David Adair, revelação cósmica temporada 20

S20E08 Viagens Interstelares ~ EUA: uma deslocação por buraco negro

Partilhar no Facebook

Como é que os extraterrestres atravessam as vastas distâncias do espaço interestelar sem violar a física Einsteiniana?
De acordo com David Adair, não o fazem. Em vez disso, fazem uso de uma lacuna desconhecida que os físicos teóricos estão agora mesmo a descobrir.
Como parte desta discussão das viagens interestelares, exploramos vários métodos para alimentar as naves espaciais.
David partilha o que sabe do seu próprio trabalho e especula sobre o que as civilizações avançadas podem estar a usar para alimentar as suas naves espaciais.

S20E08 Viagens Interstelares (Revelação Cósmica ~ David Adair)
S20E08 Interstellar Travel (Cosmic Disclosure)

revelação cósmica temporada 20 episódio 8

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO

EPISÓDIO TRANSCRITO – arranjo por Renato Suffert

p a r a  v e r  o  v í d e o  c o m  l e g e n d a s  e m  p o r t u g u ê s   f a ç a   l o g i n  (e s t á  n o  f i n a l  d o  a r t i g o)

-Hoje, em “Revelação Cósmica”, recebemos David Adair, consultor de transferência de tecnologia espacial, técnico de motores a jato da Marinha dos EUA, pesquisador de campo do Escritório de Inteligência Naval e muito mais. David, bem-vindo ao programa!

David Adair / Emery Smith

[D.A.] Obrigado por me receber.

-Em episódios anteriores de “Revelação Cósmica”, você falou sobre tecnologias extraterrestres. Poderia falar um pouco mais sobre o que são essas tecnologias e como funcionam?

[D.A.] Uma das melhores maneiras de definir essa tecnologia para as pessoas poderem se relacionar, já que você não tem uma nave espacial parada no quintal, é o que as pessoas observam: os OVNIs. Essa é a coisa mais comum em que consigo pensar.
E dirão que eles piscam, piscam e aparecem aqui, e piscam de novo. Na verdade, eles não estão piscando, eles estão se movendo. Mas estão se movendo tão rápido que você não consegue ver.
Eles estão indo do ponto A ao ponto B, mas o espaço que existe entre eles, eles não estão realmente passando por ele. Eles estão apenas passando por uma pequena parte dele, porque eles puxaram esse espaço para eles. E eles saltam por cima e piscam aqui.
Quando apagam e acendem, eles já fizeram a transição. E eles passaram por cima. Mas, de horizonte a horizonte, não estamos falando de tantos quilômetros. Bem, pode ser mil quilômetros. Mas, no nível do espaço, você precisa viajar bilhões de quilômetros.
Esse piscar seria uma coisa muito útil. Mas você poderia saltar quadrantes inteiros do espaço em apenas alguns segundos.
E eles podem fazer isso porque… Uma unidade em que trabalhei, e sei que ela funciona, e está em minha posse, quando você constrói e estabiliza a esfera… Essa é a palavra-chave: estabilizar.
Depois de estabilizar o campo magnético, você pode detonar uma reação em cadeia dentro dela, uma bomba de hidrogênio, e contê-la. E as pessoas dirão que nada pode conter a fúria de uma bomba de hidrogênio dentro de algo. Não, não é material.
São campos eletromagnéticos em um nível tão intenso que nem mesmo uma reação em cadeia nuclear o afetará. E dirão que tal coisa não existe, que isso é impossível. Bem, o que você acha que um buraco negro faz? Ele suga um sol. E o que é o sol?
Milhões de bombas de hidrogênio explodindo, continuamente, simultaneamente, em todo o planeta. E está queimando o combustível do planeta. E está tentando explodir. A massa gravitacional do sol o está puxando de volta.
Então, ele explode, puxa, explode, até que esteja estabilizado e se aproxime de um sol escaldante. Certo? Um buraco negro pode surgir próximo a essa coisa, sugá-la para seu horizonte de eventos, a abertura, e esse sol desaparece.
E você poderia colocar 100 milhões de Terras dentro de um desses sóis. E o sol simplesmente se esvai. Ele some no horizonte de eventos, nunca mais é visto. Para onde ele vai? Não sabemos. Só temos teorias.

S17E06 Se dobrarmos o espaço podemos chegar em 6mn à galáxia de Andrómeda

-Então, você pode conter essa energia, é o que está dizendo?

[D.A.] Isso mesmo.

-E você também pode extrair a energia quando precisar dela?

[D.A.] Sim. Mas esse é um ponto complicado. Você tem essa fúria lá dentro. Você não quer estourar o balão, o campo de contenção, ou será muito desconfortável para todos. Portanto, há uma maneira de canalizar, extrair através de um feixe de plasma que desce pela linha da vela.
E quando você chega a um ponto focal, você pode usar um laser para abrir o diâmetro. E você pode reduzir para um diâmetro menor do que um fio de cabelo humano, que é quase onde você quer estar.
Porque você não quer abrir muito de um buraco com a fúria de um sol inteiro rugindo dentro. Porque, na física newtoniana, quando algo passa pela saída, há uma reação igual e oposta. Então, dá para ver que medição e contenção são muito complicadas.
Mas, quando consegue contê-la corretamente, existem várias maneiras de usar a energia. Essa coisa que eu construí não era nem mesmo… Nem cheguei à primeira fase. Eu estava na metade do caminho para a primeira fase. Eu precisava conter o campo. Então, eles o pegaram.

-Quem são eles?

[D.A.] Bem, eles seriam a Força Aérea dos EUA, a CIA, quem quer que esteja nessa horrível sopa de letrinhas. Mas o que queriam com isso era a velocidade em um plano da física newtoniana, ir do ponto A ao ponto B em um foco linear.

-David, de onde você tirou isso?

[D.A.] Aprendi com o motor e a matemática. O que estou fazendo é… Veja bem, esse tipo de matemática não é como se você estivesse multiplicando, somando, subtraindo, dividindo. É a mecânica diferencial da física quântica.
E está em um nível em que, se você tiver sorte o suficiente e tiver células cerebrais suficientes, você pode seguir a matemática. Você não conduz a matemática a lugar nenhum. Ela a conduz. Então, eu estava seguindo a matemática e algumas coisas começaram a aparecer.
E eu disse: “Meu Deus, há momentum angular nisso.” Eu nem pensei sobre isso. Eu só estava tentando obter um campo de contenção. Bem, que tipo de momentum angular valeria alguma coisa? Bem, na matemática, quando o campo estava contido, eu percebi algo.
E o conjunto de algoritmos e matemática me mostrou. Eu disse: “Meu Deus! É um…” Eu fiz uma piada com eles. “De Volta para o Futuro”. É um capacitor de fluxo!

-É um capacitor de fluxo.

[D.A.] Não, é um amortecedor de inércia. E o que há de tão empolgante nisso? Deixe-me pedir ao Pernalonga para me ajudar a explicar isso: Lembra de quando éramos crianças e assistíamos desenhos animados? O Pernalonga brincava com seu amigo.
Ele ficou sem combustível e voltou para a Terra. O velocímetro rodava como louco. As asas foram arrancadas. Ele virou apenas um dardo. E eles gritavam que todos iriam morrer. Bem, eles vão. Eles vão bater.
E pouco antes de bater, Pernalonga abre a porta e pega todos os amigos e os coloca do lado de fora, e o avião cai. Mas isso é um desenho animado. Não, não é. Isso é realidade. Isso pode acontecer.
E isso pode acontecer por meio de um amortecedor de inércia a partir deste dispositivo. Porque o que pode fazer… Ele tem a capacidade de bloquear todas as forças newtonianas com as quais temos que lidar.

-Então, você está em seu próprio campo eletromagnético?

[D.A.] O campo está em seu próprio campo.

-Certo, é auto-contido.

[D.A.] É um campo dentro de um campo. E isso muda tudo. Vamos responder a uma pergunta. Aí vem um OVNI a 8.000 km/h. Ele faz uma curva de 90 graus. Ele está em seu próprio campo. Bem, vai acontecer algo com o que estiver lá dentro. Se for orgânico, vai virar sopa.
Não vai sobrar nada. Vai ser completamente esmagado pelas forças gravitacionais envolvidas. No entanto, com um amortecedor de inércia, como eu encontrei no meu, você tem um campo secundário. O campo primário, a fase um, mantém a potência do motor.
O campo secundário pode ir para fora da espaçonave ou se estender até a cabine. Você coloca um campo secundário em torno da cabine. Bem, o que há de bom nisso? Eles não sentem nenhum impulso, inércia, cinética, nada.
Toda a física newtoniana é anulada. Vai a 8.000 km/h, faz uma curva de 90 graus, e eles nem mesmo sentem. Essa é a única maneira de se fazer isso.
Portanto, quando você vê uma nave fazendo isso, isso é um dispositivo de contenção por fusão eletromagnética, ou é algo muito parecido com isso. Mas você tem que ter isso com esses campos secundários. E o amortecedor de inércia era algo que eu nem estava procurando.

-Você está dizendo que construiu um dispositivo antigravidade que realmente funciona?

[D.A.] Não é realmente um dispositivo antigravidade, não da maneira que as outras pessoas têm feito. Essa coisa é apenas um campo de eco do campo de contenção original.
Mas, dentro desse campo secundário, removi toda a inércia. Isso é muito legal, porque eu não esperava que isso acontecesse.

-E que campo é esse? Como você classificaria esse campo?

[D.A.] Um amortecedor de inércia. Esse seria o nome. É isso o que ele faz. Ele interrompe todos os movimentos da física newtoniana, energia cinética, inércia, impulso.

-E que tipo de energia alimenta isso, David?

[D.A.] Eu cheguei a isso quando obtive um campo magnético sustentado, então criei uma reação em cadeia nuclear, na qual usei dois isótopos diferentes para obter esse efeito de aniquilação, que sempre foi um momento interessante.

-Tenho certeza.

[D.A.] Eu não queria dizer às pessoas ao meu redor que, se isso não funcionasse, nós e cerca de metade do estado desapareceriam. Não me incomodei em contar a ninguém, mas não tivemos contratempos. E eu tinha bastante certeza da matemática.
E a habilidade de saltar que essa coisa tinha foi mais do que eu esperava. O que eles queriam de mim era uma unidade de propulsão. Eles só queriam ir muito rápido. Eles estão em busca de uma arma nuclear de primeiro ataque.
Bem, o primeiro protótipo que lançamos de White Sands, ele cobriu 200 km em 3,2 segundos, creio. Mas imagine algo cobrindo 200 km em 3 segundos. Acha que seria uma boa arma de primeiro ataque? Pode crer. Eles a viram e queriam.

-É instantâneo.

[D.A.] Sim. Então, pegaram o design do motor, eu e tudo mais. E era tudo o que queriam. Nada. Espere um minuto. É como tomar banho com uma capa de chuva. Você não está aproveitando tudo. Essa é apenas metade de uma fase, e existem quatro fases.
A segunda fase fica muito boa. É aí que vamos começar a mexer no amortecedor de inércia. E a terceira fase é quando nós…

S17E02 Construção e Destruição do Pitholem (Revelação Cósmica)

-Espera, isso foi sem o amortecedor inercial?

[D.A.] Sim.

-E estava indo tão rápido assim?

[D.A.] Sim. Sim.

-Nossa!

[D.A.] Isso é o que acontece nesses tipos de velocidades e contenções.

-E o dispositivo não se despedaçou?

[D.A.] Não. Vou lhe dizer o que aconteceu. Ficou quente. Sabe quando algo faz uma reentrada a 8.000 km/h? Essa coisa já estava quente assim na subida. Estava quente assim. O ar não conseguia sair da frente rápido o suficiente. E eu vi que estava muito quente na subida.
Estava muito mais frio na volta, porque se usa pára-quedas. Mas eu sabia que haveria atrito com o ar, mas eu não sabia quanto. Quando estava saindo da plataforma, parecia apenas uma faixa de metal sendo atirada para o espaço.
Nem dava para ver. E, cara, com certeza senti isso. E é nesse ponto que todos deixam passar algo. E tenho uma pergunta sobre isso. Você não gostaria de saber como é o som de um motor de contenção por fusão eletromagnética?

-Com certeza.

[D.A.] Ninguém nunca ouviu o som desse motor, exceto eu e um punhado de pessoas em White Sands.

-Como é o som?

[D.A.] É como… Pense no soprano mais estridente que você já ouviu. E parecia um grito na subida.

-OVNIs e veículos extraterrestres utilizam essa tecnologia?

[D.A.] Uma forma dessa tecnologia. Lembre-se, estou em um foguete, então sou um tubo. Subo como uma flecha. Eles são circulares. Eles são esferoides. Eles são circulares. Então, vai funcionar muito mais fácil para eles, porque eles são circulares.
Serão os campos de contenção deles. Seria o mais lógico com o motor bem no centro, porque tudo é circular. Os campos internos e externos, tudo segue uma proporção semelhante chamada de Mobius do Design. Então, um OVNI teria essa coisa zumbindo.
É por isso que veem um brilho, ou às vezes o ouvem. Dizem que as pessoas ouvem um zumbido ou sentem algo. Sim. Porque, cara, essa coisa é… Está em marcha lenta na velocidade da luz.
É algo como: “Cadê seu veículo?” “Parado ali.” “Está em marcha lenta.” “Sim, mas está em marcha lenta na velocidade da luz.” É isso. Não dá nem para calcular em cavalos de força.

-Não.

[D.A.] Não pode ser feito. Há o poder de um sol lá dentro, e ele está contido. Mas quando você usa esse poder, há muitas maneiras diferentes de se fazer isso. E é aí que fica interessante.
Eu escolhi a rota de contenção por fusão eletromagnética, porque eles podem controlar melhor e mais facilmente. E eu entendo o suficiente disso por meio da física newtoniana. Mas e se mudassem e passassem a funcionar com frequências?
E se travassem em algum tipo de frequência em um planeta e usassem vetores que voam de planeta em planeta? Poderiam ter todos os tipos de coisas lá dentro.

-Bem, até o fato da viagem no tempo. Quero dizer, muitos cientistas postulam que essas naves somos nós do futuro. E há algum tipo de viagem no tempo envolvido nisso. Se está indo nessas velocidades, deixando nosso sistema, ou indo e voltando, o que você acha disso?

S17E04 Porque Eles Estão Aqui ~ A Lua não é o que pensamos

[D.A.] Você vai ter dificuldade em ver para onde está indo, porque você ultrapassou seus próprios faróis! Rá! Não sei. Existe o efeito de viagem no tempo. Cara, isso é outro mundo em si!
Mas com esse tipo de tecnologia da qual estou falando, você tem o poder de distorcer o espaço. Você terá poder para distorcer o tempo. E com a manipulação do tempo com essa coisa, você teria ambos, tempo e distância. E se você controlar esses dois?
Não há lugar do universo para onde não pudesse ir, em um tempo relativamente curto, um tempo relativo que não levaria 200 milhões de anos para chegar até lá. Chegarei lá em dois minutos. E isso seria possível. Mas eu só posso imaginar, pois aqui eu tenho…

-Porque você voltou na mesma hora… que você saiu.

[D.A.] Sim. Bem, agora você obtém um contínuo de movimento no tempo. E eu serei o primeiro a te dizer, não sou a lâmpada mais brilhante da caixa. Esse é um conceito muito difícil de lidar.
Em um mundo tridimensional realista, a maioria dos meus colegas não iria nem mesmo aventar a ideia de isso ser real. Eu, pelo menos, vou tentar postular como se faria algumas dessas coisas. Mas temos muitos itens faltando que não sabemos.

-Não! É claro. O que você acha do que está acontecendo nas notícias, e que as pessoas estão dizendo por aí, sobre esses fenômenos aéreos não identificados? Vimos alguns vídeos nos noticiários. As pessoas estão falando sobre isso. Você acha que somos nós, ou é extraterrestre?

UFO Tic-Tac

Unidentified ~ a série Ufológica do ano (2019)

[D.A.] Acho que são os dois. Algumas das coisas que vi… Não foram muitas. Mas eu vi um dispositivo… Dois deles, na verdade. Eles estavam voando. E eu os vi por pura sorte. Eu estava à beira de uma piscina. E o sol havia acabado de se pôr atrás de um prédio.
E toda a bola do sol foi bloqueada, mas dava para ver a corona perfeitamente. Pensei: “Nossa, olha isso.” “Dá para ver a corona do sol sem ficar cego!” Assim que eu disse isso, entrando na corona, vi algo se solidificando. E o que estava atrás ainda era transparente.
À medida que avançou para a corona, se firmou, consolidando-se em algo visível. E parecia uma ponta de flecha voadora, com pequenas protuberâncias. Então, saiu em disparada uns dois segundos depois. Surgiu outro logo abaixo e fez a mesma coisa.
E quando saiu da corona, começou a desaparecer. E quando estava fora da corona, não dava mais para ver. Sumiu. De onde eu estava, vi para onde aquelas duas coisas seguiam, e estavam indo direto para a Área 51. Eu acredito que fomos nós.
Acho que éramos nós em algum tipo de tecnologia de engenharia reversa, seja o que for. Mas foi pura sorte eu vê-la na corona do sol. E lembro-me do que vi. E pareciam pontas de flechas voadoras. Então, um dia, eu estava procurando na internet. E havia uma fotografia.
Alguém filmou do avião. E as coisas não eram horizontais. Elas eram verticais. E havia quatro ou cinco delas. E é a mesma coisa que eu vi. Lembrei-me das protuberâncias. Então, eu não sei. Mas, cara, aquelas coisas eram rápidas.
Elas usam um sistema de propulsão linear, porque tinham pequenas entradas nas laterais, e deu para ver uma pequena chama. E elas foram embora tão rápido que nem deu para vê-las. Mas esse é um dispositivo de propulsão linear.
Então, acho que haveria vários dispositivos de propulsão em naves como essas. Dá para usar uma delas no espaço profundo. E esses são os grandes motores primários. E você coloca a marcha e vai, envolve o espaço ao seu redor, salta pelas dimensões, seja o que for.
Quando você entra em um planeta, você usa a versão reduzida. Mas essa versão reduzida ainda está séculos à nossa frente.

-A seu ver, o que você acredita que eram aquelas naves? Eram nossas? Eram extraterrestres? São veículos de reprodução alienígena?

[D.A.] Acho que são todas essas opções. Alguns desses veículos… Eu poderia dizer que eles têm propulsão linear com um dispositivo de camuflagem. Essa é basicamente a nossa tecnologia. Foi revertida. Nós a roubamos ou seja o que foi. Foi trocada por outra coisa.
Então, há um nível que vai além da física newtoniana. Isso está mais para o meu motor ou outros motores semelhantes. E há outros que estão se movendo com algo que nem sei por onde começar. E essas seriam tecnologias extraterrestres.
E somos deficientes, porque estou trabalhando com uma enciclopédia com essa quantidade de volumes. E a enciclopédia pode ir daqui até a parede, em volumes que ainda não tenho. E os cientistas me lá levam às vezes.
Eles são muito inteligentes e podem ser muito limitados ao mesmo tempo. Eles olharão e me dirão o código atômico. E é isso. A tabela de códigos atômicos que temos serve para todo o Universo. Eu disse: “Filho, você não poderia estar mais errado”.
Eu disse que isso pode ser 1% do que está acontecendo lá fora. Nós não sabemos. Estamos tão longe, aqui no fundo da galáxia, que não sabemos o que está acontecendo lá no centro, a atividade do núcleo. E eles podem ter centenas de formas de energia que nem mesmo temos.
A NASA sempre parece ter tesão para veículos de ação-reação. E eles têm 73 desses designs. Nós só vimos dois, combustível líquido e propelente sólido. Bem, há todos esses outros para escolher, então não sabemos.

-Os buracos negros são usados ​​para viagem espacial entre as civilizações extraterrestres?

[D.A.] Com nossa tecnologia, não. Mas, com a deles, poderia ser. Essa seria uma ótima escolha. Porque, veja, temos buracos negros do nosso lado da galáxia. E vemos matéria entrando neles o tempo todo, facilmente suga um sol ou planeta, e ele desaparece. E para onde vai?
Bem, o velho Hawkins tinha uma boa ideia. Ele disse que tudo que é consumido nessa ponta de nossa galáxia por um buraco negro desce pela singularidade, e ela cospe tudo na outra ponta da galáxia. Toda essa matéria é expelida do que se conhece como quasar.
Mas temos quasares aqui do nosso lado. Então, o que ele está dizendo é que esses túneis de buraco negro, em uma extremidade, será um buraco negro, e na outra extremidade do mesmo túnel seria um quasar expelindo.
E há quasares que observamos o tempo todo. A matéria continua chegando. Quero dizer, matéria com a qual se pode criar planetas inteiros. É contínuo. Nunca para. De onde isso vem? Pode ser um buraco negro do outro lado, sugando tudo.
E se pudesse dobrar o tempo ao passar por essas coisas, então você teria o lendário portal estelar. Você viajaria pelo buraco de minhoca. O problema é que essas coisas são muito instáveis. Elas se rompem, entram em colapso, se movem. E você não sabe onde vão aparecer em seguida.
É aí que o meu foi útil. Porque quando usa o meu, você o constrói estacionário. É estável. Assim, você sempre sabe onde o seu buraco negro está. Você o controla. E suponho que nunca deixei o meu solto por razões óbvias.
Mas o meu seria comparado a um mini buraco negro. Certamente não houve um horizonte de eventos, pois teria engolido um sol ou planeta inteiro.

-Então, não poderia engolir a Terra?

[D.A.] Na verdade, poderia.

-Sim. E quanto ao sistema solar?

[D.A.] Depende de quando para. Ele poderia simplesmente continuar. Poderia ser péssimo.

-Você vai colocar uma chave de liga/desliga nisso, Dave?

[D.A.] Não nessa coisa. Mas se for como a matemática me diz, não vai ficar por conta própria e sugar a Terra, se os campos… Os campos estão ajustados em uma posição à prova de falhas. Se você não sabe disso, nossas armas nucleares têm um sistema de segurança contra falhas.
Eu tenho uma maneira para essa coisa se desconectar além da velocidade da luz. Está em quarks. E também se referem a eles como táquions.

Taquiões

-Táquions! Sim! Uma das menores partículas!

[D.A.] Sim, tenho uma chave de táquions, mais velozes do que a velocidade da luz. Porque, acredite em mim, você quer chegar antes de alguém ligar essa coisa. Porque não será um evento divertido.
Você não quer estar próximo a um mini buraco negro se ele explodir. Pode dizer a palavra “muito”. É tudo menos “muito” em potência.

-Certo. Como os táquions neutralizam isso? Porque somos bombardeados por eles todos os dias. Eles são partículas minúsculas passando por nós, mesmo agora enquanto conversamos.

[D.A.] Sim. Veja bem, a maneira como lidamos com isso… Você entra em uma área chamada mecânica quântica. E as pessoas usam muito esse termo em algumas das convenções…

-Minha nossa…

[D.A.] Gente, vocês não sabem o que dizem! Prestem atenção à palavra “quântica”. O que significa? Pequeno. Mas vocês não sabem o quanto é pequeno, quando falo que é “pequeno”.

-Eu sei. Exato.

[D.A.] Então… isso é um pouco demorado, mas é algo muito interessante: as pessoas usam esses termos o tempo todo, mas todos vocês simplesmente não entendem direito.
Como o buraco negro se forma? De onde eles vêm? Bem, essa é uma boa pergunta. A maneira como um buraco negro é formado… você tem… vamos começar com os sóis. Você tem uma gigante azul, uma estrela amarela média e uma anã vermelha, certo?
Nosso sol é uma estrela amarela média. Gigantes azuis – e você tem que ver uma dessas! Você poderia colocar 100 milhões de sóis em uma dessas!

-Exato.

[D.A.] Vejamos o diâmetro de um sol médio. O diâmetro dos Estados Unidos é de cerca de 5.000 km. Bem, o diâmetro do nosso sol tem mais de 800.000 km, quase 1 milhão de km de diâmetro. Isso é muito grande, considerando que a Terra tem apenas o quê?
Uma circunferência de 40.000 km. Então, você tem quase 1 milhão de km. Imagine o peso dessa massa. Bem, está estabilizado, porque explode no ponto em que a gravidade puxa de volta. Está estabilizado. Mas a gravidade sempre vence.
Quando o combustível queima, ele começa a entrar em colapso. E ele entrará em colapso e encolherá. A massa gravitacional o espreme, e ele acaba do tamanho de uma bola de basquete. Mas é aqui que fica incompreensível.

-É a mesma massa.

[D.A.] Pesa tanto quanto quando tinha quase 1 milhão de km de diâmetro.

-Exatamente.

[D.A.] Agora, imagine como essa bola de basquete é pesada! Então, reduz para o tamanho de uma bola de gude, e ainda pesa tanto quanto quando tinha quase 1 milhão de km de diâmetro. Essa bola de gude é tão pesada que, se a deixasse cair, ela atravessaria a Terra.
O campo gravitacional a puxaria de volta. E continuaria até destruir a Terra, até que a Terra parecesse ter passado por uma trituradora de papel. Isso é física quântica. Mas ainda não terminamos. É aqui que os físicos simplesmente se levantam e saem. Vai ficar menor.
Vai ficar do tamanho de uma jujuba, depois de um grão de areia. E vai encolher tanto, ao ponto de você nem conseguir ver. E quando chega a um ponto em que não pode mais ser visto, então que se torna a coisa mais poderosa do Universo. Agora é um buraco negro. E o que ele faz é…

-Menor que um táquion?

[D.A.] Sim! Na verdade, deixe-me considerar o tamanho dessa tabela. Vamos pegar um átomo. Cortamos o átomo. Tiramos os elétrons, prótons, nêutrons, tudo para fora dele. Ficamos com o núcleo. Cortamos o núcleo. Entramos nele. O que você encontra? Quarks.
Então, vamos pegar um quark, cortá-lo e entrar nele. O que há dentro do quark? Cordas. E não conseguimos ir além de uma corda. Achamos que é isso. E é aí que começa a Teoria das Cordas, o que explica tudo.
E o que Einstein mais gostava de fazer enquanto pensava… Lembre-se, ele tinha um violino. Ele era violinista, com cordas bem embaixo do queixo. E, subconscientemente, ele sabia. Com o violino, ele estava no caminho certo. Tudo isso está acontecendo.
E quando fica tão pequeno a ponto de não mais existir, é quando os físicos vão embora e o pessoal da física quântica entra. E pessoal da física quântica diz: “Certo, estamos agora em um estado de singularidade.” E temos o horizonte de eventos, temos um tubo comprido.
Não sabemos o que há do outro lado. Achamos que é um quasar. E essa coisa agora se forma. Ela flutua no espaço. E é como um elástico. Você puxa e solta, e ele chicoteia. E quando parar de balançar, é onde fica. E eles estão por todo o lugar lá fora.
Enquanto estive falando com você por uma hora, você em sua casa assistindo a isso, a cidade em que fica sua casa, o estado, o país, o planeta se moveu 160.000 km através do espaço linear. E se o planeta, um dia, cruzasse o caminho de um mini buraco negro?
Achamos que isso aconteceu. Houve um caso de uma senhora e sua filha, em um casebre. Uma luz brilhante apareceu. E ela estava em uma casa pequena. A filhinha dela se aproximou da luz brilhante, achando que era linda. E qualquer mãe correria atrás de seu filho. Ela a agarra.
E quando elas chegam ao outro lado, elas estão em um dormitório na Universidade de Toronto, no Canadá. Foram de Chicago a Toronto em um segundo. Os alunos de lá chamaram a polícia. Eles prenderam a pobre mulher. Eles ouviram a história dela.
E disseram que começaram a rastrear ônibus, aviões, trens, qualquer meio que ela poderia ter chegado lá. Nada. Eles não encontraram nada. Eles vasculharam a vizinhança. E os vizinhos viram, em uma hora, que ela estava bem ali em sua casa.
Os vizinhos juraram por Deus que ela estava lá. “Acabei de falar com ela.” Segundos depois, ela está em Toronto, Canadá. Algo aconteceu. Bem, você tem que pesquisar a história. E você descobre que a casa não está mais lá, apenas uma laje.
Há uma grande cerca de arame em torno dela com os dizeres “Propriedade do Governo dos Estados Unidos”. E a mulher sumiu. A criança sumiu. Não sabem de nada. Provavelmente está em um plano de proteção a testemunhas.
Bem, acho que ela tinha entrado em um buraco negro. Ela teve muita sorte de não ter parado em um sol ou em outro planeta sem atmosfera. Ela e a filha não teriam se dado muito bem lá.

-Ela simplesmente apareceu na frente dos alunos?

[D.A.] Sim, apareceu uma luz brilhante e lá estava ela. Essa era a outra extremidade do túnel. Felizmente, era muito pequeno. E a Terra provavelmente passou por ele. Ouvimos inúmeras vezes sobre pessoas desaparecendo bem na frente das outras pessoas.
Eu acho que podem ser esses buracos de minhoca translúcidos que atravessam a Terra e atingem as pessoas no momento certo, e elas somem. E achamos que elas podem ter ido para outra dimensão. É possível. Não sei. Os buracos de minhoca podem viajar através de dimensões.

