revelação cósmica t02

Marte: as civilizações existentes no interior e características do planeta

Partilhar no Facebook

Repomos mais um episódio, agora com o episódio transcrito completo (para quem não deseja assistir ao vídeo). Este episódio foi colocado originalmente no final de 2015.

Este episódio fala sobre a Lua e principalmente sobre Marte.
Corey Goode esteve em Marte e relata as civilizações existentes lá que vivem no subsolo.
Fala também da história de Marte e dos cataclismos que levaram ao seu estado atual.
Os alemães nos anos de 1930 foram para Marte criando bases lá. Houveram algumas batalhas devido a diferentes espécies que já estavam lá.

S02E07 Escavando Marte (Revelação Cósmica ~ Corey Goode)
S02E07 Remnants of Ancient Mars (Cosmic Disclosure)

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome:
https://drive.google.com/open?id=1nC5JXSuh7Rhk2llfuEtL05bH2H5KdJcy

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil formatadas por Renato Suffert (para quem não deseja assistir ao vídeo):

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

-Bem-vindos ao programa. Sou David Wilcock, e neste episódio, vamos falar dos alemães e sua viagem a Marte. Mas, entre um episódio e outro, pensei que temos perguntas importantes não respondidas.
Uma dessas perguntas é: temos artefatos na Lua? Temos em Marte também? Vamos falar da relação entre esses artefatos antigos na Lua e em Marte, já que os alemães os encontraram em ambos.
Isso vai nos ajudar a entender o que os alemães fizeram em Marte. Tudo isso será visto neste episódio. Corey, fico animado de falar disso, obrigado por ter vindo!

[Corey] -Obrigado.

-Corey, falávamos do desenvolvimento alemão na Lua, no episódio anterior:

Nunca Estivemos Sozinhos ~ As bases na Lua dos Nazis e Dracos

Como acha que isso foi conquistado, considerando-se a Raça Construtora? Havia ruínas da Raça Construtora na Lua, que eles encontraram quando pesquisaram, ao chegarem lá?

[Corey] -Sim, há ruínas da Raça Construtora por todo o sistema solar. E embaixo da superfície do planeta.

-Que ruínas específicas da Raça Construtora foram encontradas lá?

[Corey] -Acho que as mais importantes, que interessariam você e muitos outros, são prédios antigos que foram construídos para uma raça de seres muito altos. A menos que fossem seres que apenas gostassem de altura, arcos e portas altos…

-Quando você fala “alto”, quanto seria, em metros? Qual seria a altura estimada dessas pessoas?

[Corey] -Alguns assentos de pedra e portas tinham de 18 a 24 metros de altura.

-Seres dessa altura.

[Corey] -Altos.

-Quando diz “assento de pedra”, como era isso? É alguma coisa parecida com o que temos na Terra?

[Corey] -Eles os chamavam de “tronos”. Mas não eram. Eles eram vários assentos, saindo das paredes para fora. Acho que o mais perto que veríamos em um castelo antigo seria uma sala de trono com tronos contra a parede.

-Esses assentos eram entalhados como se fossem úteis e básicos, ou eram só de enfeite? Qual era a estética deles?

[Corey] -Eles chegaram a ter escritos ou emblemas. Símbolos também. Mas alguém, por algum motivo, mandou limpar ou tirar tudo. O mesmo ocorreu com outras áreas nas construções e esculturas, que parecem ter tido alguma indicação de escrita, caracteres ou imagens.
Foram apagados. Dizem que o vencedor sempre escreve a história. Talvez outros grupos de ETs tenham chegado milênios depois e decidido: “Vamos (re)escrever a história. Não queremos que ninguém… queremos ser conhecidos como deuses”. Então apagaram o que estava escrito.

-Esses tronos aparecem entalhados ao lado de uma montanha como o Monte Rushmore na Terra? Ou estavam dentro de salas?

[Corey] -Estavam dentro de salas, e isso era muito tecnológico. Era obviamente matéria manipulada. De material tecnologicamente manipulado.

-Descreva para nós como seria uma sala dessas? É tipo uma cúpula? E você entra na cúpula? É construída ao lado de uma montanha? No subterrâneo? Onde vemos essas salas? Como entramos em uma sala?

[Corey] -Na sua maioria, são estruturas entalhadas agora por poeira da Lua, e meteoros que deixaram fragmentos. Estão lá faz tempo. Mas teriam que ser tirados de dentro da terra. Uma certa… talvez 10% teria ficado acima da superfície. Mesmo isso teria que ser descoberto. O resto teria que ser tirado e eles viriam escavar e checar a parte interna.

-Havia estruturas assim no lado da Lua que dá para a Terra e no lado negro?

[Corey] -Por tudo.

-Então veriam uma construção quadrada, ou teria mais um formato circular? Qual era a forma que daria pista de que não se tratava de uma irregularidade na superfície da Lua?

[Corey] -Essas construções tinham formas diferentes e condições diferentes. E eram feitas de vários tipos de materiais, inclusive a liga de alumínio da qual falamos antes. Ou partes de construções eram desse material.

-Algumas construções, as paredes, eram transparentes quando descobertas em meio aos fragmentos lunares?

[Corey] -Isso.

-Richard Hoagland falou muito sobre o que ele acredita serem as cúpulas de vidro na Lua e a ideia de que poderiam ser pressurizadas. Daria para ter plantas e árvores lá. Você encontrou provas das “cúpulas de vidro”?

[Corey] -Há vários tipos de estruturas de vidro que estão destruídas.

-Inclusive as cúpulas?

[Corey] -Sim, e as torres.

-Quando diz “destruídas”, por quem?

[Corey] -Pode ser “pelo quê?” Por um cataclismo. Muita coisa fica na Lua para lembrar de uma grande guerra. Há vários outros materiais e itens que são deixados, e que vêm de muito tempo atrás.
O tempo que estamos falando aqui é surpreendente. E o número de grupos e raças que contribuíram com os enfeites e construções da superfície é impressionante.

S20E07 Segredos da Lua Oca ~ Civilizações que habitam a Lua

-É. Vamos falar dos paralelos entre o que foi encontrado na Lua e em Marte. Porque os cientistas alemães, digamos… nem todos são nazistas. Quando foram para Marte, encontraram estruturas parecidas com as vistas na Lua?

[Corey] -Sim. Dessas Raças Construtoras e outras raças que já entraram no nosso sistema solar com o fluxo e refluxo do tempo, e brigaram pelo controle do sistema solar.
Controlaram, perderam o controle, voltaram milênios depois… isso acontece há milênios. Suas estruturas foram encontradas por todo o sistema solar. Nosso sistema solar está cheio de locais arqueológicos antigos.

-Você disse antes que tem um portal que vai para outras galáxias, no limite do sistema solar?

[Corey] -Tem um portal, um portal da teia cósmica, e nosso sistema solar está em uma área cobiçadíssima. E, sim, esse portal se espalha não só para outras galáxias, mas para outros sistemas estelares na nossa galáxia.

S01E12 Portais: Teia Cósmica (Corey Goode)

-Estamos em um local cobiçado.

[Corey] -Sim.

-Você diria que nosso sistema solar tem mais colonização e história do que a maioria das civilizações mais rurais? Em oposição ao nosso local urbanizado?

[Corey] -Soube que somos basicamente um oásis em uma “Rota da Seda” cósmica.

A NASA sugeriu, há pouco, que Marte, em um dado momento, tinha um oceano de 2,4 km cobrindo a metade da superfície, como o hemisfério norte. A NASA diz isso? Por que acha que diriam isso?

[Corey] -Acho que a consciência humana está chegando a um ponto onde é ridículo tentar esconder o que está na cara quando olhamos para Marte.
Muita gente já tirou fotos de satélite da Terra, imagens de satélite da Terra e de Marte, colocou-as lado a lado, e geograficamente provou e mostrou que eles tiveram o mesmo tipo de atividade.

-Você acha, ou encontrou informações, sugerindo que Marte pudesse ter sido mais parecido com a Terra? [Corey] -Sim. Sim.

-Tinha dito antes que o cinturão era um planeta destruído. Hoagland e outros sugeriram que Marte teria sido uma Lua deste planeta destruído. Encontrou algo assim?

[Corey] -Segundo o Smart Glass Pad, essa era a informação. Marte, em um dado período, foi um satélite de uma super Terra, que existia onde agora temos o cinturão de asteroides.

-Marte também foi um planeta com muita água, oceanos e tal?

[Corey] -Tinha oceanos e uma atmosfera muito densa, que foi explodida no mesmo evento que mudou sua órbita atual e criou o cinturão de asteroides.

-Quando olhamos para o trabalho de certos astrônomos, como o Dr. Thomas Van Flandern, que estudou o que chamou de “hipótese do planeta explodido”, vemos que metade de Marte está coberta de crateras.

Thomas C. Van Flandern

A outra metade é bem lisa. Você acha que foram os asteroides do planeta que explodiu, que atingiram Marte? Encontrou algo que sugeriu isso?

[Corey] -Sim, e podemos analisar isso em detalhes. A superfície de Marte, metade dela, era de quartzo pesado e depósitos, e metade de Marte tem carga positiva. A outra metade sendo negativa.

Sim.

[Corey] E por causa do que aconteceu, agora ela é um capacitador gigante.

-Temos este planeta enorme, habitável, e com oceanos. E tinha uma Lua em volta, que virou Marte, como imaginamos, e que também é habitável.
Você encontrou informações que sugeriram haver civilizações opostas inimigas em cada esfera? Ou era tudo parte de uma civilização maior? Sabemos disso?

[Corey] -Eu vi os aspectos práticos das informações científicas. É aí que começamos a entrar no sindicato secreto do governo da Terra, ou Illuminati, ideias religiosas sobre… várias ideias sobre o que houve.
Eles criaram vários mitos e ideias sobre como e o que aconteceu. E eles acreditam nisso tão piamente quanto qualquer um crê na religião.

-Você disse, antes, que essas construções na Lua… falávamos de tronos que encontrou na Lua, com construções de diversos tipos, enterradas. Você disse que houve um esforço para apagar os textos e insígnias ali. Temos estruturas parecidas em Marte?

[Corey] -Sim. Em todo o sistema solar. E todas foram tratadas da mesma forma.

-Essas estruturas parecem ter sido construídas quando Marte tinha oceanos, antes da explosão do planeta?

[Corey] -Vou dizer isso de memória. Não quero especular aqui. Mas parece que sim.

-Quanto de arquitetura havia em Marte? Quanto temos lá que demonstre que houve uma civilização avançada no local?

[Corey] -A maior parte está no subterrâneo, ou destruída mesmo. A superfície de Marte passou por uma catástrofe imensa. Sabe, parece que alguma coisa passou lá… uma onda de choque passou pelo planeta todo. A geologia está bagunçada. Está uma confusão enorme.

Cydonia (planeta Marte)

-Bom, vamos falar de Cydonia agora. Foi dessa área que Richard Hoagland falou. E do que parece ser uma pirâmide de cinco lados, próxima.

Cydonia – pirâmides

[Corey] -Eu vi as pirâmides.

-Como assim, você as viu?

[Corey] -Vi as pirâmides de cinco lados. Eu as vi.

-Mas todos nós já vimos fotos delas.

[Corey] -Eu voei e vi as pirâmides…

-Mesmo?

pirâmides em Marte e China

[Corey] -…parcialmente enterradas com lama ou lodo por cima. Eu não voei por cima da área onde estava o rosto, ou não a vi como um rosto.

-Você viu partes de pirâmides que ainda parecem superfícies de pedra, entalhadas? Ou estava tudo coberto por entulhos?

[Corey] -É, a maior parte aparece entre entulhos. Mas eu diria que grande parte é bem maior do que as pessoas pensam. Porque estão cobertas de lodo.

-Lembro que um informante, Daniel, me disse ter visto uma foto de astronautas acenando perto de uma pirâmide em Marte. E que tinha uma bela ponta da pirâmide, para cima. Então parece que você confirma que havia pirâmides, que ainda dá para ver as pontas a partir do chão.

[Corey] -Sim. Sem dúvida, haviam pirâmides.

-Certo, então os alemães foram para a Lua. E você disse que eles foram para o cinturão. Também foram para Marte, então… Qual foi a sequência? Fizeram tudo isso ao mesmo tempo? Qual foi a abordagem?

[Corey] -Primeiro eles foram para a Lua.

-Certo.

[Corey] -E montaram seu… depois de tentativas sem sucesso, montaram sua base. Na Lua. E aí foram para Marte. E montaram uma temporária… outra base temporária em Marte. Depois, construíram uma base maior em Marte.

-Certo, então vamos parar aí um instante. Os alemães chegam a Marte. A NASA ainda não foi a Marte até agora. Em que ano eles foram para lá, que você saiba?

[Corey] -Foi no fim dos anos 30, início dos anos 40.

-Eles procuravam arqueologia, especificamente?

[Corey] -Só sei que queriam criar bases fora da Terra, assim como na Terra em áreas inóspitas, ou fora de alcance na civilização da Terra.

-Como tinham ar respirável dentro da nave? Fazia parte da tecnologia extraterrestre que tinham para fazer alguma viagem longa e não precisar voltar?

[Corey] -Sim, eles tinham desenvolvido… em super submarinos eles já tinham desenvolvido purificadores de dióxido de carbono. E sistemas fechados de respiração de oxigênio. Já tinham começado a desenvolver isso há um tempo.
Mas depois trabalharam nisso com os grupos de ETs, e desenvolveram a tecnologia avançada que não só lhes deu a viagem eletrogravitacional, mas também a habilidade de ter gravidade artificial, e também de ter controles ambientais para se sentirem confortáveis tão longe da Terra.

-Eles viajariam diretamente da Terra a Marte, ou tinham uma estação construída no meio do caminho, algo assim como um depósito de suprimentos?

[Corey] -Eles viajavam da Terra à Lua, da Lua a Marte, como nós planejamos fazer.

-Quanto tempo levava essa viagem? Se fosse da Lua até Marte, quanto tempo levaria, com base na tecnologia dos anos 30?

[Corey] -Naquela época teria sido uma viagem de horas. Não sei o tempo exato.

-Você diz “naquela época”, porque agora seria mais rápido?

[Corey] -Sim. Agora seria feita em minutos.

S17E06 Se dobrarmos o espaço podemos chegar em 6mn à galáxia de Andrómeda

-Digamos que eles estejam nos olhando da superfície de Marte agora. Alguns pesquisadores disseram – e Hoagland é um deles – que as fotos originais da sonda Viking pareciam ter a cor vermelha saturada, nas imagens. E que o céu, na verdade, não é vermelho, mas é azul, como a Terra.

[Corey] -Sim, usaram um filtro vermelho. Mas entenda que há vezes, dependendo do… É muito dinâmico em Marte. Há vezes em que o céu é vermelho. Há tanta poeira no ar, especialmente nas regiões equatoriais.
Quanto mais perto estiver dos polos, menos poeira atmosférica e entulhos terá, e quanto mais vir, haverá auroras boreais. O céu fica meio rosa, dependendo da hora do dia. Pôr do sol, nascer do sol.
Mas durante o dia, é um céu entre o azul e o violeta. Mas muitas vezes o céu, por causa de todas as tempestades. …está cheio de areia vermelha. E é vermelho.

-Nós podemos respirar o ar de Marte?

[Corey] -Não é aconselhável respirar em Marte. Nas regiões norte e sul, é mais fácil respirar. Mas é parecido com estar no topo do Everest. É escasso. O oxigênio é escasso.
A pressão no barômetro é muito, muito pouca. Precisa de uma roupa leve, mas que proteja, e normalmente de uma máscara que libere oxigênio para você.

-Muito interessante. Você disse antes que a Lua é habitada por várias raças diferentes. E que há satélites orbitando em Marte, ou plataformas com sistemas de armas que vão atingi-lo se você tentar ir até lá. Como os alemães… eles voaram direto ou encontraram alguma resistência?

[Corey] -Não sei se encontraram resistência. Acho que, naquele momento, já tinham formado uma aliança.

-Então, acho que as pessoas com as quais formaram uma aliança teriam sido “pessoas” que poderiam atirar em você…

[Corey] -Certo. Há duas luas pequenas em volta de Marte. Fobos e Deimos. E atualmente há satélites, feito loucos, em volta de Marte.

Fobos e Deimos (satélites de marte)

-Mesmo? Está falando em satélites feitos por humanos?

[Corey] -Humanos modernos que habitam Marte.

-Sério?

[Corey] -Sim.

-Pessoas que nasceram na Terra e migraram para Marte fizeram esses satélites? É isso? Pessoas que podem ser descendentes de terráqueos, mas, disse que está cheio de satélites?

[Corey] -Sim, Marte tem muitos satélites. Alguns são sistemas de armas. E muitos são de pessoas que são descendentes de alemães, que estabeleceram colônias bem cedo em Marte, e depois cresceram… depois que os alemães adotaram a ideia do complexo militar industrial dos Estados Unidos.
Essas colônias cresceram pelo planeta. E muita gente que agora está lá é descendente deles.

-Quero voltar a isso, mas você falou em Fobos e Deimos. Pessoas que estudaram isso online, e entraram mesmo no assunto de Marte, dizem saber que as luas são perto demais do planeta, e que também se movem muito rápido nas suas órbitas.
Estamos vendo Fobos… Acho que tem gente que, como Hoagland, também disse que parecem ocas por dentro, com base nas características.

O que são Fobos e Deimos? São luas, ou tem algo mais aí?

[Corey] -Fobos é esmagada. É uma esfera esmagada.

-Mesmo? Então já foi uma esfera perfeitamente redonda?

[Corey] -Já foi uma esfera. Em uma das extremidades havia uma abertura.

-Não nos mostram isso da NASA? Garantiram que fariam alguma montagem?

[Corey] -Não vi as imagens da NASA, mas sei que fazem montagem, e usam o aerógrafo muito rápido nas imagens de Marte, da Lua, e outros planetoides. Então eu imagino que muitas coisas de Fobos sejam montagens, ou imagens fora de foco.

-Uma coisa estranha aí, e vejo isso na minha mente, e vamos colocar aí na tela… Fobos tem essas linhas paralelas bem retas, todas na mesma direção. E há outras que vão a 90 graus.

[Corey] -Sim, tipo espinhaços.

-O que acha que é isso?

[Corey] -Como na Lua.. na nossa Lua… aí já entramos em outro assunto. Nossa Lua é uma estrutura artificial. Em cima dela existem centenas de metros de matéria de meteoros e poeira fininha que foram reunidas por muitos milênios.
E este Fobos tem um campo gravitacional próprio, que puxa os entulhos. E embaixo deles existe uma super estrutura.

-Os alemães mostrariam interesse inicial por Fobos, se tivesse um buraco onde pudessem pousar? Eles fizeram isso ao chegarem lá?

[Corey] -Não vi registro disso.

-E Deimos? Você falou que Fobos foi esmagada, o que eu acho que explica ser oca por dentro. Deimos também é outra coisa, além de uma Lua comum?

[Corey] -Eu não li nada sobre ela ser artificial.

-Certo. Então pode ser que seja um objeto natural, que foi capturado em um cataclismo que houve há muito tempo. Para começar ,existe água líquida na superfície de certos lugares?

[Corey] -Marte tem um estranho ano de ciclos. Ciclo anual. Em certos momentos, a água que está na superfície, na forma de gelo, se liquefaz.

-Mesmo? Está bem.

[Corey] -Mas por pouco tempo. Nunca soube de lagos ou pequenos oceanos lá em uma época atual. Nunca sobrevoei por nenhuma área assim. Não naquele solo.

-Certo. Então, vamos… os alemães tinham um plano de tentar usar materiais locais para fazer uma base sustentável quando chegassem lá? Foi essa a intenção deles sempre?

[Corey] -Sim. Como na Lua, eles planejavam levar alguns recursos para Marte. Cal e todas as coisas que precisam para misturar com os recursos locais e fazer concreto, e o que quer que precisassem construir, estruturas que pudessem pressurizar e usar como abrigos temporários.
Tiveram que fazer várias viagens para trazer pessoas e materiais no começo. Isso foi quando começaram a usar as viagens por meio dos portais.

-Sério?

[Corey] -E eles… Isto é… Nessa era inicial eles usavam os portais para transferir e teletransportar materiais, não pessoas ou nada orgânico.

-Houve problemas com as coisas orgânicas, danos? Ao ciclo de vida deles?

[Corey] -Sim, matando-os de um jeito terrível.

-Certo.

[Corey] -Sim. Até que descobriram como fazer isso, com ajuda de alguns grupos extraterrestres aliados.

-Em que ano você sabe que os portais começaram a transportar materiais?

[Corey] -Materiais foram… eles usavam portais para transportar materiais. Sabiam fazer isso desde os anos 30 e 40.

-Antes da Experiência da Filadélfia.

[Corey] -Só nos anos 50. Isso. Foi aí… e isso… vimos como isso acabou mal.

-Claro.

[Corey] -Só nos anos 50 eles conseguiram começar a transportar pessoas com certa frequência, sem que elas sofressem de demência temporal, como acho que foi o nome que deram.
As pessoas que se transportavam intactas daqui até Marte pareciam bem, mas depois de alguns dias sofreriam de algum tipo de demência, que eles chamavam de demência temporal.
E os alemães trabalharam muito neste campo, e nos ajudaram a ver como fazer isso direito. Eles e seus aliados ETs.

-É tão surpreendente imaginar que já havia artefatos lá, como pirâmides, quando os alemães chegaram. Eles quiseram reocupar o que já existia lá? Quiseram fazer coisas novas?

[Corey] -No começo, queriam um retrato do local. Eles mapearam… sabe isso o que fazemos? Eles mapearam Marte para ter um retrato do local. Tinham muitos dados da geografia de Marte nos Smart Glass Pads.
E essas foram informações que foram apresentadas em um Smart Glass Pad muito técnico, mas vieram de folhas de papel datilografadas. Eu olhei para elas então, e não era nada muito técnico. Não tinham um jeito muito tecnológico de mostrar informações.

-Então, os alemães não tinham esses Smart Glass Pads antes. Os dados vieram com a pesquisa deles que você viu como arquivos em .jpeg, ou o que quer que sejam. De documentos originais escritos.

[Corey] -Certo. E algumas fotos antigas, de 35 mm, ou o que quer que usassem para tirar fotos.

-Tinha fotos de ruínas legais de civilizações antigas?

[Corey] -Sim, de ruínas e fotos aéreas de regiões enormes, vulcões, Monte Olimpo.

-Monte Olimpo.

[Corey] -Há tubos de lava lá dez vezes maiores do que os nossos aqui. São perfeitos para fechar e criar um ambiente lá dentro. E temos uma base fácil, prontinha. É uma área bem cobiçada para criar bases.
E os alemães a queriam. Depois, os grupos do CCI. Acho que os grupos espaciais modernos queriam utilizar aquela área. Mas já estava ocupada por outro grupo. Eram muitos, e defendiam muito a área.

-Mesmo? Sabemos alguma coisa sobre como são, ou de onde vêm?

[Corey] -Sim, é um… houve um tratado entre alguns desses grupos. Um deles era um reptiliano, e outro era insectoide.

S15E01 Randy Cramer, o soldado híbrido que viveu 17 anos em Marte

-Era isso que eu esperava.

[Corey] -Essa área é muito cobiçada.

-Quando diz dez vezes maior do que os tubos de lava na Terra, diz 8 km de largura, 32 km de largura, ou 80 km de largura? Do maior para o menor. Do maior quero dizer enormes.

[Corey] -Maiores, quero dizer, eles batem as nossas… qualquer caverna ou tubo que tenhamos aqui.

-Acho que está falando da maioria que desconhecemos.

[Corey] -Eles já têm grandes cidades dentro deles. Tem a ver com o tamanho do vulcão, a gravidade, a pressão barométrica em Marte, e o tanto que são enormes.

-Teriam 160 ou 320 km de comprimento, de cima para baixo?

[Corey] -Eu Estaria especulando.

-Certo.

[Corey] -Não vi dados de quantos metros, jardas ou pés tinham. Mas, considerando-se a soma das cidades na Terra, acho que comportam centenas de milhares de pessoas.

-Está dizendo que nesses tubos de lava pode ter milhões?

[Corey] -Existem milhões de seres que vivem nesses tubos.

-Nossa! O que eles fazem?

[Corey] -Vivem a vida lá. Eles têm a própria civilização, seu próprio jeito, as próprias sociedades. Marcam muito território.

-Eles têm astros do pop? Existe uma Britney Spears inseto lá?

[Corey] -Não sei tanto assim sobre eles.

-Certo.

[Corey] -Muita gente que foi designada para ser segurança na superfície de Marte interagiu com eles. Eu não interagi.

-Os alemães enfrentaram resistência deles quando chegaram?

[Corey] -Eles interagiram um pouco entre si.

-Tentaram brigar para pegar alguns tubos?

[Corey] -Sim. O plano deles era pegar alguns tubos. Batalhas foram travadas. Eles não se deram nada bem. Tiveram até algumas de suas bases iniciais destruídas. E perderam bases iniciais inteiras.

-Com o pessoal? Todas as pessoas foram mortas?

[Corey] -Sim, e eles também escolheram mal. Construíram algumas bases em direção ao Equador, e descobriram que as frequentes tempestades de poeira que acontecem têm uma carga elétrica imensa. A eletricidade estática aumenta na areia, que sopra em alta velocidade.

-Faz sentido.

[Corey] -E os minerais embaixo do planeta… acho que já falei disso antes… um lado é formado pelos impactos causados pela cristalização de algumas pedras.

-Certo, você disse que se formou quartzo. Fazendo com que um lado fosse um ânodo. Um cátodo e um ânodo de cada lado.

[Corey] -Então, a superfície, especialmente em torno do Equador, tinha uma carga elétrica também.

-Faz sentido.

[Corey] -É o mesmo princípio de pegar certos metais e colocá-los sob pressão, eletrificá-los e torná-los magnéticos. Todo um lado do planeta é assim.
Bem, o problema quando se constrói uma base com tanta eletricidade estática, são os relâmpagos que ocorrem nas tempestades de areia. O campo elétrico que foi criado foi tamanho, que destruiu todos os aparelhos eletrônicos deles.

-Isso equivale ao EMC? É um pulso eletromagnético?

[Corey] -Sim, e isso ocorre muitas vezes.

-Quer dizer que a região do Equador não é boa?

[Corey] -Não é boa para se ter uma colônia. Com certeza eles resolveram muitos problemas de proteção, para criar colônias lá agora. Sei que dá para voar pelas tempestades de areia agora, sem ter problemas elétricos.
Mas naquela época, quando os alemães estavam chegando em Plymouth Rock, eu acho, e formando um novo território, descobriram que não deveriam ficar ali, especialmente com a tecnologia de que dispunham então. Eles estavam perdendo toda sua tecnologia.
E descobriram que mais perto das áreas polares, em um raio de 20 graus, eu acho, dos polos norte e sul, ficavam as melhores regiões habitáveis. Também era ali que muitos outros grupos tinham feito suas bases. Então tiveram que achar uma área onde pudessem fazer sua base.
Assim como as pessoas associam Marte com a guerra, todos os seres lá gostam de demarcar território, o que pode ser considerado belicoso, mas faz parte da cultura deles. É como pôr peixes demais em um aquário. Tiveram que defender sua terra.
E isso exigiu que eles fizessem algumas coisas. Eles não conseguiram ter sucesso total até bem mais tarde, lá no fim dos anos 50, quando estavam trabalhando com os EUA e o Complexo Industrial Militar, e tinham todos os recursos dos EUA para apoiá-los.
Aí eles realmente conseguiram começar a construir, e se tornar mais uma força em Marte, capaz de expulsar esses outros grupos. Como os índios americanos. Os americanos expulsaram os índios e tomaram o território. Destino Manifesto.

(Nota: A doutrina do “Destino Manifesto” é uma filosofia que expressa a crença de que o povo dos Estados Unidos foi eleito por Deus para comandar o mundo, sendo o expansionismo geopolítico norte-americano apenas uma expressão desta vontade divina).

-Durante um ano típico da Terra, a Terra é inclinada para o sol, e temos as estações do ano, ou seja, vai ser muito frio ou muito quente, e dependendo de onde você está isso muda.
Se você constrói perto de uma região polar e está no inverno de marte, como a vida humana iria aguentar isso? Considerando-se que Marte está mais longe do sol e seria mais frio, segundo o que a NASA estudou de Marte.

[Corey] -É bem mais fácil lidar com o frio. No frio, você tem gelo, água congelada na forma de gelo. É bem mais fácil lidar com o frio do que viver em um deserto com tempestades elétricas o tempo todo.
Além disso, a atmosfera é mais hospitaleira nessas regiões, mesmo se está frio. Em termos de respiração, embora haja pouco oxigênio, pouco ar, ainda há mais nos polos norte e sul.

-Está dizendo que essas bases alemães foram construídas em uma região que consideraríamos ártica, pelo visual?

[Corey] -Não como no Ártico. Normalmente no, digamos, paralelo 20.

-Havia animais em Marte que eles caçavam e comiam? Tem alguma vida lá?

[Corey] -Tem Sim, tem vida lá. Não ouvi falar nem li muito sobre eles caçarem. Com certeza, por piores que fossem as coisas para os colonos de Marte, eles devem ter tentado caçar, ou comiam o que achavam na superfície.
Só não lembro de ter lido nada sobre churrascos de marcianos que eles fizessem.

-Que animais diferentes eles acharam lá? Você tem que cavar? Estão na superfície? Voam?

[Corey] -A maior parte deles… a maior parte vive em tocas, são animais assim. Até um pequeno… tem um pequeno pássaro que lembra um morcego ou algo assim. Eles faziam tocas.
Quando construíamos este posto avançado, estávamos vendo uns buraquinhos, e ao anoitecer eles voariam. E sempre que… cada batida… a cada batida das asas, dava para ouvir um. E eles voariam. O que comiam, aonde iam, não sei. Sei que voltavam às suas tocas depois.

-Como eles eram? Que cor tinham?

[Corey] -Eram escuros, pretos. E parecia que tinham… lembravam um couro duro… era quase como uma armadura.

-Acho que, para qualquer coisa ter evoluído neste planeta inóspito, só com esse tipo de armadura e resistência mesmo.

[Corey] -Alguns cientistas acharam interessante que algo tão pequeno e alado pudesse voar em uma atmosfera que… não achavam que a atmosfera era densa o bastante para eles… para conseguirem voar.

-“Pequeno” como? Qual era o tamanho deles?

[Corey] -Eram menores. Quero dizer, tipo pequenos, lembravam alguns pássaros que vemos voando por aqui.

-Eram muito parecidos com os morcegos da Terra?

[Corey] -Na textura, sim. As asas, a pele. Mas a cabeça e o bico lembravam mais pássaros.

-Ah, tinham um bico.

[Corey] -Sim. Nós poderíamos falar da taxonomia (nota: ciência que lida com a descrição, identificação e classificação dos organismos),de todo um grupo de bichos diferentes. Não vi muitos, pessoalmente… só vi alguns. Vi plantas e coisas assim.

-Você falou que incluímos as plantas.

[Corey] -Mas, sabe, eu vi… isso foi catalogado cedo pelos alemães. Eles catalogaram muitas formas de vida diferentes que surgiram, nos Smart Glass Pads.

-Tinha coisinhas que lembravam caranguejos ou aranhas?

[Corey] -Tinha aranhas. Aranhas grandes.

-Como assim, “grandes”?

[Corey] -Muito grandes.

-Mesmo?

[Corey] -Da metade do tamanho de uma pessoa.

-Meu informante, Jacob, descreveu quando as cozinhou e comeu: “Têm gosto de caranguejo”. Não porque iria querer comer… Tinha coisas pequenas, como vermes, escavando pelo solo? Ou formas de vida como as centopeias?

[Corey] -Eu vi relatos de grandes vermes, quase como os bichos-da-seda, que faziam tocas, e delas também saíam para ficar deitados ao sol, e às vezes voltavam às tocas.

-A principal forma de vida que soube de outros informantes que dizem ter ido a Marte foram vermes muito grandes que comiam metal, e se ligariam às laterais de algumas dessas bases, e tinham que ser atingidos com arpões para sair de lá.
Mas não eram rápidos, então não ameaçavam. Parece que o trabalho era bem chato.

[Corey] -Sim, são quase como grandes larvas, vermes enormes que vivem no subterrâneo.

-Tinha alguma forma de vida indígena que tenha evoluído em Marte e sempre tenha estado lá?

[Corey] -Havia um grupo muito esquivo que eu nunca vi, mas já li sobre ele, que lembrava os humanos, e que ficava em cavernas e sempre usavam robes.

-Mesmo?

[Corey] -E era muito esquivo, evitando contato com todos.

-Sim, eu ouvi outros falarem da população indígena também. Sabe informar a altura ou aparência deles?

[Corey] -Isso parece coisa de filme, supostamente eles se parecem muito conosco, mas são muito avermelhados, e eles dizem ser os indígenas de Marte. Se é verdade ou não, eu não sei.

-Não tem como saber.

[Corey] -E tinha muito pouco sobre eles no Glass Pad. Eles eram muito esquivos, e sempre que o programa espacial vinha e fazia uma colônia nova, que fosse muito perto de uma das civilizações deles, eles moviam seus grupos.

-Mesmo?

[Corey] -Sim, ficavam totalmente afastados.

-Não ficavam na ofensiva?

[Corey] -Não. Pelo que pude ver, eles eram muito pacíficos. Eles queriam ficar totalmente afastados de todas as outras formas de vida.

-Muito bem! Essas informações são incríveis. Voltaremos no próximo episódio, com muito mais sobre Marte aqui no ”Revelação Cósmica”. Porque você precisa saber. Sou David Wilcock e agradeço pela audiência.

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar no Facebook

5 2 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments