revelação cósmica temporada 05

S05E12 Think Tanks do Programa Espacial Secreto

Partilhar:

S05E12 Think Tanks do Programa Espacial Secreto

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome:
https://drive.google.com/file/d/1pzb9_fZBUWsbeR1zhZc9rcomHM7PcGuv/view?usp=sharing

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook), para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

revelação cósmica temporada 5 episódio 12

REVELAÇÃO CÓSMICA – POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Think Tanks do Programa Espacial Secreto

Olá.
Sou David Wilcock,

e você está assistindo ao
”Revelação Cósmica”.

Estou aqui com meu
co-apresentador, Corey Goode.

E, como vimos na entrevista
do nosso primeiro episódio,

com o ex-engenheiro aeroespacial,
William Tompkins,

ele detém informações privilegiadas.

Ele sabe como espiões descobriram
no que os alemães estavam

trabalhando de fato,
incluindo a invenção

de discos voadores reais.

Neste episódio, nós vamos
explorar ainda mais a vida

e obra de William Tompkins.

Ele vai começar falando
sobre o think tank secreto

no qual esteve envolvido enquanto
trabalhava com a Marinha

e lidava com o Secretário de
Defesa, James Forrestal.

Ele era o Secretário
da Marinha.

Ele era como a grande autoridade.

E, diferente de muitas organizações
militares ao redor do mundo,

todos gostavam do Forrestal.

Todo mundo gostava dele.

Ele era muito agradável.

E sabia do que
estava falando.

Mas era como se a equipe dele
se resumisse a um nome curto,

um nome que foi abreviado.

Por isso, ela contava com
algumas denominações diferentes.

Aquele grupo era basicamente
o ápice dos alumni.

Então, na Douglas,
nós tínhamos a situação de

reunir pacotes
de diferentes áreas

nas quais estávamos trabalhando
no think tank…

Agora, outras pessoas
no grupo estavam

cientes de quem Forrestal era.

E estavam cientes de que
nós não deveríamos

usar o nome do grupo dele.

Mas, basicamente, todos os
documentos que elaborávamos

dentro daquele
think tank secreto…

como isso será aceito
por aquele grupo?

Estamos nos desviando
da pauta deles?

Qual é a pauta deles?

Quem são todas essas pessoas?

Será que o Bilderberg
está envolvido nisso?

Será que outras organizações…
organizações secretas…

estão envolvidas nisso?

Com isso, nós estruturamos nossas
apresentações para eles

quando ele veio a público
admitir que Forrestal

era a primeira pessoa no país a

administrar a organização adequada,
a organização real,

para lidar tecnicamente
com o extraterrestre.

Agora, temos basicamente
o sistema espacial da

Marinha norte-americana,
que não é uma organização,

e sim, algo que faz parte do
think tank secreto em Douglas.

Aquela operação estava
controlando tudo no país.

E o presidente dos Estados Unidos
não fazia parte dela.

Grandes militares e
deputados não faziam parte dela.

Então, nós estávamos
entregando o ouro

para as pessoas que estavam
causando o problema.

E acho que é difícil
para nós aceitarmos,

mas era isso o que estava acontecendo.

Nós não sabíamos, mas
era essa a impressão.

Nos documentos que eu reuni
e em vários outros que

foram devolvidos
para a Marinha,

eu deixava comentários
perguntando quem

teria acesso àquelas informações.

Esse era um problema constante
no think tank secreto.

Dr. Klemperer, ele era um cara
muito legal… inteligente, brilhante.

Que aceitava brincadeira, sabe?

Ele era meu chefe.

Klemperer estava
convencido de que

havia dois grupos diferentes.

Havia as organizações
padrão, com os níveis de informação

da Marinha,

e havia esse
outro grupo especializado.

E nós sabemos que o almirante estava
à frente desse grupo especializado.

Ele era o cabeça ali.

Então, após seu assassinato,
nós deduzimos que

aquilo era verdade, porque
ele estava falando demais.

Essas são as complexidades
do programa,

onde nós estávamos
por conta própria,

sem a influência de outras pessoas.

