Vídeo

Arizona Wilder

Partilhar no Facebook

Arizona Wilder – Confissão de uma Illuminati vítima do controlo da mente.

é uma entrevista muito boa e que revela alguns das piores ações que os Illuminati / a Cabala faz no nosso planeta e não deve ser visto porque quem ainda não percebe o que se passa atualmente na Terra. Revela também pormenores macabros que algumas sociedades secretas fazem, nomeadamente nos rituais satânicos. A pedofilia e o canabalismo estão presentes nesses rituais onde Arizona Wilder faz uma confissão com detalhes assustadores: tudo isto será divulgado após o evento… Em todo o caso, a entrevista deve ser vista apenas para as pessoas saberem onde o mal chega e não devemos pensar muito no assunto: temos de ser positivos.

…Matar índios e colherem o sangue. Os Illuminati referem-se aos humanos como os 8, os octógonos. Aqueles que vigiam os humanos por eles são chamados “Os olhos dos 8”. Os Illuminati consideram-nos fracos, veem-nos apenas como consumidores dos seus produtos (televisão, rádios, notícias). Os Illuminati começarão pela destruição dos EUA. Querem o despovoamento. Já começaram com o plano deles já há alguns anos, querem o despovoamento através das viroses e todos esses desastres biológicos (através dos programas de vacinação). Fomos educados para aceitar isso e sem questionarmos! A alta casta dos Illuminati querem eliminar a maioria da população humana e deixar escravos: eles adoram a época feudal. Todos estamos submetidos ao programa da Matrix, que nos subjuga. Temos de estar abertos à espiritualidade e à abertura dos nossos chacras. A mente dos humanos pode ser usado como um vortex (stargate) isto é, se não nos opusermos somos fantoches. O grupo dos Illuminati só usa a energia masculina, mas é necessário usar a energia feminina para termos um EQUILÍBRIO.

artigos relacionados:

Cabala – Métodos para fazerem mal

Illuminati – os seres negativos

Máfia Khazariana – Rothschilds – 11 setembro

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.