A Lei do Uno - livro 2

A LEI DO UNO – sessão 28 – Logos

Partilhar:

28.1 O conceito que eu tenho agora do processo, usando tanto o que você me disse e um pouco do material de Dewey Larson tendo a ver com a física do processo, eu tenho o conceito no qual a infinidade inteligente se expande para fora de todas as localidades, em todos os lugares. Ela se expande para fora em todas as direções uniformemente como a superfície de um balão ou uma bolha se expandindo a partir de todos os pontos em todos os lugares. Ela se expande para fora, no que chamamos de unidade de velocidade ou velocidade da luz. Esta é a ideia de Larson sobre a progressão do que ele chama de espaço/tempo. Este conceito está correto? RA: Este conceito está incorreto como está qualquer conceito da una infinidade inteligente. Este conceito está correto no contexto particular de um Logos, ou Amor, ou Foco deste Criador, que escolheu suas, digamos, leis naturais e formas de expressá-las matematicamente e diferentemente.
A una indiferenciada infinidade inteligente, sem polaridade, completa e plena, é o macrocosmo do ser revestido em mistério. Nós somos mensageiros da Lei do Uno. Unidade, nesta aproximação de entendimento, não pode ser especificada por qualquer física, mas apenas ser ativada ou potencializada infinidade inteligente devido à catálise do livre arbítrio. Isto pode ser difícil de se aceitar. Entretanto, os entendimentos que nós temos para compartilhar começam e terminam em mistério.
28.2 Bem, nós chegamos ontem em um ponto onde nós estávamos considerando as cores da luz. [Você] disse que “A natureza dos padrões vibratórios de seu universo é dependente das configurações alocadas sobre o material original ou luz, pelo foco ou Amor, usando sua energia inteligente para criar um certo padrão de… de ilusões ou densidades”. Então, após este material, você disse que há informações mais extensas que você alegremente compartilharia, mas nós ficamos sem tempo. Você poderia completar a informação mais extensa sobre isso? RA: Ao discutir esta informação, nós, então, digamos, voltamos aos métodos particulares de entendimento ou ponto de vista que o, complexo de som vibratório, Dewey, oferece; isto estando correto para o segundo significado de infinidade inteligente: o potencial que, então, através da catálise, forma a cinética.
Esta informação é uma progressão natural da inspeção da forma cinética de seu ambiente. Você pode entender cada cor ou raio como sendo, como nós dissemos, uma divisão bem específica e precisa da representação da energia inteligente da infinidade inteligente, cada raio tendo sido previamente examinado em outras considerações.
Esta informação pode ser útil aqui. Nós falamos agora não especificamente para aumentar a profundidade de sua conceitualização da natureza do que é. O universo no qual vocês vivem é recapitulação, em cada parte, da infinidade inteligente. Assim, você verá os mesmos padrões repetidos em áreas físicas e metafísicas; os raios ou divisões da luz sendo, como você conjetura, aquelas áreas do que você pode chamar de ilusão física que giram, vibram, ou são de uma natureza que pode ser, digamos, contada ou categorizada em sua maneira de rotação em espaço/tempo como descrito por aquele conhecido como Dewey; algumas substâncias tendo vários dos raios em uma manifestação física visível aos olhos, isto sendo aparente na natureza de seus minerais cristalizados que vocês consideram preciosos, o rubi sendo vermelho e assim por diante.
28.3 Esta luz ocorreu como consequência da vibração que é uma consequência do Amor. Eu vou perguntar se esta declaração está certa. Ela está correta? RA: A declaração está correta.
28.4 Ok. Esta luz, então, pode-se condensar em material como nós conhecemos em nossa densidade, em todos os nossos elementos químicos, devido às rotações das vibrações em intervalos quantizados ou unidades de velocidade angular. Isto está correto? RA: Isto está bem correto.
28.5 Eu estou pensando, qual é o catalisador ou ativador da rotação? O que causa a rotação para que a luz se condense em nossos elementos físicos ou químicos? RA: É necessário considerar a função de habilitador do foco conhecido como Amor. Esta energia é de uma natureza ordenada. Ela ordena de forma cumulativa, do maior para o menor, de forma que, quando o seu universo, como você pode chamá-lo, está completo, a maneira de desenvolvimento de cada detalhe é inerente à luz viva e, assim, se desenvolverá de tal e tal maneira; seu próprio universo, tendo sido bem estudado de forma empírica por aqueles que vocês chamam de seus cientistas e tendo sido entendido e visualizado, digamos, com maior acuidade pelos entendimentos ou visualizações daquele conhecido como Dewey.
28.6 Quando a individualização ou a porção individualizada da consciência começa a participar? Como esta individualização ocorre e em qual ponto a consciência individualizada assume o trabalho na luz básica? RA: Você permanece cuidadosamente na área da própria criação. Neste processo, nós devemos confundi-lo ainda mais com a declaração de que o processo pelo qual o livre-arbítrio age sobre a infinidade inteligente potencial, para se tornar energia inteligente focada, ocorre sem o espaço/tempo do qual você está tão ciente, já que ele é sua experiência do continuum.
A experiência ou existência do espaço/tempo vem a existir depois que o processo de individualização do Logos ou Amor foi completado e o universo físico, como você o chamaria, coalesceu ou começou a se projetar para o interior enquanto se movendo para o exterior à extensão que aquilo que vocês chamam de seus corpos solares criaram por suas vezes o caos interminável coalescendo no que vocês chamariam de planetas, estes vórtices de energia inteligente gastando uma grande quantidade do que você chamaria de primeira densidade num estado interminável, a perceção do espaço/tempo sendo um dos aprendizados/ensinamentos desta densidade existencial.
28.7 Uma unidade de consciência, uma unidade individualizada de consciência, cria, digamos, uma unidade da criação? Eu darei um exemplo. Uma consciência individualizada criaria uma galáxia de estrelas, do tipo que tem muitos milhões de estrelas nela. Isto acontece? RA: Isto pode acontecer. As possibilidades são infinitas. Assim, um Logos pode criar o que você chama de sistema estelar ou pode ser o Logos criando biliões de sistemas estelares. Esta é a causa da confusão no termo galáxia, pois existem muitas entidades Logos ou criações e nós chamaríamos cada, usando o complexo de som vibratório, galáxia.
28.8 Tomemos, como exemplo, o planeta que nós estamos agora, diga-me quanto da criação foi criada pelo mesmo Logos que criou este planeta? RA: Este Logos planetário é um Logos forte criando aproximadamente 250.000.000.000 de seus sistemas estelares pela sua criação. As, digamos, leis ou caminhos físicos desta criação continuarão, portanto, constantes.
28.9 Então o que você está dizendo é que o sistema estelar lenticular, que nós chamamos de galáxia, na qual nós nos encontramos, com aproximadamente 250 biliões de outros sóis como o nosso, foi criado por um único Logos. Isto está correto? RA: Isto está correto.
28.10 Agora, já que existem muitas porções individualizadas de consciência nesta galáxia lenticular, este Logos então se subdividiu em mais individualizações de consciência para criar estas consciências ou se dividiu nestas consciências? RA: Você é percetivo. Isto também está correto apesar de um aparente paradoxo.
28.11 Você poderia me dizer o que quer dizer com aparente paradoxo? RA: Pareceria que, se um Logos cria os caminhos da energia inteligente para um grande sistema, não haveria a necessidade ou possibilidade de diferenciação do sub-logos subsequente. Entretanto, dentro de limites, isto é precisamente o caso e é percetivo que isto tenha sido percebido.
28.13 Todas as porções individualizadas do Logos, então, em nossa – eu chamarei a galáxia lenticular na qual nós estamos, 250 biliões de sóis, ou estrelas, eu chamarei esta a galáxia maior apenas para nós não confundirmos nossos termos. Toda a consciência, então, nesta forma individualizada, que faz parte do que nós estamos chamando de galáxia maior, começa e segue através de todas as densidades em ordem, um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete ou – então à oitava – ou existem, digamos, algumas que iniciam num nível maior da ordem e seguem em uma – para que sempre exista uma mistura de consciência inteligente na galáxia? RA: A última hipótese é mais próxima da correta. Em cada início, existe o início a partir da força infinita. Livre-arbítrio age como um catalisador. Seres começam a formar os universos. Consciência então começa a ter o potencial para experiência. Os potenciais de experiência são criados como parte da energia inteligente e são fixados antes que a experiência se inicie.
Entretanto, existe sempre, devido ao livre-arbítrio agindo infinitamente sobre a criação, uma grande variação em respostas iniciais ao potencial de energia inteligente. Assim, quase que imediatamente, as fundações da, digamos, natureza hierárquica dos seres começa a se manifestar, já que algumas porções de consciência ou perceção aprendem através da experiência de uma maneira bem mais eficiente.
28.15 Agora, como a galáxia maior é criada, e eu presumo todas as suas densidades – eu presumo que todas – existem oito densidades criadas quando esta galáxia maior é criada. Isto está correto? RA: Isto está basicamente correto. Entretanto, é bom perceber que a oitava densidade funciona também como a densidade iniciante ou primeira densidade, nos seus estágios posteriores, do próximo octavo de densidades.
28.16 Você está dizendo, então, que existe um número infinito de octavos de densidades um a oito? RA: Nós queremos estabelecer que nós somos verdadeiramente humildes mensageiros da Lei do Uno. Nós podemos falar a vocês de nossas experiências e nossos entendimentos e ensinar/aprender de formas limitadas. Entretanto, nós não podemos falar em conhecimento sólido de todas as criações. Nós sabemos apenas que elas são infinitas. Nós supomos um número infinito de octavos.
Entretanto, foi impresso em nós, por nossos próprios professores, que existe uma unidade da criação revestida em mistério, na qual todas as consciências periodicamente coalescem e novamente começam. Então, nós podemos apenas dizer que supomos uma progressão infinita apesar de entendermos que seja cíclico por natureza e, como nós dissemos, revestida em mistério.
28.18 Quando esta galáxia maior é formada pelo Logos, polaridade então existe em um sentido que nós temos polaridade elétrica, um efeito gravitacional que provavelmente não é polaridade, eu… eu terei que fazer esta pergunta… Nós temos polaridade elétrica existindo naquele momento. Isto está correto? RA: Eu aceito isto como correto com a estipulação de que o que você denomina elétrica seja entendido não apenas como aquele, Larson, estipulou seu significado, mas também no que você chamaria de sentido metafísico.
28.19 Você está dizendo, então, que não apenas temos polaridade de carga elétrica, mas também polaridade em consciência naquele momento? RA: Isto está correto. Tudo está potencialmente disponível a partir do início de seu espaço/tempo físico; isto, então, sendo a função dos complexos de consciência para começarem a usar os materiais físicos para ganharem experiência para, então, se polarizarem em um sentido metafísico. Os potenciais para isto não são criados pelo experienciador, mas pela energia inteligente.
28.20 Eu suponho que o processo da criação, então, depois da criação original da galáxia maior, é continuado pela individualização de consciência adicional do Logos a fim de que existam muitas, muitas porções de consciência individualizadas assim criando itens adicionais, você poderia dizer, para experiência por toda a galáxia. Isto está correto? RA: Isto está correto, pois dentro das, digamos, diretrizes ou caminhos do Logos, o sub-Logos pode encontrar vários meios para diferenciar experiências sem remover ou adicionar a estes caminhos.

Nota: Dewey é Dewey B. Larson
22 de fevereiro de 1981
nota: a expressão Self refere-se ao Eu (pessoa), que nem sempre foi traduzido nos livros.

artigos relacionados:

sessão 29 – sub-logos
sessão 30 – origem; densidades
sessão 31 – homosexual – razões para existência da homossexualidade
sessão 32 – raios – Andarilhos
sessão 33 – catálise
sessão 34 – carma – raios
sessão 35 ~ Franklin Delano Roosevelt ~ Adolf Hiter ~ Abraham Lincoln
resumo do livro “A lei do Uno” e os 5 livros em .pdf

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments