revelação cósmica temporada 05

S05E02 Visão & Influência Remota

Partilhar:

S05E02 Visão & Influência Remota (Revelação Cósmica)

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome:
https://drive.google.com/file/d/1Y-u5nvDrrYYCgVipKvjzb7MNtTUY6GEd/view?usp=sharing

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook), para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

revelação cósmica temporada 5 episódio 2

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Visão & Influência Remota

Olá.

Bem-vindo ao
”Revelação Cósmica”.

Sou seu apresentador,
David Wilcock.

Estou aqui com Corey Goode.

E, neste episódio,
nós vamos

explorar algumas das
tecnologias de consciência

que têm sido usadas em
diversos contextos,

tanto aqui na Terra quanto
no Programa Espacial.

Nós vamos falar sobre
visão remota

e influência remota.

Muito bem.

Corey, bem-vindo.

Obrigado.

A ideia convencional

de visão remota que
a maioria das pessoas

conhece começou…
a primeira vez que

ouvi sobre isso foi no
“Art Bell Show”,

no fim dos anos 90.

Eles recebiam alguns convidados,
como o major Ed Dames, que

dizia treinar pessoas
por visão remota.

E teve também Joe McMoneagle, que
supostamente fez documentários

no Japão onde ele reunia
pais e filhos

e visualizava remotamente a
localização da criança,

providenciando o encontro, e
registrando tudo em vídeo.

Qual é o tipo básico de
visão remota

que as pessoas
conhecem

por causa desses
programas paranormais?

O que acontece ali?

O que eles tão fazendo?

Tudo no
tempo e espaço está conectado.

E podemos usar nossa
consciência como um veículo

para viajar e ver o que quisermos,
quando quisermos.

Mas isso… o termo
“visão remota técnica”,

tudo isso é muito novo
para nós,

mas é algo que temos feito
desde que

chegamos nesse planeta.

Temos a habilidade de entrar em
um estado mais profundo de consciência

e de ver e influenciar remotamente
outras pessoas

e lugares.

Agora, isso é algo que
os militares

começaram a pesquisar depois que
descobriram que os russos estavam

obtendo sucesso com a técnica.

No setor público,
as pessoas

recebem treinamento por visão remota
para fazer exatamente o que

você mencionou, encontrar
pessoas e coisas perdidas.

É algo que qualquer pessoa
pode usar e praticar

por conta própria.

E não requer
nenhuma habilidade

ou dom especial?

Não.

Eles provaram que
podem pegar

qualquer pessoa que queria
aprender e que tenha interesse no assunto

e ensinar a ela.

E ela pode se sair bem.

Nós temos a visão remota

como uma categoria onde as pessoas
recebem informações.

E temos outras
categorias de canalização,

nas quais as religiões OVNI
elaboradas se baseiam.

E elas não têm
nenhum ponto de referência

em nada além de
sua própria coesão interna.

E vemos pessoas que
acreditam nessa canalização,

que dizem “esses
seres estão fazendo

isso em
tal e tal lugar.

É a mais pura verdade”.

Mas elas não têm nenhuma
validação externa.

Então, qual é a
diferença entre o que

você está falando sobre
visão remota

e alguns dos
ensinamentos canalizados

que algumas pessoas
acham plausíveis,

mas que não têm relação
com mais nada.

A visão remota…
quando você recebe um alvo,

eles fornecem informações na
forma de letras ou números.

Algo que… você
não vai associar a uma

pessoa, lugar ou coisa.

As
“coordenadas”?

Isso.

Coordenadas.

Eles vão tentar ao máximo
não dar detalhes

sobre o alvo.

Eles vão se esforçar
muito… a pessoa

que escreveu o alvo no
papel, muitas vezes

nem vai saber
o que o alvo é.

Ela entrega o papel para
uma pessoa que

entrega para outra, que leva
para o visualizador

para evitar qualquer vazamento
ou transição psíquica.

Com a visão remota,
você visualiza o alvo,

mas ele não é considerado um
acerto até ser verificado.

Na canalização, você
se abre e extrai

dados de
uma fonte desconhecida

que nunca é verificada.

Ou talvez algumas
partes sejam verificadas,

mas nunca por completo.

Você acha que existe
alguma falha substancial

na psique humana,
quer o canalizador entenda

algumas coisas certas
ou meio certas,

que faça com que as pessoas
queiram acreditar

em tudo?

Quando alguém recebe
certa validação

de uma fonte, essa pessoa
costuma parar de validar.

Ela vai receber um pouco de
validação, abrir a mente,

e aceitar tudo o que
recebe, em vez de

validar todos os
pontos de dados, que é

o que se faz na visão remota.

Tudo tem que ser validado.

Nada é considerado bem-sucedido
até ser validado.

Até
grandes visualizadores

coletam muitos
dados inúteis

enquanto aperfeiçoam
essa habilidade.

Sim.

Vai haver uma certa
quantidade de dados que

vem do seu subconsciente.

Isso tem que ser filtrado.

E eles não terão apenas
uma pessoa.

Têm pelo menos
três, geralmente,

para que possam triangular.

E costumam colocar
um grupo de pessoas

em uma visão remota,
e as pessoas

que analisam
os dados sabem como

identificar
coisas que aparecem

pelas diferentes
psiques envolvidas.

E eles têm perfis de
personalidade das pessoas,

e são capazes de
esclarecer informações.

Eu mesmo notei que,
às vezes,

ouço uma música na minha
cabeça, e ela parece

vir espontaneamente,
mas aí eu

ouço a letra
da música,

e descubro que
a letra da música é

uma mensagem, uma mensagem
espiritual sobre o que está acontecendo.

A visão remota parece
envolver todos

os sentidos, certo?

Não acontecesse
em uma única via.

Certo.

Pode
falar um pouco das

experiências
sensoriais que ocorrem

quando feito
corretamente?

O que a pessoa sente
quando faz isso?

Você não vai saber qual é o
alvo ao longo de quase

todo o processo.

Você vai receber todos aqueles
dados sensoriais, como o vento,

certos gostos, certos odores,
o cheiro de concreto molhado,

gosto de minerais.

E talvez capte
algum estímulo sonoro.

O estímulo visual é mais forte
em algumas pessoas do que em outras.

E o estímulo visual
também é alimentado

por estes outros
dados sensoriais.

Sua mente está
montando algo visual

com tudo isso.

Tudo depende do indivíduo:
a precisão de uma imagem

que é formada a partir de
todos esses estímulos sensoriais

que ele está recebendo
ao visualizar o alvo.

Existe algum
protocolo

em relação a quando você
faz isso pela primeira vez,

existem coisas que
podem estar

acontecendo com você que
atrapalhariam

seu desempenho?

Sim.

Você tem que limpar
a mente.

Tem que garantir que
não tem

informações
sobre o alvo.

Se tiver
detalhes prévios, toda

informação que
der sobre o alvo

estará corrompida
de alguma maneira.

Preservar a
integridade do alvo

é extremamente importante
nesse processo.

Além disso, os visualizadores precisam
estar tranquilos

durante a visualização, para que não
alimentem informações

de outros sentimentos que
estejam trazendo de

suas vidas pessoais.

Alguns dos livros
sobre visão remota

que li diziam que a pessoa não
pode estar com fome,

cansada demais, e

nem precisar ir ao
banheiro antes de começar.

Você concorda?

Claro.

Sim.

Por que
seria um fator?

São distrações.

Ao treinar crianças em
visão remota,

eles as colocavam em
câmaras de privação.

Assim, não havia nenhum
outro estímulo sensorial

além do alvo,
da informação que chega

do alvo.

E, à medida que ficavam mais
proficientes, elas

podiam ficar em uma sala com
outras atividades em andamento

e conseguiam se concentrar
no alvo.

Então, a dita
pessoa comum obviamente

não é comum.

Essa é uma das coisas que
ouvimos aqui.

Todos temos a habilidade.

Quais tipos de coisas uma
“pessoa comum”

conseguiria fazer se
recebesse o treinamento

adequado sobre o assunto?

Até onde se pode ir?

Isso depende
da pessoa.

E há também
a influência remota.

Eles podem treinar
pessoas para, de fato,

afetar um local
a longas distâncias.

É possível influenciar pessoas
a se comportarem de uma certa maneira.

E há também a visão remota
e a influência remota

tecnologicamente aprimoradas que
são usadas como sistemas bélicos, que

podem ser usados para
matar pessoas.

Como assim,
tecnologicamente?

Os sistemas que
eu vi eram

basicamente duas chapas.

Como um ânodo e cátodo que
se conectavam a um sistema de

caixa preta que, por sua vez,
se conectava a um conjunto de

antenas.

Quando se está em
uma visão remota ou

entrando em um estado theta profundo
que as pessoas do Programa

Espacial conseguiam alcançar,
como um estado de consciência theta,

isso aprimora e
aumenta as habilidades,

deixando a pessoa concentrada
através dessa tecnologia.

Há quem possa
fazer o coração de alguém parar

de bater,
provocar um aneurisma,

fazer todo tipo de
coisa remotamente.

E isso com
a tecnologia.

Isso.

Algumas dessas pessoas que
usaram muito a tecnologia

são… ficaram aprimoradas.

Elas usam muito
esses sistemas bélicos

e podem matar ou
ferir pessoas

sem a tecnologia.

Vamos voltar a falar
das “pessoas comuns”,

que usam
essa técnica.

Se pensarmos em alguém que
fica muito bom nisso,

esta pessoa está limitada a ver
algo no presente

ou isso também envolve
a capacidade de

olhar através do tempo para ver
cronologias, futuros prováveis.

Futuros prováveis,
ver o passado.

Sim, todas essas
coisas são

possíveis com a visão remota.

Ver o futuro é
muito difícil,

porque o livre-arbítrio entra
em cena, e sempre há

coisas que mudam
um pouco o futuro.

Por isso que chamam de
futuro provável.

Quando você
fala que

as pessoas não devem saber
nada sobe o alvo,

existem outros
protocolos em vigor

para prevenir que a mente
se envolva com a informação

e tente compreender
o que está vendo?

Isso vem
na prática.

Estamos falando sobre
os sistemas bélicos

que… esqueci de
mencionar que eles também

usam os sistemas para proteger
instalações, aeronaves, espaçonaves.

Eles vão se blindar para não
serem vistos remotamente.

Assim, se visualizadores
tentarem… se estiverem tentando

ver uma determinada instalação,
eles têm pessoas que são

basicamente seguranças etéricos.

E se alguém entrar e
tentar usar visão remota,

os visualizadores chamam
“aqueles que se dispersam”.

Quando eles começam a
se fixar no alvo,

descobrem que o pensamento
só se dispersa.

E usam a tecnologia para
aprimorá-los

durante esse processo.

Quando eu era criança,
descobriram

cada um de nós… nosso
dom ou habilidade e tentavam

nos ensinar a usar
isso para proteção

contra as pessoas que
nos viam remotamente.

E o método que eles me
ensinaram foi visualizar

uma bola azul contra rotativa
ao meu redor,

um lado girando para cá,
outro lado girando para lá,

e imaginá-la girando cada vez
mais rápido para cada direção,

e imaginar quem ou o que
o estiver visualizando ou

tentando influenciá-lo remotamente

sendo puxado para ela.

E aí segurar as duas extremidades e
puxar com força até estalar.

Isso dispara energia contra a
pessoa que

está vendo-o remotamente,
e provoca

o que eles chamam de
“dor de cabeça etérica”.

E pode provocar uma
dor de cabeça muito intensa,

entre outros problemas
por vários dias.

O delator, que
chamaremos de Daniel,

que me deu as
informações sobre Montauk

entre outras coisas, porque
alega ter trabalhado lá,

disse que, em um
momento, foi recrutado

para esse programa psíquico.

Alguém chegou para ele
na base

e perguntou “e aí, o que você
acha do ESP?”

De um jeito bem casual.

Mas depois continuou
“se estiver interessado,

podemos trazê-lo
para essa aula,

e você é pago porque
faz parte do seu serviço militar”.

E ele disse que havia
recrutadores nazistas também.

Tipo… “o que você
acha daqueles judeus?”

Essas coisas.

Os nazistas
testaram

a visão remota bem
antes dos russos.

Foi daí que eles tiraram a ideia,
depois da Operação

Paperclip, a versão russa.

Conhece essa
técnica de recrutamento,

onde alguém se aproxima

e começa uma conversa casual,
aleatória,

mas com um objetivo?

Sim.

Aconteceu comigo muitas vezes.

Quando se conhece a tática,
ela fica bem óbvia.

Eles se aproximam… é como
se testassem a água.

Colocam o dedo para
ver se a temperatura está boa.

Para ver se podem entrar.

Certo.

Vamos falar sobre outro
relato do Daniel.

Ele é levado para a sala
de um cara

chamado de Professor.

O Professor é careca,
com cabelos brancos nas laterais,

e usa óculos.

O Professor está lendo
um papel.

Olha para Daniel.

Faz perguntas.

E, enquanto as perguntas
são feitas,

perguntas aparentemente tediosas
de avaliação

psicológica, Daniel recebe
um ataque psíquico

tenebroso desse
Professor.

A dor em sua mente é
como um grito,

como unhas em um
quadro negro, metal triturado.

E ele me contou que se a pessoa
não perguntar “o que você está

fazendo” para esse cara,
ela não passa no teste.

Já ouviu algo assim?

Passei por
isso.

Sério?

Sim.

E o que
aconteceu?

Algo parecido?

Sim.

Conte-nos sobre isso.

Aconteceu
muitas, muitas vezes.

Você tem que ser capaz de identificar
não apenas uma outra pessoa

na sala, mas haverá
várias pessoas na sala,

e haverá um grupo
entrevistando-o

sobre um certo treinamento
pelo qual passou.

E você receberá aquele
mesmo tipo de estilhaço

em seu cérebro, como uma
dor, e saberá

que está sendo
atacado etericamente.

E você tem que
identificar o responsável.

E não é fácil quando se está em
uma sala com três, quatro,

seis pessoas, todas
altamente treinadas

para fazer isso.

Nesse caso,
ele disse que

se não reagir assim,
você não passa,

e não participa do
programa

psíquico.

Sim.

Mas, você
já está ali.

Sabe como é.

Certo, certo.

Outra coisa que ouvimos de
outro delatores

é que, infelizmente
como grande parte disso

vira magia negra e ocultismo,
as pessoas fazem pactos

com certos demônios ou
certas entidades que

se conectam ao sistema que
as defenderá

contra ataques de outros
visualizadores remotos

enquanto fazem o trabalho.

Você já ouviu falar em
algo desse tipo?

Sim, sim.

Sem dúvida, esses
praticantes sombrios

usarão o que chamam de
magia negra para convidar ou usar

conexões com entidades
para se protegerem

porque essas entidades,
conexões, podem ser

usadas para qualquer coisa.

E esse, com certeza,
pode ser um dos usos.

Vamos falar
um pouco mais sobre

a influência remota.

Você estava dizendo que
pessoas podem ser influenciadas

a ter certos pensamentos.

Certos
pensamentos

que levam a certas ações.

Digamos que há um senador
e que você quer muito

afetar a capacidade
de governar,

ou que está discutindo
uma pauta que

você não gosta.

Eles começam com um
perfil psicológico,

descobrem tendências,
coisas nas quais estão interessados,

e começam a influenciá-lo
remotamente e a fazer com que

ele faça coisas que
normalmente

não faria.

Muitas pessoas têm
pensamentos ou fantasias

que entram em suas
mentes momentaneamente,

mas elas nunca agem
com base nisso.

Mas isso faz com que ele ceda
um pouco nas áreas que

está mais propenso a agir.

E quanto maior a influência,
mais provável que

ele… quanto mais pessoas
trabalhando nisso,

mais provável que ele
cometa um erro

e se envolva em um escândalo
que acabe no jornal,

e que se distraia da
pauta em que estava trabalhando.

Quando vocês
leem T. Lobsang Rampa,

“Masters and Teachings of the
Far East,” você pode falar sobre…

Nem sei
dizer, mas… [RISOS]

Eles contam sobre
esses tibetanos

e que alguns deles estavam
praticando magia negra.

E o livro “Masters
of the Far East”,

descreve alguns desses… era uma
prática muito perigosa…

mas um método de assasstinato
onde eles carregariam

uma adaga com a energia
para que alguém…

eles colocavam a adaga perto do
lugar onde a pessoa costumava ficar

e aquela pessoa se sentiria
irresistivelmente tentada

a pegar a adaga e,
de fato, se matar

com ela.

Mas, ao que parece,
fazer isso é

extremamente perigoso, porque você
pode acabar pegando a adaga

e se matando com ela.

Você sabe de algo
tão extremo assim,

como carregar objetos
com intenção mágica?

Já ouvi falar de
pessoas

usando a consciência em
objetos inanimados,

mas não carregando um objeto para
alguém agir

se tocá-lo.

Vamos falar
um pouco de voodoo

porque isso
parece ser um

tipo de influência remota.

O básico que está
descrevendo é a mesma coisa.

Alguém cria um boneco que
é como uma representação sua,

e eles podem enfiar
agulhas nele,

e, aparentemente, parte disso
envolve o medo de ver o boneco.

Sim.

Um dos pontos-chave é o seu
alvo ver o boneco.

Porque, quando ele vê,
alguma coisa…

algo psicológico
acontece e também

ajuda a criar a experiência
para o praticante.

Grande parte do que está ocorrendo
está sendo criada

ou co-criada pelo alvo.

Você diria que
existe uma entidade

ligada ao boneco?

Que existe algum tipo de
presença espiritual que

é colocada no boneco e que
pode ser convidada a entrar em alguém

que olha para ele?

Isso pode ser
uma parte, mas

não é preciso ter uma
entidade envolvida.

Isso pode acontecer se
a pessoa cresceu nessa cultura

e tem uma forte
crença de que

há poder nesse objeto, esse boneco,
que está com agulhas agora,

e ela recebe uma
representação de si mesma

com agulhas em uma
certa parte, a mente

criará esses
problemas no corpo.

Então ela cria… ela manifesta
a magia que a pessoa

está tentando criar.

Claro.

O que você acha do
uso de escopolamina

nessa tradição voodoo?

Existe… antes de mais nada,
vamos só recapitular

o uso de escopolamina
nessas culturas voodoo.

O que sabe
sobre escopolamina?

O que ela faz?

A escopolamina
é repugnante.

Ela… acho que é uma
semente que cresce em uma planta,

e não me lembro do
nome da planta.

Datura.

Datura.

E acho que eles a trituram
e usam a polpa,

depois secam e
usam como um pó.

Mas ela basicamente
elimina o livre-arbítrio.

Ela costuma ser
usada em roubos.

Eles drogam a pessoa
em um bar… comum

na América do Sul…
e as pessoas,

depois que a droga faz efeito,
a pessoa que administrou

a droga diz
“me leve para sua casa

e me dê tudo o que
você tem”.

E ela, feliz, vai colocar a pessoa
no carro,

dirigir até a casa e ajudar a colocar
tudo o que tem

em um caminhão.

E a pessoa vai embora,
o efeito da droga vai passar,

e a vítima ficará
perplexa com o ocorrido.

Vamos analisar
melhor.

Você pode dar escopolamina
a alguém e lançar uma

maldição voodoo que ela não se
lembre conscientemente,

mas que fique
na mente delas?

Muito
do que acontece

é no nível subconsciente.

A informação pode ser
carregada no subconsciente,

de forma consciente, e eles não
terão ideia do que está acontecendo.

Isso poderia ser usado para
aumentar os efeitos.

Eles poderiam receber
sugestões pós-hipnóticas

sob efeito da escopolamina para que,
ao ver o boneco,

tivessem essa sugestão que
já os coloca

em certa direção.

Isso.

Nos programas, eles usavam uma
forma sintética da escopolamina

e um coquetel de outras
drogas quando

faziam tábula rasa química.

E podiam
plantar sugestões hipnóticas

também?

Sim.

Durante a tábula rasa, você perde a
memória de incidentes.

Eles também implantam
sugestões hipnóticas caso

você comece a se lembrar.

É como uma proteção
alternativa.

Quando eu estava
na escola,

havia… acho que passava na
Fox, assim que a Fox começou,

o canal.

Havia um programa chamado
“Friday the 13th”,

e não era nada baseado nos
filmes do Jason.

Toda semana, o programa
falava sobre esse homem mais velho

e sua bela
assistente,

que trabalhavam em uma
loja de antiguidades.

E não se tratavam de
antiguidades.

Eles estavam
coletando

esses objetos antigos e
estranhos que

eram carregados com algum tipo de
espírito, entidade ou

algo assim.

Então, toda semana um objeto
provocava assassinatos,

e eles tinham que
rastrear a entidade.

Ao que parece, se alguém faz um
programa baseado

nisso, e sabemos que
muitas coisas vazam,

essa ideia de objetos capazes de
influenciar pessoas remotamente

não é apenas uma teoria.

Podem existir objetos que
tenham algum tipo de

carga em si que cause
influência remota?

Como antiguidades,
ou até de

civilizações antigas,
coisas assim?

Sim.

Objetos podem
reter a energia

do ambiente.

Se forem carregados com um
certo tipo de energia,

eles podem reter aquilo até
serem neutralizados ou carregados

com uma energia diferente.

Assim, eles vão manter aquela energia e
emanar aquela energia

até serem neutralizados.

Estamos falando sobre
influência remota

e algumas das maneiras que
tradições antigas praticam isso,

e como ela pode ter sido
incorporada e modernizada

nesses programas secretos que
estamos discutindo.

Agora, vamos voltar a falar sobre
visão remota,

para encerrarmos esse episódio com
algo mais positivo.

Quais são alguns
dos exemplos, alguns

dos mais dramáticos e
surpreendentes,

que você viu pessoalmente de
visão remota bem-sucedida?

Eu não acho
tão positivo,

mas já li relatórios
de instalações ou bases

de não-terrestres que estávamos
planejando atacar ou fazer

infiltração/extração, e que
nunca tínhamos visto ou

ouvido falar.

Eles faziam com que vários
visualizadores remotos vissem o local

para obter um layout físico
do lugar,

e os operadores usavam isso
para construir uma réplica

e praticar o ataque.

E acabava sendo praticamente
igual ao layout

que recebiam quando
chegavam

no local.

E isso foi crucial para
o sucesso da operação.

Qual foi a experiência
pessoal mais chocante

de visão remota que
você já teve?

Humm.

Uma delas eu coloquei no meu site,
deve ter sido em 1989.

Recebi a tarefa de
fazer uma visão remota

e acabou que a Estrela Nêmesis,
acredito,

era o meu alvo.

Eu me vi… quando
percebi que era uma estrela,

notei que estava
fora do nosso sistema solar,

olhando para ele,

e nosso sistema solar parecia
uma lua crescente,

quase como um cometa.

E eu podia sentir os
ventos interestelares.

Senti como se fosse um
caramelo sendo retorcido.

E eu consegui…
foi simplesmente…

foi uma das experiências
mais vívidas que tive.

E eu descrevi tudo
com bastante detalhe.

Você também
falou

sobre essa ideia de um
flash solar que apareceu para você

em uma visão remota.

Sim.

Acho que seria
bom ouvir

a história no
contexto de tudo o que

temos discutido.

Sim.

Já faz um tempo, então não
me lembro de todos os detalhes.

Mas, sim, foi uma
visão remota de…

havia seres no céu,
e eles estavam apontando para baixo.

E sempre que apontavam,

algo estava
acontecendo, e eu estava

fazendo visão remota na Terra.

E quase no fim da
visualização,

veio um flash do sol,

flash, flash,
flash, flash, flash.

E, depois disso…
na visão remota,

todas as pessoas da
Terra se reuniram

e começaram a dar as mãos e
cantar, e estavam muito felizes.

E vi todas essas
pessoas negativas

como se
estivessem caindo

para trás, mas desaparecendo.

Como se caíssem para fora
da Terra e desaparecessem.

E não
fazia ideia

do que veria
quando isso aconteceu.

Não.

Isso corroborava com
outros dados de visão remota

que eles tinham?

Eu não era informado.

Geralmente, você dá a
informação e pronto.

Você não recebe feedback.

O que pode ser muito
frustrante, porque

você quer uma validação para
poder desenvolver confiança.

Mas quando você chega a
um certo ponto,

onde já é proficiente,
você não

recebe validação constante.

Você só faz o trabalho.
Eles passam o alvo.

Você se encarrega do alvo.

Eles pegam a
informação, e você

passa para o próximo alvo.

Mas outras pessoas
comentaram sobre esse flash

em outros
contextos, talvez não…

Isso.

Eu ouvi falar de algumas pessoas
fazendo visualização…

algumas pessoas viram, e
viram a Terra

sendo destruída por fogo.

Algumas viram…
pessoas diferentes

estavam vendo coisas diferentes.

Eu sei disso.

Mas não sei de
todos os detalhes.

Mas acho que estavam
tentando descobrir quando

e o que aconteceria
com o sol.

Mas sua visão
tem quase um conotação de

arrebatamento cristão.

Ascensão.

Sim.

E eles conheciam meu
passado e tudo mais.

Então, abordaram a
informação com um “OK”.

Esse é o perfil dele.

Assim que foi criado.

Esse é o sistema de crenças dele.

Isso vai afetar os
dados dessa maneira.

E eles vão tentar
extrair os dados brutos

que estão procurando e que
servem de alerta.

Você acha que
pessoas distintas podem

estar em cronologias
distintas, onde

passam por experiências que ocorrem
de maneira diferente?

Sim, mas
é especulação

até o momento ocorrer.

Certo.

Claro.

Muito bem.

Vocês ouviram aqui.

A visão remota de
outro ótimo episódio.

Esse é o
”Revelação Cósmica”.

Sou seu apresentador,
David Wilcock.

Até a próxima.

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO
COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments