nave

ou ET, um híbrido ou
seja lá o que for,

a menos que tenha tocado,
sentido, pisado, testado…

Como já falamos desses
tipos de ser antes,

em vez de adiantar as coisas,

você poderia descrever melhor…?

Você disse que ele tinha
3 metros de altura,

mas poderia descrever
sua aparência?

Isso foi só um exemplo,

mas vou descrever outro
que eu realmente vi.

-Certo.
-E os que eu já vi

tinham de 2,4 a 3,9 metros de
altura, ou até 55 centímetros.

Você disse que alguns
estavam vivos,

como se estivessem sendo
mantidos como prisioneiros?

Isso mesmo.

-Certo.
-Sim.

E foi por isso que resolvi
sair depois de 10 anos.

Eu senti que algo
não estava certo,

porque um dos corpos que
recebi estava quente.

Então, eu sabia que havia
acabado de morrer.

Eu pedi demissão e fui
dispensado com honras,

rescindi o contrato

e fiquei calado por
uns 15 ou 10 anos.

Um corpo quente

significa que ele foi morto
logo antes da autópsia?

-Exato.
-Certo.

Porém, já vi extraterrestres
cara a cara.

Ou algo parecido com um ET.

Parecido com um ET, um
híbrido ou um clone.

-Um clone de um ET.
-Certo.

Vamos voltar às faixas coloridas.

Vamos entrar naquela sala
antes do fim do episódio.

O que acontece quando
você passa pela porta?

Não se esqueça

que os seguranças de branco
ficam nos corredores.

Eles sempre estão presentes,

em todos os corredores,

e são muitos.

Não tem nenhuma área privada.

Não, de jeito nenhum.

Nenhuma área privada.

Quando você chega lá,

você tem que passar
pela área pressurizada,

-para colocar o seu macacão.
-Certo.

É uma área limpa e esterilizada.

Existe uma vedação

entre a porta e a
sala de operação?

-Exato.
-Certo.

E você coloca mais…

Dois técnicos

operam a porta com
os dois soldados

de branco.

Você já está de
avental cirúrgico,

mas precisa de mais equipamentos?

Sim, precisa do macacão.

-Que macacão é esse?
-É um macacão espacial leve,

como os que vemos nos filmes.

É todo de vidro.

Você tem o seu próprio
oxigênio, que você liga

na parede da sua unidade.

Você não precisa carregar nada.

É muito leve.

É feito de um tipo de
Gore Tex, uma substância

de poliuretano.

É à prova d’água.

É hermeticamente vedado.

Você tem a sua própria
reciclagem de ar.

Você tem sua própria
unidade de comunicação.

Você pode se comunicar.

E as luvas que eles
usam com esse macacão

são as mesmas que
usamos em cirurgias.

São ambidestras e
totalmente esterilizadas.

Às vezes, você tem que
usar certas luvas

feitas de outro material
que desconheço.

Eles não querem que certos
materiais de látex ou não

encostem ou destruam

o que você tiver tocando.

Existem tipos
diferentes de macacão,

dependendo do tipo de autópsia.

Você disse… Estou
tentando imaginar.

Tem uma mangueira que
você conecta à parede

-depois da vedação de ar?
-Sim.

Depois da vedação de ar,

você é escoltado pelos seguranças.

Eles abrem a vedação,

como você veria em
um navio da Marinha.

Alguns têm alças, mas outros

têm outros métodos.

Você entra, veste o macacão

e conecta as suas coisas.

São dois cabos: oxigênio
e comunicações.

Ainda dá para ouvi-los

se falarem com você
sem a mangueira,

se falhasse.

Você poderia descrever

o lado de dentro da
sala de operação?

Não tem divisões na parede.

As paredes são meio rosadas.

A sala é meio oval.

Todas as paredes da sala

podem ser configuradas
em seções diferentes.

As seções podem ser… O corpo
pode estar nesta mesa,

mas as paredes da outra seção
contêm várias ferramentas

das quais você precisará

para coletar as amostras
ou fazer os testes.

Então, quando você
vê o filé de salmão…

Você disse que
começou com filés,

mas depois começaram a
vir braços com mãos.

Quanto tempo de
passou entre os filés

e o braços, até os
corpos inteiros?

-Podemos falar sobre isso?
-Sim.

Acho que foram uns 16 meses.

O seu nível de segurança aumenta
depois de três a seis meses,

se você se comportar
e ficar calado.

É um processo rápido porque
tem muita gente envolvida.

E eu queria aprender.

Eu estava muito empolgado.

Fiz o que eles queriam
que eu fizesse.

Então, as coisas ficaram
cada vez mais estranhas,

e as amostras
começaram a melhorar.

Era muito frustrante porque
eu não podia perguntar:

De onde vem isto? O que é?

De onde tiraram isto?

Eu só coletava
amostras e ia embora.

Quando os corpos
começaram a chegar…

Isso foi depois de uns 10 meses.

Partes de corpos, não
eram corpos inteiros.

Não vi nenhum corpo
inteiro até o fim,

mas aí eu tive que sair
porque aquilo mexeu comigo.

Você poderia descrever a primeira
parte de corpo que você viu?

-Vamos fechar o episódio com isso.
-Sim.

Era uma pele tipo de leopardo.

Era o torso.

Parecia que havia sido explodido.

E a pele era de reptiliano.

As partes do corpo eram
normais, como as nossas.

Eu vi um baço, um
coração, um pulmão…

O rosto estava muito
distorcido e destruído,

não dava para ver direito.

Porém, ele tinha uma estrutura
óssea perfeita como a nossa.

E era… A pele era linda.

Era uma pele de leopardo
azul iridescente.

Parecia as rãs-leopardo que
havia na região onde eu cresci,

que tinham uns círculos na
pele misturados com umas penas

de pavão.

-Sério?
-Sim.

Aquela cor… Os círculos
bem definidos…

A pele era muito macia.

Você ficou com medo
quando viu isso

pela primeira vez?

“Minha nossa! O que
está acontecendo aqui?”

Sim, fiquei chocado.

Eles sempre monitoravam a
minha frequência cardíaca.

Eles mediam as minhas reações.

Eu me mantive calmo. Eles me
perguntaram se eu estava bem,

porque eu só tinha
permissão para operar

uma parte do corpo,

mas eu queria descobrir mais.

Porque eu percebi

que certos tecidos clonados
de extraterrestres de verdade

e de humanos… O tecido clonado

não é tão forte quanto o natural.

Os nossos tecidos são
muito fortes, mas…

É claro que isso também depende
de quanto tempo faz que morreram,

há quanto tempo estão
congelados ou das condições

em que foram mantidos.

Quando eles trazem tecido fresco, às
vezes eles diziam que era fresco,

mas nem sempre.

Dá para ver que os tecidos falsos
se despedaçam mais facilmente.

Quando você tenta retirar
um pedaço deles,

eles meio que se derretem.

É uma dinâmica
muito interessante

essa questão dos tecidos.

Emery, por que você decidiu
vir a público hoje?

O que aconteceu recentemente

que o incentivou a
quebrar o sigilo

depois de uma década
que fiquei insistindo

que você viesse a público?

Eu nunca achei que fosse
minha responsabilidade.

Porque eu sou muito neutro…

Eu nem assisto muito…

Eu não assisto a muitos
desses programas.

Gosto de ficar neutro, para
que nada me influencie.

Porém, recentemente…

Ficou tudo…

As coisas ficaram
um pouco violentas.

Temos uma foto de uma
colisão de frente

que você sofreu 30 minutos
depois que eu vazei

mais informações
suas em um artigo.

Sim.

-E você tem sorte de estar vivo.
-Sim.

Sim.

Já levei tiro, já
fui esfaqueado,

já fui atacado por três
agentes, que me espancaram.

Já passei por tudo isso.

Porém, não foi…

Não acho que tenha
sido por causa disso.

Acho que quando eles descobriram

que eu estava entrando
mais na área de energia,

eles ficaram com muita raiva.

Foi aí que perdi tudo.

Eles invadiram a minha casa.

Eles derrubaram o meu
portão de concreto

onde eu guardava essas coisas.

Eles cortaram as paredes
onde eu escondia cofres,

mas não tinha como saber
a não ser por satélite.

Esse pessoal tem imagens
perfeitas de satélite da…

Eu conheço bem os
satélites que eles usam

e o que podem fazer com eles.

Eles podem ver dentro
de cada tijolo

e de cada parede da casa.

Nossa! É inacreditável.

Fico muito feliz por
você ter saído dessa,

e por estarmos gravando isto agora.

Vamos registrar o máximo que que
pudermos, para sua segurança.

Faremos outro episódio com você.

Este é o ”Revelação Cósmica”.

Sou o apresentador, David
Wilcock. Este é o “Paul”,

cujo nome real é Emery Smith.

Muito obrigado por nos assistirem.

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO
COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments