Alimentação

Comida Vibracional ~ Aura dos alimentos

Partilhar no Facebook

Medição das Vibrações da Comida

O francês André Simoneton, especialista em eletromagnetismo, criou um experimento nos anos 1930 e 40, medindo as ondas eletromagnéticas de determinados alimentos.

Para permanecer em perfeita saúde, a nossa vibração deve ser em torno dos 6500 angstrom.

Com base nas suas descobertas, Simoneton dividiu os alimentos em quatro classes gerais.

Numa escala de zero a 10.000 angstroms, ele descobriu que o comprimento de onda humano básico era de cerca de 6,5 mil.

Alimentos que têm comprimentos de onda entre 6.500 e 10.000 angstroms, ele considerou como os da mais alta qualidade.

Nesta primeira classe são frutas maduras e sumos (sucos) de frutas obtidas após espremer (feitos e consumidos).
Legumes frescos crus e frutas ou cozidos à temperatura abaixo de 70 °.
Cereais, farinha e pão apenas com grãos integrais.
Outra categoria de alimentos superiores é representada pelas frutas oleaginosas e seus óleos essenciais: azeitona, amêndoas doces, sementes de girassol, coco, soja (modificada), amendoim e avelãs.
Alguns alimentos são superiores apenas se consumidos no momento da produção: como leite, manteiga e ovos. Permanecem vitais e superiores os queijos que são submetidos à fermentação, azeite, peixe do mar e marisco.

Na segunda categoria , com radiações de 6,5 a 3 mil angstroms, estão os vegetais cozidos em água fervente, leite, manteiga, ovos não recém-colhidos, mel, peixe cozido, óleo de amendoim, cana-de-açúcar e vinho.

A terceira categoria, com radiações muito fracas abaixo de 3.000 angstroms, é composta de carnes cozidas, salsichas, café, chá (preto), chocolate (regular), geleias, queijos processados ​​e pão branco.

A quarta categoria exibe praticamente nenhuma energia e inclui margarina, conservas, destilados alcoólicos, açúcar branco refinado e farinha branqueada.

Incorporando Alimentos Crus

A natureza nos presenteou com alimentos naturalmente cheios de vida. Quando você cozinha alimentos e muda o seu estado, adicionando calor, você muda a sua vibração, conteúdo de nutrientes e vitalidade.

Há uma crença predominante de que você precisa cozinhar a sua comida para matar bactérias nocivas, mas ao fazer isso você também reduz a densidade de nutrientes e a força vital em 1/3 ou mais.

Aura dos alimentos cozinhados e crus

Sopas de legumes e outros pratos podem ser aquecidos até 105-115 graus e ainda manter a sua integridade vibracional. Ao preparar leguminosas, tubérculos, e amidos, imersão e temperaturas mais altas são muitas vezes necessários para extrair os seus benefícios medicinais.

Qualidade da Comida

A vibração da comida é derivada da energia com a qual foi criada. A vitalidade de uma erva selvagem encontrada numa floresta remota, vai ter uma energia muito diferente do que uma erva não-orgânica cultivada numa fábrica ao lado da estrada, fora da área metropolitana.

Na foto abaixo, você pode ver a fotografia kirlian, que mostra a energia e a aura que irradia de dois cogumelos diferentes. Você pode ver que o cogumelo cultivado organicamente, à esquerda, tem mais luz e vibração do que um cogumelo comercialmente cultivado à direita.

Quanto mais alimentos naturais e de maior qualidade pudermos comprar, maior será a vibração. Cultivar a sua própria comida seria a melhor maneira de receber a maior vitalidade de sua comida!

Quando recolher alimentos para comer, faça o seu melhor. Algumas das coisas que você pode implementar se não conseguir cultivar sua própria comida são: faça compras nos mercados locais de agricultores, junte-se a um grupo e faça compras nas cooperativas agrícolas.

Muitas vezes os alimentos vibracionais mais altos, são dados livremente pela natureza ao seu redor.

Se um alimento tem uma alta vibração, então, por definição, ele teria sido produzido de uma maneira que está em harmonia com todas as formas de vida tocadas no seu ciclo de produção.

Não importa o que a sociedade se acostumou a comer, estamos num ponto em que devemos mudar o que comemos e nos afastar de alimentos que estão destruindo irreversivelmente o próprio planeta que nos sustenta. Se você come um animal ao invés de uma planta, você está recebendo a sua energia de segunda mão, que é muito menos eficiente.

A agricultura animal ocupa 45% de todo o espaço terrestre do mundo e é responsável por 51% de todas as emissões mundiais de gases de efeito estufa, à volta de 80% do consumo de água e  91% da destruição da Amazónia. É também a principal causa de extinção de espécies, zonas mortas oceânicas, poluição da água e destruição de habitats no mundo, e isso é apenas uma pequena fração das estatísticas.

Alimentos saudáveis ​​fazem uma grande diferença nos nossos estados de energia, mas há outras coisas que você pode incorporar que ajudarão a sua vibração, como respiração consciente, movimento, dança, tempo na natureza, meditação e outras atividades que podem renovar a mente.

Sol, ar, água e comida: os pilares da saúde

A cultura do povo, através de todas as idades, nos leva a depoimentos sobre como a comida é o principal elemento ligado aos rituais impostos pelos humanos. Todas as nossas histórias individuais giram em torno do principal instinto de preservação da espécie, portanto, o nosso eu. Isso acontece através da comida. Na comida, o eterno desafio da vida continua.

O ser humano, como todos os seres vivos, é composto não apenas da parte material (o corpo formado a partir de células), mas também de uma força magnética, que em termos energéticos, vem definida como poder de afinidade que existe em todos os elementos e átomos para mantê-los firmemente no lugar como o corpo humano e qualquer outra forma.

Vibrações que atravessam todas as células e sua química, faz com que o corpo humano exista, portanto podemos defini-lo com uma medida de energia eletromagnética, na qual os órgãos e o sistema “vibram em uníssono”. A dimensão energética do homem é, de certo modo, o elemento essencial para que o corpo e o espírito estejam em equilíbrio.

Cada coisa viva e qualquer alimento tem a sua própria energia.

A ciência da nutrição, pesquisa profundamente o conteúdo de alimentos, especialmente do ponto de vista químico.
A comida é mais útil para o nosso corpo se contém muitos minerais e vitaminas e nos dá a energia física correta.
Se é inegável, no entanto, não é a única maneira de determinar se o que comemos é saudável para o nosso corpo, mente e espírito.
Eu gostaria de apresentar um conceito fundamental que a física demonstrou amplamente. Cada coisa viva e qualquer alimento tem a sua própria energia.
A energia se propaga como uma onda e pode ser medida.
Alguns cientistas, incluindo o mais famoso engenheiro Simoneton, pesquisam para definir quais energias são benéficas ou prejudiciais ao corpo humano. O primeiro passo fundamental foi medir a energia do corpo humano usando equipamentos científicos (um contador Gaiger, Wilson e o dosímetro ionizante de Bovis graduado em angstrom) porque o corpo emite uma radiação mensurável (expressa em forma de cor e som) por volta 6200-7000 Angstroms, uma pessoa em boa saúde deve ter uma vibração de pelo menos 6500 angstrom. Em valores mais baixos, foram detetadas doenças e atitudes alimentares incorretas.

A importância da radiação ambiental na nutrição humana.
A radiação ambiental tem o poder de influenciar o mundo, em todas as coisas ao nosso redor, visíveis e invisíveis.
Cada pessoa está sujeita às influências de toda a radiação.
Devemos entender todas as coisas, incluindo objetos, pessoas e eventos que emanam vibrações.
Não estou falando apenas da famosa radiografia ou radiação nuclear, mas também da radiação cósmica e das vibrações humanas.

É verdade que a partir da nossa dieta, nós absorvemos os nutrientes essenciais para a nossa vida e é igualmente verdade que absorvemos as suas vibrações. Não é suficiente ingerir calorias e nutrientes dos alimentos. De facto, foi demonstrado em muitos experimentos que quando comemos alimentos sintéticos, ou alimentos modificados que são nutricionalmente corretos mas energeticamente nulos, não garantem um desenvolvimento ideal, ou envelhecimento saudável e prolongado.

Qualquer alimento, como todo ser vivo, além de ter uma caloria (energia química), também tem um poder eletromagnético (vibracional). Usando equipamento científico, medido a quantidade de ondas eletromagnéticas, categorizando-os de acordo com estes.

Continuando as pesquisas de Simoneton:

As pesquisas de Simoneton fornecem um forte apoio para aqueles que defendem uma dieta vegetariana baseada em grãos integrais e vegetais frescos, pois esses alimentos são os mais abundantes em força vital.

Usando o método de Simoneton, consumir alimentos abaixo de 6.500 angstroms impede e deteriora a nossa vibração natural e saúde.

O trigo, por exemplo, tem um valor de 8,5 mil angstroms, que sobe para 9 mil quando é cozido. Os legumes são mais radiantes quando frescos do jardim, perdendo cerca de um terço da sua potência no momento em que chegam às lojas, e outro terço quando cozidos. A exceção são os tubérculos, que geralmente são fortalecidos pela coação. A batata, por exemplo, é medida em apenas 2.000 quando cru, mas quando fervida isso dispara para 7.000 e para 9.000 quando cozido. As emanações de leguminosas (dhal) – ervilhas, feijões, lentilhas, etc. – são diminuídas pela secagem, mas registam 7.000 a 8.000 calorias quando frescas.

As frutas são melhor consumidas apenas maduras, pois se tornam cada vez mais com valor à medida que a decomposição se instala.
No que diz respeito a alimentos frescos, Simoneton considera-os quase sem valor.
A carne tem apenas vibrações de segunda classe na melhor das hipóteses, e isso afunda para baixo na terceira categoria no momento em que é cozido.
A exceção é o presunto recém-curado, que é reforçado pelo processo de salga e fumo. Os alimentos do mar devem ser comidos crus para ganhar o seu valor total, caso contrário, eles caem na segunda categoria.

Segundo a pesquisa de Simoneton, os efeitos do processamento de alimentos são desastrosos. O leite tem um valor de 6.500 angstroms quando fresco, mas perde 90% dentro de vinte e quatro horas. Após a pasteurização, não existem radiações bioenergéticas.

O mesmo vale para sumos (sucos) de frutas e vegetais pasteurizados e para frutas enlatadas. O sumo (suco) fresco de beterraba é avaliado em 8,5 mil, mas o açúcar branco refinado cai para mil ou menos, enquanto o açúcar granulado branco dá uma leitura de zero. Outros alimentos processados, como margarina, álcool e farinha branca branqueada, também produzem leituras semelhantes à matéria morta.

A desidratação, por outro lado, causa pouca perda de vigor. Descobriu-se que a fruta seca ao sol retinha sua vitalidade e, se embebida em água por vinte e quatro horas, irradiaria quase tão fortemente quanto quando recém colhida. A água não é normalmente radiante, mas ao contrário de outros líquidos é capaz de ser vitalizada pela associação com minerais, seres humanos ou plantas.

Algumas águas, como as famosas águas de cura de Lourdes, chegaram a irradiar até 14.000 angstroms.

As pesquisas de Simoneton sugeririam que para uma ótima saúde, comermos legumes, cereais, frutas, nozes e outros alimentos que emitem um brilho maior do que a norma humana. Isto está em completo acordo com as recomendações dos antigos textos yogue e as escrituras da maioria das religiões.

As dietas tradicionais que têm sustentado a humanidade durante séculos, embora suplementadas muito ocasionalmente por carne ou peixe, têm sua base em grãos e vegetais. Testemunhe, por exemplo, todo o pão e queijo do campesinato europeu, as azeitonas, pão e uvas do Mediterrâneo, as batatas do irlandês, painço africano e amendoim, arroz e vegetais chineses, a soja do Japão, dhal e chapatti em Índia.

Esta é a era das descobertas, do poder atómico, do hidrogénio, das energias alternativas, mas as pessoas ainda sofrem uma crise energética – elas estão constantemente fatigadas, presas de tensão e ansiedade, doenças e depressão. Apesar desse fascínio pelas dietas da moda e alimentos energéticos, o homem moderno perdeu a fórmula da vitalidade física fundamental. As pessoas parecem variar entre o completo desrespeito pelo que comem e uma obsessão fanática por proteínas, vitaminas, minerais e calorias. Esquecemos a antiga sabedoria que reconhece a energia do metabolismo físico que deve ser suplementada pela energia mais subtil e dinâmica do corpo energético.

algumas das fontes: https://healthcenternutrition.webs.com/vibrationalfood.htm

artigos relacionados:

Dieta de Alta Vibração: https://www.oevento.pt/2017/05/09/dieta-de-alta-vibracao/

O que nos faz subir ou descer a nossa Energia, Frequência e Vibração: https://www.oevento.pt/2018/04/07/o-que-nos-faz-subir-ou-descer-a-nossa-energia-frequencia-e-vibracao/

A importância da Vitamina D https://www.oevento.pt/2018/10/26/a-guerra-contra-a-vitamina-d-uma-ameaca-a-industria-farmaceutica/

A importância da água pura e água alcalina: oevento.pt/2017/05/09/agua-pura/

Códigos de Cura (diminuem ou eliminam doenças): oevento.pt/2017/05/02/codigos-de-cura/

 

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.