revelação cósmica temporada 19

S19E03 Missão a Alpha Centauri (Revelação Cósmica)

Partilhar no Facebook

O programa espacial secreto para Alpha Centauri já está em curso com a ajuda de seres da estrela mais próxima da Terra. Através do seu contacto directo com os apunianos, Ricardo Gonzalez soube que muitas das pessoas que estão a ajudar este programa a sair do solo são descendentes de seres humanos que ali viajaram a partir da Terra. Mas eles podem, na realidade, ser do nosso futuro. Ele explica que este programa faz parte de um colectivo internacional com a participação de muitos países, independente de qualquer governo.

S19E03 Missão a Alpha Centauri (Revelação Cósmica ~ Ricardo Gonzalez)
S19E03 Mission to Alpha Centauri (Cosmic Disclosure)

 

A legendagem possível:

revelação cósmica temporada 19 episódio 3

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO

E.S.: Hoje, discutimos um programa espacial verdadeiramente secreto. Connosco está o investigador e autor do Peru, Ricardo Gonzalez, que teve numerosos contactos com espécies alienígenas chamadas Apunianos. Ricardo, bem-vindo ao programa!

Ricardo Gonzalez / Emery Smith

R.G.: Obrigado.

E.S.: Nos seus livros descreve um misterioso programa espacial, incluindo a estrela Alfa Centauri.

livros de Ricardo Gonzalez

O que é um programa espacial secreto, e como está ligado à estrela Alfa Centauri?

R.G.: Acredito sinceramente na existência de um programa espacial secreto que vai para além da Lua e de Marte. Desde 2001, nos nossos contactos, temos sido solicitados a prestar especial atenção a este tipo de programa secreto. Os alienígenas falaram-nos do Project Longshot. Quando olhámos para ele, descobrimos que este tipo de projecto existia realmente. Foi desenvolvido na década de 1980 nos Estados Unidos. É uma nave espacial sem tripulação que seria enviada para a estrela Alfa Centauri. Mais tarde, o projecto foi suspenso e convertido no projecto de Stephen Hawking.

E.S.: Quem era o responsável pelo programa antes de Stephen Hawking?

R.G.: A informação que recolhemos falou da cooperação da NASA com a Academia Naval dos Estados Unidos. Toda a documentação está agora disponível na Internet.

Project Longshot

Quando pesquisámos a documentação retroactivamente, tivemos de recorrer aos contactos que tínhamos nos EUA. Agora a informação foi tornada pública.

E.S.: O que nos poderia dizer sobre a dinâmica? Como foi planeado o programa? O que é que isso implica?

R.G.: Como disse antes, o programa foi oficialmente encerrado. O seu objectivo era enviar uma nave espacial automática para a estrela Alfa Centauri, porque mesmo assim foi sugerido que naquela região do espaço existiam planetas potencialmente capazes de suportar a vida humana.

Alfa Centauri

Este pressuposto é muito interessante, uma vez que o projecto teve lugar nos anos 80. Então, muitos anos depois, em 2012, os cientistas começaram oficialmente a falar sobre os mundos para onde a humanidade podia ir, os mundos da estrela Alfa Centauri.

E.S.: Que tipo de nave ou portal usaria para chegar da Terra a Alpha Centauri?

R.G.: Obviamente, é uma questão muito difícil descrever a tecnologia que nos poderia levar até lá. A informação que nos é dada pelos alienígenas é a seguinte: primeiro, o nosso povo teria de tentar confirmar a presença de tais lugares no sistema estelar Alfa Centauri. Foi por isso que foi planeado o envio de um navio sem tripulação. Primeiro, certifique-se de que existem lugares como este, depois trace uma rota, e depois envie um navio e a sua tripulação para lá. Essencialmente, o projecto de Stephen Hawking é uma versão melhorada do Projecto Far Shot.

Deve lembrar-se que o grande cientista Stephen Hawking sugeriu o envio de navios muito, muito pequenos. Tinha de ser a nanotecnologia que era lançada para o espaço através de feixes de laser.

