A Lei do Uno - livro 1

A LEI DO UNO – resumo da sessão 10 – Maldek – Atlântida

Partilhar no Facebook

10.1 O que aconteceu a Maldek – ou às pessoas de Maldek – que fez com que elas perdessem o seu planeta? Há quanto tempo isto ocorreu? RA: As pessoas de Maldek tinham uma civilização de alguma forma similar àquele complexo social conhecido por vocês como Atlântida, no sentido de que ela ganhou muita informação tecnológica e a usou sem cuidado pela preservação da sua esfera, seguindo, em sua grande maioria, o complexo de pensamentos, ideias, e ações que você pode associar com sua assim chamada polaridade negativa, ou de serviço a si. Isto foi, entretanto, em sua maior parte, escondido numa estrutura de crença/ pensamento sincera que parecia, para a percepção dos complexos mente/corpo daquela esfera, ser positiva e orientada a servir outrem. A devastação, que quebrou a sua biosfera e causou a sua desintegração, resultou do que vocês chamam guerra.
A intensificação foi ao limite da tecnologia que este complexo social tinha à sua disposição no espaço/tempo presente de então. Este tempo foi há aproximadamente há 705.000 dos seus anos. Os ciclos começaram bem, bem mais cedo naquela esfera, devido à sua habilidade relativa de suportar formas de vida de primeira dimensão em um ponto prévio do continuum espaço/tempo do seu sistema solar. Estas entidades ficaram tão traumatizadas por este evento que elas permaneceram no que poderíamos chamar de nó de complexo social ou embaraço de medo. Algum do seu tempo passou. Ninguém podia alcançá-los. Nenhum ser podia ajudá-los. Há aproximadamente 600.000 dos seus anos, os então membros existentes da Confederação foram capazes de implementar um complexo de memória social e desatar o nó do medo. As entidades foram, então, capazes de relembrar que eram conscientes. Este despertar os trouxe ao que você poderia chamar de planos astrais baixos, onde eles puderam ser nutridos, até que cada complexo mente/ corpo/ espírito foi finalmente capaz de ser curado deste trauma ao ponto que cada entidade foi capaz de examinar as distorções experimentadas no prévio complexo de vida/ilusão.
Após esta experiência de aprendizagem/ensino, a decisão do grupo foi colocar sobre si mesmo um tipo do que você poderia chamar de alívio cármico. Para este propósito, eles vieram a encarnar dentro da sua esfera planetária no que não eram formas humanas aceitáveis. Isto então eles têm experimentado até que as distorções de destruição sejam substituídas por distorções na direção do desejo por uma visão menos distorcida do serviço a outrem. Já que esta foi a decisão consciente da grande maioria daqueles seres da experiência de Maldek, a transição para este planeta começou há aproximadamente 500.000 dos seus anos e o tipo de complexo de corpo disponível naquele tempo foi usado.
10.2 O complexo de corpo disponível naquele tempo é ao qual nós nos referimos como do tipo primata? RA: Isto está correto.
10.3 E alguma destas entidades de Maldek foram transformadas já? Elas ainda estão em segunda densidade ou estão formando algum planeta de terceira densidade agora? RA: A consciência destas entidades sempre foi de terceira densidade.
10.4 Bem, alguma dessas entidades já seguiu adiante, teve uma, digamos, graduação ao final do ciclo de setenta e cinco anos e saiu do corpo de segunda densidade para corpos de terceira densidade? RA: Muitas dessas entidades foram capazes de remover a acumulação do que vocês chamam de carma, sendo, então, capazes de aceitar um ciclo de terceira densidade num corpo de terceira densidade. A maioria destes seres, ao obter sucesso, encarnou em algum outro lugar da criação para o ciclo de sucesso em terceira densidade. Quando este planeta alcançou a terceira densidade, algumas poucas destas entidades foram capazes de se juntar à vibração desta esfera na forma de terceira densidade. Ainda restam alguns que ainda não aliviaram, através da coordenação de distorções de mente/ corpo/ espírito, as ações prévias tomadas por eles. Portanto, eles permanecem.
10.5 São estes os Pé Grande que você mencionou? RA: Estes são um tipo de Pé Grande.
10.6 Então a nossa raça atual é formada por uns poucos que vieram originariamente de Maldek e um número maior que veio de Marte. Existem entidades aqui que vieram de outros lugares? RA: Existem entidades experimentando o seu continuum tempo/espaço que vieram de muitos, muitos lugares, como você os chamaria, da criação, pois, quando existe uma mudança de ciclo, aqueles que devem repetir então encontram uma esfera planetária apropriada para esta repetição. É de certa forma incomum, para um complexo mente/ corpo/ espírito planetário, conter aqueles de muitos, muitos, diversos locais, mas isto explica muito, pois, veja, você está experimentando a ocorrência tridimensional com um número muito grande daqueles que devem repetir o ciclo. A orientação, então, tem sido difícil de se unificar, mesmo com o auxílio de muitos dos seus professores/ aprendizes.
10.7 Quando Maldek foi destruído, todas as pessoas de Maldek tinham o problema ou algumas eram desenvolvidas o suficiente para serem transferidas para outros planetas? RA: Na ocorrência de uma dissolução planetária, nenhuma escapou, pois esta é uma ação que gera consequências para o complexo social do próprio complexo planetário. Ninguém escapou ao nó ou embaraço.
10.9 Quando uma graduação ocorre e uma entidade ou entidades seguem, ao fim de um ciclo, de um planeta para outro, por quais meios elas seguem de um planeta para o outro? RA: No esquema do Criador, o primeiro passo da mente/ corpo/ espírito/ totalidade/ estado do ser é colocar o seu complexo de distorção mente/corpo/espírito no devido lugar de amor/luz. Isto é feito para garantir a cura apropriada do complexo e eventual sintonia com o complexo totalidade/estado do ser. Isto leva um período variável de seu tempo/espaço. Após isto ser concluído, a experiência do ciclo é dissolvida e filtrada até que apenas a destilação das distorções em sua forma pura permaneça. Neste momento, a mente/ corpo/ espírito/ totalidade/ estado do ser colhida, avalia a necessidade de densidade do seu estado do ser e escolhe o novo ambiente mais apropriado para uma repetição do ciclo ou para mover-se adiante para o próximo ciclo. Esta é a forma da colheita, guardada e cuidada por muitos.
10.10 Quando uma entidade é movida de um planeta para outro, ela é movida em pensamento ou num veículo? RA: A mente/ corpo/ espírito/ totalidade/ estado do ser é una com o Criador. Não existe distorção tempo/espaço. Portanto, é uma questão de pensar no local apropriado na coleção infinita de espaços/tempos.
10.11 Enquanto uma entidade está encarnada nesta terceira densidade, neste tempo, ela pode tanto aprender sem saber conscientemente o que está fazendo, ou ela pode aprender depois que se torna consciente de que está aprendendo os caminhos da Lei do Uno. Da segunda forma, é possível à entidade acelerar imensamente o seu crescimento. Isto não está correto?
RA: Isto está correto.
10.12 Então apesar de muitas entidades não estarem cientes disso, o que elas realmente desejam é acelerar os seus crescimentos e é trabalho delas descobrirem isto enquanto encarnadas. É correto que elas podem acelerar os seus crescimentos muito mais, enquanto encarnadas na terceira densidade, do que entre encarnações nesta densidade? RA: Isso está correto. Nós tentaremos falar sobre este conceito. A Lei do Uno tem como uma das suas distorções primordiais a distorção do livre arbítrio, então cada entidade é livre para aceitar, rejeitar, ou ignorar os complexos mente/ corpo/ espírito que a cercam e ignorar a própria criação. Existem muitos na distorção do seu complexo de memória social que, neste tempo/espaço, empenham-se diariamente, como você diria, no trabalho da Lei do Uno numa de suas distorções primordiais; ou seja, nos caminhos do amor. Entretanto, se esta mesma entidade, tendo tendências desde as profundezas do seu complexo mente/ corpo/ espírito no sentido do amor/luz, aceitasse responsabilidade por cada momento da acumulação de momentos presentes tempo/espaço disponível para ela, tal entidade poderia potencializar o seu progresso, da mesma forma que nós descrevemos a potencialização do chamado, da distorção do seu complexo social, pela Confederação.
10.13 Você poderia declarar de uma forma ligeiramente diferente como se potencializa este chamado? RA: Nós entendemos que você agora fala sobre a nossa informação anterior. O chamado começa com um. Este chamado é igual ao infinito e não é, como você diria, contado. É a base. O segundo chamado é acrescido. O terceiro chamado potencializa ou dobra o segundo, e por assim adiante, cada chamado adicional dobrando ou potencializando todos os chamados precedentes. Então, o chamado de muitas das suas pessoas é muito, muito potencializado e esmagadoramente ouvido até aos limites infinitos da Una Criação.
10.14 Para o desenvolvimento geral do leitor deste livro, você poderia declarar algumas das práticas ou exercícios a se realizar a fim de produzir uma aceleração na direção da Lei do Uno? RA: Exercício Um. Este é o mais centrado e útil no seu complexo ilusório. O momento contém amor. Esta é a lição/objetivo desta ilusão ou densidade. O exercício consiste em procurar conscientemente este amor em distorções de percepção e compreensão. A primeira tentativa é a base. Sobre esta escolha se baseia o restante da experiência de vida da entidade. A segunda busca por amor, dentro do momento, inicia a adição. A terceira busca potencializa a segunda, a quarta potencializa ou dobra a terceira. Assim como os tipos anteriores de potencialização, ocorrerá alguma perda de potência devido às falhas internas da busca na distorção da falta de sinceridade. Entretanto, a declaração consciente, de si para si, do desejo de buscar o amor é tão centradamente um ato de vontade que, como antes, a perda de potência devido a esta fricção é irrelevante.
Exercício Dois. O universo é um ser. Quando um complexo mente/ corpo/ espírito vê outro complexo mente/ corpo/ espírito, ele vê o Criador. Este é um exercício útil.
Exercício Três. Encare um espelho. Veja o Criador.
Exercício Quatro. Encare a Criação que cerca o complexo mente/ corpo/ espírito de cada entidade. Veja o Criador.
A fundação ou pré-requisito destes exercícios é uma predileção no sentido do que pode ser chamado de meditação, contemplação ou prece. Com esta atitude, estes exercícios podem ser processados. Sem ela, os dados não serão absorvidos pelas raízes da árvore da mente, então habilitando e enobrecendo o corpo e tocando o espírito.
10.15 Eu estava pensando sobre o advento da civilização chamada Atlântida e Lemúria, a forma que estas civilizações ocorreram, e de onde elas vieram? RA: As civilizações da Atlântida e Lemúria não eram uma, mas duas. Olhemos primeiro para as entidades Mu. Elas eram seres de uma natureza de certa forma primitiva, mas que tinham distorções espirituais muito avançadas. A civilização foi parte deste ciclo, experimentando mais cedo no ciclo, há aproximadamente 53.000 dos seus anos. Era um lugar útil e inofensivo que foi lavado para dentro do oceano durante um reajustamento das placas tectónicas da sua esfera, devido a nenhuma ação de si mesma. Os sobreviventes partiram e alcançaram muitos lugares no que vocês chamariam de Rússia, América do Norte e América do Sul. Os indígenas, pelos quais vocês vieram a sentir alguma simpatia nas suas distorções de complexo social, são descendentes destas entidades. Como os outros encarnados neste ciclo, eles vieram de outro lugar. Entretanto, estas entidades em particular foram amplamente trazidas de um planeta de segunda densidade que tinha alguma dificuldade, devido à idade do seu sol, para atingir condições de vida de terceira densidade. Este planeta era da galáxia Deneb.
A raça da Atlântida era um complexo social bem conglomerado que começou a se formar há aproximadamente 31.000 anos no passado de seu continuum ilusório de espaço/tempo. Foi um crescimento lento e uma sociedade bem agrária até há aproximadamente 15.000 dos seus anos. Ela alcançou rapidamente um alto conhecimento tecnológico, o que a tornou capaz de usar a infinidade inteligente de uma forma menos informativa. Nós podemos acrescentar que eles usaram a energia inteligente também, manipulando enormemente os influxos naturais do raio índigo ou pineal da divina ou infinita energia. Então, eles foram capazes de criar formas de vidas. Isto eles começaram a fazer em vez de curar e aperfeiçoar os seus próprios complexos mente/ corpo/ espírito, transformando as suas distorções na direção do que você poderia chamar de negativo.
Há aproximadamente 11.000 dos seus anos, a primeira das, o que você chamar de guerras, fez com que aproximadamente 40% daquela população deixasse a densidade devido à desintegração do corpo. O segundo e mais devastador dos conflitos ocorreu há aproximadamente 10.821 anos no passado, de acordo com a sua ilusão. Isto criou uma configuração de mudança na Terra e grande parte de Atlântida deixou de existir, tendo sido inundada. Três dos grupos orientados positivamente da Atlântida deixaram este local geográfico antes da devastação, realocando-se para as áreas montanhosas do que vocês chamam de Tibete, do que vocês chamam Peru e do que vocês chamam Turquia.
10.16 Eu gostaria de ter uma informação breve sobre a palavra que você usa, “galáxia”. RA: Nós usamos o termo conhecido pelas suas pessoas pelo complexo de som vibratório “galáxia”. Nós aceitamos que algumas galáxias contêm um sistema de grupos planetários e solares, outras contendo vários. Entretanto, a importância do local na dimensionalidade infinita de espaço/tempo é tão pequena que nós aceitamos a distorção implícita em termo tão ambíguo.
10.17 Então os nove planetas e o nosso sol que temos aqui em nosso sistema, você se referiria a eles como uma galáxia solar? RA: Nós não faríamos isso.
10.18 Quantas estrelas, aproximadamente, existiriam numa galáxia? RA: Depende do sistema galáctico. O seu próprio, como você sabe, contém muitos, muitos milhões de entidades planetárias e corpos estelares.

27 de Janeiro de 1981
nota: a expressão Self refere-se ao Eu (pessoa), que nem sempre foi traduzido nos livros.

artigos relacionados

sessão 11 – Nikola Tesla – Orion e o serviço a si próprio
sessão 12 – Andarilhos
sessão 13 – Universo – Densidades
sessão 14 – Pirâmides – Colheita – Densidades
resumo do livro “A lei do Uno” e os 5 livros em .pdf

Partilhar no Facebook

2 Comments on “A LEI DO UNO – resumo da sessão 10 – Maldek – Atlântida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.