-Existe uma maneira de uma nave ser feita para projetar esses buracos negros, a fim de viajar através deles?

[D.A.] Com certeza. Com certeza. Eu tenho batido nas portas. Pode imaginar uma grande instituição, com bilhões de dólares, indo em frente com isso? Eu sei como posso conduzi-las. Mas, com certeza, você poderia projetar uma nave assim.
Seria construída para nada além de viagens no tempo. Ou você poderia ter uma nave projetada para nada além de saltos de longa distância pela galáxia.

-E se temos essa tecnologia, por que ainda está sendo mantida em segredo, David?

[D.A.] Sim, eu pensei sobre isso. Eu pensei: “Não posso ser a pessoa mais inteligente a descobrir isso.” Existem outras pessoas.

-Claro.

[D.A.] Ou elas foram suprimidas, ou elas foram seduzidas. Eles vão oferecer cenouras ou um pau, o que funcionar melhor. Mas acho que a tecnologia foi restringida e controlada, caso contrário teríamos visto outras coisas construídas a partir dessas coisas.
E eu estive em meu próprio mundo e mantive minha própria contenção. Então, eu nunca fui uma ameaça, apenas o fato de que existo. Mas sou como um pedaço de fita adesiva, você não consegue desgrudá-la de você. Eu ainda estou aqui. Faço isso há mais de 50 anos e ainda estou aqui.

-Eu fui visitado por eles. “Sr. Smith, o que está fazendo aqui?” “É melhor você não ensinar ninguém sobre isso.” “Sabemos o que você está fazendo.” “Não compartilhe com ninguém.” “Não o conecte à rede, porque estamos observando.”
“Foi apenas um tipo de ameaça, mas ainda precisamos de você para outra coisa mais tarde.”

[D.A.] Sim, mas comigo não é assim. Eu só recebo ligações. “Você vai nos ajudar com essa coisa aqui?”

-Ótimo.

[D.A.] E eu respondo que sim. Mas eu sempre fui um bom marinheiro, e me mantive controlado. Mas você está certo. Eles também não querem me perder de vista.

-Certo. Não.

[D.A.] Se eu quiser visitar algum país, precisa ver o que acontece com isso.

-Você é um ativo.

[D.A.] Cara, todas essas bandeiras erguidas em todos os lugares.

-Bem, se temos essa habilidade de criar naves usando propulsão antigravitacional, como você vê isso mudando o mundo, se é que muda?

[D.A.] Meu Deus, seria como em 1860! Eu iria até você e diria: “Ei, acabamos de inventar a eletricidade! Você acha que isso vai mudar alguma coisa?”

-Tudo muda.

[D.A.] Tudo vai mudar! Essa tecnologia seria tão inacreditável! E iniciaria uma reação em cadeia em outras tecnologias.

-Onde você nos vê no futuro, com essa tecnologia chegando para as massas?

[D.A.] Se pudéssemos pegá-la e levá-la para as massas, seria como “Star Trek” de Roddenberry. É onde estaríamos, em algum daqueles planetas de “Star Wars”. Teríamos todos os tipos de capacidades. E quando começa a percorrer esse caminho, vai ter muitas coisas chegando.
As pessoas vão querer negociar com você. “Ei, eu tenho essas pedras engraçadas aqui.” “Eles as chamam de cristais de dilítio.” “Veja se pode fazer algo com isso.” Algo assim aconteceria. Tudo mudaria. Mas vou te dizer o que realmente mudaria… a área médica.
Essa seria uma das maiores mudanças de todas. E poderia fazer isso simplesmente construindo um hospital espacial. E o que haveria ao lado do hospital espacial? Uma fábrica espacial de produtos farmacêuticos.
Os produtos farmacêuticos que poderiam ser feitos lá fora são inimagináveis! Eu sei. Eu vi. Tive vislumbres disso!

Spoiler
Desculpe, apenas utilizadores com sessão iniciada podem ver spoilers.
Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar no Facebook

Author: Krystal

colaborador

5 2 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments