revelação cósmica temporada 06

S06E05 A Chegada das Esferas (Revelação Cósmica)

Partilhar:

S06E05 A Chegada das Esferas (Revelação Cósmica) S06E05 (Cosmic Disclosure)

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome (watch the episode by clicking on the link below, using the chrome browser): https://drive.google.com/open?id=1RIf8-CFyLjGPRUeHF_a9M2imsZNNYz5h

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook) para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

A Chegada das Esferas

Muito bem, bem-vindo ao ”Revelação Cósmica”.

Sou o apresentador, David Wilcock.

Estou aqui com Corey Goode.

Neste episódio, teremos outra rodada

de revelações incríveis do William Tompkins,

o nosso engenheiro aeroespacial de 94 anos de idade.

Esse homem não tem acesso à Internet.

Ele não tem um endereço de e-mail.

Ele não fazia ideia de quem era o Corey Goode

nem do que ele havia dito quando começamos estas filmagens.

Porém, o que ele nos contará

neste episódio, novamente, será uma das coisas

mais significativas que já fizemos neste programa,

pois a quantidade de correlações

que você está prestes a ver aqui é de tirar o fôlego.

Então, sem enrolação, vejamos

o que o Tompkins tem a dizer.

Você vai pirar.

Dê uma olhada.

Falando sobre a nossa situação atual,

sabe-se que temos diversos veículos diferentes que,

na verdade, são planetas ocos

que se movem pela galáxia para monitorar

os mocinhos e vilões, se há guerras ou não,

se há pessoas aproveitando-se de outras pessoas em outros planetas,

em outros sistemas solares, e há cerca

de um ano e meio, um deles estacionou

fora do nosso Sistema Solar.

Ele está lá há um ano e meio.

Esse veículo é bem grande,

e contém representantes de mais de 2.000 civilizações extraterrestres

a bordo, como observadores e monitores.

Ele está estacionado lá, monitorando

o que vem acontecendo aqui desde os romanos,

desde muito antes dos romanos.

Eles impediram os extraterrestres que estão aqui,

escondidos em cavernas subterrâneas, de partirem,

e não estão permitindo que seus aliados venham.

Entendo que eles tenham dois objetivos.

Um deles é anular o problema do Sol.

O Sol tem vida.

Certo?

As estrelas têm vida.

Acho muito difícil aceitar isso.

E seu humor varia.

Basicamente, temos que voltar…

Não estou querendo complicar as coisas,

mas temos que voltar ao centro da galáxia.

O que está acontecendo lá?

Não há tantas estrelas na nossa galáxia

em comparação com outras que não enormes, mas todas as estrelas

são afetadas de alguma forma pelo Sol.

Quando o Sol espirra, todas as nossas comunicações, rádio,

eletrônicos, tudo é afetado.

Há um grupo de pessoas, chame-os do que quiser,

que está tentando basicamente anular

os efeitos sobre uma certa região, que não se trata

apenas de um sistema solar ou do nosso Sistema Solar,

mas de fazer isso como um negócio, para que os níveis

de catástrofe, de coisas que possam colocar em risco as pessoas

e o planeta, diminuam.

Assim, podemos facilmente ser afetados.

As nossas atitudes diárias podem ser alteradas.

Podemos acabar nos tornando ótimos republicanos,

e por algum motivo podemos mudar e virar

para o outro lado.

Os seres que estão nessa esfera

não estão muito felizes com o Sol.

Essa é só uma das coisas com as quais não estão felizes.

Eles estão muito preocupados com os reptilianos

implementando situações que não são toleráveis em seu estilo de vida,

e isso precisa ser corrigido.

Eles devem ter-nos estudado o suficiente para saber

que o planetinha Terra já passou dos limites

há algum tempo, e isso precisa ser corrigido.

Muito bem. Isso foi muito interessante,

há várias correlações

que vêm à tona com isso.

Nem sei por onde começar.

São muitas informações.

Ele começa falando sobre

objetos do tamanho de um planeta, que já é considerado

um fato comum para os que estão por trás dos bastidores

que há várias espécies de extraterrestres

viajando por aí e, segundo ele, monitorando outros sistemas solares

com esses objetos do tamanho de planetas.

Qual você acredita ser o motivo desse monitoramento?

Aparentemente, há grupos

que viajam de estrela a estrela, de nuvem estelar a nuvem estelar,

passando por toda a galáxia, monitorando

o progresso de diversos mundos.

E eles também monitoram para ver se há

intervenções de grupos externos,

que seria meio que uma violação daquela lei de não intervenção

do “Jornada nas Estrelas”…

A primeira diretriz.

A primeira diretriz.

Então, ele mencionou que esses objetos do tamanho de planetas

também querem descobrir se há guerras, se algo injusto

está acontecendo.

Em certos casos, eles também podem tomar

medidas proativas para preservar a primeira diretriz?

Sim, mas sem interferir abertamente

na vida dos habitantes de um certo planeta

que eles querem que progrida por conta própria.

Então, parece que ele está dizendo

que acredita que isso está acontecendo aqui,

que uma dessas esferas está tomando medidas proativas aqui.

Há informações oficiais sobre isso.

Acho que você relatou uma delas nos anos 80.

Um dos seus informantes contou-lhe

que um objeto desse tipo, uma esfera tangível

muito grande, chegou e começou a dar voltas

ao redor dos diversos planetas.

Sim, eles a chamaram de Buscador,

e ela tinha escotilhas de cerca de 1.300 km de largura

quando se abriam.

Nossa.

E naves de vários tipos saíam dela.

Ela era escura.

Não dava para ver muito bem dentro dela quando se abria,

mas ela se abria como um círculo.

Certo.

As minhas fontes não me disseram

que havia esse tipo de nave esférica

fora do nosso Sistema Solar que estavam impedindo as pessoas

de irem e virem.

A informação que obtive foi que as esferas que vieram

eram esferas de energia.

Talvez essa informação seja diferente,

ou talvez seja uma informação que chegou a nós

após passar por várias fontes diferentes,

como naquele jogo de telefone sem fio.

A mensagem é alterada gradualmente.

E se as pessoas tiverem planos diferentes,

eles podem alterá-la um pouco.

Eu gostaria de abordar isso,

pois não quero que as pessoas na seção de comentários

digam: “Eles acabaram de desmascarar o William Tompkins.”

Há uma certa contradição na forma como ele se expressou

que precisamos abordar aqui.

Primeiramente, ele diz que uma esfera

apareceu fora do nosso Sistema Solar há um ano e meio.

Mas ele também diz que ela está lá desde a época dos romanos.

Acho que ele quis dizer

que elas estão indo e vindo

desde esse período.

Certo.

Então, você acha que o fato de ele ter dito isso

indica que ele ouviu isso de outra pessoa,

que essa foi a informação que ele obteve?

Com certeza.

Sim, foi uma informação que chegou a ele do alto escalão

dos programas espaciais secretos.

Antes de entrarmos na questão da cronologia,

você poderia recontar como a barreira externa

foi criada?

Qual foi o incidente que resultou nessa barreira

e quando ocorreu?

Essas esferas de energia

têm entrado no Sistema Solar há vários anos,

tanto através do Sol quanto por fora do Sistema Solar.

Eles sabiam que essas esferas

estavam presentes e que os estavam monitorando.

A Cabala sabia?

A Cabala sabia.

E os habitantes, eles achavam que essas esferas

estavam cheias de alienígenas.

E eles tentaram comunicar-se com as esferas,

mas não obtiveram nenhum tipo de resposta.

Primeiramente, eles acharam

que fosse o retorno dos deuses sumérios, e muitos deles

ficaram muito animados.

Porém, logo em seguida, descobriram que não se tratava de um grupo

que estava vindo para ajudá-los.

Por fim, decidiram usar uma nova arma experimental.

A arma em si ficava na Austrália,

e eu descobri que a mira foi feita

de algum lugar na África, na parte sul da África.

Certo.

Eles miraram uma das esferas do tamanho de uma lua

que estava um pouco depois da Lua

e atiraram nela.

Quando atiraram, a energia foi refletida de volta

ao local do qual haviam atirado,

destruindo uma parte da base

e matando várias pessoas.

Como já relatei, a EEI capturou isso em vídeo.

Há um laser vermelho com um brilho vermelho

em volta do que parece ser algo… Aliás, a NASA

teve que fazer um pronunciamento público, dizendo:

“Isso foi só um teste realizado para criar

uma estrela artificial usando tecnologia de laser.”

Ou seja, eles tiveram que desmentir tudo oficialmente.

Realmente foi algo muito importante.

Sim.

E foi meio ridículo.

Quais foram as ramificações

desse ataque a uma das esferas?

Como isso mudou o jogo?

Quando esse ataque ocorreu, imediatamente,

o que eles chamam de barreira externa foi estabelecida,

que era basicamente uma esfera gigante como as outras,

embora maior que todo o nosso Sistema Solar,

que englobava o nosso Sistema Solar.

A esfera expandiu-se?

Sim.

Para o nível desses seres,

nada disso importa.

Tamanho não faz diferença.

Então, eles estabeleceram essa barreira externa

para impedir que qualquer pessoa partisse

para escapar ou chamar reforços.

Considerando o fato de que o Tompkins foi entrevistado

no começo de junho de 2016, essa filmagem à qual assistimos…

Isso foi um ano e meio atrás, contando do período

em que isso ocorreu, segundo ele, em dezembro de 2014.

Sim, e é por isso

que acredito que tenha havido um cruzamento

com outras informações repassadas do alto escalão

para baixo, pois havia relatórios

de que essas esferas físicas gigantes estavam indo e vindo.

Mas, durante esse período, foi apenas uma esfera de energia gigante

que encapsulou o nosso Sistema Solar para evitar que qualquer pessoa

entrasse ou saísse.

Então, pode ser por isso que ele achou

que havia apenas uma esfera?

Correto.

Nossa.

O meu papel neste programa é fazer-lhe perguntas,

mas preciso fazer um pronunciamento pessoal.

Acho muito incrível que a data que ele deu

é exatamente a mesma que você nos deu,

mas ele não tem nenhum acesso a você.

Certo.

Como você se sentiu quando viu isso?

Acho que você viu o meu semblante

durante o vídeo.

É muito legal ter alguém validando isso.

Como disse antes, tem sido um grande choque para mim

que essas informações tão detalhadas

estejam vindo do Tompkins.

Acho que pode ser difícil

para os nossos espectadores entender a veracidade

de tudo isso.

Isto não é entretenimento.

Não é ficção científica.

E as coisas que vêm acontecendo a você

estão propagando-se por toda a infraestrutura

do programa espacial.

Correto.

Quando ele diz que as estrelas têm vida,

como você responderia?

Quando olhei no dispositivo de vidro inteligente,

havia grupos diferentes com ideias mais esotéricas

sobre as coisas, e outros grupos

que tinham ideias mais científicas e pragmáticas sobre as estrelas

e a natureza de uma estrela.

Cheguei a ver relatórios de que estrelas e planetas,

acredita-se que eles têm vida.

Mas não vi nenhuma informação sobre a parte científica

destacada nas instruções que vi no dispositivo de vidro inteligente

sobre a vida das estrelas.

Você já leu “A Lei do Uno” o suficiente

para ver que há diversos cruzamentos

entre “A Lei do Uno” e o que você vivenciou

no programa espacial, certo?

Certo.

E “A Lei do Uno” diz que as estrelas têm vida.

Certo.

Então, essa é uma bela correlação que temos aqui.

É mesmo.

Quando ele fala dessa ideia de o Sol espirrar,

parece que ele acha que os seres dentro da esfera

estão trabalhando contra o Sol, que eles não gostam

do que o Sol fará.

Não sei se concordo com ele nessa questão em particular.

Qual é a sua opinião?

Acho interessante que,

nas reuniões de instrução, “espirro solar” realmente

é a terminologia usada.

Isso chamou a minha atenção.

É mesmo?

Sim.

Sério?

Sim, essa era uma das descrições.

Eles esperam que o Sol espirre.

Isso chamou a minha atenção.

Imagino que, se as pessoas analisarem isso

de um ponto de vista físico,

podem ver isso apenas como uma catástrofe, caso não entendam

a mudança dimensional.

O que você acha disso?

Certo.

E dentro dos programas espaciais,

as pessoas têm ideias diferentes do que ocorrerá

quando acontecer esse evento solar.

Algumas delas esperam o que chamam

de colheita espiritual.

Algumas delas acham que, durante uma ou duas décadas,

será necessário reconstruir a nossa infraestrutura

que perderemos, e algumas esperam que seja

um evento de extinção total.

Portanto, nem todos estão de acordo quanto ao que ocorrerá,

mas todos concordam que haverá algum tipo

de espirro solar.

Novamente, é tão incrível

que a forma como ele descreve o que essas esferas estão fazendo

é exatamente o que você vem relatando neste programa.

Certo.

E ele disse que havia

uma relação de adversários entre a esfera e o Sol,

mas a informação que obtive foi que essas esferas estão aqui

para segurar a energia, eu acho, até que estejamos prontos

para ser atingidos completamente.

Então, elas estão ajudando

o Sol a fazer o que ele está fazendo, mas talvez com mais precisão

ou no momento certo?

Elas estão ajudando o Sol a passar por uma transição.

Quando ele disse que havia 2.000 extraterrestres

dentro da esfera e que havia

civilizações diferentes dentro dela,

o que você acha dessa parte do que ele disse?

Algumas das informações relativas a essas diversas esferas

é que havia confederações, por assim dizer,

de centenas de planetas diferentes.

Nossa.

Não ouvi dizer que havia 2.000.

Não obtive essa informação em particular.

Mas ele disse isso, então deve ter obtido essa informação

de algum lugar.

Certo.

Ele pode ter sido informado sobre uma dessas naves,

pode ter ouvido que elas chegaram nos anos 80.

E pode ser que uma delas

contivesse centenas ou milhares de espécies diferentes.

Baseado no que você descreveu antes,

não me parece que esses caras

seriam capazes de obter tantas informações específicas

sobre quem estava dentro da esfera, pois as esferas nem sequer

respondiam ao PES.

Certo.

Como eu disse, quando elas chegaram,

eles acharam que era o retorno dos deuses sumérios.

Muitos deles ficaram super animados.

Desde então, durante o período

em que eles não sabiam quem estava dentro das esferas

ou qual era o motivo da vinda das esferas,

eles provavelmente especularam um pouco.

Outra coisa interessante

que ele disse aqui foi que essas esferas

tinham dois objetivos. Um deles

era monitorar a atividade do Sol

e esse espirro que ocorrerá,

e o outro tinha a ver com o reptilianos,

para certificar-se de que eles não se aproveitariam demais de nós.

Novamente, como você se sentiu quando ele disse isso?

É muito satisfatório ouvir alguém

que possui credenciais e um histórico como o do Tompkins

vir a público e validar o que venho dizendo.

Parece que ele e o pessoal dele

estão bem cientes do problema dos Dracos.

Ele falou sobre isso em relação à Alemanha nazista.

Agora, ele está fazendo uma conexão direta entre as esferas

e a derrota dos Dracos.

Certo.

Novamente, é como se alguém

estivesse assistindo ao nosso programa e repassando tudo isso a ele,

ou isso tudo é real.

É como se tivéssemos apenas duas escolhas.

Certo, certo.

E o que você disse é exatamente o que venho dizendo.

As esferas vieram aqui não para derrotar os reptilianos,

mas para criar ambiente no qual

poderemos limpar a nossa própria bagunça.

Certo.

Elas estão aqui para mitigar as energias explosivas

que estão e continuarão vindo do Sol.

É exatamente isso.

Em seguida, veremos o Tompkins

em uma discussão sobre um “think tank” no qual trabalhou,

e um evento muito engraçado

envolvendo uma nave extraterrestre.

Vamos assistir.

Qual era a principal missão,

o que as pessoas faziam nesse “think tank” da Douglas?

E uma das áreas de suma importância

era algo que eles criaram,

esquemas de propulsão não convencionais.

Meu Deus!

Todos tiveram que trabalhar nisso,

e todos tentaram chegar a um método de propulsão

diferente.

Portanto, essa era uma delas.

Tinha a ver com atualizar as coisas

que considerávamos futuristas.

Mas, na verdade, tinha mais a ver

com o conhecimento de diferentes missões

que precisavam ser implementadas.

Além de informações que contribuíam nesse sentido,

o vice-presidente da área de engenharia

transformou-me em Divulgador de Pesquisas Espaciais,

seja lá o que isso signifique.

Certo?

Então, fiquei preso com toda a correspondência que chegava

de diversas organizações parceiras

da Douglas.

E uma das coisas mais interessantes

que chegaram foi um grupo de pessoas na praia,

que ficava a poucos quarteirões dali. Era uma tarde de domingo

e um dos gerentes de engenharia da Douglas

estava lá com sua família.

Lá na Northrop, o Jack Northrop

estava criando suas novas asas.

Elas estavam ficando cada vez maiores.

Ele se livrou do antigo motor de pistão

e inseriu novos motores a jato.

Havia um cara chamado Max Stanley

que o principal piloto de teste da Northrop.

Eles estavam atrasados no cronograma de voo

do bombardeiro B-49.

Eram 11 da manhã de um dia lindo

quando o Max chegou, acionou o negócio e decolou.

A pista de decolagem tinha a metade do tamanho que deveria ter

porque ele quase sempre derrubava a cerca

no fim da pista de decolagem.

Agora, eles abaixam a cerca.

De qualquer forma, voou na direção sul, virou-se sobre o oceano

e começou a voar na direção norte, como se estivesse indo à Base Edwards

da Força Aérea, no deserto.

É claro que, nesse trajeto, ele teria que passar

pela praia de Santa Monica.

Muitas pessoas já viram voos de teste

indo e vindo.

Dentro da cabine do piloto naquele momento,

só havia o Max e seu engenheiro de teste de voo, só os dois,

e o engenheiro disse: “Max, o que é aquilo?”

Um pequeno OVNI surgiu e voou ao lado deles,

bem perto da asa.

A uns 3 metros da asa.

Ele humilhou o Max.

Ele seguiu adiante, na frente de todas aquelas pessoas,

todas as praias cheias de gente… Ele se colocou na frente do Max,

que ficou a uns 3 metros atrás dele, certo?

Ele se virou para trás e deu a volta,

surgiu novamente de baixo, subiu e girou,

humilhando-o novamente, antes de voltar.

Em seguida, ele voou para longe da asa e girou

ao redor da asa.

Ele fez isso por uns 10 minutos.

Nesse período, todos que estavam na praia

viram o que estava acontecendo, pois estavam a menos de 2 km de altura.

Então, o gerente da Douglas que estava na praia naquele momento

e que obviamente testemunhou isso, ele sabia o que estava acontecendo.

De qualquer modo, ele me escreveu um carta descrevendo isso

como uma nova informação sobre OVNIs locais.

Eu recebia duas ou três dessas cartas toda semana

de diferentes áreas, e algumas delas

vinham das áreas de testes da aeronáutica.

Obtivemos muitos dados, e os nossos dados

passaram a integrar as informações que entraram neste documento.

Então, diferentes pessoas no grupo secreto de 200 homens

tinham missões diferentes do que está aqui.

E era mais ou menos assim que isso tudo funcionava.

Muito bem. Então, ele está descrevendo esse documento

sobre objetos voadores não convencionais e propulsão não convencional.

No livro que escreveu, ele descreve isso

em detalhes, muito mais que o que vimos aqui,

e diz que foi desse ponto focal que o programa espacial

nasceu.

Você já viu alguns desses documentos antigos

nos dispositivos de vidro inteligentes?

Muitos deles eram coisas tão mundanas

para analisar, que nem sequer dei uma olhada.

Porém, muitas vezes, quando você abria

um deles no dispositivo de vidro inteligente,

havia documentos dos anos 40, 50, 60,

apresentados como se fossem documentos.

Ele menciona que o documento PM 624

investigava tipos diferentes de sistema de propulsão

para necessidades diferentes, o que acabou virando o programa espacial.

É muito incrível obter esse tipo de história.

O que você acha que essas necessidades que estavam analisando envolviam?

Isso depende.

Se houvesse uma nave de reabastecimento,

ela não precisaria necessariamente,

a menos que estivesse viajando com um grupo de porta-espaçonaves,

acompanhar muitas dessas naves que viajam para outras estrelas,

se a intenção for trabalhar aqui no Sistema Solar.

Elas têm tipos diferentes de propulsão.

Elas têm dispositivos temporais, dispositivos de torção,

propulsão eletromagnética.

Tudo isso vem de diferentes grupos não terrestres.

Algumas delas são tão avançadas, que utilizam dispositivos temporais que,

independentemente de onde estiverem no tempo e no espaço,

elas podem chegar aonde estamos aqui e agora.

Então, se eles conseguissem colocar as mãos em algumas dessas naves,

seria útil para eles colocá-las

no programa do CCI, para que tivessem a tecnologia mais nova

e mais avançada, e então disseminar

algumas dessas informações para os outros programas,

ou fornecer a tecnologia para atualizar naves

que já existem.

Enquanto que, se tivermos um cara, como se fosse um caminhoneiro

dirigindo uma nave de traslado ou algo do tipo,

não seria bom se ele tivesse uma capacidade extraordinária.

Certo.

Se ele tentasse fugir ou algo do tipo,

não seria bom deixá-lo escapar.

Certo.

E geralmente, na maioria dessas naves,

existe um recurso de “voltar para casa”.

Se alguém tentar fugir, eles podem apertar um botão

e a nave voltará ao lugar

do qual partiu.

Então, foi meio engraçado

ouvir essa ideia de um OVNI circulando ao redor de um avião

e humilhando-o.

Acho que nenhum de nós dois sabe ao certo

se havia um tripulante que realmente

mostrou o dedo do meio para humilhá-lo.

Acho que foi isso que aconteceu.

Ou a parte do corpo correspondente.

Sim.

Parece que foi isso mesmo.

Sim.

Geralmente, eu diria que se tratava de um dos pilotos

do Programa Espacial Secreto.

Eles são diferentes do resto.

Você se lembra dos filmes “Top Gun”,

da arrogância e pretensão daqueles caras?

Multiplique isso por 100, pois eles são os melhores dos melhores.

Eles voam no espaço.

Eles pilotam coisas sobre as quais as pessoas

nem podem saber.

O período que ele menciona de 1955, quando trabalhava

na Douglas Aircraft… Até que ponto o lado estadunidense havia chegado

naquele ano?

Em 1955, acho que não eram tão desenvolvidos assim.

Parece-me que aquela nave

podia ser uma das naves que fugiram da Alemanha,

pois foi nesse período que as naves

que fugiram da Alemanha começaram

a mostrar-se.

Havia alguma nave alemã

cujo vidro fosse translúcido o bastante

para que o piloto pudesse ser visto dentro da cabine?

Com certeza.

A maioria das naves alemãs que me mostraram

usava sistemas de imagens que deixavam o lado de fora

totalmente sólido, permitindo aos tripulantes ver 360 graus,

bem como acima e abaixo, de dentro, por meio dos sistemas de imagens

que eles tinham no lado de fora das naves.

Entendi.

Muito bem. Agora, temos outro incrível testemunho do Tompkins

sobre o lendário pai da NASA, o cientista alemão expatriado

Wernher von Braun.

Vamos dar uma olhada.

Devo admitir que a Douglas Engineering

foi a melhor empresa para a qual já trabalhei.

Eles eram os príncipes.

A Douglas era conhecida por seus surfistas.

Então, quando o Von Braun chegou à Douglas,

ele queria saber por que havia perdido o contrato dos IRBMs,

quem havia vencido e quem era aquele cara chamado

Tompkins.

De qualquer forma, ele saiu.

Àquela época, tínhamos umas 900, 800

pranchetas em um andar e mais 600 no andar de baixo.

Estávamos no segundo andar.

Quando trouxeram o vice-presidente da área de engenharia,

o Von Braun, ao segundo andar, eu sabia que ele estava vindo.

Saí correndo até uma prancheta que estava em um banquinho.

Fingi que estava desenhando,

mas todos sabiam que eu não estava.

Então, ele teve que passar por todas as 800 pranchetas

até chegar ao Tompkins, bem aqui

no meio.

Fiz isso de propósito.

Como ele continuou recebendo feedbacks

de diversas subempreiteiras

durante sua visita sobre o maldito surfista

da Califórnia, ele quis conhecer esse surfista.

Porém, tínhamos uns 40 destes em um pacote,

e ele queria saber como havíamos feito tudo.

Um destes era muito legal,

era meio pejorativo, e falava sobre o V-2 alemão.

A secretária trouxe-o e entregou-o a mim,

enquanto ele ficou lá, querendo que eu lhe dissesse

como manuseá-lo corretamente.

Isso fez com que todos da área pirassem.

Mas a questão é que ele havia vindo

porque realmente queria descobrir

como aquele grupo de surfistas

havia sido capaz de fazer tudo aquilo.

Ele foi embora com o rabo entre as pernas.

Funcionou bem.

É comum haver esse tipo

de piadinha dentro dessas instalações,

em que alguém do alto escalão como o Von Braun chega

e apresentam-lhe uma ilustração pejorativa

sobre seu próprio trabalho?

Muitos desses engenheiros são umas figuras,

mas isso foi muito descarado, na minha opinião.

Sim.

Eu imagino que, em algumas das áreas

que você descreve, a atmosfera é tão opressora,

que a ideia de tentar fazer uma piada com os seus superiores

nunca será uma boa ideia.

Sim, nunca é uma boa ideia.

Muito bem, esgotou-se o tempo que tínhamos

para este episódio.

Espero que tenham se divertido com todos esses casos.

É realmente incrível voltar e analisar

a grande quantidade de confirmação

que estamos obtendo sobre as esferas gigantes, o bloqueio

do Sistema Solar, o que está acontecendo com o plano das esferas, o espirro solar,

os Dracos…

Muitas dessas coisas já foram abordadas aqui.

Este é o ”Revelação Cósmica”.

Sou o apresentador, David Wilcock. Muito obrigado por assistir-nos.

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Disclaimer: Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos. Este site publica artigos próprios e de outros informantes em que se limita a publicá-los: quer dizer que pode não concordar com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo.

Partilhar:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments