revelação cósmica temporada 13

S13E10 Eles dominam a levitação, sabem como mover uma rocha gigante

Partilhar no Facebook

Neste episódio Emery Smith descreve detalhes das suas viagens ao interior da Terra. A maior surpresa foi saber que havia muitos locais ocos dentro da Terra. Fomos ensinados que há um núcleo, magma, a crosta e todas as camadas. E não é nada disso. É mais como um favo de mel.
Há muitas áreas, muitos aquíferos. E há enormes bolsões de vida florescendo lá embaixo. O interior da Terra é como um planeta dentro de outro planeta.

S13E10 Descida à Terra Interior (Revelação Cósmica ~ Emery Smith)
S13E10 Inner Earth: Descent (Cosmic Disclosure)

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome (watch the episode by clicking on the link below, using the chrome browser):
https://drive.google.com/open?id=1DDT6QgkgSNNSdeF_75dzRI9YWhGKRglm

Na 13.ª temporada, o canal Gaia não legendou os episódios. Peço que quem possa contribuir para ajudar quem legendou os episódios (este site oevento.pt não pede donativos) que o faça via paypal, sendo que o mail para a transferência é este: www.oevento.pt@gmail.com (doe o que puder: na doação após introduzir o mail escolha a opção "doar a um amigo").
Este episódio arrecadou 0 euros (5/7/2019) (sempre que doar coloque neste artigo um comentário com o valor).
(este parágrafo continuará a ser exibido até este episódio atingir o valor de 60 reais ou 15 euros, sendo que este site contribui com outra parte maior). (se desejar pode ainda ajudar fazendo uma transferência bancária: envie mail e ser-lhe-á dada a conta bancária, do Brasil).

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook), para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

revelação cósmica temporada 13 episódio 10

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGAMA ESPACIAL SECRETO

George Noory: O que poderia ser mais empolgante do que uma missão ao espaço sideral?

E o que dizer de explorar os pontos mais profundos do nosso próprio planeta, a Terra?

Conosco hoje, é claro, está Emery Smith, que foi enviado em missões para a Terra Interior.

Emery, bem-vindo ao programa.

Emery Smith: Obrigado por me receber, George.

Agradeço. Tem havido muita discussão nos últimos anos sobre a Terra Interior.

O falecido almirante Richard Byrd sobrevoou o topo do planeta em uma área que ele sempre disse que estava cheia de coisas incríveis.

Qual seria a sua experiência?

Emery Smith: Na verdade, usamos portais para entrar nessas áreas. Há algumas áreas muito limitadas que você pode acessar através das falhas, fendas e cavernas do planeta Terra.

Estou tentando visualizar isso, Emery, quando você falou sobre portais e fendas. Para mim, parecem pequenas fendas e aberturas para chegar lá. Mas não deveria haver uma abertura maior, em algum lugar, com uma fenda por onde se entrar?

Emery Smith: Bem, acho que há na Antártida.

Nós os vimos nos mapas, buracos gigantes sob o gelo, com centenas de metros de diâmetro. Eu não sei aonde vão dar, mas estão lá com certeza. Eu sei que há mais coisas sendo divulgadas todos os dias sobre a Antártida, e acho que será exposto provavelmente este ano sobre a civilização que há lá, e também a nave que está lá.

Há uma nave enorme lá embaixo.

Acho que grande parte disso será revelado muito em breve.

Quando você atravessa esses portais, como você viaja?

Você está em uma nave ou o quê?

Emery Smith: Temos drones especiais que parecem com cobras gigantes.

Eles são robóticos de certa forma.

E eles podem operar sozinhos por meses seguidos,

usando a energia magnética da Terra.

E eles são revestidos em um plasma especial.

E eles enviam esses drones primeiro, porque eles podem passar pelas pequenas fendas, ou por diferentes tipos de terreno.

E você vai dentro dessa coisa?

Emery Smith: Não, não.

Não vamos dentro dessas coisas.

Eles têm entre 2 e 3,5 metros de comprimento.

Eles trazem informações.

Eles fazem tráfego de informações.

Eles estão tentando não destruir esses bolsões dentro da Terra que têm vida neles.

É por isso que enviamos esses drones através dos aquíferos, através das grutas e cavernas gigantes que existem ao redor do mundo.

Antes de enviar um humano.

Emery Smith: Bem, não podemos realmente enviar um humano.

Não dá para passar por elas.

É muito distante e extenso, e os trajes que temos não são…

Apropriados para isso?

Emery Smith: Sim.

Não é forte o suficiente para fazer isso ainda.

E você disse que esses drones-cobra, têm cerca de 2 m de comprimento?

Emery Smith: Sim.

Eles se parecem com cobras.

Emery Smith: Eles me fazem lembrar de algo que a China criou há um tempo, pequenas cobras de plástico, que você segura pela cauda e elas são todas segmentadas?

Sim.

Emery Smith: Tem esse tipo de segmentação.

Por isso consegue entrar em certas áreas.

E como eu disse, tem um revestimento especial de um gel hidro-plasmático sobre ele, que o faz operar por conta própria.

Interessante.

Emery Smith: E isso permite que também deixe um resíduo por onde passa.

Então é ótimo na água.

Pode nadar facilmente através da água.

Pode entrar em fendas muito apertadas.

Tem inteligência artificial, então sabe manobrar usando uma incrível tecnologia alienígena que fizemos engenharia reversa.

Houve um coronel que, aparentemente, levou você a uma sala especial e lhe mostrou uma holografia da Terra Interior

Como foi isso?

Emery Smith: Havia uma mesa gigante na sala, e ela tinha um mapeamento interno da Terra.

É como um GPS para o interior da Terra.

Tinha uma forma tridimensional, que poderia ser manipulada com as mãos.

Usava-se apenas as mãos para procurar, e dava para ampliar em uma área.

E foi filmado em diferentes comprimentos de onda.

Então, estava em infravermelho, em cores, em vídeo, estava em muitos tipos diferentes de comprimentos de onda.

E você poderia escolher se quisesse ver apenas as assinaturas de calor das criaturas lá em baixo, e então focar e ver uma pequena toupeira, ou uma coisa gigante parecida com uma anaconda.

Então, havia muita vida lá embaixo.

E esses mapas têm sido usados, até onde eu sei, há mais de duas décadas.

Esse sistema provavelmente já está excedendo agora qualquer tipo de tecnologia que possamos imaginar.

Quem teria mapeado, pessoas como você que foram lá embaixo?

Emery Smith: Bem, o mapeamento tinha que a ver com radar de baixa penetração no solo, primeiramente.

E eles usam satélites especiais que estão ao redor da Terra, que disparam como raios-x…

No planeta.

Emery Smith: …no planeta e mapeiam tudo isso.

E o que eles fazem com esse mapa?

Emery Smith: Bem, o que eles fazem é estudar as biosferas desses bolsões gigantes.

E alguns são bem pequenos, talvez do tamanho de um estádio de futebol; alguns são tão grandes quanto 100 estádios de futebol.

E possuem sua própria energia dentro deles, seja geotérmica ou bioluminescente, para manter as criaturas vivas lá dentro, gerando seu próprio oxigênio.

Algumas bolhas dessas esferas, dentro dos bolsões da Terra, também são perigosas para os humanos.

Não pode entrar lá porque há metano ou dióxido de carbono.

Como provavelmente deveria haver, suponho.

Emery Smith: Exato.

E assim como existem certas criaturas na Fossa das Marianas, que podem sobreviver em água muito quente e produtos químicos nocivos sendo expelido do planeta, há formas de vida lá que não conseguiriam sobreviver aqui na superfície da Terra, somente nessas áreas especiais de contenção.

Qual era o tamanho do mapa que eles mostraram a você? Era um enorme mapa holográfico?

Emery Smith: Sim.

O mapa holográfico começa como uma bola de basquete.

E você pode expandi-lo até que preencha esta sala.

A sala tinha cerca de 13 metros de diâmetro, talvez.

Você poderia estar dentro e ampliá-lo, e sentiria como se estivesse dentro da própria esfera, da atmosfera.

É como um mapa virtual.

Emery Smith: É. É como um mapa virtual, e era possível caminhar pelo mapa dentro da sala, observando os fluxos.

Como se estivesse mesmo lá.

Emery Smith: Como se estivesse mesmo lá, e vendo em diferentes comprimentos de onda.

Você poderia definir o computador…

Se quisesse ver como naquele filme, “Predador”, que ele tinha visão térmica, era possível fazer coisas assim.

Poderia procurar em diferentes tipos de comprimentos de onda.

Pode também sentir as frequências da área, e pode ouvir os sons daquele exato momento.

Quando viu pela primeira vez a sala do mapa, quando viu e ficou ciente da Terra Interior, no que você pensou?

Isso te deixou abismado?

Emery Smith: Bem, eu acho que a maior surpresa foi não saber que havia tantos pontos ocos dentro da Terra.

Porque eu fui ensinado que havia um núcleo, magma, a crosta e todas as camadas. E não é nada disso.

É mais como um favo de mel.

Há muitas áreas, muitos aquíferos.

E há enormes bolsões de vida florescendo lá embaixo.

Eu fiquei muito admirado.

Era como outro planeta dentro de um planeta, para ser sincero.

Eles levaram você na Terra Interior?

Emery Smith: Eu já fui lá através de portais, sim.

Por quê? O que tem lá embaixo?

Bem, principalmente para coletar amostras, como fazíamos um tempo atrás, indo a planetas diferentes.

Talvez.

Eu não sei disso de fato.

Posso apenas dizer que talvez fosse apenas a Terra Interior.

Você não fez parte do grupo que passou tempo lá embaixo e morava lá embaixo. Por que queriam você lá embaixo?

Emery Smith: Na verdade, eles estão monitorando isso, porque querem preservar.

Há muitas tribos amazônicas e outras tribos pelo mundo que não queremos infectá-las.

E poderia acontecer que, se em vez de enviarmos um drone, enviarmos uma pessoa até uma área, poderíamos matar toda a civilização de alguma coisa… de animais, flora, fauna e coisas assim.

Então eles estão sendo muito cuidadosos, muito delicados.

Há partes, no entanto, que as pessoas já foram, fizeram uma jornada ao centro da Terra, por assim dizer, e sabem que é seguro ir até lá, e que as bactérias e vírus não vão matar as pessoas.

Você precisou usar um traje especial ou algo assim?

Emery Smith: Sempre usamos trajes especiais que cobrem todo o corpo.

Sim.

Quando você estava lá embaixo, era tudo escuro ou iluminado?

É uma boa pergunta. Às vezes, é muito escuro.

E, claro, usamos iluminação especial, equipamentos de visão noturna, lanternas e coisas assim.

E temos drones e dispositivos robóticos que levamos para nos ajudar com esse tipo de coisa.

Mas, na maior parte, cria sua própria atmosfera iluminada, com um tipo de bioluminescência, um tipo de produto químico, mas em mais profundidade.

Pense quando São Francisco é tomada por neblina, e imagine todas aquelas partículas de umidade e poluição brilhando.

Então, tudo está aceso.

Tudo está iluminado.

Emery Smith: Está tudo iluminado por conta de uma nuvem.

E eu não entendo a ciência exata por trás disso, mas foi isso o que eu testemunhei.

Quanto tempo você passou lá embaixo?

Emery Smith: O tempo mais longo que passei lá foi um dia.

Um dia inteiro?

Sim.

Pode dormir lá embaixo?

Sim, pode. Você está muito ocupado. Você tem uma lista de coisas para fazer como técnico.

E há muitos de nós que estão lá fazendo diferentes tipos de trabalhos.

Quando você entrou na Terra Interior, você entrou pelo Polo Sul ou pelo Polo Norte?

Não. Passamos por uma base, através dos nossos sistemas de portais.

Mas, digo, onde fica isso? O que eu passei?

Emery Smith: Sim.

Qual a posição geográfica?

Emery Smith: Foi no Novo México.

Fica no Novo México?

Emery Smith: Sim. O portal do qual falo é um portal natural, onde passa por um véu e você já está lá.

Quantos portais existem no planeta?

Minha nossa… Não conseguiria dizer.

Estão por toda parte?

Emery Smith: Provavelmente mais de 180 que eu saiba.

Alguém poderia atravessar um deles acidentalmente e parar no centro do planeta?

Emery Smith: Sim. Já houve incidentes, mas a maioria dessas coisas agora está sob controle estrito.

Estão sob forte segurança, mesmo se estiverem no meio do nada, onde ninguém iria.

Eles têm satélites especiais que monitoram essas áreas.

E houve coisas como animais e pessoas sumindo do nada, no passado, mas não acontece mais com tanta frequência.

Se eu observasse você entrando em um portal, seria como se você desaparecesse?

Sim.

Era isso o que eu veria?

Emery Smith: Você me veria entrando no nada. Você me veria sumindo no nada.

E quando você voltasse, eu veria você aparecer de repente.

Emery Smith: Sim… Não, não seria como
aparecer do nada.

Você veria um alinhamento da minha estrutura atômica.

Eu saberia que algo estava acontecendo.

Emery Smith: Correto.

Você conseguiria ver.

Sim.

Muitas pessoas testemunharam naves entrando em montanhas e desaparecendo.

Quero dizer, aviões e outras coisas.

O Triângulo das Bermudas pode ser uma área, não?

Há muitas filmagens excelentes online que mostram motocicletas descendo a rua e, de repente, elas não estão lá, e pessoas também.

Algumas vezes, essas coisas são mudanças nos portais, porque um portal pode se mover.

E não precisa necessariamente estar preso ao chão. Pode estar no céu em algum lugar, certo?

Emery Smith: Correto.

Como o Triângulo das Bermudas.

Então um avião poderia voar através dele.

Um avião pode entrar, sumir por um ano, e voltar.

Sim.

Para voltar, você precisa voltar através desse mesmo portal, ou poderia aparecer em outra área?

Os portais estão configurados no eixo da Terra.

E tem a ver também com o sistema solar e como tudo está alinhado, especialmente o sol.

Porque ele usa a energia de todos os planetas, do sol, e da Terra para acessar os portais da Terra Interior, não os portais universais.

A propósito, esses são diferentes.

Você foi convidado a descer lá para fazer alguma tarefa especial?

Emery Smith: Sim.

Pediram que eu fosse lá para coletar amostras, e também gravar seres, e fazer tudo secretamente para que não soubessem.

E usávamos trajes especiais que nos deixavam camuflados e invisíveis, como um fotógrafo da National Geographic faria no Serengeti…

Entendo.

Emery Smith: …para observar e gravar com uma variedade de equipamentos incríveis.

E as atmosferas lá embaixo também eram muito interessantes.

Elas eram iridescentes, às vezes da cor do arco-íris.

Às vezes, tínhamos que usar óculos especiais, e nossos capacetes conseguiam mudar a tonalidade, porque há certas luzes que podem ser perigosas para nós.

Perdemos algum homem ou mulher lá embaixo?

Muitas pessoas morreram nessas missões, sim.

Você já esteve em uma posição em que pensou que não conseguiria voltar?

Emery Smith: Sim, já estive.

O que aconteceu?

Não conseguimos chegar ao portal para ativar de volta.

Para voltar?

Emery Smith: Sim.

Deve ter sido assustador.

Emery Smith: Sim, foi muito assustador.

Você quase não conseguiu voltar.

Emery Smith: Sim.

Como eles finalmente o abriram? Ou como vocês finalmente o encontraram?

Emery Smith: Bem, como eu disse, os portais podem se mover, e levávamos magnetômetros especiais para nos informar onde estava e por quanto tempo ficaria aberto.

Porque você só tem um certo tempo para conseguir chegar ao local.

Poderia fechar?

Emery Smith: Sim. É como fazemos no espaço, podemos ter apenas um prazo de 15, 30 minutos.

Mas, na Terra Interior, é muito diferente, e a Terra se move o tempo todo.

O NÚCLEO DA TERRA

O núcleo da Terra Interior… As pessoas sempre pensam que o núcleo é como uma bola de boliche.

Não é.

Parece mais uma bolha.

Na verdade, pode se mover, é fluido.

E isso desencadeia diferentes anomalias magnéticas.

Então, usamos principalmente portais que foram usados por milhares de anos, que descobrimos por meio de textos antigos e que sabemos que são seguros.

Mas, às vezes, acidentes acontecem.

Se você está passando por um portal, Emery, e, de alguma forma, ele começa a se fechar…

Emery Smith: Sim.

…e metade sua está passando e a outra metade ainda não passou, vamos dizer que você passou apenas o torso, o que acontece com a sua outra metade?

Emery Smith: Eu nunca vi isso acontecer.

Quero dizer, isso me lembra do Experimento Filadélfia, quando pessoas ficaram com metade do corpo presas no navio.

Emery Smith: Sim.

Foi uma experiência que deu terrivelmente errada.

O tempo é real lá embaixo?

Emery Smith: Se você entrar ao meio-dia e passar uma hora lá, será 1 da tarde quando você sair?

Sim.

A Terra ainda está girando, você ainda está na Terra, e você ainda está neste sistema solar, circundando o sol, então, tudo ainda segue o mesmo tempo.

Quando você estava lá embaixo, você fez referência a uma nave de algum tipo. Explique isso.

Emery Smith: Bem, havia uma nave nas profundezas da Terra, e tínhamos outra nave semelhante.

E tentávamos comparar para ver se era da mesma civilização, e porque estava lá.

E, claro, com o mapa, você ainda pode ampliar e ver a nave.

Há muitas naves lá embaixo.

Um era triangular com um topo redondo em cima.

Elas eram grandes?

Emery Smith: Enormes. Sim, naves enormes, maiores que um campo  de futebol, às vezes.

Minha nossa!

Emery Smith: E algumas são bem pequenas, do tamanho de um Fusca.

Uma delas poderia ser a nave-mãe e a outra uma pequena…

Emery Smith: Sim. E muitas delas… É um exemplo excelente sobre o qual eu nunca falo.

Muitas dessas naves maiores dentro da Terra têm centenas de naves menores ligadas a elas.

E é por isso que muitas pessoas veem no céu, às vezes, uma luz brilhante e depois várias luzes pequenas começam a disparar para todos os lugares.

E são essas naves.

São todas feitas de luz.

De onde as naves vieram? Quero dizer, os seres da Terra Interior as criaram, ou foram levadas para lá?

Emery Smith: A maioria dessas naves foi teletransportada, e meio que ficaram presas, de outra dimensão.

Talvez elas tenham passado por um portal e acabaram no meio de um grande pedaço de ferro na Terra.

Essa é minha opinião.

Elas ainda estão lá?

Emery Smith: Sim, estão.

Quero dizer, as naves ainda estão lá.

Mas não há nenhum ser vivo.

Mas elas não voam?

Emery Smith: Não. Com certeza não voam. Elas estão lá há muito tempo.

E se houver pessoas que ainda as operam?

Com certeza algumas operam constantemente em nossa atmosfera, o tempo todo, camufladas.

O tempo todo.

E, às vezes, durante tempestades de relâmpagos, você conseguirá vê-las, ou em flutuações diferentes de partes variadas da Terra.

Costumam ver essas coisas ao redor de vulcões, grandes terremotos e coisas assim.

E, às vezes, elas voltam à nossa frequência, para que possa vê-las apenas um pouquinho.

Então, elas ainda existem.

Mas a que eu estou me referindo no subsolo não está operacional e não abriga quaisquer formas de vida.

Por que não tentamos extraí-las?

Emery Smith: É muito profundo. Fica nas profundezas da Terra. Se fizerem alguma coisa, provavelmente usarão os mapas e enviarão drones até certo ponto lá embaixo,  porque estamos falando de muitos, muitos quilômetros.

Por que isso é mantido em segredo de nós, Emery?

Emery Smith: Bem, eu acho que eles querem preservá-las, primeiramente, e eles não querem que alguém vá à ONU e diga: ”Não, nós reivindicamos isso, porque está 50 km abaixo do nosso país.”

Ou isso está aqui, e aquilo lá.

É provável que leve a uma guerra.

Porque as pessoas vão…

Elas já estão vendendo terrenos na Lua e em Marte em determinados sites.

Acho tudo isso muito engraçado, pois estamos aqui na Terra.

Vamos vender partes do oceano agora?

Se fosse divulgado, acredito que a primeira coisa que aconteceria é que iriamos nos infiltrar e então destruir, como estamos fazendo com o planeta Terra agora.

Então, pelo menos estão fazendo a coisa certa, e apenas monitorando e usando equipamentos especiais para obter amostras sem ter sempre que ir lá fisicamente para pegar coisas.

Você já se perguntou: por que me escolheram para fazer isso? Por que estou aqui embaixo?

Emery Smith: Bem, há muitas pessoas qualificadas como eu, dentro e fora das Forças Armadas, viajando por todo o Universo e fazendo coisas como as que eu fazia, que era coletar amostras.

Era isso o que eu fazia.

Quando eles lhe mostraram o mapa holográfico pela primeira vez, você ficou maravilhado com ele? Digo, foi assim: ”Meu Deus, isso está lá embaixo?”

Emery Smith: Bem, não.

Na verdade, eu já havia sido informado um ano antes, e já tínhamos obtido amostras…

Então você sabia que havia algo lá embaixo?

Emery Smith: …que havia algo na Terra Interior, sistemas de túneis e cavernas, e aquíferos subaquáticos que poderia usar para viajar de uma parte do planeta a outra.

E muitas dessas áreas habitáveis na Terra estão cercadas por água.

Bem, é de se pensar que há muita água lá em baixo.

Emery Smith: Sim, sim.

Qual o propósito desse controle da Terra Interior, Emery? O que eles querem? Bem, quem são ”eles”?

Emery Smith: Bem, eu não sei.

Você pode me dizer quem ”eles” são.

Emery Smith: Bem, como eu disse, isso é uma observação.

E eles agora, com essa tecnologia, sabem onde todas as naves ocultas estão no subsolo.

Eles sabem onde todas as cidades antigas estão localizadas.

E eu acho que estão tentando criar uma história, provavelmente para nos desinformar, talvez pelos próximos 100 anos.

E eu acho que tem a ver com isso, porque isso muda a história, muda a religião moderna.

Quero dizer, tudo mudaria ao saberem que há algo mais acontecendo no planeta.

E sempre aconteceu, certo?

Emery Smith: Muitas coisas aconteceriam, e provavelmente haveria guerras por causa disso, para tentarem obter controle.

Interessante. Há civilizações avançadas lá embaixo?

Emery Smith: Não. Não sei de nenhuma. Existem extraterrestres com suas próprias instalações em diferentes partes do planeta, e que nós falamos…

S03E02 Humanos vivem há 18 milhões de anos no interior da Terra

Extraterrestres?

Emery Smith: Extraterrestres que já estão aqui há muito tempo.

E civilizações estão aqui há milênios.

E acho que são remanescentes desses outros seres que costumavam viver lá.

E precisa entender que os extraterrestres que vivem lá podem ir e vir à vontade, usando sua própria tecnologia especial, que não é como um jumbo ou um tipo de tuneladora.

Mas são todos extraterrestres ou alguns são deste planeta?

Emery Smith: Bem, eu acredito que alguns desses seres evoluíram neste planeta, como o ser de Atacama.

Da Terra Interior.

Emery Smith: Da Terra Interior, correto.

S03E04 Humanos Originais vivem no interior da Terra há milhões de anos

Há muitos avistamentos ao redor do planeta de pequenos seres correndo por aí, de 60 centímetros de altura, perto de cavernas, à noite, e coisas assim, que eu acho que se originaram aqui na Terra, de alguma forma, ao longo de centenas de milhares de anos.

Existe uma lacuna.

Não podemos explicar como chegamos do Cro-Magnon até aqui.

É um grande questionamento.

Mas eu acredito que esses sejam os seres de quando as pessoas falam de fadas, gnomos, trolls e duendes.

E eu acho que eles fazem parte da Terra, que eles, de alguma forma, se formaram aqui.

Bem, assim como nós. Só aconteceu de eles estarem lá embaixo.

Emery Smith: Sim.

Bem, acredito que somos mais híbridos.

Acredito que tivemos muita engenharia genética, muita ajuda para chegar onde estamos.

Não acho que apenas desabrochamos de uma flor ou de um cogumelo na Amazônia.

Eu acho que é assim, por causa da lacuna que há, que não podemos explicar como evoluímos de primata até aqui, e eu acho que, para eles, é o contrário.

De alguma forma, eles surgiram da Terra.

E há tantas coisas acontecendo lá embaixo que ainda não entendemos, e estamos tentando preservar ao mesmo tempo.

Bem, está claro que esses seres estão por aí por muito tempo, e as pessoas ainda os veem em certas regiões do planeta. Então, o que eles fazem? Eles se espreitam de fendas e portais, sobem até a superfície e depois saem correndo de volta lá para baixo?

Emery Smith: Não.

Eu não acredito nisso.

Acho que alguns deles estão sendo expulsos da sua área devido a certas coisas que talvez estamos fazendo, e que está ferindo a Terra.

Então eles estão vindo mais para a superfície.

Para sobreviver?

Emery Smith: Para sobreviver, sair dos focos e diferentes tipos de…

Há muitos terremotos, vulcões e coisas que estão acontecendo através de ondas escalares e da fotometria, que são nossa culpa.

Criamos esses dispositivos, e isso estão arruinando a Terra Interior também.

E isso está prejudicando os nativos, ou como queira chamar, os seres da Terra Interior.

Então eles estão se movendo, e as pessoas estão começando a vê-los aqui e ali.

É como jogar água em um buraco de formigas, e as formigas começam a sair.

Emery Smith: Excelente.

Sim, exatamente.

E você disse que eles têm cerca de 60 cm de altura?

Emery Smith: Bem, existem muitos tamanhos diferentes.

Mas os que estão sendo relatados por toda a América do Sul, África, Europa e China parecem todos ter menos de 1,20 m.

Então eles devem estar fugindo da Terra Interior.

Emery Smith: Tem alguma coisa acontecendo, obviamente, que está destruindo o habitat deles, que fica embaixo da terra.

Como são as cidades antigas deles?

Emery Smith: Bem, primeiramente, são muito primitivas.

Parece o antigo estilo romano.

É tudo feito de pedra, mas um granito mais natural… escavado em paredes de caverna… e não há estruturas domésticas no interior.

Não há condomínios nem nada disso.

Eles não têm…

Eles não têm alta tecnologia.

Emery Smith: Eles não têm alta tecnologia, mas eles têm uma tecnologia especial.

Eles dominam a levitação, sabem como mover uma rocha gigante, eles sabem como produzir água, sabem como fazer elementos para sobreviver, e, também, eles podem controlar sua temperatura.

Você os consideraria benevolentes?

Emery Smith: Sim.

Bem-intencionados?

Emery Smith: Sim. Com certeza.

A flora e a fauna são mais perigosas do que qualquer outra coisa, algo que falaremos mais tarde.

E as criaturas que vivem lá embaixo, também, que são como se você estivesse no Serengeti, e se chegar perto dos leões, eles podem devorá-lo.

Às vezes, quando vemos coisas, Emery, que só podemos imaginar, chega a ser emocional. É muito dramático. Isso aconteceu com você?

Emery Smith: Sim.

Muitas vezes, especialmente ao encontrar carcaças de coisas que eu não entendia o que eram, eu me sentia emotivo…

Havia apegos emocionais a certos seres lá embaixo que eram… que você sabia que estavam conscientes.

Você sabia que o animal estava consciente quando olhou para você.

Você sabia que o ser o via, mas nem se importava com você, apenas continuava.

O fato de você ir a público sobre isso agora, existem grupos ou agências que estão irritadas por você dizer essas coisas?

Emery Smith: Não sobre a Terra Interior.

Eles não me querem falando, claro, sobre os hologramas, os radares, os satélites e as coisas que temos, porque ninguém vai acreditar no que estou dizendo mesmo.

Eles sabem que haverá uma pequena parte do público que vai acreditar que há fadas vivendo embaixo da Terra.

Eu não diria que ninguém vai acreditar em você. Eu acho que você tem bastante seguidores e as pessoas provavelmente acreditarão em você.

Emery Smith: Eles ficam chateados quando falo sobre a tecnologia.

Eles ficam chateados quando eu ensino ao mundo como fizemos isso, como a viagem no tempo é possível, como a tecnologia de portal é real, como tudo isso existe.

E tudo está sendo revelado aos poucos.

Alguém está ouvindo, o que é bom, e ajuda a me dar credibilidade.

Qual diria que foi a informação mais importante que obtivemos sobre a Terra Interior?

Emery Smith: Eu acho que a coisa mais importante que aprendemos da Terra Interior é preservação, primeiramente.

E por que não podemos trazer essa preservação até aqui, na superfície da Terra, e começar a usá-la de maneira profissional?

Utilizando as tecnologias, é claro, que estão lá embaixo e que são todas naturais, com diferentes elementos, minerais e coisas assim, que podem ajudar também a curar muitos dos problemas que temos aqui na superfície da Terra.

Por que não estamos fazendo isso?

Emery Smith: Bem, está suprimido.

Tudo é sempre suprimido pelas grandes corporações e diferentes governos políticos dentro dos governos, e as pessoas nem sequer sabem sobre esses governos, que possuem tecnologias avançadas e coisas assim.

Você iria de novo?

Emery Smith: Com certeza.

Sim.

Aí está. Outra grande experiência de Emery Smith. Obrigado por assistir ”Revelação Cósmica”.

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO

Partilhar no Facebook

One Commnet on “S13E10 Eles dominam a levitação, sabem como mover uma rocha gigante

  1. Óptima narrativa do Emery dando-nos conta do que viu lá “embaixo” e principalmente da preocupação com a preservação das espécies nativas.
    No entanto parece que eles ainda não tomaram contacto com a civilização mais importante e avançada que existe no interior da Terra que é o Reino de Agartha cuja capital é a mítica cidade de Shambhala e os extraordinários seres que ali habitam são extremamente evoluídos e benevolentes, são também eles que também estão a ajudar a humanidade que habita a superfície a alcançar a sua própria libertação e se darão a conhecer ao mundo quando acontecer O Evento para o qual estão contribuindo grandemente.
    Gratidão, muita Paz e Vitória da Luz sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.