revelação cósmica temporada 18

S18E01 Patrulhando o Sistema Solar (Revelação Cósmica)

Partilhar no Facebook

S18E01 Patrulhando o Sistema Solar (Revelação Cósmica ~ Randy Cramer)
S18E01 Patrolling the Solar System (Cosmic Disclosure)

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome:
https://drive.google.com/file/d/1f9RyNRwxG1tfebiXk2WF9nq0ogDgI6EN/view?usp=sharing

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook), para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

revelação cósmica temporada 18 episódio 1

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO

Patrulhando o Sistema Solar

Hoje, em “Revelação Cósmica”, vamos falar sobre missões recentes com Randy Cramer. Randy, seja bem-vindo. Bem, em episódios anteriores, Randy, falamos sobre o Nautilus. E estamos tentando descobrir… Muitos espectadores nos escreveram e queriam saber mais detalhes sobre isso.

Claro. O Nautilus está classificado como uma nave IG highliner. E o IG, neste caso, significa intergaláctico. A maioria dos veículos tem designação IG ou IS, para indicar se é um veículo com capacidade de viagem intergaláctica, ou se é intersolar, apenas para navegar pelo sistema solar.

IG highliner

É classificado como IG highliner. Tem cerca de 1,5 km de comprimento. Parece um cilindro, como um tubo longo. A seção frontal é a seção de comando. A seção traseira é a seção de engenharia. A seção do meio é o convés de voo.

IG Highliner

Então, como piloto, eu vivia e trabalhava no convés de voo. E quando estávamos… Basicamente, 99% do que fazíamos eram patrulhas.
O Nautilus seria enviado para um local no sistema solar, em algum lugar, e então seríamos despachados em esquadrões, para realizarmos um tipo de padrão de busca em uma grande área, e depois voltar. E fazíamos isso várias vezes ao dia.
Eu costumava chamar de dever do cão de guarda, porque tudo o que entrasse no quintal e não devesse estar lá, nós latíamos e afugentávamos. E era basicamente isso o que fazíamos. Se nos deparássemos com algo fora das vias de transporte…
Porque todo o tráfego passa pelas vias de transporte. Então, patrulhávamos fora das vias de transporte, atrás de algum espertinho tentando se esgueirar além das defesas.

Presumo que existam muitas equipes diferentes por aqui, em missões diferentes, ou são apenas forças de segurança? Ou há um grupo de ambientalistas? Existe um grupo médico designado para essas missões?

O Nautilus é basicamente um porta-aviões voador. Portanto, existe uma seção médica. Existe uma equipe médica para caso alguém se machuque, ou encontremos algo interessante.
Mas, geralmente, esse não é o nosso trabalho. Normalmente, explodimos coisas. E então, como sabe, outra pessoa vem, limpa os destroços e recolhe as peças.

Quanto tempo duram essas missões assim que está a bordo da nave?

Uma patrulha pode demorar algumas horas. A patrulha mais longa em que estive, acho que demorou quase quatro horas. Mas as patrulhas geralmente são bem rápidas, pois se está executando um padrão de busca.
Então, quando termina, você apenas volta. Então a nave avança, e você faz outra. E você continua executando esses padrões de busca até o seu turno acabar.

E a gravidade nessas naves? Há também outras naves menores atreladas a essa nave principal?

Claro. Temos um revestimento gravitacional. Pelo que entendo, um revestimento gravitacional é uma placa de 1,2 x 1,2 m. E elas têm bobinas magnetogravíticas que são capazes de criar uma força gravitacional ajustável. Então, pode ajustá-las para 0,1, 0,5, 1 G, 2 Gs.
Pode ajustá-las de acordo com as suas necessidades. Elas são ajustáveis para… Bem, nós as vendemos. Por exemplo, se uma espécie quisesse revestimento gravitacional para as suas naves, poderiam ajustá-lo para qual for a gravidade do seu mundo natal.
Isso nos ajuda a não perder massa muscular, mas acontece que também há algo com o corpo humano que requer aterramento literal. Então, flutuar demais altera o DNA.
Não é muito saudável nem para os astronautas que trabalham na Estação Espacial Internacional, nas naves de transporte e tudo o mais. Não é muito saudável para eles.
O revestimento gravitacional ajuda a mantê-lo aterrado e reduz os incidentes de loucura espacial, o que é algo real, e é uma droga.

Estamos falando de milhares de naves e centenas de milhares de soldados?

Havia vários highliners e transportadores. Acho que havia pelo menos uma dúzia deles e várias centenas de caças.

E vocês realmente vão a esses planetas com essas naves?

Bem, em minha estada no Nautilus, nem tanto. O Nautilus realizava praticamente atividade intersolar. Patrulhávamos o sistema solar. E era isso. Mas, na Farragut, isso era diferente. A Farragut tem cerca de metade do comprimento, um pouco mais larga e mais plana.

Farragut

É uma fragata das forças especiais. Então, tem 18 equipes diferentes das forças especiais, todas com designações muito diferentes. Então, eu gosto de pensar nela como o canivete suíço da frota.
Depende do que você precisa, depende de qual ferramenta você tira do canivete suíço. E esse veículo e essas forças eram implantadas em toda a galáxia e além.

Pode compartilhar conosco algumas de suas funções e dispositivos?

Bem, são 18 equipes diferentes das forças especiais. Então, cada equipe é especialmente designada, tem um treinamento específico, um histórico específico, é boa em certas coisas.
A equipe com a qual trabalhei, nossa função principal era a rápida inserção e extração, ou eliminar alvos de alto valor. Era isso o que fazíamos.
Pilotávamos naves muito velozes que entravam e saíam de uma situação muito rapidamente, e pegávamos alguém que queiramos salvar, ou matávamos alguém que queríamos nos livrar. Era principalmente isso o que fazíamos. E então sair bem rápido.

Pode compartilhar comigo quais eram os dispositivos e as armas que usava para o contato com esses seres?

Usávamos um exotraje quando eu estava na MDF, a Força de Defesa de Marte, sobre a qual falei um pouco.

Eram muito mais sofisticados. Havia três tipos principais de exotrajes. Havia o que chamávamos de… Nós chamávamos de exotraje de bebê, porque era pequeno e apertado no corpo, e tinha pequenos sistemas hidráulicos e outras coisas nele.
Aumentava em 25% sua força, resistência e velocidade. E havia um traje blindado e um traje ambiental. Ao vesti-los, costumávamos chamar de exotraje do pai urso, pois era um exotraje maior, com um sistema hidráulico e mecanismos maiores.
Ele também tem um canhão eletromagnético montado no braço direito. Tem um lançador de foguetes programável montado no braço esquerdo.
Em alguns casos, tem um lançador de foguetes montado no ombro, ou dependendo da necessidade da missão, a arma de lançamento traseira pode ser equipada de maneira diferente. Então, pode ter um lançador de foguetes ou plasma, ou pode ter algo que atira atrás de você, caso alguém esteja tentando se esgueirar.
Basicamente, pode acertar as coisas atrás de você sem ter que vê-las.

É algo bem peculiar. Há um monitor de alertas. Há uma tela pequena em baixo, que chamamos de espelho retrovisor, porque mostra exatamente o que está atrás de você.

E tem uma pequena mira. Se, de repente, vejo algo acender no infravermelho nessa tela traseira, então isso me dá uma opção de direcionar e lançar com um comando verbal. Tem uma perna com aprimoramento hidráulico, assim pode saltar muito longe.
Há um painel de controle no pulso. Pode programar o sistema de saltos. Pode ver onde você está no mapa.
E pode programar aonde exatamente que saltar, e o computador irá calcular com base na gravidade e no peso exatamente quanta força as pernas precisam para que você salte e caia exatamente no mesmo local.
Existe a capacidade de se saltar manualmente, mas também há a capacidade de se obter grande precisão, programando quais saltos você deseja dar. E você pode ir 1, 2, 3, algo assim.

Fascinante.

E também pode programar o lançador de foguetes para onde deseja que exploda, na frente de um alvo, ao lado ou atrás de um alvo. Então, muito da armadura tem uma operação dianteira, mas nem sempre traseira.
Às vezes, tudo o que você quer fazer é posicionar um projétil explosível atrás da cabeça de alguém, a alguns centímetros, em vez de na frente deles, porque, por trás deles, você fará mais danos.

Você está me explicando algo que me lembra uma guerra total, o que significa que com certeza há um plano por trás disso em que você estava envolvido.

Sim.

t12e09 A Batalha Pelo Domínio Planetário ~ Revelação Cósmica

E qual era o plano para essa raça?

Principalmente contratos. Temos muitas relações comerciais com todas essas outras espécies, certo?
E muito parecido com o que há aqui no planeta Terra, as Forças Armadas dos Estados Unidos, as maiores e mais poderosas forças armadas do mundo, há muitos aliados e parceiros comerciais em todo o mundo que não têm forças armadas muito sofisticadas e programas de treinamento muito impressionantes.
Então, às vezes, quando eles precisam de algo, nos chamam. E então fazemos um acordo sobre se vamos ajudá-los, ou quanto vai nos custar para ajudá-los, qual seria o acordo comercial, etc. Bem, não é diferente na comunidade intergaláctica.
Temos muitos parceiros comerciais. E muitos deles não têm tanto poder militar quanto nós. Então, quando precisam de assistência militar, ou se encontram em conflito, bem, quem você acha que eles chamam primeiro? Eles nos chamam.

O que causa esses conflitos? O que eles fizeram conosco para termos que atacá-los?

Bem, normalmente não é algo que fazem diretamente conosco. Na maioria das vezes, é uma ameaça à rota comercial, ou uma ameaça a um parceiro comercial. E não queremos nossas rotas comerciais ameaçadas, e não queremos nossos parceiros comerciais ameaçados.

É um tipo de serviço de proteção.

Sim. Então, se temos um parceiro comercial que é invadido por um vizinho, ou talvez tenha algumas colônias planetárias que são invadidas por um vizinho, e se perguntam o que fazer, eles nos chamam.

Piratas do espaço.

Exato. Ou piratas do espaço, que são reais. Piratas do espaço existem mesmo. Então, sim, eles nos chamam e aparecemos com o melhor dos melhores.

Randy, qual foi a missão mais impressionante que você já teve?

Posso pensar em talvez duas ou três coisas que podem se encaixar nesse critério, mas vou escolher uma. Fomos contratados por um parceiro comercial para ajudar a libertar uma colônia que havia sido atacada. Eles nos chamaram para libertar alguns alvos de alto valor.

Pode nos dizer o nome ou qual sistema?

Sim. Eles são uma espécie que vive no sistema de Cassiopeia. Estavam tendo um problema com um vizinho hostil que tentou apreender algumas de suas colônias.
Então nos chamaram e pediram para levar apoio material e ver se conseguiríamos liberar alguns alvos de alto valor, e talvez afastar parte do inimigo.
Então, chegamos nesse planeta procurando bases, colônias e formas de vida. Nenhuma das espécies que procurávamos apareceu em nossas buscas. Apenas vida vegetal e animal normal aparecia. Então… isso…

Você também escaneou o interior do planeta?

Sim.

Nossos scanners penetravam cerca de 60 quilômetros. Cerca de 60 quilômetros, o que é muito bom.

Como uma missão furtiva, vocês chegavam em sigilo?

Sim. Com certeza. Bem, deixe-me colocar desta maneira. Nossa nave ainda estava a meio caminho do sistema solar. Enviamos alguns drones para tirar fotos e escanear, e chegar bem perto. E agiram em sigilo.
E víamos estruturas vazias, prédios vazios, e não tínhamos certeza se eles estavam escondidos em algum lugar, se eles já haviam evacuado, ou se haviam sido todos massacrados. Não dava para dizer de onde estávamos.
E quando descemos à superfície do planeta para investigar, ficamos surpresos. Havia outra espécie extraterrestre. E vou usar o termo “espécie” vagamente, porque não acreditávamos que fosse uma espécie de evolução orgânica.
Achávamos que fosse uma espécie geneticamente modificada, que era uma assassina de planetas, que a solta em um lugar.

Quem as criou?

Não sabemos. Não temos certeza. Não conseguimos rastrear quem as criou. Achamos que a espécie que envolvida nas hostilidades estava adquirindo tecnologia de armas de outra espécie, de dois ou três comerciantes de armas de algum lugar.
Então, alguém apareceu e deu a eles essa “arma alienígena”, que cria uma máquina de matar de biologia modificada, que pode estar fora de fase, então não consegue vê-la no infravermelho; não consegue vê-la no ultravioleta; não consegue captá-las nas telas dos scanners;
é capaz de se teletransportar em distâncias curtas. Elas estão ligadas psiônica e telepaticamente. Então, quando você se deparar com uma, vai dizer às outras por perto que elas precisam aparecer. E antes que perceba, haverá um enxame.

Como elas são?

Meu Deus. Elas são horríveis. Imagine um escorpião com braços e ferrão, um ferrão que tem cerca de 30 cm de comprimento.

Minha nossa…

Uma cabeça sem olhos, muitos dentes, várias pernas e dois braços para agarrar as coisas. Elas correm e apunhalam com o ferrão. Elas aparecem em enormes enxames. E você apenas sai correndo.

Qual o tamanho delas?

Do tamanho de uma motocicleta com um assento lateral.

O que elas comem? Onde elas vivem no planeta?

Não temos ideia. Elas apareceram do nada. Não sabemos onde vivem. Não sabemos como é o habitat delas. Elas comem qualquer coisa, aparentemente. Com aqueles dentes, com certeza elas comem qualquer coisa.

E como essa missão se resolveu já que elas eram tão cruéis e aterrorizantes?

S15E03 Os seres que vivem em Marte (Revelação Cósmica)

Tivemos que evacuar o planeta e, então, discutimos com a espécie que nos chamou e o nosso comando. E os comandantes decidiram usar uma arma metagênica. Então eles aniquilaram toda a vida no planeta.

O que é uma arma metagênica?

Uma arma metagênica é como uma bactéria ou um vírus tão forte que acabará com toda a vida em um planeta, geralmente dentro de alguns dias.

Eles não poderiam aplicar isso apenas àquela espécie, porque, provavelmente, não sabiam nada sobre seu DNA…

Não conseguimos capturar uma.

Isso diz muito.

Sim.

Vocês não conseguiram capturar uma.

Não, não conseguimos capturar uma.

Você já teve essa experiência antes com outra espécie que tentava adquirir?

Não, não. Que não conseguíamos cortar um braço ou uma perna? Não.

Qual foi o seu papel nessa missão? Você foi à superfície ou ficou na exoatmosfera, observando?

Eu estava na superfície. Meu trabalho era liderar uma equipe até uma base militar que estava vazia e ver se conseguíamos encontrar vestígios de alguém, algum corpo, mensagens gravadas ou escritas, qualquer coisa para nos dizer o que aconteceu com eles ou para onde foram.

Tinham arquivos de informações que poderiam acessar e se preparar para esse evento horrível?

Sabíamos muito pouco. A espécie que estávamos ajudando, essa espécie cassiopeiana, nos deu as informações básicas de quem estava lá, onde estavam as colônias e as bases militares. Eles nos deram essas informações básicas.
Mas quando chegamos, não havia ninguém lá. Todos os sinais de vida haviam desaparecido. As informações que tínhamos mudaram quando chegamos lá, então tivemos que começar da estaca zero para tentar descobrir o que estava acontecendo e o que fazer.

Você perdeu alguém da equipe durante essa missão?

Dois.

E quantos estavam com você na superfície?

Doze.

E essas criaturas os mataram?

Sim. Foram feitos em pedaços.

Suas armas não funcionavam nelas?

Elas funcionavam. Mas fomos sufocados. Havia muitas delas. Havia muitas delas. Literalmente, foi: “Há muitas delas! Nos tirem daqui!” Havia muitas delas, porque se teletransportavam.
Se visse uma, mais 20 iriam se teletransportar dentro de alguns minutos. Alguns minutos depois, outras 50 ou 100 iriam se teletransportar. E você estaria cercado em questão de minutos.

Conseguiu obter amostras dos restos mortais e trazer com você?

Não.

Esse planeta ainda é habitável?

Não. Tudo está morto. Não há vida. Talvez possa ser terraformado de novo. Ainda há uma atmosfera respirável, mas toda planta, animal, inseto está morto.

S15E05 Os dispositivos médicos das civilizações ETs curam as doenças

Soube se essa espécie sobreviveu em outro lugar, em outros planetas? Ou foi a última vez que vocês as viram?

Bem, foi a primeira e a última vez que eu as vi. Eu falei com pelo menos uma outra pessoa que também as encontrou em uma missão separada, em outro lugar.
Mas o que achamos que sabemos sobre elas é duvidoso, mas elas não parecem ser uma espécie consciente, tecnologicamente avançada e que viaja pelo espaço. São soldados de infantaria geneticamente modificados.
Então, enquanto estão psionicamente conectados e tem alguma evolução avançada, nunca tivemos a sensação daquilo que você ou eu normalmente chamaríamos de pensamento inteligente e coerente.
Era mais como animais programados para serem muito melhores que os animais. Então, não acho que essa espécie seja uma ameaça. Quem as criou pode ser. Essa espécie em questão é uma arma. É algo que parece um escorpião orgânico, projetado e armado.

Você e sua equipe chegaram a essa hipótese, de que elas têm habilidade psiônica? Ou é mais como formigas que, quando perturba o formigueiro, elas exalam um odor e todas sabem o que fazer?

Tínhamos especialistas em psiônica que observavam todo o evento, e o relatório deles determinou que eram criaturas que tinham uma habilidade psiônica, que se comunicavam, e isso atraía outras para perto.

Qual foi a extensão que viu uma delas se teletransportar para longe ou perto de você?

Acho que eles estavam vindo de quilômetros de distância. Digo, foi o que os relatórios dos especialistas em psiônica disseram, que elas estavam vindo de quilômetros de distância. Mas parecia haver um alcance.
O alcance da comunicação psiônica delas parecia ser cerca de 32 km. E o alcance de teletransporte parecia ser cerca de 16 km.

Qual era o papel da sua nave lá em cima, Randy? Eu sei que monitoravam as coisas, mas como funcionava? Vocês ainda estavam em completa comunicação com eles?

Sim, estávamos em constante comunicação. Havia sempre um oficial comandante no fone, dizendo o que se aproxima ou o que fazer. O trabalho da nave era de logística e suporte.
Eles eram os nossos olhos no céu, nos passando informações de onde as coisas estavam, o que havia à nossa volta, o que acontecia, quem vinha. “Há algo se aproximando no seu flanco esquerdo, 1,5 km de distância.” “Prepare-se para isso.”

Sua nave estava no planeta ou você foi teletransportado para lá?

Nesse caso em particular, fomos enviados por um buraco de minhoca, porque quando determinamos que não havia vida no planeta, ou nenhuma vida que pudéssemos determinar como seres conscientes, alguém no centro de comando determinou que parecia arriscado descer com naves.
Então, decidimos correr o risco de abrir um buraco de minhoca ou jumpgate.

Presumo que sua nave estava armada. A nave tinha armas?

Tinha.

Podiam fornecer apoio, como fazemos aqui nas forças armadas? Poderiam descer lá? Poderiam começar a atirar em coisas lá do alto, para extrair vocês com segurança?

Certo. Assim como aqui, não se começa a bombardear um inimigo muito perto de suas próprias tropas, porque vai bombardeá-las. Então, não houve uma oportunidade para fornecerem qualquer tipo de suporte aéreo.
Ficaram apenas em comunicação e observaram a situação desenrolar. Em qualquer situação em que atuamos como militares, nossa primeira reação é não fugir. Nossa primeira resposta é atacar e alcançar a vitória, então decidir o que fazer depois disso.
À medida que a situação começou a evoluir e a ficar cada vez pior, e ficou claro que não seríamos capazes de vencer, e era uma questão de como sairíamos de lá, então, a discussão foi: “Certo, o que fazemos para extração?”
“Como tiramos vocês daqui?” Foi um conflito bem curto. Não durou muito. De 15 a 20 minutos no máximo. Mas virou uma bagunça bem rápido.

S15E07 Existem geradores que poderiam alimentar todo o planeta!

Isso é muito tempo durante isso.

Sim.

Então eles nos extraíram por um jumpgate, e todos nós o atravessamos. E uma das criaturas conseguiu passar atrás de nós, atravessar o buraco de minhoca, mas foi…

Cortada.

Foi apenas uma. Não, nós a matamos instantaneamente depois que atravessou, e foram dez contra um. E naquele momento, era…
Mas, então, algo desencadeou em seu mecanismo biológico, e todas as células, aparentemente, quando começaram a se desgastar, começaram a secretar uma base altamente cáustica. Não um ácido, mas uma base. Basicamente, o DNA e o sistema biológico se liquefizeram em cerca de 5 minutos.

Sim. Isso me faz acreditar que foi biologicamente modificado.

Sim. Foi um dos motivos que nos levou a pensar assim.

Porque isso seria um protocolo de segurança que se coloca em seres que foram criados, para que ninguém mais possa copiar o que foi feito.

Sim.

É como garantir nossa patente.

Sim. Não há como obter uma cópia do DNA e replicar. Foi dissolvido.

Sumiu.

Sim.

Fascinante.

Sim.

Randy, depois de uma dessas missões, qual era o protocolo depois de voltar do… Você esteve em um planeta. Você teve contato com uma espécie. Você entra em descontaminação?

Sim.

Entramos em quarentena depois de voltarmos de um lugar como esse. E cada centímetro quadrado do equipamento, cada centímetro quadrado da sua pele é examinado.
Você é submetido a vários exames de sangue e exames endócrinos para garantir que você não trouxe nenhum organismo e bactéria.
E depois que passa por isso, eles ainda o colocam em um tubo, como uma cápsula, e precisa se deitar nessa coisa por algumas horas, enquanto limpa e mata tudo o que não deveria estar lá. Portanto, é um processo de quarentena bastante intenso.

Costumávamos chamá-los de chuveiros de plasma.

Sim. Parece mais um banho, enquanto se deita e deixa cair.

Quando terminou esse serviço de duas décadas e voltou, você precisou fazer algo especial em seu corpo? Ou você foi interrogado sobre alguma coisa? Sabia quando retornaria?

Não. Eles não dizem muito. Eles informam quando você será substituído. E no nosso caso, fomos enviados de volta ao Comando Lunar de Operações, para o que chamam de “limpeza de memória” e “reversão de idade”.
E estou colocando entre aspas, porque não é realmente uma limpeza de memória, e não é realmente uma reversão de idade. É uma supressão de memória, e eles não revertem a idade do corpo em que você está.
Eles fazem um novo corpo, transferem sua consciência para esse corpo, e depois jogam seu antigo no incinerador.

Como explica ter essas lembranças completas?

Bem, com muito trabalho, antes de tudo. O processo de recuperação de memória foi algo que começou a acontecer sozinho quando eu era mais jovem, o que normalmente acontece. Mas a pessoa decide se envolver ou não com isso.
E muitas pessoas optam por não se envolver com isso, pois não querem necessariamente seguir esse caminho. As pessoas que optam por se envolver com isso acabam passando muito tempo pelo processo de recuperação da memória, pelo processo de trauma.
A experiência de cada pessoa é muito diferente. Portanto, é um processo complicado. E o que descobri foi que, com o tempo, há ainda mais do que eu pensava que existia. No começo, eu pensei: “Certo, tem isso.” Depois: “Não, espere. Há mais.”
E então, recentemente: “Não, há mais ainda.” Então, eu não sei se ainda vou lembrar de tudo, dos muitos anos ou décadas que passei servindo, ou se já tive a última lembrança. Sinto que lembrei de muito.
Mas acho que a resposta curta para essa pergunta é: muito trabalho duro, assim como a programação e o condicionamento. Como saliento algumas vezes, não sou programado nem condicionado como muitas pessoas de outros programas.
A Seção Especial do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos tinha uma ideia muito diferente sobre como queremos treinar e criar soldados aprimorados.
Não acreditamos que quebrar a mente de uma pessoa repetidamente para construir algo flexível seja um bom uso de material, nem seja um uso econômico de material.

A sobrecarga disso poderia matar alguém?

Sim.

Sabe, eu ouvi falar de muitas coisas nos projetos, se sua mente for apagada muitas vezes, não há volta. Você fica um pouco aéreo. Você não consegue se encaixar na sociedade. Você parece ser emocionalmente estável, e você ainda lembra mais dessas informações.

Exato. Tenho muita sorte por isso. Como eu disse, fazemos as coisas de maneira um pouco diferente. Não aplicamos necessariamente o controle mental baseado em trauma. Não queremos quebrar as pessoas para reconstruí-las.
Para começar, provavelmente, o melhor benefício que tenho nessa área é que não tenho tanta bagagem quanto outras pessoas têm. Isso não quer dizer que não fiquei sem minha bagagem quando voltei do meu tempo de serviço.
Mas décadas de trabalho em um processo de cura pessoal, e dedicação ao trabalho meditativo e autodomínio me permitem viver ao ar livre, em multidões e coisas assim. Passei anos com uma agorafobia terrível, quando eu não gostava de multidões.
Eu me sentia inseguro ao ar livre, onde algo poderia estar nas árvores, ou algo assim. Era terrivelmente paranoico ter que viver com isso. Mas o processo de cura, conforme continuou, os sintomas foram abrandando cada vez mais.
E a insônia começou a diminuir. E a ansiedade começou a diminuir. E a agorafobia diminuiu. Então, eu estou aqui por causa de muito trabalho.
E por causa de uma forma positiva de treinamento e programação, e porque, em certo momento, recebi a assistência do meu pessoal de comando em vez de lutar contra eles.
Quando as pessoas me procuram e me perguntam sobre o que fazer, eu digo: “Veja bem, a primeira coisa que precisa fazer é entender que, se encontrar uma maneira de cooperar com as pessoas que estão na sua cadeia de comando, você se sairá muito melhor em vez de chutar e gritar.
Não é provável que chutes e gritos o levem aonde quer ir com isso. Ter uma comunicação positiva com as pessoas na sua cadeia de comando é mais provável que o ajudem com o processo de cicatrização.” O que aconteceu no meu caso.

S15E01 Randy Cramer, o soldado híbrido que viveu 17 anos em Marte

E é por isso que você está aqui e foi a público, porque eles meio que lhe deram permissão, mas você meio que permitiu que eles lhe dessem permissão. Sabe o que eu quero dizer?

Sim. Eu tive uma conversa com meu general de brigada, e ele me perguntou se eu queria ir à público com a minha história. E minha resposta inicial… Eu vou ser gentil. Eu xinguei muito e fiquei com muita raiva. Eu não estava interessado.
Com o tempo, tivemos conversas que me convenceram que seria melhor do que fazer o que eu estava fazendo antes. Então, sim, fui convidado pela equipe de comando da Seção Especial do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos a ser seu oficial de relações públicas.
Então, sim, me pediram especificamente para fazer isso, e concordei com relutância no começo, mas, com o tempo, vi que meu brigadeiro estava certo. Isso é muito melhor do que fazer o que eu estava fazendo antes.

Chegou a conhecer pessoas como você das quais lembrou, ou que vieram até você, que talvez tenham lembrado um pouco disso, e você se comunica com elas?

Algumas. Sim, uma delas apareceu na minha vida no início deste ano. E foi bem imediato, como: “Espere, acho que te conheço.” E isso serviu como o gatilho de uma conversa. “Você se lembra disso?” “Meu Deus… sim.”
Algumas pessoas me procuraram e disseram me conhecer, e me deram um contexto. E chegamos a isso de uma maneira sem eu divulgar informações pessoais, coisas que sabíamos um sobre o outro que não poderíamos saber a menos que tivéssemos nos conhecido.
Devo dizer que algumas pessoas tentaram entrar em contato comigo e dizer ter certeza de que me conheciam, que servimos juntos em certos lugares. Mas digamos que essas pessoas me deram uma narrativa que examinei e não achei ser legítima.
Você ainda está lidando com essa bagunça de pessoas que têm experiências legítimas, que estão tentando entender, que têm experiências legítimas, mas suas mentes estão confusas. Não é culpa delas. Pessoas com as mentes
totalmente confusas. E tentar entender tudo, quem pode ajudar ou não, pode ser difícil.

Você vê alguma dessas pessoas indo a público no futuro, como você, como um informante, e contando a história delas ao mundo?

Certamente, com alguma insistência, posso convencer essa amiga a começar a falar. Mas ela é desconfiada. O que é compreensível. Ela está desconfiada neste momento. E, para ser honesto, a maioria das pessoas não tem motivação e nenhum interesse nisso Elas não vão ganhar nada com isso.

Exato.

Não é provável que se beneficiem de forma alguma com isso. Eu não faria isso se não tivessem me pedido, e não foi uma questão de honra, dever, etc. Então, posso entender alguém que… Deixe-me colocar desta maneira.
A maioria das pessoas que entram em contato comigo não quer dar entrevistas, não quer estar na TV ou no rádio. Elas só querem recuperar suas vidas. Isso é tudo o que querem. Elas querem um pouco de paz de espírito e alguma sanidade em seu mundo.
Mas a maioria delas não deseja fazer isso. Eu não tinha nenhum desejo de fazer isso. Não era assim que eu queria fazer. Meu general de brigada me perguntou se eu queria. Eu aceitei. Eu não queria aparecer na TV. Não desejo ser famoso.

Randy, isso foi fascinante. Obrigado por vir ao programa. É sempre um prazer recebê-lo.

Obrigado. É sempre um prazer estar aqui.

Sou Emery Smith, e este é o “Revelação Cósmica”. PRÓXIMO EPISÓDIO:

S18E02 Armas do Programa Espacial Secreto (Revelação Cósmica)

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO

 

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os autores não usam facebook, portanto se tiver alguma pergunta, coloque aqui no site, na secção dos comentários (não do facebook)
3. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar no Facebook

15 Comments

  1. Olá!

    Estranho, o link não parece estar a funcionar. No Chrome.

    Diz “Estamos a processar este video. Verifique mais tarde ou transfira o video agora”.

    Será que ainda o estão a carregar para lá? Ou será outra coisa?

    Obrigado!

    1. olá. normalmente o vídeo fica processado ao fim de 1 hora. Neste caso, há um atraso que somos alheios.
      Terá que baixar o vídeo, portanto terá que usar o PC (computador).
      Caso contrário, amanhã já estará processado.

  2. Olá!

    Obrigado.

    Sim, eu uso PC, e neste caso para poder ver os episódios copio e colo o link no browser Chrome (noutros browsers não funciona).

    Só que hoje, este episódio já aqui foi anunciado no site há algumas horas e continuo a ter a mesma mensagem no Chrome que menciono acima.

    Não há pressa, só achei algo estranho, volto a tentar mais logo, ou amanhã.

    Mais uma vez obrigado!

  3. Grato pelo início da nova temporada e dentro dos convidados parece-me que este ‘super soldado híbrido’ teve honras de continuidade o que relevo como deveras importante pois as revelações dele são uma mais valia e vão bem para além… Constato também que, logicamente, está mantendo a sequência original, ao contrário do que aconteceu com o site ‘GaiaTV’.

  4. alguém já se perguntou como ficam as questões espirituais (se é que elas existem) quando um ser humano terrestre passa por um processo de realocação de consciência em um novo corpo, conforme ocorrido com Randy? se isso de fato é possível, teoricamente a morte não é uma realidade para os seres que dominam tal tecnologia, correto?

  5. É tão extraordinário essas entrevistas que, até hoje, fico a imaginar se isto não é um tipo de insanidade. Adoraria ter uma certeza definitiva, lúcida e cristalina… mas… pena, é impossível!!!!…

  6. Eu vi muitos vídeos das entrevistas, na minha opinião Corey e Randy são completamente falsos, histórias disgnas de um filme tipo “C” isto denigre os vídeos dos demais que na minha opinião são verdadeiros , inclusive as histórias do Emery Smith. O resto pra mim é conversa fiada. Se perguntarem para o Randy dados técnicos de vôo com detalhes garanto que ele se perde na primeira pergunta séria!

  7. Talvez alguns dos entrevistados sejam apenas esquizofrênicos , isto é, que acreditam em histórias criadas por eles mesmos a ponto de morrerem afirmando tudo como verdadeiro. A outra hipótese é que sejam agentes de contra informação com memórias falsas implantadas ou apenas com uma imaginação fértil. isto explica a convicção dos absurdos que são óbvias mentiras e embustes. No meio de tudo isto tem cientistas e ex militares que eu poria a mão no fogo, porque o que contam tem uma certa consistência e pouco exibicionismo. Emery Smith, O Sargento, David Adair e o Jhon Lear eu acredito com algumas restrições, apesar de eu jogar metade da mística esotérica diretamente no lixo por falta de consistência experimental. Eu queria poder fazer umas perguntas técnicas pra estes caras, seria fácil ver se o que dizem é mentira ou não. Caras como o Corey e o Andy Cramer são dois bagres ensaboados….rs….!

  8. Gaia TV já se encontra no fim da temporada 19 e, aqui, mal começamos a 18 :/ vamos todos contribuir (por menor que seja o valor) para que este site possa seguir divulgando conteúdo de tamanha relevância

  9. Gaia TV já se encontra no fim da temporada 19 e, aqui, mal começamos a 18. se TODOS que aqui vêm contribuíssem com um mínimo ($1-$2), este site teria muito mais fluência na publicação de um conteúdo de tamanha relevância como este

  10. Meu comentário vai em resposta para o “G” quanto a sua pergunta sobre se a “alma” pode ser posta em outro corpo o que irei lhe falar e algo que descobri ao longo de décadas, e só descobri por não ser preso tanto a crendices como em ceticismo, e isto foi possível ao fazer perguntas indiscretas a “entidades” que elas não esperavam e saiba o livre arbítrio sim pode ser usado nestes casos, bom para resumir este corpo e apenas a pele em que habitas! No início da década de 90 descobri um artigo que foi logo suprimido (assim acredito pois não mais o vi) neste artigo falavam sobre uma descoberta no DNA onde os instrumentos registravam alguma coisa entre as cadeias de RNA mas que eles não enxergavam nem entendiam em outras palavras o DNA e uma “armadilha” para a “Essência Divina” não entrarei em detalhes sobre tudo pois não seria um comentário mas sim uma matéria inteira de alguma paginas. mas resumindo com a tecnologia certa ao meu crer poderia empurra-lo para outro corpo. tudo neste universo e possível só não temos ainda a ferramenta. Não entro no mérito aqui se eles mentem ou acreditam no que dizem ou se tudo e realmente verdade, estamos tentando descobrir e não chegaremos a lugar algum com ceticismos bobos ou crendices desenfreadas. Pensem sobre isto, Eu quero saber a verdade e em nome do meu livre arbítrio eu assim exijo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.