Hawking apresentou este material numa conferência de imprensa em Nova Iorque. A conferência realizou-se a 12 de Abril de 2016.

O investidor russo Yuri Milner participou na conferência. Para além de Yuri Milner, o proprietário do Facebook também esteve presente.

Yuri Milner

Curiosamente, todo o mundo dos media esteve presente nessa conferência. Talvez porque os meios de comunicação social se tenham tornado uma forma de investigação e recrutamento de voluntários. Em geral, este projecto é simplesmente uma tentativa de lançar as bases para uma possível viagem futura a Alpha Centauri. Que tipo de tecnologia é que as pessoas usariam para chegar à Alpha Centauri? Para melhor responder à sua pergunta, que por si só é muito interessante, é uma tecnologia que ainda não temos. É por isso que começamos com navios sem tripulação. Mas os alienígenas dizem que a tecnologia vai aparecer. Por exemplo, graças aos aceleradores hadron ou locais como o CERN na Europa.

Interior do CERN

E.S.: Sabe que os cientistas já descobriram vida no sistema estelar Alfa Centauri? E se assim for, como é a vida nela?

R.G.: Quando falava de um grupo de estrangeiros a que chamo apunianos… O nome vem de um mito ligado às montanhas no Peru. Como já expliquei, “Apu” significa “montanha”. Estes seres foram vistos nas montanhas. De facto, a sua casa é o sistema estelar Alfa Centauri.

alienígena aspeto Nórdico

Têm um aspecto humano, altura muito elevada, e capacidades mentais e tecnológicas avançadas. Agora, eles dizem que parte da população desses mundos da estrela Alfa Centauri não tem origem alienígena. Compreendo que isto soa a ficção científica, e no entanto alguns seres são descendentes de humanos. Estes são os astronautas que lá chegaram. Devido à crise no nosso planeta, eles não tiveram outra escolha senão ir para lá. Houve uma imigração da humanidade sem precedentes. Isto significa que talvez alguns dos alienígenas que agora nos visitam possam ser seres humanos ou os seus descendentes que se tenham mudado para lá.

S09E01 Detalhes sobre 60 tipos de seres extraterrestres

E.S.: Pensa que existem algumas pessoas da Terra a viver no sistema Alpha Centauri?

R.G.: Segundo o que nos foi dito, este grupo era composto por 400 astronautas que voaram para lá naqueles dias, que ainda não pisaram no nosso planeta. Chegaram lá graças à nova tecnologia. Todos eles fizeram o voo. E, nos contactos de hoje, são confundidos com alienígenas. Aparentemente, ao mesmo tempo que viajavam no espaço, viajavam através do tempo. Agora eles vieram à Terra para nos avisar do que poderá acontecer no futuro. Tenho a certeza que Stephen Hawking sabia disto quando tirou a fotografia com o cartaz: “Bem-vindos, viajantes no tempo”.

Ele pode até ter estado à espera deles. Se os nossos cientistas sabem que existem mundos que podem ser colonizados no sistema Alfa Centauri, é porque alguém lhes disse, não porque eles próprios os descobriram. Talvez os mesmos seres tenham contado a história aos nossos cientistas, quase como uma carta secreta. Figurativamente falando, é o último “movimento sobre a mesa” para o caso de algo correr mal. Mas não é uma mensagem. A mensagem é que não devemos jogar a última carta – deixar a Terra e voar para Alpha Centauri.

E.S.: Ricardo, é possível que, como Hopi… Vemos as bonecas Cachin…

Será que tais visitantes, os astronautas que vieram para isto, digamos, de Alpha Centauri, são realmente nós? (ambos a rir)

R.G.: Penso que a história de Hopi é verdadeira, porque são essencialmente as mesmas histórias. Pode ouvi-los na América do Norte e do Sul.

Quando o Chefe Hopi chamado White Bear disse ao cientista Bloomrich da NASA que alguns seres das estrelas chamadas Kachina vieram de Pleiades e salvaram o povo Hopi de Kashkar… Kachina era o mundo original perdido de Hopi. Muitas pessoas perguntaram se estes deuses eram extraterrestres, se poderiam estar ligados à história de Alfa Centauri ou aos descendentes do nosso povo no futuro. Embora não tenha conhecimentos específicos sobre isto, tenho informações de que não podem voltar a interferir desta forma. Eles não podem continuar a vir para resolver os nossos problemas ou preocupar-se consigo próprios. Não lhes é permitido salvar a humanidade cada vez que esta se autodestrói.

E.S.: Porque não podem eles vir e ajudar?

R.G.: Eles tentam ajudar, mas de outra forma. Aqueles que nos poderiam ajudar… Refiro-me aos alienígenas que respeitam a humanidade e fazem parte da aliança. Deve lembrar-se que nos anos 80 havia alguma informação em Ufologia. Nessa altura, muitos contactores relataram ter recebido algum tipo de visão onde observavam as pessoas a embarcar em naves espaciais e a deixar a Terra. Na altura, criou uma febre de visões para muitas pessoas. As pessoas interpretaram as visões como evacuação alienígena, como fizeram os deuses de Hopi e os seus antepassados.

Mais uma vez, nos anos 80, houve grupos de contacto que argumentaram que o projecto de evacuação global poderia começar a qualquer minuto e que apenas as pessoas com maior vibração seriam evacuadas. Embora isso possa parecer uma parvoíce para algumas pessoas neste momento, na altura, muitos acreditavam completamente nisso. Então a questão é: para além de alucinações e exageros, havia uma visão real por detrás de tudo isto? Talvez não tenha sido tanto a evacuação de pessoas por extraterrestres, mas sim a evacuação de pessoas do futuro. Muitas pessoas foram evacuadas no decurso de um projecto de voo secreto para Alpha Centauri.

E.S.: Então está a dizer que, hipoteticamente falando, os viajantes de Alpha Centauri que estão aqui agora e foram evacuados pelas suas famílias ou convidados de algum outro sistema?

R.G.: Os descendentes dos viajantes que uma vez foram a Alpha Centauri poderiam muito bem ter vindo aqui no nosso tempo para avisar os seus avós ou os seus bisavós sobre o que poderá acontecer no futuro. Quando Stephen Hawking e a sua equipa de cientistas de Cambridge assumiram que só nos restavam 100 anos para migrar para outro planeta, não o vimos nos filmes.

as viagens enfrentam obstáculos terrestres

Quando Stephen Hawking falou sobre a necessidade de estudar Alpha Centauri numa conferência em Nova Iorque em 2016, vimo-lo nas notícias, não em filmes. Por isso, é importante prestar atenção à ciência. Um misterioso programa espacial para voar Alpha Centauri já está em curso. Como disse anteriormente, alguns dos alienígenas que hoje em dia estão em contacto com pessoas na Terra podem ser descendentes desses astronautas.

E.S.: Quem pensa que poderá ser responsável pelo programa? Hoje?

R.G.: De acordo com Evika e Antarel, os alienígenas que entraram em contacto comigo não são responsáveis pelo programa.

Evika
Antarel

Nem sequer uma única nação responde. Este programa secreto é implementado por uma equipa internacional. Neste momento, em 2020, estão a ser dados os primeiros passos nos bastidores.

E.S.: Confia nesta equipa?

R.G.: O projecto está na fase inicial de pavimentar o caminho para o programa. Será chamada a Arca e não pertencerá a nenhuma potência mundial poderosa. E não haverá sítio de lançamento especial nos EUA ou na Europa. E nem na China. Estará localizado na América do Sul. O deserto do Atacama no Chile, para ser exacto.

Atacama, Chile

Já existem instalações erguidas com base nas maiores realizações científicas.

E.S.: Porque foi escolhido o deserto do Atacama?

R.G.: Porque o Deserto de Atakama é um lugar ideal para viagens interespaciais. Já que estamos a falar de naves físicas, para viajar para Alpha Centauri através da tecnologia que a humanidade em breve encontrará… É necessário que as naves sejam lançadas a partir de um determinado lugar. Isto permitir-nos-á controlar o primeiro impulso.

É difícil para mim descrevê-lo nas minhas próprias palavras. Pense nisso como um pulso quântico, que deve consistir num lugar que é um nó de energia. Tal lugar existe no deserto do Atacama. É agora sede de um dos observatórios mais importantes do mundo, o Projeto Alma.

Existem agora 66 antenas a explorar Alpha Centauri. Sabe como o antigo povo que vivia no deserto do Atacama chamava a este vale? Chhnanthor, que significa “local de lançamento”.

antenas Atacama

Memórias do futuro. É um enorme planalto no deserto do Atacama, localizado a uma altitude de 5000 m acima do nível do mar. É mais alto do que o topo do Monte Shasta.

Eu estava lá. É um lugar espantoso. De acordo com os alienígenas, quando o observatório de Alma deixar de funcionar, construirão um local oficial de lançamento de naves para Alpha Centauri.

E.S.: Quem está autorizado a visitar o futuro site oficial de lançamento?

R.G.: Não tenho detalhes sobre esta informação. Apenas pequenos pedaços de informação que nos foram dados. Trata-se de cooperação entre diferentes poderes. A embarcação será chamado a Arca.

E.S.: Ricardo, de acordo com estes seres, que tipo de acontecimento pode encorajar a humanidade do planeta a deixar a Terra?

A preparação emocional para a Ascensão

R.G.: Há muitas razões que podem levar a humanidade a deixar o planeta. Tais eventos poderiam basicamente ser agrupados em dois grupos básicos. A primeira é o comportamento das pessoas, coexistência deficiente e indigna com o planeta. A situação poderia ser agravada pelo segundo grupo – a tragédia espacial. De acordo com as informações que nos foram dadas, a cada minuto podemos ser ameaçados por um asteróide que atinge a parte norte da Terra. Se isto acontecer, é claro, não destruirá completamente a população da Terra, mas agravará a situação no mundo. Seria uma grande tragédia que despoletaria uma grande migração, o que realçaria ainda mais a nossa pobreza e a nossa necessidade de sobreviver.

E.S.: Você ou alguém do seu grupo de extraterrestres alguma vez mencionou uma linha temporal em que isso pudesse acontecer?

R.G.: Dizem que isso já aconteceu noutra linha temporal. Se isso não tivesse acontecido, então os extraterrestres que não são realmente extraterrestres não existiriam. Porque aqueles “alienígenas” com quem tivemos contacto, pelo menos alguns deles, teriam descendido daqueles astronautas. De qualquer modo, a colisão do asteróide já ocorreu numa linha temporal diferente. Em que ano da outra linha temporal? O ano 2027. Isso significa que, nessa linha temporal, poderia ter acontecido no mesmo ano. Não necessariamente, mas se a colisão ocorrer, sabemos o que se seguirá.

E.S.: Ricardo, o que será necessário para garantir que isso não aconteça?

R.G.: Para mudar as coisas, para garantir que isto não aconteça, para garantir que estes padrões de comportamento não se manifestem nesta linha temporal, temos de mudar o nosso comportamento para que mais pessoas mudem a sua consciência. Muitas pessoas acreditarão que isto não é possível, nem que seja apenas para olhar para a situação no mundo. Mas não é necessário que toda a população mude.

Q ~ Nós Somos O Plano

Segundo os alienígenas, assim que a massa crítica das pessoas atingir este nível de consciência, que nem sequer é 10% da população, haverá um efeito dominó, uma reacção em cadeia da consciência que pode realmente afectar as diferentes linhas de tempo. Esta é a chave para mudar as coisas. É por isso que notará que na história recente da humanidade há uma aceleração da troca de tais informações, as informações chegam a milhões de pessoas. À medida que mais e mais pessoas recuperam as suas memórias, ganhamos as ferramentas para mudar.

Aqui, estamos abertos a duas interpretações diferentes. Alguém poderia dizer, como é possível que um pequeno grupo da humanidade tenha mais peso do que a maioria da população que continua a dormir? Vejam! Vamos levar este estúdio de televisão, é suficientemente grande. De repente há um apagão, há escuridão por todo o lado, não se consegue ver nada, está escuro em todo o lado. A escuridão envolve toda esta grande sala. Contudo, tudo o que precisa é de um homem com uma tocha, e isso dissipa a escuridão. Só há uma vela.

Outra interpretação que gostaria de partilhar: No futuro, a consciência pode fazer maravilhas. A consciência activa regras que são actualmente desconhecidas para o ser humano mas que realmente funcionam noutros mundos e civilizações, protocolos que nos poderiam ajudar. Por outras palavras, se conseguíssemos atingir um certo nível de consciência na humanidade, seríamos capazes de obter ajuda de outras criaturas no cosmos. Se não o fizermos, eles não nos vão ajudar.

Olha, digamos que um homem se perdeu nas montanhas do Alasca. Um helicóptero com ajuda não virá sozinho ao campo até que o homem perdido faça algo que possa chamar a atenção, digamos, escrever SOS na neve. O queijo grátis só vem numa ratoeira. É preciso trabalhar e merecê-lo. O nível de consciência de um grupo de pessoas pode activar os protocolos de outras civilizações para que com os seus conhecimentos e tecnologia possam vir ajudar-nos, e não apenas desviar um asteróide do seu caminho.

nota deste site oevento.pt – normalmente não colocamos nenhum comentário além do disclaimer. Muito do que este informante diz neste episódio, não concordamos com o mesmo, mas temos de respeitar a informação que o mesmo tem: em todo o caso, nós já viajamos atualmente para outras estrelas e galáxias.

E.S.: Referiu que não se trata apenas dos apunianos, mas de toda a federação. Disse que havia outros que podiam ou não podiam rejeitar o meteorito. Os apunianos são o número 1, parte da federação, e como é que funciona?

R.G.: Várias civilizações alienígenas estão envolvidas na aliança. Eles entram em contacto em nome da federação. Os seres que chamamos apunianos fazem parte de uma aliança que respeita e ama a Humanidade. Existem organizações admiráveis no espaço dedicadas à assistência mútua, progresso e evolução. É claro que um céptico pode pensar que quando falamos sobre isso hoje, somos inspirados pelo filme Star Trek.

Mas de facto, este tipo de conhecimento apareceu muito antes de termos ouvido todas as histórias de ficção científica. A maioria das pessoas ficaria surpreendida com o facto de muito do que aprendemos com a ficção científica ter sempre existido. Olha, grande parte do filme Star Trek é agora a nossa realidade. Unidades USB, TVs de plasma, iPads, tablets, hologramas, etc. e assim por diante. Antes de os vermos na realidade, conhecemo-los num filme do Star Trek. Lembramo-nos.

E.S.: Eu uso o termo “federação” de vez em quando. Existe outro termo que possam usar para além de “federação”?

R.G.: Já vos disse que não tenho conhecimentos detalhados sobre os diferentes mundos que fazem parte da aliança e quantos mundos fazem parte dela. Mas sabemos que inclui muitas civilizações de diferentes sectores estelares do universo. Devemos distinguir estas regiões estelares.

Plêiades

Por exemplo, quando alguém fala sobre as Plêiades ou Orion, esquece que não se trata de um só mundo.

E.S.: Tem razão.

R.G.: Estamos a falar de constelações.

E.S.: Há tantos.

R.G.: É um grupo de estrelas com múltiplos sistemas solares. Por exemplo, quando as pessoas olham para as estrelas, vêem, digamos, o Cinturão de Orion. Podem pensar que são apenas três estrelas alinhadas como um cinto.

Orion

E.S.: Engraçado. Talvez isto lhe aconteça em conferências quando alguém se aproxima e diz: “Estou com a Pleiades. Estou com Orion”. Nesses casos, digo sempre: “Bem, na verdade, há triliões de planetas e estrelas diferentes”.

R.G.: Já percebeu. Eu sinto o mesmo.

E.S.: Não creio que os oradores entendam o conceito… Não é tão simples como abrir um livro e olhar para a astrologia. É muito mais complicado do que isso. É por isso que estou contente por terem abordado este tópico, porque o acho sempre muito divertido. Mas simpatizo com todas as pessoas, porque a propensão para tal mal-entendido está embutida na hereditariedade.

R.G.: Cada sector estrela tem a sua própria frequência. E dentro de um mesmo sistema existem sub-níveis de frequência, diferentes civilizações, programas, culturas. O universo é tão diverso. Talvez seres estranhos, dentro dos limites de uma ampla possibilidade de identificação, diriam à testemunha ocular: “Sou de tal sector de estrelas do sistema Pleiades”.

E.S.: É isso mesmo.

R.G.: Mas se o contacto se tornar mais profundo, então a entidade pode dizer ao contacto exactamente de onde ele veio. Com isto em mente, quando se trata dos mundos da confederação, existem civilizações de Plêiades e Orion, mas existem outras civilizações que não têm acesso a ela. De acordo com as mensagens que recebemos, por exemplo, algumas civilizações Orion têm um comportamento equilibrado e estão em equilíbrio com o universo. Outros não. O mesmo se aplica às Plêiades ou a qualquer outro lugar no espaço. É por isso que hoje é difícil dizer que mundos fazem parte de uma federação e quais são os seus programas.

A Lei do Uno ~ sessão 68 ~ específica sobre o instrumento

E.S.: Não é uma surpresa. Vejam o Planeta Terra. “Eu sou da Terra”. Mas vejam quantas raças diferentes existem neste planeta. O mesmo é válido para o sistema solar. Nos projectos não dizemos: “Oh, temos um fragmento de tecido Pleiadiano ou alienígena”. Dizemos: “É uma frequência, com um número que corresponde a um sistema, um sistema estelar”. É claro que, como disse, muitas coisas saem de lá – unidades. Muitos, muitos e muitos. Por isso, a sua explicação é muito importante para os telespectadores e leitores.

Posso confirmar isso. A maior parte das vezes, não há nomes. Tudo é determinado pela frequência de um determinado sector. Usou a palavra “sector”. É perfeito. Porque no espaço, tudo é medido em coordenadas sectoriais, planetas, satélites e…

R.G.: Concordo. Olha, um alienígena da Plêiades, para ser mais exacto, digamos, no sistema da estrela Taygeta, dá as boas-vindas a um astronauta da Terra.

Taygeta, Plêiades, constelação do Touro

Quando chega um astronauta, um extraterrestre pergunta: “De onde é que você é? Que longa viagem. Centenas e centenas de anos-luz”. O astronauta não diria que ele era do Kansas. Ele não vai dizer que é dos EUA ou mesmo da Terra. Ele dirá que veio do sistema solar. Se o astronauta humano tivesse mais informações sobre a civilização alienígena, e os alienígenas soubessem que a Terra estava no sistema solar, então o sistema solar poderia ser visto como parte de uma constelação ainda maior que pode parecer-se com o animal a que chamam a Bolha. Então o astronauta do Kansas diria: “Eu sou da bolha da constelação”. Então o alienígena seria capaz de compreender. Mas, como eu disse, tais detalhes podem ser revelados através de um contacto mais próximo.

Humanos vivem há 18 milhões de anos no interior da Terra

E.S.: Absolutamente. Sim, concordo. Somos um tal microcosmo, planeta Terra, comparado com todo o universo. Portanto, é engraçado falar com extraterrestres sobre o tamanho do nosso planeta. Sim, o material é espantoso. Ricardo, há alguma mensagem de despedida que gostaria de deixar aos nossos telespectadores e leitores?

R.G.: Qual seria a parte principal da mensagem recebida destes seres que eu gostaria de partilhar? O que me atreveria a partilhar com o público? Sim, uma escolha difícil. Tenho muitas ideias, e tenho muitas emoções. Deixando de lado o meu intelecto e guiado unicamente pelas emoções do momento, há algo que gostaria de dizer. É importante saber que não estamos sozinhos no universo. Mas não é suficiente. Na verdade, nem sequer estamos sozinhos na Terra. Tal consciência libertar-nos-ia.

Outro pensamento tem a ver com o nosso possível futuro. Podemos mudar o nosso futuro. Podemos mudar o que poderia ter acontecido. Esta é a mensagem principal. Quanto mais pessoas acordarem e se tornarem conscientes e cientes, mais ferramentas uma pessoa irá receber para mudar o mundo. É um absurdo tentar mudar o mundo, um país ou uma sociedade única. Comece por si mesmo. Fique em paz com a sua família. Caso contrário, como pode estar em paz com a sua família espacial?

Esta não é uma mensagem psicológica. Não estou a tentar ser um mentor. É senso comum. Não podemos abraçar o universo até nos abraçarmos uns aos outros. Não significa que devamos aceitar a injustiça, ignorar as mentiras. Temos o poder de confrontar tudo o que pensamos estar errado, porque a verdade faz parte da vida em conjunto. Refiro-me à intenção sincera e verdadeira de fazer a mudança.

Spoiler
Desculpe, apenas utilizadores com sessão iniciada podem ver spoilers.
Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar no Facebook

Author: Krystal

colaborador

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

11 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
sylvie

gratitude MAria Lurdes !!

Maria Lurdes
sylvie

oh gostava de ver o video porque nao tem disponivel o video mais …

Ana

Como um dos nossos irmãos disse aqui um momento: iluminar sem queimar

Jorge

Ana,
Estamos juntos amiga. Vitória da Luz.

Ana

Jorge,
Muito sensato o que disse. Me identifiquei.

Jorge

A possibilidade de uma tragédia é teoricamente real, basta imaginar por exemplo que o arsenal atômico existente na terra é suficiente para destruí-la várias vezes ou que um grande asteróide pode se chocar contra o nosso planeta, porém, ele já existe a bilhões de anos e isso não aconteceu.
Quando nascemos corremos o risco de morrermos engasgados com o leite da nossa mãe ou de sermos comidos por um cão bravo. São possibilidades teoricamente reais no entanto, todos temos os nossos carmas e as nossas missões a serem cumpridas e para isso contamos com grande proteção.
Façamos a nossa parte no bem e confiemos. Não cai uma folha de uma árvore sem o conhecimento de Deus. Não soframos com os acontecimentos futuros pois basta a cada dia o seu próprio mal.

João

Não confio nessa história. Para já nós estamos protegidos contra asteróides, por entidades extra dimensionais e eu não sinto confiança na informação dele.

Sara

Lembro que assisti um vídeo do Simon Parkes em que ele falou mais ou menos assim: “Se alguém falar pra vocês entrarem numa nave para saírem da Terra e irem para um outro planeta porque a Terra será destruída , não vá. É uma cilada. Provavelmente vocês serão comidos vivos…” O porquê vocês podem imaginar…

Bianca

É confuso alguém vir e falar que o planeta pode vir a sofrer algum tipo de tragédia e que a população tenha que evacuar a Terra. Eu creio que isso será possível, em breve, mas por outras razões, não por causa de uma catástrofe. Onde fica “O Evento” nessa história toda? E quanto a elevação de nossa amada Gaia? Quanto a todo esforço de todos outros “extraterrestres” e Seres Ascensos para nos ajudarem a recuperar o que é nosso por direito? Não entendi, como as duas coisas possam se encaixar