A Lei do Uno - livro 2

A LEI DO UNO – sessão 29 – sub-logos

Partilhar:

29.1 O nosso sol (este sistema planetário) como nós o conhecemos é um sub-Logos ou a manifestação física de um sub-Logos? RA: Isto está correto.
29.2 Então, eu presumo que este sub-Logos criou este sistema planetário em todas as suas densidades. Isto está correto? RA: Isto está incorreto. O sub-Logos, de sua entidade solar, diferenciou alguns componentes experimentais dentro dos padrões da energia inteligente colocados em movimento pelo Logos, que criou as condições básicas e frequências vibratórias consistentes através da sua, o que você chamou de galáxia maior.
29.4 Existem cerca de 250 biliões de estrelas ou sóis parecidos com o nosso nesta galáxia maior. Todos eles são partes do mesmo sub-Logos? RA: Eles são todos partes do mesmo Logos. O seu sistema solar, como você o chama, é uma manifestação de certa forma levemente diferente, devido à presença de um sub-Logos.
29.5 Então o nosso sol é um sub-Logos do Logos que é o Logos da galáxia maior? RA: Isto está correto.
29.6 Existe algum sub-sub-Logos encontrado em nosso sistema planetário que seja um Logos que é “sub” a nosso sol. RA: Isto está correto.
29.7 Você poderia-me dizer o que um desses – Você poderia me dar um exemplo de um desses… eu chamarei de sub-sub-Logos? RA: Um exemplo é seu complexo mente/corpo/espírito.
29.8 Então toda entidade que existe seria um tipo de sub- ou sub-sub-Logos. Isto está correto? RA: Isto está correto, dentro dos limites de qualquer observação, pois a criação inteira está viva.
29.9 Então o planeta sobre o qual nós andamos aqui seria uma forma de sub-sub-Logos. Isto está correto? RA: Uma entidade planetária é assim chamada apenas como Logos se estiver trabalhando de forma harmoniosa com entidades ou complexos mente/corpo sobre a sua superfície ou dentro de seu campo eletromagnético.
29.10 Os sub-Logos, tal como o nosso sol, alguns deles – em nossa galáxia maior – eles têm uma polaridade metafísica, digamos, positiva ou negativa, como nós temos usado o termo? RA: Como você usa o termo, não é assim. Entidades através do nível planetário têm a força da infinidade inteligente através do uso do livre-arbítrio, seguindo através das ações do estado do ser. A polaridade não é, dessa forma, como você entende polaridade. É apenas quando a esfera planetária começa a interagir harmonicamente com complexos mente/corpo, e mais especialmente entidades mente/corpo/espírito, que esferas planetárias assumem distorções devido aos complexos de pensamento de entidades interagindo com a entidade planetária. A criação do Uno Infinito Criador não tem a polaridade a qual você se refere.
29.11 Ontem você declarou que planetas na primeira densidade estão num estado interminável para começar. Você poderia-me dizer como o efeito que nós apreciamos como tempo vem a existir? RA: Nós acabamos de descrever para vocês o nível do estado do ser de cada Logos. O processo pelo qual espaço/tempo vem na forma de continuum é uma função da construção cuidadosa, digamos, de um plano inteiro ou completo de frequências vibratórias, densidades e potenciais. Quando este plano coalesce nos complexos de pensamentos do Amor, então as manifestações físicas começam a aparecer; este primeiro estágio de manifestação sendo perceção ou consciência. No ponto no qual esta coalescência está no ponto do estado da vida ou do estado do ser, o ponto ou nascente do início, espaço/tempo então começa a desenrolar seu pergaminho de estado da vida.
29.12 Já que o Amor cria a vibração – eu farei esta declaração, primeiro. Deixe-me dizer, eu acredito que o Amor cria a vibração no espaço/tempo, a fim de formar o fóton. Isto está correto? RA: Isto está essencialmente correto.
29.16 Você poderia-me dizer como a gravidade vem a surgir? RA: Isto a que você se refere como gravidade pode ser visto como o pressionamento na direção da luz/amor interior, a busca na direção da linha espiral de luz que progride na direção do Criador. Esta é uma manifestação de um evento espiritual ou condição do estado da vida.
29.17 Agora, gravidade que nós conhecemos agora em nossa lua é menor que sobre o nosso planeta aqui. Existe um princípio metafísico por trás disto, que você possa explicar? RA: O metafísico e físico são inseparáveis. Assim, aquilo sobre o que você fala, que tenta explicar este fenómeno, é capaz de, digamos, calcular a força gravitacional da maioria dos objetos devido aos vários aspetos físicos, tais como o que vocês conhecem como massa. Entretanto, nós sentimos que era necessário indicar a natureza metafísica correspondente e igualmente importante da gravidade.
29.18 Você poderia-me dar um exemplo da quantidade de gravidade, em condições de terceira densidade, na superfície do planeta Vénus? Ela seria maior ou menor que a Terra? RA: A gravidade, digamos, a força atrativa que nós também descrevemos como a força de pressionamento para fora na direção do Criador, é maior espiritualmente sobre a entidade que você chama de Vénus devido ao maior grau de sucesso, digamos, ao buscar o Criador. Este ponto só se torna importante quando você considera que, quando toda a criação, em sua infinidade, tiver alcançado uma massa gravitacional espiritual de natureza suficiente, a criação inteira infinitamente coalescerá; a luz buscando e encontrando a sua fonte e dessa forma terminando a criação e iniciando uma nova criação, bem como você considera o buraco negro, como vocês o chamam, com as suas condições de massa infinitamente grande no ponto zero, do qual nenhuma luz pode ser vista, já que foi absorvida.
29.19 Então o buraco negro seria um ponto… estou correto ao dizer que ele seria um ponto no qual o material do ambiente foi bem-sucedido ao se unir com a unidade ou o Criador? Isto está correto? RA: O buraco negro, que se manifesta na terceira densidade, é a manifestação do complexo físico deste estado espiritual ou metafísico. Isto está correto.
29.20 Então, quando o nosso planeta Terra aqui estiver totalmente em quarta densidade, haverá uma maior gravidade? RA: Haverá uma gravidade espiritual maior, assim causando uma ilusão mais densa.
29.21 Esta ilusão mais densa, então, eu suponho que aumentaria a aceleração gravitacional acima dos medidos 9,8 metros por segundo ao quadrado, que nós agora experimentamos. Isto está correto? RA: Suas entidades não têm a instrumentação para medir gravidade espiritual, mas apenas observar umas poucas de suas extremas manifestações.
29.22 Isto eu sei, que nós não podemos medir gravidade espiritual, mas eu estava apenas pensando se o, o efeito físico seria mensurável como um aumento na constante gravitacional? RA: O aumento mensurável por instrumentação existente seria e será estatístico em natureza apenas e não significante.
29.27 …Então você está dizendo que não existe um nível único de, digamos, pureza requerida para tocar energia inteligente através de cristais, mas pode haver uma ampla variação na quantidade de distorção que uma entidade pode ter, mas cada entidade tem que alcançar este ponto em particular do que eu chamaria de habilidade de energização. Isto está certo? RA: Isto está incorreto. A necessidade é que o complexo mente/corpo/espírito esteja num certo equilíbrio, este equilíbrio então habilitando-a a alcançar um determinado nível de ausência de distorção. As dificuldades críticas são únicas para cada complexo mente/corpo/espírito, devido às destilações experimentais que no total são o, digamos, estado do ser do raio violeta em cada tal entidade.
Este equilíbrio é o que é necessário para que o trabalho seja feito para buscar o portal para a infinidade inteligente através do uso de cristais ou através de qualquer outro uso. Nenhuma natureza cristalizada mente/corpo/espírito é igual à outra. Os requerimentos de distorção, vibracionalmente falando, são determinados.
29.28 Então, se você é capaz de ler o raio violeta de uma entidade, ver este raio, é possível então determinar imediatamente se a entidade pode usar cristais para tocar a energia inteligente? RA: É possível para uma de quinta densidade ou acima fazer isto.
29.29 É possível você me dizer como um cristal é usado por uma entidade que tenha alcançado satisfatoriamente a qualificação necessária de raio violeta, eu diria; como é possível para a entidade usar o cristal ou como ela deveria usar o cristal? RA: O portal para a infinidade inteligente nasce da, digamos, vibração solidária em estado equilibrado acompanhando a vontade de servir, a vontade de buscar.
29.30 Mas você pode-me dizer precisamente o que a entidade deveria fazer com o cristal para usá-lo para o propósito de buscar a infinidade inteligente? RA: O uso do cristal em manifestação física é o uso onde a entidade, de natureza cristalizada, carrega o cristal físico regularizado com esta busca, assim habilitando-o a vibrar harmoniosamente e também se tornando o catalisador ou portal por onde a infinidade inteligente pode, então, se tornar energia inteligente, o cristal servindo como um análogo do raio violeta da mente/corpo/espírito, em relativa forma não distorcida.
29.31 É possível você nos instruir em usos específicos de cristais? RA: É possível. Existem, nós consideramos, coisas que não são eficazes dizer a vocês devido ao possível infringimento sobre seus livres-arbítrios. Entidades da Confederação erraram nisto no passado. Os usos do cristal, como vocês sabem, incluem os usos para cura, para poder e até para o desenvolvimento de formas de vida. Nós sentimos ser imprudente oferecer instruções neste momento, já que as suas pessoas mostraram uma tendência para usar fontes pacíficas de poder para razões desarmoniosas.
29.32 Eu suponho para onde devemos seguir então, agora que nós já traçamos o caminho da criação pelo menos através da estrutura cristalina, é melhor nos concentrarmos na evolução do pensamento e seu caminho de busca pela infinidade inteligente. Nós criamos, na galáxia maior do Logos, um número muito grande de planetas. Na medida em que estes planetas se desenvolvem, é possível para você me dar um exemplo dos vários desenvolvimentos planetários, no que eu chamaria de sentido metafísico, tendo a ver com o desenvolvimento da consciência e suas polaridades através da galáxia? Em outras palavras, eu acredito que alguns destes planetas se desenvolvem bem rapidamente em planetas de mais alta densidade e alguns levam um tempo mais longo. Você poderia-me dar algumas ideias deste desenvolvimento? RA: O Logos particular de sua galáxia maior tem usado uma grande porção de seu material coalescido para refletir o estado do ser do Criador. Desta forma, há muito no seu sistema galáctico que não tem a progressão da qual você fala, mas reside espiritualmente como uma porção do Logos. Daquelas entidades, sobre as quais a consciência habita, existe, como você deduz, uma variedade de períodos tempo/espaço durante os quais as densidades mais altas de experiência são alcançadas pela consciência.

23 de fevereiro de 1981
nota: a expressão Self refere-se ao Eu (pessoa), que nem sempre foi traduzido nos livros.

artigos relacionados:

sessão 30 – origem; densidades
sessão 31 – homosexual – razões para existência da homossexualidade
sessão 32 – raios – Andarilhos
sessão 33 – catálise
sessão 34 – carma – raios
sessão 35 ~ Franklin Delano Roosevelt ~ Adolf Hiter ~ Abraham Lincoln
resumo do livro “A lei do Uno” e os 5 livros em .pdf

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments