A Lei do Uno - livro 2

A LEI DO UNO ~ sessão 50 ~ porque perdemos a memória quando reencarnamos

Partilhar no Facebook

50.2 QUESTIONADOR: Na última sessão, [você] fez uma declaração de que experiências são atraídas à entidade através do pólo sul. Você poderia expandir sobre isso e nos dar uma definição do que você quis dizer?
RA: Eu sou Ra. Exige-se alguma consideração para realizar a perspectiva apropriada para o entendimento do sentido da informação acima. O pólo sul ou negativo é um que atrai. Ele puxa para si mesmo aquelas coisas magnetizadas para ele. Da mesma forma com o complexo mente/corpo/espírito. O influxo de experiência é do influxo do pólo sul. Você pode considerar isto uma declaração simplista.
A única parte específica desta corretude é aquela que o raio vermelho, ou centro de energia da fundação, sendo o mais baixo ou centro de energia raiz do veículo físico, terá a primeira oportunidade para reagir a qualquer experiência. Apenas desta forma você pode ver um locus físico do pólo sul sendo identificado com o centro de energia raiz. Em todas as faces da mente e do corpo a raiz ou fundação terá a oportunidade de funcionar primeiro.
O que é esta oportunidade além de sobrevivência? Esta é a possibilidade raiz de resposta e pode ser considerada como característica das funções básicas de ambas mente e corpo. Você achará este instinto o mais forte, e uma vez isto balanceado, muito é aberto ao buscador. O pólo sul então cessa o bloqueio dos dados experienciais e os centros de energia mais altos da mente e do corpo são servidos de oportunidades para usar a experiência atraída a eles.

50.3 QUESTIONADOR: Porque você diz que a experiência é atraída ou induzida à entidade?
RA: Nós dizemos isto devido a nosso entendimento de que esta é a natureza do fenómeno da catálise experiencial e sua entrada na percepção do complexo mente/corpo/espírito.

50.4 QUESTIONADOR: Você poderia dar um exemplo de como uma entidade estabelece uma condição para atrair uma catálise experiencial, em particular, e como essa catálise é então provida ou é aprendida.
RA: Tal exemplo pode ser dado.

50.5 QUESTIONADOR: Você o daria?
RA: Nós pausamos para examinar a consciência deste instrumento para permissão para usar sua catálise experiencial como exemplo. Nós podemos prosseguir.
Este é um exemplo e extrapolação pode ser feita às outras entidades que estão cientes do processo de evolução. Esta entidade escolheu, antes da encarnação, os meios pelos quais a catálise tinha grande possibilidade de ser obtida. Esta entidade desejou o processo da expressão do amor e luz sem esperar nenhum retorno. Este instrumento programou também o esforço para realização de trabalho espiritual e se confortar com o companheirismo na realização desse trabalho.
Acordos foram realizados antes da encarnação; o primeiro, com os assim chamados pais e irmãos dessa entidade. Isto proveu a catálise experiencial para a situação de oferta do resplendor do ser sem expectativa de retorno. O segundo programa envolveu acordos com diversas entidades. Estes acordos proveram e proverão, em seu continuum tempo/espaço e espaço/tempo, oportunidades para catálise experiencial de trabalho e camaradagem.
Há eventos que eram parte de um programa para esta entidade apenas no sentido de que eles eram vórtices de possibilidades/probabilidades tendo a ver com sua cultura societária. Estes eventos incluem a natureza do estilo de vida ou padrão de vida, o tipo de relacionamentos inseridos em sua estrutura legal e o clima social durante a encarnação. A encarnação foi entendida como sendo uma que ocorreria na colheita.
Estes dados, digamos, se aplicam a milhões de suas pessoas, aqueles cientes da evolução e desejosos ao extremo de obter o coração do amor e o resplendor que dá entendimento. Não importa quais as lições programadas, elas têm a ver com outros-selfs e não com eventos. Elas têm a ver com dar, e não receber, pois as lições do amor são desta natureza tanto para o positivo quanto para o negativo. Aqueles negativamente colhíveis serão encontrados neste momento se empenhando em compartilhar seu amor ao self.
Existem aqueles cujas lições são bem mais aleatórias devido a suas atuais incapacidades de compreenderem a natureza e o mecanismo da evolução da mente, corpo e espírito. Destes, nós podemos dizer que o processo é guardado por aqueles que nunca cessam suas expectativas vigilantes por servir. Não há entidade sem ajuda, seja pela autopercepção da unidade da criação ou através dos guardiães do self, que protegem a mente/corpo/espírito menos sofisticada de qualquer separação permanente da unidade, enquanto as lições de sua densidade continuam.

50.6 QUESTIONADOR: Você poderia dar um exemplo da polarização negativa do compartilhamento do amor ao self? Parece-me que isso depreciaria a polarização negativa. Você poderia expandir sobre esse conceito?
RA: Nós não podemos usar exemplos de seres conhecidos devido aos infringimentos que isto causaria. Portanto, nós devemos generalizar.
O ser negativamente orientado será um que sentirá que encontrou poder que dá sentido a sua existência precisamente como a polarização positiva se sente. Esta entidade negativa se esforçará para oferecer estes entendimentos a outros-selfs, mais frequentemente pelo processo da formação de uma elite, os discípulos e o ensino da necessidade e corretude da escravidão de outros-selfs para seus próprios bens. Estes outros-selfs são concebidos como sendo dependentes do self e em necessidade da orientação e sabedoria do self.

50.7 QUESTIONADOR: Você poderia expandir sobre esse conceito: que é necessário para uma entidade que, durante a encarnação no físico, como nós o chamamos, se torne polarizada ou interaja apropriadamente com outras entidades e por que isto não é possível no período entre as encarnações, quando ele está ciente do que ele quer fazer, mas por que ele deve vir à encarnação e perder a memória, memória consciente do que ele deseja fazer e então agir de uma forma que ele espera agir? Você poderia expandir sobre isso, por favor?
RA: Nos deixe dar o exemplo do homem que vê todas as mãos no poker. Ele então conhece o jogo. Não é nada além de brincadeira de criança jogar, pois não há riscos. As outras mãos são conhecidas. As possibilidades são conhecidas e a mão será jogada corretamente, mas sem ganhos.
Em tempo/espaço e na densidade de cor verdadeira verde, as mãos de todos estão abertas aos olhos. Os pensamentos, os sentimentos, os problemas, todos estes podem ser vistos. Não há trapaça e nenhum desejo por trapaça. Assim, muito pode ser realizado em harmonia, mas a mente/corpo/espírito ganha pouca polaridade a partir desta interação.
Deixe-nos reexaminar esta metáfora e multiplicá-la ao jogo de poker mais longo que você pode imaginar, uma vida. As cartas são amor, aversão, limitação, tristeza, prazer, etc. Elas são distribuídas e redistribuídas e redistribuídas continuamente. Você pode, durante esta encarnação, começar – e nós enfatizamos começar – a conhecer suas próprias cartas. Você pode começar a encontrar o amor dentro de você. Você pode começar a balancear seu prazer, suas limitações, etc. Entretanto, sua única indicação das cartas de outros-selfs é olhá-los nos olhos.
Você não pode lembrar sua mão, as mãos deles, talvez até mesmo as regras deste jogo. Este jogo pode apenas ser ganho por aqueles que perdem suas cartas na influência derretida do amor; pode apenas ser ganho por aqueles que dispõem seus prazeres, suas limitações, seus tudos sobre a mesa, com as cartas para cima e dizem interiormente: “Vocês, todos vocês jogadores, cada outro-self, quaisquer que sejam suas cartas, eu os amo.” Este é o jogo: conhecer, aceitar, perdoar, balancear e abrir o self em amor. Isto não pode ser feito sem o esquecimento, pois carregaria nenhum peso na vida da totalidade do estado do ser da mente/corpo/espírito.

50.8 QUESTIONADOR: Como a habilidade de se manter imagens visuais na mente permite ao adepto realizar polarização em consciência sem ação externa?
RA: Esta não é uma questão simples, pois o adepto é aquele que irá além do raio verde que sinaliza a entrada na capacidade de colheita. O adepto não irá simplesmente tocar na energia inteligente como sinal de seu preparo para colheita, mas tocará em ambas energia inteligente e infinidade inteligente para o propósito de transmutação da consciência e capacidade de colheita planetária.
Os meios deste trabalho residem no interior. A chave é, primeiro, silêncio, e em segundo lugar, unidade de pensamento. Dessa forma, uma visualização que pode ser mantida estável para o olho interior por diversos de seus minutos, como vocês medem tempo, sinalizará o aumento da unidade de pensamento do adepto. Esta unidade de pensamento, então, pode ser usada pelo adepto positivo para trabalhar em visualizações de rituais de grupo para o aumento da energia positiva, pelos adeptos negativos para o aumento do poder pessoal.

50.9 QUESTIONADOR: Você pode me dizer como o adepto, então, depois de ser capaz de manter a imagem por diversos minutos, o que ele faz então para afetar a consciência planetária ou aumentar a polaridade positiva? Eu ainda não entendi bem isso.
RA: Quando o adepto positivo toca a infinidade inteligente a partir do interior, esta é a mais poderosa das conexões, pois é a conexão do microcosmo do todo do complexo mente/corpo/espírito, com o macrocosmo. Esta conexão habilita a, digamos, cor verdadeira de raio verde em tempo/espaço a se manifestar em seu tempo/espaço. No raio verde, pensamentos são seres. Em sua ilusão, isto não é normalmente assim.
Os adeptos, então, se tornam canais vivos para amor e luz e são capazes de canalizar este resplendor diretamente para a rede planetária ou ligações de energia. O ritual irá sempre terminar com o aterramento desta energia em prece e agradecimento e a liberação desta energia no todo planetário.

50.10 QUESTIONADOR: Eu sei de pessoas que têm sido recentemente treinadas em meditação, que após um período muito breve de meditação intensa, dois dias ou algo assim, são capazes de causar o efeito de ação à distância em metal, dobrando-o. É meu entendimento que eles estão usando um fio em forma de pirâmide em suas cabeças enquanto fazem isto. Eu fui convidado a uma das sessões de meditação alguns anos atrás, mas eu não pude ir até lá. Você poderia comentar sobre este processo e se eles estão realizando alguma coisa de valor ou não?
RA: Não. Por favor, pergunte mais uma questão completa neste trabalho.

50.11 QUESTIONADOR: Você poderia me dar mais informações sobre os campos de energia do corpo com relação ao cérebro direito e esquerdo e se isto está, de alguma forma, relacionado à forma da pirâmide com relação à focalização de energia? Eu estou um pouco perdido em como exatamente chegar a esta linha de questionamento, então eu perguntarei esta questão.
RA: Nós estamos similarmente perdidos nesta linha de resposta. Nós podemos dizer que a forma de pirâmide não é nada além de uma que foca os influxos de energia para uso por entidades que podem se tornar cientes destes influxos. Nós podemos dizer, ainda, que a forma de seu cérebro físico não é significante como forma para concentrar influxos de energia. Por favor pergunte mais especificamente, se você puder, por aquela informação que você busca.

50.12 QUESTIONADOR: Cada um de nós sente, em meditação, energia na cabeça em vários lugares. Você poderia me dizer o que é isto e o que isto significa e o que os vários lugares nos quais nós sentimos isto significam?
RA: Esquecer a pirâmide será útil para você no estudo destas experiências. Os influxos de energia são sentidos pelos centros de energia que precisam de, e estão preparados para, ativação. Assim, aqueles que sentem o estímulo no nível do raio violeta estão recebendo exatamente isso. Aqueles sentindo isto dentro da testa entre as sobrancelhas estão experienciando o raio índigo e assim por diante. Aqueles experienciando formigamentos e imagens visuais estão tendo algum bloqueio no centro de energia sendo ativado e assim o corpo elétrico espalha esta energia para fora e seu efeito é difuso.
Aqueles que não requerem verdadeiramente e sinceramente esta energia, podem ainda senti-la se as entidades não estão bem treinadas em defesa psíquica. Aqueles que não desejam experimentar estas sensações e ativações e mudanças, mesmo sobre o nível subconsciente, não experienciarão nada devido a suas habilidades de defesa e armadura contra mudança.
50.13 QUESTIONADOR: Agora estou tendo duas sensações simultaneamente. Isto é normal ter duas de uma vez? 172
Sessão 50
RA: Eu sou Ra. O mais normal para o adepto é o seguinte: a estimulação índigo ativando aquele grande portal para a cura, trabalho mágico, atenção de prece e o resplendor do ser; e a estimulação do raio violeta, que é o dar e receber espiritual para e do Criador, do Criador para o Criador.
Esta é uma configuração desejável.
Há alguma questão breve antes de deixarmos este instrumento?
50.14 QUESTIONADOR: Há algo que possamos fazer para tornar o instrumento mais confortável ou melhorar o contato?
RA: Eu sou Ra. Vocês estão conscienciosos e seus alinhamentos estão cuidadosos. Seria bom certificar-se que o pescoço deste instrumento está cuidadosamente colocado sobre seu suporte.
Eu sou Ra. Eu os deixo, meus amigos, no amor e na luz do Uno Infinito Criador. Sigam adiante, portanto, se regozijando no poder e na paz do Uno Infinito Criador. Adonai.

Esta é a última sessão do 2.º livro “A Lei do Uno”

6 de maio de 1981
nota: a expressão Self refere-se ao Eu (pessoa), que nem sempre foi traduzido nos livros.

A Lei do Uno – os 5 livros e o resumo

Partilhar no Facebook

One Commnet on “A LEI DO UNO ~ sessão 50 ~ porque perdemos a memória quando reencarnamos

  1. A Resposta é simples… perdemos a memoria… porque desta forma, fica mais facil a manipulação e escravidão, ou seja tudo em nosso desfavor…. por se voce mesmo para os ajudar…. lembrariamos parcialmente e assim evitariamos cair em certas armadilhas… exemplo: RELIGIÂO…. na realidade nascemos para sermos enganados… desculpe o desabafo …. mas se analisarmos… é a mais pura verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.