A Lei do Uno - livro 3

A Lei do Uno ~ sessão 68 ~ específica sobre o instrumento

Partilhar no Facebook

Sessão 68 (bastante específica sobre o instrumento)
18 de Agosto, 1981

68.4 QUESTIONADOR: A razão primária pela qual nós consideramos importante termos esta sessão hoje é que eu posso não estar por perto por um tempo e eu tinha uma questão urgente sobre o que aconteceu Domingo à noite quando, aparentemente, o instrumento estava caindo em um estado de transe durante uma de nossas reuniões normais, e eu gostaria de questioná-lo sobre isso. Você pode me dar informação sobre o que aconteceu?
RA: Eu sou Ra. Nós podemos.

68.5 Você me diria o que aconteceu naquele caso?
RA: Nós instruímos este instrumento a se abster de nos chamar, a não ser que ela esteja dentro deste conjunto de circunstâncias circunscritas. No evento do qual você fala, foi perguntado a este instrumento uma questão que pertencia ao que vocês têm chamado de O Material de Ra. Este instrumento estava provendo a voz para nossos irmãos e irmãs da densidade da sabedoria, conhecidos por vocês como Latwii.
Este instrumento pensou consigo mesmo, “Eu não sei esta resposta. Eu queria estar canalizando Ra.” Aqueles de Latwii se encontraram na posição de estarem sendo abordados pela entidade de Orion, que busca se dispor ao serviço de sua própria forma. O instrumento começou a se preparar para contato com Ra. Latwii sabia que se isto se completasse, a entidade de Orion teria uma oportunidade que Latwii desejava evitar.
É afortunado para este instrumento, primeiramente, que Latwii é de quinta densidade e capaz de lidar com aquele complexo vibratório particular que a entidade de Orion estava manifestando e, em segundo lugar, que houvessem aqueles no grupo de apoio, naquele momento, que enviaram grandes quantidades de apoio ao instrumento neste ponto crucial. Assim, o que ocorreu foi que aqueles de Latwii nunca deixaram este instrumento, apesar de que isto chegou periculosamente perto de quebrar o Caminho da Confusão. Eles continuaram a manter esta conexão com o complexo mente/corpo/espírito do instrumento e a gerar informação através dele, mesmo quando o instrumento começou a escapar de seu veículo físico.
O ato de comunicação continuada fez com que a entidade estivesse incapaz de entender o complexo mente/corpo/espírito do instrumento e, após uma pequena medida do seu espaço/tempo, Latwii recuperou o então completamente amalgamado instrumento e deu a ele comunicação continuada para estabilizá-lo durante a transição de volta à integração.

68.6 Você poderia me dizer qual era o plano da entidade de quinta densidade negativamente orientada, como ela iria concluí-lo e quais seriam os resultados se ele tivesse dado certo?
RA: O plano, que está em andamento, era pegar o complexo mente/corpo/espírito, enquanto ele estivesse separado da casca de seu complexo de corpo físico amarelo, para então colocar este complexo mente/corpo/espírito dentro das porções negativas de seu tempo/espaço. A casca seria então de uma entidade desinformada, inconsciente e poderia ser, digamos, trabalhada para causar mau funcionamento, que culminaria em coma e, então, no que vocês chamam de morte do corpo. Neste ponto, o eu superior do instrumento teria a escolha de deixar o complexo mente/corpo/espírito em tempo/espaço ou de permitir encarnação em espaço/tempo de vibração e distorções de polaridade equivalentes. Assim, esta entidade se tornaria uma entidade negativamente polarizada, sem a vantagem da polarização negativa nativa. Ela encontraria um longo caminho para o Criador sob estas circunstâncias, apesar de que o caminho iria inevitavelmente terminar bem.

68.7 Então, você está dizendo que, se esta entidade negativa de quinta densidade for bem-sucedida em suas tentativas de transferir o complexo mente/corpo/espírito enquanto este complexo está em o que nós chamamos de transe, para tempo/espaço negativamente polarizado, então, o eu superior não teria escolha a não ser permitir encarnação em espaço/tempo negativamente polarizado? Isto está correto?
RA: Isto está incorreto. O Eu Superior poderia permitir que o complexo mente/corpo/espírito permanecesse em tempo/espaço. Entretanto, é improvável que o Eu Superior faria isso indefinidamente devido à sua distorção na direção da crença de que a função do complexo mente/corpo/espírito é experienciar e aprender a partir de outros-selfs, assim experienciando o Criador. Um complexo mente/corpo/espírito positivo, altamente polarizado, cercado de porções negativas do espaço/tempo, experienciará apenas escuridão, pois, como o magneto, não existe nenhuma, digamos, similaridade. Assim, uma barreira é automaticamente formada.

68.8 Deixe-me estar certo de que eu entendi. Esta escuridão é experienciada em espaço/tempo negativo ou em tempo/espaço negativo?
RA: Tempo/espaço negativo.

68.9 Encarnação em espaço/tempo negativo então, em uma condição como esta, resultaria em encarnação em qual nível de densidade para, vamos tomar como exemplo, o instrumento?
RA: A resposta para esta questão viola a primeira distorção.

68.10 Ok, não vamos tomar o instrumento como exemplo então. Vamos dizer que isto foi feito a um Andarilho de sexta densidade. Se esta resposta violar a primeira distorção, não responda. Mas, vamos dizer que se isso acontecesse com um Andarilho de sexta densidade, que fosse para tempo/espaço negativo. Seria este um tempo/espaço negativo de sexta densidade, e ele encarnaria em um espaço/tempo negativo de sexta densidade?
RA: Sua suposição está correta. A força da polarização seria equiparada tanto quanto possível. Em alguns Andarilhos positivos de sexta densidade, a equiparação não estaria tão completa devido à escassez de campos de energia de sexta densidade negativa com força equivalente.

68.11 A razão pela qual isto poderia ser feito é o fato de que o complexo mente/corpo/espírito do Andarilho, extraído durante o que nós chamamos de estado de transe, deixando o físico de terceira densidade, neste estado, o Andarilho não tem plena capacidade ou capacidade de se defender magicamente? Isto está correto?
RA: No caso deste instrumento, isto está correto. Isto também está correto quando aplicado quase sem exceção àqueles instrumentos trabalhando em transe que não experienciaram conscientemente treinamento mágico em tempo/espaço na, digamos, presente encarnação. As entidades, de sua densidade, capazes de defesa mágica nesta situação são extremamente raras.

68.12 Me pareceria que, já que eu não posso imaginar nada, nada pior, devo dizer, do que este resultado em particular, além de possivelmente a total desintegração do complexo mente/corpo/espírito devido a uma bomba nuclear, que é muito recomendado buscar o treinamento e defesa mágica para esta situação. Ra poderia e desejaria instruir neste tipo de defesa mágica?
RA: Esta solicitação está além da primeira distorção. A entidade buscando habilidade mágica deve fazer isto de uma certa maneira. Nós podemos dar instruções de natureza geral. Isto nós já fizemos. O instrumento começou o processo de balanceamento do self. Este é um processo longo.
Pegar uma entidade antes de estar pronta e oferecê-la o cetro de poder mágico é infringir de uma maneira desbalanceada. Nós podemos sugerir, com certa rispidez, que o instrumento nunca chame Ra de forma alguma enquanto desprotegido pela configuração que está, neste momento, presente.

68.13 Nós temos falado quase precisamente da porção do livro Esmerelda Sweetwater que nós escrevemos tendo a ver com a má disposição de Trostrick do complexo mente/corpo/espírito da garota do espaço. Qual é a significância daquele trabalho que nós realizamos com relação às nossas vidas? Tem sido confuso para mim por algum tempo como isso se encaixa. Você pode me dizer isso?
RA: Nós examinamos cada e achamos que podemos falar.

68.14 Você poderia por favor fazê-lo agora?
RA: Nós confirmamos o seguinte, que já está, digamos, suposto ou hipotetizado.
Quando o compromisso foi feito entre dois deste grupo, para trabalhar para a melhoria da esfera planetária, este compromisso ativou um vórtice de possibilidade/probabilidade de certa força. A experiência de geração deste volume foi incomum, no sentido de que ele foi visualizado como se assistindo a um filme.
O momento se tornou disponível em sua forma presente-momento. O cenário do volume seguiu suavemente até o final do volume. Você não poderia terminar o volume e o final não foi visualizado como o corpo inteiro do material, mas foi escrito ou criado.
Isto é devido à ação do livre arbítrio em toda a criação. Entretanto, o volume contém uma visão de eventos significativos, tanto simbolicamente quanto especificamente, que você viu sob a influência da atração magnética que foi liberada quando o compromisso foi feito e plena memória da dedicação desta, o que você poderia chamar de missão, restaurada.
68.15 Nós temos uma situação com a qual eu estou preocupado que tem a ver com o entendimento, eu devo dizer (uma palavra pobre, é claro), completo da… Esta atividade ocorre devido à polaridade… Eu acho que é importante para eu investigar as técnicas, se elas estão dentro da primeira distorção, da entidade negativa de quinta densidade que deseja deslocar os complexos mente/corpo/espírito deste grupo. Eu estou dentro da primeira distorção ao pedir que você descreva como esta entidade realiza este trabalho?
RA: Você está.

68.16 Bem, como a entidade de quinta densidade realiza este trabalho a partir do início, quando este ser é alertado do fato de que nós existimos. Como isso ocorre? Você poderia por favor traçar os passos nos quais ele se envolve? Por favor.
RA: Eu sou Ra. A entidade se torna ciente de poder. Este poder tem a capacidade de energizar aqueles que podem estar disponíveis para colheita. Esta entidade desejava desabilitar esta fonte de poder. Ela envia suas legiões. Tentações são oferecidas. Elas são ignoradas ou rejeitadas. A fonte de poder persiste e de fato melhora suas conexões interiores de harmonia e amor ao serviço.
A entidade determina que deve precisar tentar desabilitar o self. Por meios de projeção, ela entra na cercania desta fonte de poder. Ela avalia a situação. Ela é amarrada pela primeira distorção, mas pode se aproveitar de qualquer distorção do livre arbítrio. As distorções pré-encarnatórias do livre arbítrio do instrumento com relação ao veículo físico parecem o alvo mais promissor. Qualquer distorção distante do serviço a outrem também é apropriada.
Quando o instrumento deixa seu veículo físico, ele o faz livremente. Dessa forma, a realocação do complexo mente/corpo/espírito do instrumento não seria uma violação de seu livre arbítrio se ele seguisse a entidade livremente. Este é o processo.
Nós estamos cientes de seu desejo premente de saber como se tornarem impérvios, como um grupo, para quaisquer influências tais como esta. Os processos que vocês buscam são uma questão de suas livres escolhas. Vocês estão cientes dos princípios do trabalho mágico. Nós não podemos falar para aconselhar, mas podemos apenas sugerir, como já fizemos, que seria apropriado para este grupo que embarque sobre tal caminho como um grupo, e não individualmente, por razões óbvias.

68.17 Eu estou interessado em como a primeira distorção se aplica à entidade negativamente polarizada realocando o complexo mente/corpo/espírito. Por que a entidade negativamente polarizada é seguida até o lugar de tempo/espaço negativo? Por que algum de nós seguiria livremente a entidade?
RA: A polaridade positiva vê amor em todas as coisas. A polaridade negativa é esperta.

68.18 Então, eu estou supondo que, se a polaridade negativa usasse qualquer outra abordagem que não usasse o livre arbítrio do outro-self, ela perderia polarização e poder mágico. Isto está correto, não?
RA: Isto está correto.

nota: a expressão Self refere-se ao Eu (pessoa), que nem sempre foi traduzido nos livros.

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.