revelação cósmica temporada 11

S11E11 Ascensão do Homem Musgo (Emery Smith)

Partilhar no Facebook

pequeno resumo do episódio:

Neste episódio vamos ouvir o que aconteceu depois que ele saiu da base subterrânea. Vamos falar agora sobre como esse trabalho com as autópsias chegou ao fim. Primeiramente, você já havia mencionado que subia de nível de autorização a cada quatro meses. Acho que você disse que havia parado no A22, correto? Emery Smith: certo. Quantos ciclos desse serviço de autópsias, por assim chegou a fazer. Emery: Foram cerca de 22 subidas de níveis trimestrais. Nunca deixei de subir de nível em nenhum trimestre… DW: Você continuou fazendo o seu trabalho de fachada durante esse tempo todo? Sim…

8:25… E o pessoal do bem dentro da cabala também está um pouco nervoso com a pequena porção da cabala que só quer morte e destruição…

10:06… Emery Smith: Nenhuma conversa é sagrada e secreta neste planeta, isto é um facto! Tudo fica registado em todos os lugares, eles já tinham essa tecnologia quando eu estava lá. 20 anos atrás, eles já tinham esta tecnologia para gravar todas as vibrações e vozes no planeta. David Wilcock: Você já deve ter ouvido falar dos satélites da Agência Nacional de Reconhecimento que gravam a superfície da Terra onde há pessoas e têm uma resolução alta o bastante para ler o número da sua carteira de condução (motorista), se você a segurar nas mãos. ES: Isso já existia nos anos 60. Sabe o que já podemos fazer agora? Podemos ver o que está dentro de uma parede. Podemos ver que tipo de capim está corroendo a sua parede. É uma informação pública, estão fazendo isso na América do Sul…você pode ir a qualquer lugar do mundo e com esses satélites obter imagens em 4k HD de qualquer pessoa, mesmo com o tempo nublado…

17:00… ser musgoso. Um ser humano com plantas a nascer no seu corpo e com muito musgo. O ser humano era tipo ogro com 90 cm de altura…

28:00 … o hantavírus houve um surto na base. Aliás esse vírus foi criado nesta base. Este vírus causa sintomas mais parecidos com os da gripe, levando à morte muito rapidamente…

S11E11 Ascensão do Homem Musgo (Revelação Cósmica ~ Emery Smith)
S11E11 Rise of the Moss-Man (Cosmic Disclosure)

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome:
https://drive.google.com/file/d/1ZSpKa8YEH9FAmhJ-SDO4S4nkTbuV0gGu/view?usp=sharing

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook), para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

revelação cósmica temporada 11 episódio 11

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Ascensão do Homem-Musgo

Bem-vindos ao
”Revelação Cósmica”.

Sou David Wilcock.

Estou aqui com um convidado
especial, Emery Smith.

Neste episódio,

vamos ouvir o que aconteceu depois
que ele saiu da base subterrânea.

-Emery, bem-vindo.
-Obrigado, David.

Vamos falar agora sobre como esse
trabalho com as autópsias chegou ao fim.

Primeiramente, você
já havia mencionado

que subia de nível de autorização
a cada quatro meses.

Acho que você disse que havia
parado no A22, correto?

Correto.

Certo. Quantos ciclos desse
serviço de autópsias,

por assim dizer,
você chegou a fazer?

Por quanto tempo você…?

Cerca de 22. Foram cerca de 22
subidas de nível trimestrais.

Nunca deixei de subir de
nível em nenhum trimestre.

Portanto, em média, levou uns
quatro anos e meio ou cinco.

Terminei meu serviço ativo
em cinco anos e meio.

Você continuou fazendo o
seu trabalho de mentira

durante esse tempo todo?

Sim. Na verdade, fiquei
mais dois trimestres

depois que saí do serviço militar.

Então, as coisas começaram a ficar
um pouco diferentes lá porque…

Acho que já lhe contei isto.

Comecei a pegar corpos que
ainda estavam quentes.

Eu sabia que haviam
morrido recentemente,

pois o rigor mortis havia
acabado de começar.

Porém, depois que terminei meu
serviço na Força Aérea dos EUA,

decidi continuar trabalhando
nos laboratórios subterrâneos

de Sandia e Los Alamos.

Isso lhe permitiu ficar lá por mais
tempo, já que você não tinha cobertura…

Sim, com certeza.

Conte-me a diferença entre
os turnos que você fazia.

Conte-nos como seria
um dia normal

antes e depois de você
sair da Força Aérea.

Você trabalhava quantas
horas? Aonde ia?

Só para termos uma ideia.

Sim. Começava a trabalhar às 5:30 da manhã
no hospital da Base Aérea de Kirtland.

Trabalhávamos até as
2:30 ou 3:30 da tarde,

e então eu ia trabalhar
às 7:00 da noite

na base subterrânea.

Geralmente, eu ficava lá
de quatro a oito horas.

Depois, voltava para
casa e repetia isso

de cinco a sete dias por semana.

No serviço ativo na
Base Aérea de Kirtland,

eu só trabalhava de
segunda a sexta,

ficando de plantão geralmente
um fim de semana por mês.

Nesses períodos de plantão,

eu não podia trabalhar
nas bases subterrâneas

porque não podia ter um bipe,

os bipes não funcionavam lá.

Depois de sair da Força Aérea,

como ficou o seu horário
na base subterrânea?

Ficou ótimo.

Mantive o horário, gostava
de trabalhar à noite.

Sou muito mais produtivo à noite.

Eu entrava às 5:00 da tarde e saía
por volta de 1:00 ou 2:00 da manhã.

Às vezes, ficava mais.

Às vezes, eu dormia lá.

Gradualmente, fui mudando

do trabalho de coleta e autópsia

na direção da biologia,

como membro da divisão de
guerra biológica deles,

que produzia vários tipos de…

Várias coisas, como
controlar vírus e…

E soltar vírus em
várias partes do mundo.

Certamente, considerando-se os
acordos internacionais famosos,

como Convenção de Genebra,

não deveríamos estar usando armas
químicas ou biológicas convencionais.

-Correto.
-Mas parece que eles não ligavam muito.

Não, era um total desrespeito
com a humanidade.

Eles estavam tentando
descobrir como fazer um vírus

que fosse muito específico
para cada linhagem.

Eles os lançavam com esses jatos
que deixam rastros de fumaça.

Você já ouviu falar dessas
teorias da conspiração.

Essa é uma forma que eles usavam,
espalhando sobre uma cidade.

Digamos que eles conseguissem
isolar o DNA da linhagem

de uma etnia específica,
por exemplo.

Se você tivesse aquele
código genético,

isso dizimaria essa raça inteira,

toda essa parte da raça humana.

É óbvio que nada disso foi
feito, pois ainda estamos aqui.

Correto.

Mas eles queriam descobrir
coisas desse tipo?

Sim, e pegaram DNA
extraterrestre…

Muito tempo atrás, alguns
extraterrestres conseguiam programar

seus leucócitos e monócitos para
combater certas raças genéticas.

Se você programasse os seus
leucócitos e células brancas,

neutrófilos ou algo assim,
para atacar alguém como eu,

se eu fosse de uma raça diferente,

você só viria até mim, e o
seu corpo já teria um vírus

com o qual as suas células
brancas conseguiriam conviver.

Se me tocasse ou espirrasse em mim,

ou se você se comunicasse
comigo fisicamente ou pelo ar,

você me passaria esse
vírus, que me mataria.

Os céticos podem atacá-lo nesse ponto,
pois os leucócitos envolveriam…

Eles teriam que envolver
contato sanguíneo, eu imagino.

Os leucócitos estariam
protegendo-os do meu vírus.

Se eu tivesse um vírus, e você
soubesse que tem um vírus,

não poderíamos lutar um
contra o outro nem nos tocar,

pois morreríamos.

Esses leucócitos eram reforçados

para combater esse vírus
específico que eu lhe passaria.

Uma vez que fosse liberado no ar ou
por meio de um patógeno sanguíneo

ou algo desse tipo, ele
entraria no seu sistema.

Acho que você ainda não
disse por que eles iriam…

Como eles justificariam um vírus
específico para uma etnia.

Qual seria o ponto de…?

Como eles explicariam
a necessidade disso?

Disseram-me que havia
organizações e facções religiosas

que estavam tentando fazer isso.

Só para prevenir,

caso um dia ocorra algum
tipo de extinção em massa,

matando quase metade da população,

eles queriam poder controlar isso.

E se tivessem algum problema
de gênero ou raça com alguém

e quisessem se livrar
de uma certa raça,

é isso que eles fariam.

Sim.

Eles estavam desenvolvendo isso
para todos os tipos de pessoa?

Não sei.

Só sei disso porque ouvi
os cientistas falando.

Não foram informações por escrito,

eu ouvi os cientistas falando
sobre esse tipo de tecnologia.

Eu estava em uma área de
baixo escalão da base

depois que terminei o meu
serviço militar ativo.

Eu só desenvolvia proteínas
e outras coisas.

São coisas perturbadoras.

Gostaria de saber as histórias
que eles contam às pessoas

que trabalham nesses projetos,
para que se sintam bem

ou sintam que estão
servindo à pátria.

O que eles diziam?

Nesse caso, a maioria das pessoas
sabe o que está fazendo.

Conheço alguns cientistas que
participaram desses projetos

e mudaram de ideia
no meio do caminho.

Esses cientistas, às
vezes… Se tentassem sair

depois de ter chegado longe, eles
não teriam autorização para sair.

Eles injetam coisas em você.

Assim, se você voltar à superfície
sem receber o antídoto,

você morreria com a luz do sol.

-Sério?
-Sim, é assim que controlam os cientistas.

Muitos deles têm
famílias no lado de fora

e eles se cansam das
coisas que acontecem,

pois eles temem que,
se algo ocorrer,

talvez afete seus netos,

ou suas filhas e filhos.

Então, eles estão começando
a se impor agora.

Estão começando a lutar.

E o pessoal do bem dentro da cabala
também está um pouco nervoso

com a pequena porção da cabala
que só quer morte e destruição.

Vamos falar sobre como
o seu tempo de serviço

na base subterrânea terminou.

Você mencionou que estava recebendo
espécimes ainda quentes.

Você decidiu que queria
sair e pediu demissão?

-Como foi isso?
-Sim, foi exatamente isso.

Como um emprego normal,

você tem que preencher a papelada

e tem que ser rastreado
por um certo tempo.

No meu caso, 20 anos
depois que saí.

Eu tinha que me reportar para
ser questionado, se necessário.

Se eu precisasse de alguma cirurgia,
eles teriam que ser notificados.

Se eu viajasse a algum
lugar perigoso,

eles teriam que ser notificados.

Havia várias listas de coisas

que você tinha que seguir

para poder ser demitido sem problemas
do laboratório civil subterrâneo.

Quando a esposa do
Pete Peterson faleceu,

as pessoas para quem ele trabalhava
pediram que ele se reportasse

por um período de dois meses,
pois estavam preocupados

com o trauma emocional dele
depois de perder a mulher,

já que isso poderia fazer
com que ele revelasse tudo.

Então, eles monitoravam a sua
vida atrás desse tipo de crise?

Você poderia ser levado de
volta se algo acontecesse?

Sim, com certeza.

Isso aconteceu mesmo
depois dos meus 20 anos.

Eles me procuraram recentemente,
depois que a minha mãe faleceu

ano passado.

Portanto, sim, eles me rastreiam,
mas isso não me incomoda.

Eu sei que eles sempre estão
de olho de qualquer forma.

Nenhuma conversa é sagrada e secreta
neste planeta, isso é fato.

Tudo fica registrado
em todos os lugares,

eles já tinham essa tecnologia
quando eu estava lá.

20 anos atrás, eles já
tinham essa tecnologia

para gravar todas as vibrações
e vozes no planeta.

Você já deve ter ouvido
falar dos satélites

da Agência Nacional
de Reconhecimento

que gravam a superfície
da Terra onde há pessoas

e têm uma resolução alta
o bastante para ler

o número da sua carteira de motorista,
se você a segurar nas mãos.

Isso já existia nos anos 60.

Sabe o que já podemos fazer?

Podemos ver o que está
dentro de uma parede.

Podemos ver que tipo de cupim
está corroendo a sua parede.

É uma informação pública, estão
fazendo isso na América do Sul.

As grandes empresas usavam essa
tecnologia geralmente para espionar,

mas agora elas as usam
para ganhar dinheiro

e bancar seus outros planos.

Sim, essas coisas já
existem há algum tempo.

Você pode ir a qualquer ponto do planeta
em 40 minutos com esses satélites

e obter imagens em HD
4K de qualquer pessoa,

mesmo com o tempo nublado,

e também pode obter um gráfico de
ondas com as informações exatas.

Sim.

Vamos voltar ao ponto quando você
preencheu a papelada e foi demitido.

Como ficou a sua vida logo
depois de sair desse emprego?

Não estava mais no serviço
militar nem na base subterrânea.

Aonde foi e o que fez?

Qual foi o seu próximo contato
com o mundo confidencial?

Eu mantive contato

com o mundo classificado
como intermediário,

ou seja, se houvesse um
projeto ou se alguém chegasse

e dissesse que precisava de mim
por um motivo muito específico,

eu poderia voltar e
trabalhar com eles

por uma ou duas semanas.

Mantive a minha autorização.

Você tem que fazer isso
duas vezes por ano.

Tem que ir lá e renovar
a sua autorização.

Porém, depois disso, fiquei no
Novo México por mais uns anos,

antes de voltar à
minha cidade natal

em Fort Myers, Flórida, para
cuidar da minha família.

Meus pais não estavam bem.

Mas o que você fez no Novo México?

Você tinha um emprego?

Sim, desculpe.

Depois que saí dos
projetos secretos,

fiquei no Novo México
por mais alguns anos

e trabalhei no hospital da
Universidade do Novo México

como cirurgião assistente.

Durante esses anos, você
disse que eles o convocavam

pelo menos duas vezes por ano.

Duas vezes ao ano só para manter
a sua autorização atualizada,

mas eu ainda passava uns quatro
dias por mês de vez em quando

nos projetos secretos.

Certo.

Que tipo de trabalho você
fazia nesse período?

Você poderia nos dar um exemplo

de trabalho de quatro ou cinco
dias depois de você sair da base?

Sim. Eu estava
trabalhando com células

e culturas de células
de fora da Terra,

mas que ainda estavam vivas,

crescendo em placas de Petri.

Nada de especial.

Parei de fazer as autópsias porque…

Depois que recebi alguns
seres ainda quentes,

comecei a sentir algo diferente.

Depois de conhecer alguns
seres e ver como eles são

sem saber nenhuma história por
trás do que estava acontecendo,

eu sentia que estava
fazendo algo errado.

Não queria participar disso.

Vamos falar sobre como
você voltou a Fort Myers,

como continuou em contato
com esse mundo confidencial

e de que modo.

Sim, continuei.

Fiquei em contato com eles,
reportando-me duas vezes por ano.

Só às vezes eles faziam perguntas
sobre os extraterrestres

com os quais eu havia
trabalhado no passado.

-Você teve que voltar ao Novo México?
-Sim.

-Como fez isso?
-Peguei um avião e fui.

Certo.

Era a mesma coisa. Eu
ficava fora da base

e entrava de manhã,

em vez de entrar à noite,
mostrava as minhas credenciais

no portão de Sandia e
ia a um lugar diferente

que passa por baixo da base,

mas é outro lugar.

Não sei por que mudaram
depois que saí.

Talvez tenham mudado de
lugar por motivos próprios.

Não faço ideia.

Essa forma de entrar
na base era diferente

de como era antes?

Ou era só uma porta diferente?

Não, era um pouco diferente

porque eu trabalhava com agentes
biológicos muito perigosos.

Você tem que ser revistado
antes de entrar

e depois de entrar com
analisadores especiais

pelos quais você tem que passar.

Você tem que passar por
uma área de purificação.

Uma delas era chamada de
“banho de plasma seco”.

O banho de plasma seco

coletava amostras e matava
as bactérias de superfície

que você estivesse carregando,
o que é muito comum.

Ele também contava as
partículas no seu corpo

para ver se elas
emitem as frequências

de materiais celulares
ruins conhecidos.

Você passava pelo
plasma de roupa?

Sim, você pode estar vestido.

Porém, para sair, você
tem que se despir.

Existe outra área pela
qual você tem que passar

depois de trocar de roupa.

Passar por ela é opcional,
mas é um protocolo.

Não é obrigatório, mas
todo mundo passa por ela.

É só uma precaução.

Existe uma chance muito pequena
de que você continue com algo

depois de passar por elas.

Não estou dizendo
que seja algo ruim,

mas algo que pode ter
pegado de alguém.

Imagino que as suas roupas de
fora fiquem do lado de fora,

e que as de dentro
fiquem dentro da base.

-Sim, correto.
-Certo.

Dê-me um exemplo de uma espécie
extraterrestre específica

que você tenha examinado antes

e que foi chamado para
examinar novamente depois.

Como ela era e por que
você foi chamado?

Eles estavam fazendo mutações
em vários extraterrestres.

Um dos extraterrestres
que estávamos examinando

era um ser humano
menor, meio ogro,

mas também havia DNA
de plantas nele.

E era muito…

Lembraria um daqueles
trajes de ghillie

que os atiradores usam,
cheio de musgo e folhas.

Imagine um serzinho tipo ogro
de 60 a 90 cm de altura que,

em vez de cabelo, tem plantas de
verdade crescendo em sua pele.

Sim, e ele também usa
a energia da luz UV

para manter-se saudável.

Ele absorve umidade pela pele

e é muito musgoso.

E ele tem… Eu já vi
vários deles, e eles têm…

parece uma peruca, tipo cabelo,
mas eles são tão musgosos,

como o Primo It da Família Addams,
cujo rosto fica escondido,

a menos que você tire
do caminho as plantas

que crescem nessa criatura.

Ele sentiria alguma dor física
se essa planta fosse removida?

Ou eram tipo pelos?

Não, eram mais como pelos.

Porém, quanto mais você
se aproxima das raízes,

você encontra mais fibras
nervosas e neurônios.

Neurologicamente,

as plantas ligaram-se e sofreram mutações
junto com o material celular de verdade,

que era humano e ET.

Não entendo por que você
diz que ele era tipo ogro.

Havia algo de anormal
no rosto dele?

Poderia descrever?

Sim, posso dizer que o rosto
e o pescoço dessas criaturas

eram tipo a casca de um pinheiro,

eram muito ásperos e
rachados, muito rachados.

Se você secar ao sol
um pedaço de cerâmica,

ela se despedaça e
fica toda rachada.

Era exatamente assim.

Porém, eles têm nariz,
boca, orelhas e olhos.

Um ogro, por exemplo,

teria uma mandíbula protuberante com
duas presas para cima, desta forma.

Não, não tinha esses caninos.

Só dentes normais.

O lado de dentro é vermelho
e rosa, como a nossa boca.

Eles têm língua e respiram.

Eles só absorvem energia
por meio da pele.

Essas plantas crescem
no rosto deles?

Ou a região do rosto,
se você remover…

A área do rosto é desse material

que parece uma casca de árvore quebradiça
e rachada, muito dura e rígida,

sem nenhum músculo no rosto
que nos permitisse detectar

um sorriso no rosto deles.

Eles também podem abrir o maxilar,

mas não têm nenhum traço
facial perceptível,

porque a pele é muito dura.

Como eram as proporções do rosto
em relação ao de um humano?

A cabeça era muito
maior que o corpo.

Estamos falando de uma cabeça
cujo tamanho seria uma vez e meia

maior que a nossa cabeça.

E a relação entre o rosto e tamanho
dos olhos, do nariz e da boca?

Era muito compacto, pois
ele só media 90 cm.

Se você imaginar alguém
com nanismo, por exemplo,

ele tinha mais ou menos o mesmo
tamanho, com pernas e ossos

um pouco mais compactos,
não longos e finos

como os nossos.

E eles têm esse musgo
crescendo no corpo todo.

Pode até haver folhas e
videiras saindo dos corpos,

principalmente nas costas.

É mais pronunciado nas costas,
onde existem videiras

e esse musgo que cresce neles.

Também tem aquele musgo verde

que vemos nas rochas
dentro dos rios

no resto do corpo.

Eles também têm mãos e
pés muito pequenos.

Então, está dizendo que não
é uma espécie natural,

-mas uma forma de vida projetada?
-Correto.

Por que eles queriam fazer um ser
meio planta e meio hominídeo?

Por motivos de camuflagem?

Sim, para trabalhos secretos.

Eles podem ficar semanas sem comer,
desde que tenham luz do sol e água.

Podem fazer seus
próprios nutrientes

por meio da interação dessas
plantas com as células.

É uma ciência muito fascinante,

a forma como eles
integraram isso tudo,

mas conseguiram.

Você já pôde ver ou interagir
com um desses seres musgosos,

como podemos chamá-los?

Sim, com certeza.

Como ele se comunicava?

Ele se comunicava com as mãos.

Sério?

Sim, era tipo uma língua de sinais.

E o que você sentiu com isso?

Qual era o nível de inteligência
dele, de ética, de consciência?

Não gosto de ser negativo, mas era
um ser assustador e repugnante.

Ele é muito pacato e dócil.

Parece um camaleão
que só fica parado

e se move lentamente,
tipo um bicho-preguiça.

Não são seres muito hiperativos.

São apenas muito lentos.

E eles aprendem, pelo
que me disseram…

Não sei se é verdade,

mas ouvi dizer de outras fontes

que eles aprendiam a
comunicar-se desde muito jovens

porque não têm cordas vocais.

Então, o rosto deles
não se move muito?

Ele é duro?

Não, é muito duro, mal se move,

mas eles mastigam.

Os olhos são como os nossos,
ou tem algo de diferente?

-São pretos.
-São pretos?

-Sério?
-Sim.

Não dá para ver a pupila deles.

São totalmente pretos, o que
assusta algumas pessoas.

Qual seria o objetivo disso?

Já que eles queriam usar
esses seres em campo,

eles seriam usados na
superfície da Terra?

Seria para vigilância?

Seriam treinados
como assassinos?

-O que fariam?
-Não para matar.

Não são tão ágeis assim,
seria mais para vigilância.

São as criaturas ideais,
eles não emitem nenhum som.

Isso foi proposital.

Dê-me um exemplo de como o
complexo militar-industrial

usaria um ser desse tipo
para fins de vigilância.

Eles se camuflariam muito bem.

-Só posso especular.
-Certo.

Não participei de nenhum programa
que os usasse para espionar.

Só posso dizer que você não o
reconheceria nem se pisasse nele.

Eles ficam cobertos
de sei lá o quê.

Eles podem adicionar folhas
sobre a pele musgosa.

Digamos que eles estejam indo a uma
área onde precisem de certas cores.

Eles podem usar fungos ou
tipos diferentes de musgo

e implantá-los no corpo, fazendo
com que cresçam na pele.

-Sério?
-Sim, o que é fascinante.

Eles podem se mascarar com
qualquer tipo de gramado,

qualquer tipo de árvore do mundo.

Então, parte do corpo
deles seria de terra,

daria para plantar coisas?

Não é terra, é um tecido de
colágeno em formato de colmeia

que é capaz de reter
água por várias semanas.

É tipo uma pele.

Ele é integrado à
pele e sai da pele,

exatamente como uma colmeia, mas
em uma escala muito pequena,

micromilimétrica.

Você viu esses seres
pela primeira vez

quando ainda trabalhava na base
subterrânea em período integral?

Sim.

E acho que, como esses seres
vêm da Terra Interior,

de alguma forma, eles já conseguiam fazer
com que certas coisas crescessem neles.

Então, você está dizendo que
havia uma espécie inicial

que eles acharam na Terra
Interior e modificaram?

E eles a misturaram
com mais plantas

e criaram essa
criatura mais robusta.

Sim.

Você viu um desses seres ainda vivo
quando trabalhava na base subterrânea?

Ou foi uma autópsia?

Vi quando estavam sendo criados.

Como eram criados?

Em um aquário de vidro
grande com luzes UV,

suspenso a uns 90 cm do chão
dentro de vasos de planta.

Como já estamos quase sem tempo,

gostaria de saber se há
mais algo de interessante

sobre o ser musgoso que
possa compartilhar?

-Com certeza.
-É tão bizarro.

Um dos fatos mais interessantes
é que eles não podem procriar.

Eles não têm órgãos como nós,

mas produzem sementes.

E essas sementes contêm DNA.

Não é cheio de tecido
humano, entende?

São só plantas.

Sim.

E eu vi uma coleção dessas sementes

em uma incubadora
quando estava saindo.

Um dos meus colegas estava falando

sobre um novo experimento
que estavam fazendo

com outro tipo de ser musgoso.

Perguntei se ele tinha autorização
para falar sobre isso.

Ele disse: “Não, mas eu posso lhe mostrar
as novas incubadoras que chegaram.”

Estávamos andando,

e lembro-me de olhar através de
uma janela circular de 90 cm

e ver uma semente do seu
tamanho, várias delas.

Fiquei muito surpreso.

Foi só isso.

Não consegui descobrir nada mais.

Não podia nem falar nada.

Você acha que a semente
poderia ser gestada

até virar outro desses seres?

Foi isso que pensei, ou…

De onde veio essa semente?

Quem a gerou?

Certo.

Eles fazem coisas incríveis lá.

Não existem regras
nem regulamentos.

Você poderia nos contar o motivo
pelo qual você foi chamado de volta

após a sua mudança para Fort Myers

para trabalhar com esse
ser específico novamente?

O que ocorreu, ou por
que isso aconteceu?

Houve um incidente no laboratório
e a equipe foi destruída.

Um incidente?

Poderia ser mais específico?

Não.

Com base no que você disse,
imagino que tenha ocorrido

algum tipo de interação
hostil com um desses seres.

Não, não com os seres.

Certo.

Por algum motivo,

é algo que você não
quer nos contar,

ou foi proibido de contar, correto?

Simplesmente não posso, é demais.

Eu conhecia essas pessoas.

É difícil falar sobre isso.

Certo.

Você poderia nos dar outro
exemplo de algo interessante

para o qual você tenha sido chamado
quando estava morando em Fort Myers?

Eu cheguei a voltar para coletar
amostas de tecidos algumas vezes.

Só porque eles estavam com
poucos técnicos na equipe.

Sei que houve um surto
na base um dia,

e 20% do pessoal da base
pegou um vírus muito raro.

Era tipo o hantavírus, mas
não sei se era o hantavírus.

Não sei se vocês
sabem o que é isso.

Houve um surto dele em 1993.

É um vírus.

-Está falando do hantavírus?
-Sim.

E esse vírus…

Ele foi feito nessa
base, na verdade.

É a bactéria que come carne?

Não, ele causa sintomas mais
parecidos com os da gripe,

levando à morte muito rapidamente.

Você vomita muito
e tem diarreia,

e os pulmões vão parando de funcionar,
ficando cada vez mais difícil respirar.

Havia um vírus similar a esse
que contaminou o laboratório,

deixando as pessoas muito doentes.

Quase 20% do pessoal da área
biológica ficou tão doente,

que não podia mais
voltar a trabalhar.

Eles tiveram que ir ao
hospital subterrâneo

e ficar de quarentena.

Houve muitas mortes?

Sim.

Metade dos 20% faleceu.

E você foi chamado
devido à sua experiência

para ajudar a conter o surto?

Não, fui chamado para que eles pudessem
continuar trabalhando normalmente.

Você era só um substituto?

Sim, eu era só um substituto,
quando necessário.

Gostaria de saber…

Nestes últimos minutos
que temos aqui,

discutimos alguns
dos usos negativos,

mas será que essa tecnologia também
poderia ser usada para fins positivos?

Nesse caso, você teria alguma
informação específica sobre isso?

É engraçado você perguntar isso,
pois parte dessa história

foi que eu tive que voltar ao
Novo México por causa de um surto

de um vírus que foi feito lá,
que 20% do pessoal contraiu.

Eles criaram um vírus
para matar o outro vírus.

Sério?

E salvar os outros
10% em poucos dias.

É muito difícil criar uma nova
espécie de bactéria ou vírus

em poucos dias.

Eles o criaram do zero.

Tenho certeza disso.

Porém, desde então, eles
têm a capacidade de criar

vírus que combatem outros vírus
ou bactérias que combatem vírus.

Foi uma coisa legal
que resultou disso,

embora o acidente que ocorreu
lá tenha sido horrível.

E isso está sendo usado na
esfera civil hoje em dia,

eu acho.

E está sendo lançado lentamente,

pois estão fazendo
muitas pesquisas.

Acho que isso é positivo.

Só sei que, na parte dos seres
híbridos com os quais eu me envolvi,

eles estavam alterando
o DNA com vírus.

É a forma mais fácil de
misturar uma proteína

com outra proteína que a aceite.

Assim, o corpo todo muda.

Eles pegavam essas
células e as cultivavam

ou inoculavam outros seres.

Eles continuavam inoculando
os seres repetidamente

com diversos tipos de vírus.

Foi assim que criaram
esse super-ser.

Então, por exemplo,

as pessoas podem começar a ter
super-visão, super-audição,

talvez habilidades mediúnicas, tudo
isso graças a essas inoculações?

Correto.

Isso é muito fascinante.

Emery, muito obrigado
por vir a público.

Isso é muito fascinante.

-Informações muito bizarras.
-Muito bizarras.

Às vezes, o fato de
serem tão bizarras

ajuda-me a acreditar
em sua veracidade,

pois quem inventaria ou
pensaria em algo assim?

-É difícil de entender.
-Com certeza.

Obrigado por assistirem.

Este é o ”Revelação Cósmica”,

com o nosso convidado
especial, Emery Smith.

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO
COM DAVID WILCOCK

PRONTO PARA CONTAR A VERDADE?

Os e-mails são criptografados e
não podem ser compartilhados.

 

 

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os autores não usam facebook, portanto se tiver alguma pergunta, coloque aqui no site, na secção dos comentários (não do facebook)
3. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.