Estávamos propondo
o que acreditávamos que

teríamos que fazer para
solucionar um problema inacreditável.

E quando você não sabe
quem é o seu chefe,

você faz o melhor que pode.

O que estamos vendo aqui

corrobora e muito com as informações
que recebemos de várias pessoas

ao longo do tempo
sobre esse mistério,

de como eles mantêm
coisas assim em sigilo.

As pessoas costumam dizer, “ah, o governo
não consegue guardar segredos.

Eles nem conseguem encontrar
um documento em um arquivo.

Como vão manter
essas coisas em sigilo?”

Bem, Corey, quando ouvimos
coisas sobre o cara que

acaba se tornando o
Secretário de Defesa

e que foi o primeiro
Secretário de Defesa

dos EUA, Forrestal…
e nem ele…

eles não sabem para quem
ele estava trabalhando de fato.

Eles não sabem… sim,
ele era o chefe da Marinha.

Ele se torna o
Secretário de Defesa.

Mas ele mencionou essa coisa que
ele chamou de “alumni”.

E quando ouço isso,
logo penso em Illuminati.

Esse é um nome que

já foi usado para eles
no contexto militar.

Qual, alumni?

Alumni.

Eles usavam essa
palavra mesmo?

Aham.

E isso significa
Illuminati mesmo?

Sim, eles usavam
esse nome para isso.

Ele também menciona
alguma coisa sobre

um codinome para esse grupo,
mas ele não diz qual.

Parece ser MJ-12.

Você concorda com isso,
com o que ele está falando?

Sim.

OK.

Você já esteve
em uma situação

na qual as pessoas com quem
você estava trabalhando

não sabiam para quem
estavam se reportando

ou qual era a verdadeira pauta?

Essa é a
ferramenta básica que

eles usam para manter as pessoas
alheias ao que está acontecendo.

E tudo é altamente
compartimentado.

Até na embarcação
em que eu estava,

tudo era compartimentado.

Pode me dar um exemplo?

Bem, havia uma
área ampla

que ficava na baía e que
usávamos para transporte.

E tudo era modular.

Então, a baía tinha essa abertura…
que era expandida ao máximo

para o início da construção
de laboratórios

e de tudo o mais que
precisasse estar lá.

E nós não…
se eu estivesse trabalhando

com um determinado
grupo de cientistas,

nós não fazíamos
ideia do que o outro…

do outro lado da parede…

estando, sabe, muito próximos.

No mesmo
navio de pesquisa?

Sim.

Sério?

Sim,
e eles fazem coisas assim:

eles nos dão um programa
de acesso especial com o

mesmo nome de um programa
militar normal que seja secreto.

Assim, se um dos nomes
do programa acabar vazando,

eles podem dizer, “ah, olha só,
ele está atrelado a isso.

Trata-se de um programa secreto, mas
não é o que vocês estão pensando.”

Ele estava eliminando
alguns códigos alfanuméricos

que eram como nomes
alternativos para esse grupo.

Isso é comum?

É sobre isso que
você está falando agora?

Sim, sim.

Você dá diversos nomes
diferentes para um grupo

para que isso provoque confusão, caso
as pessoas comecem a falar sobre eles.

Para que elas digam, “quem?

Eu conheço um grupo com esse nome.”

E isso só aumenta
a confusão.

Nessa compartimentação

que comentamos, algumas das
pessoas em algumas

dessas facções do
programa espacial chegam a

nem ficar sabendo da
existência de outras facções?

Claro.

Dificilmente elas ficam sabendo
das outras facções.

Elas geralmente
sabem um pouco sobre

as facções menos
tecnológicas abaixo delas.

Muitas vieram
dessas facções.

Mas elas não são secretas.

Se elas avistam outra
embarcação, eles dizem que

é uma embarcação
conceito do programa,

que elas não devem falar sobre o assunto.

Tompkins também descreveu
que esse cara, que supostamente

estava respondendo a esse
obscuro grupo MJ-12,

acabou sendo assassinado.

Isso sugere que algo
nefasto está acontecendo.

Sabemos que o termo MJ-12

só se tornou público
na década de 1980,

graças a William Moore,
Stanton Friedman,

de posse desse rolo de filme de 35 mm
que mostrava documentos sobre isso

e que, até aquele momento, ainda não
havia sido divulgado para o público.

Mas temos a clara impressão de que
Tompkins tinha conhecimento sobre o MJ-12,

embora ele não quisesse
dizer o nome diante das câmeras.

Por que você acha que as pessoas
têm tanto medo desses caras,

o que você acha que
aconteceu com Forrestal?

Bem, Forrestal… isso foi
reportado nos smart glass pads…

era uma das pessoas que
havia sido eliminada.

É mesmo?

Sim.

Isso foi dito lá?

Sim.

Sério?

Sério, e eu não sei
quem são as outras pessoas.

Eu não tinha referencial
para muitos dos outros nomes.

Mas, sim, eles
têm uma lista de quem

foi eliminado em nome da
segurança nacional ou algo assim.

E eles usavam isso
como um incentivo para as pessoas

ficarem de boca fechada?

Sim, porque
todo mundo nos programas

sabe do ocorrido, embora
o público geral só

tenha acesso a uma história falsa.

Então, a implicação
é que, não importa

o privilégio ou a importância
que você que você acredita ter,

eles vão apagá-lo como
uma vela, assim que

você sair da linha.

Sim, presidentes,
senadores… não importa.

Bem, esse é um grupo com o qual
você não vai querer se meter.

No próximo vídeo,
nós vamos falar sobre

as secretárias nórdicas e
o papel delas

em ajudar a moldar o
desenvolvimento americano

de seu próprio
programa espacial secreto.

Vamos dar uma olhada.

A Agenda dos Nórdicos

Nunca conseguir fazer com que
minha secretária admitisse

ser nórdica, OK?

E todo mundo sabia disso,
mas ela não admitia.

Mas pelo que ela
soltava nas conversas,

dava para perceber que ela
fazia parte da Marinha nórdica,

como um comandante de
inteligência com uma missão de

apoiar um programa específico…
o programa Apollo…

e apoiar tudo relacionado a isso, não
apenas a primeira fase de ir para a lua,

mas a segunda fase de
construir estações da Marinha

em todos os
planetas habitáveis

ou em suas luas no
sistema solar,

e depois construir bases em todas as
12 estrelas mais próximas.

Essa era a missão Apollo.

Agora, as duas meninas da engenharia,
as duas eram nórdicas

e nunca, de maneira alguma,
durante aqueles quatro anos,

apresentaram algo que
pudesse atrapalhar a

realização da missão.

Elas viviam isolando
todo mundo que

tentava impedir
a implementação

do programa.

Encobrindo, alterando
informações, fazendo errado…

tudo, durante todos
os quatro anos.

Então, por fim… nós
concluímos cerca de quatro anos.

Eu completei cerca de
quatro anos na Marinha.

E eu tinha pouco menos de
quatro anos na Apollo.

Agora, parte dos meus quatro anos
na Apollo estava nos módulos Nova.

E os módulos Nova eram
8 vezes maiores que o Apollo.

10 vezes maiores,
dependendo de onde você estivesse…

e eram módulos para transportar todos
os equipamentos da instalação de que

precisávamos para construir um
centro de pesquisa de estação naval

para 20.000 homens na lua.

Era isso o que
deveríamos fazer.

A missão para a lua era para
construir essas instalações

E nós só
chegamos à lua.

E uns caras mostraram o dedo para a gente
e nos disseram para não voltarmos mais.

OK, podem concluir
mais três de suas missões

e não voltem mais.

Bem, esses foram os reptilianos.

Eles já estavam lá.

Nós não sabíamos disso.

E nós, basicamente,
fomos barrados na primeira etapa

das missões.

Agora, sobre os nórdicos…
para que eles estão aqui,

e quem são eles?

E só descobrimos
bem mais tarde que

havia caixas cheias de nórdicos, OK?

Tínhamos uma caixa
inteira cheia deles,

com cerca de 100 tipos diferentes,
pelo que sabemos agora.

Lá atrás, nós achávamos
que era apenas um.

As duas jovens representavam
a civilização nórdica.

E a minha garota revelou-se
uma tenente da Marinha nórdica,

comandante com um contrato
específico e uma missão específica

para garantir a implementação do
programa Apollo, de todo o programa.

Então, temos que dizer que
aquele grupo que ela apoiava

fora da galáxia era
a melhor coisa que

poderia acontecer com o planeta.

Ela nunca propôs
nada que pudesse

jogar um balde de água fria em
qualquer parte do programa.

Ela estava sempre bem à frente de todos
com soluções para os problemas.

E ela, telepaticamente,
sempre

colocava coisas em minha mente.

“Não deixe-os seguir
nesse direção, Bill.

Você sabe sobre o que conversamos.

Você tem que consertar isso.”

E tenho que dizer que nunca tive
nenhum tipo de relacionamento

com uma pessoa como ela até
chegar na North American

e depois na TRW.

E aquelas garotas também se recusavam a
admitir que eram nórdicas.

Mas elas estavam fazendo
a mesma coisa

que a minha secretária
em Douglas, na Apollo.

Eles estavam pressionando aquelas meninas.

Havia duas delas
na North American.

A que eu conheci…
minha secretária,

assistente administrativa na TRW.

Então, mais uma vez,
vocês estão recebendo apoio

de um indivíduo
que provavelmente

faz parte da Marinha nórdica,
implementando uma pauta, de novo.

Eles estavam em guerra com os
reptilianos lá fora.

E o Solar Warden, obviamente,
era a nossa parte nesta guerra.

E eles também estavam em guerra com
os insetos, o povo

louva-a-deus… se preferir
chamá-los assim.

Então, estávamos lutando contra
dois dos povos realmente malvados

coletivamente.

Nós entraríamos em
combate com eles, algo que

os nórdicos já estavam fazendo.

E os nórdicos haviam perdido
uma enorme batalha

entre o planeta deles e
outro planeta, que

era dos reptilianos,
e eles o reconstruíram

e estavam em guerra de novo.

Estamos falando sobre várias
coisas que foram elementos

em quem são os nórdicos.

Quem são esses caras?

Certo.

Agora, isso está ficando
muito interessante,

porque estamos entrando em
muitas áreas que

vocês indicaram como
as coisas que

mais queriam que nós abordássemos.

Então, nós vamos
fundo nisso tudo.

Agora, em primeiro lugar,
foi muito interessante

vê-lo falar sobre
as fases das missões Apollo

e que a aterrissagem
era apenas a fase um.

Ele falou sobre os módulos de
construção e que havia um

local de lançamento separado
para esses módulos,

e que, na verdade,
o objetivo era construir essas

bases para 20.000 pessoas
na lua primeiro,

depois em outros planetas e
em suas luas,

e depois em 12 estrelas
ao redor do nosso sistema solar.

Isso é muita informação,
e eu quero

ouvir sua opinião
sobre isso antes de

abordarmos todo o resto.

Sim, eu posso até
ter visitado uma delas.

Uma delas?

Dessas instalações
em outro sistema estelar,

quando fui levado
através do portal

para aquela lua que ficava
ao redor desse gigante de gás

que eu descrevi.

Essa poderia ser uma
dessas bases em

uma das 13 estrelas locais.

Ele disse que os reptilianos
nos mandaram embora

quando chegamos à lua e que,
explicitamente,

as missões Apollo
não foram continuadas.

Mas, sem dúvida, fica aparente que,
de forma velada, elas foram.

E esta pode ser
uma das áreas na qual

Tompkins e as
informações que ele recebeu

não deram a ele a
perspectiva completa do que

realmente aconteceu.

Você concorda com isso?

Sim, sim.

As informações sempre
serão distorcidas

e os elementos, censurados.

Ele fala sobre uma
Marinha nórdica.

E ele nos deu algumas
informações muitos interessantes.

A formulação pode soar
estranha para alguns,

mas ele falou sobre a existência
de uma caixa de pessoas

e ele disse que,
dentro da caixa,

nós descobrimos
que havia

100 tipos diferentes de nórdicos.

Isso condiz com algo que
você já tenha ouvido?

O número, não.

Não me lembro de ouvir
esse número específico, mas, sim.

Havia muitos tipos
diferentes categorizados.

E eles eram ligeiramente
diferentes em tamanho e estatura.

Havia até um grupo que

eles chamaram de nórdicos
por um tempo… eles tinham uma

aparência nórdica… que
tinham quase 2,5m de altura,

testa grande e
seis dedos.

E eles foram colocados
nessa categoria por um tempo.

Então, isso acontece,
assim como existem

milhares de seres
diferentes por aí

que se parecem com
o que eles chamam de Grey.

Ele também descreve que
esses nórdicos tinham uma Marinha

e que a mulher que
trabalhou com ele

como sua secretária ou
assistente administrativa quando

ele foi para a TRW,
isso em ambos os casos,

tinha uma designação de comando
naquela estrutura militar.

Isso condiz com algo que
você já tenha ouvido,

sobre eles terem
algum tipo de estrutura

militarizada em sua organização?

Sim.

É?

Sim.

Nossa, OK.

E é a mesma coisa com
os grupos no interior da Terra

com os quais eu interagi,
visto que eles são

pilotos que pilotavam as embarcações
que usamos para ir até o

Cinturão de Kuiper e Vênus…
eles faziam o tipo militar.

Sério?

Sim.

Sim, eles disseram que
contam com grupos militares

ou científicos.

Eles não se misturam.

Ele também descreve
uma guerra que

estava sendo travada entre
os nórdicos e os reptilianos.

E acho que uma das coisas
mais interessantes que

ele comentou foi que

havia um planeta onde os nórdicos
perderam a guerra,

porque, aparentemente, havia um
planeta adjacente controlado

pelos reptilianos.

E eles estavam brigando
por essa área.

Os nórdicos perderam essa guerra
e tiveram que se reagrupar

e, pelo visto,
parte do reagrupamento

envolvia vir para cá e
trabalhar conosco.

Essa provavelmente era
uma operação ou missão

fora do reagrupamento.

Sim.

Então, quanto tempo
essa guerra durou?

Foi uma guerra contínua com
os nórdicos por, digamos,

dezenas de milhares de anos?

Eu realmente não sei
há quanto tempo eles estão em guerra.

Mas sei que existem
guerras lá fora que

têm sido travadas contra os
reptilianos e seus aliados.

E eles conquistaram planetas.

E um dos grupos que
trabalha com os reptilianos

tem a aparência nórdica que
eu descrevi antes,

com a testa grande e
os seis dedos

E todos os dados indicavam que
eles eram uma raça conquistada

que foi forçada a trabalhar.

Certo.

Agora, vamos destrinchar
essa ideia de os nórdicos

de fato aparecerem no
complexo militar-industrial

e assumirem
funções de suporte

mas influenciarem pessoas
telepaticamente através dessas funções.

É realmente possível que esses
nórdicos tivessem como

fazer isso?

Eles tinham como aparecer na
Terra, conseguir esses trabalhos

e conquistar o nível de
segurança necessário para exercer

tais cargos?

Sim, sim.

Vários deles estão vivendo

na superfície da Terra nesse momento,
caminhando entre nós.

Vários deles,
mas quantos você diria…

Eu não sei.

Eles pertencem a
grupos diferentes.

O Anshar me contou que,
há milhares de anos,

um das facções no
conglomerado de grupos

foi banida para as
cavernas em direção à superfície

e para a superfície do planeta.

Sério?

Sim.

Como um desses homens ou
mulheres nórdicos

conseguiria acessar algo
altamente compartimentado

e confidencial assim?

Nosso governo ou o complexo
militar-industrial não deveria

ter muito medo deles,
já que eles podem

nos enganar ou
levar informações

para o grupo deles e, assim,
se armarem contra nós?

Sim,

e depois eles descobriram que
estávamos sendo enganados

sobre algumas coisas que
os nórdicos…

nós os chamávamos assim…
fizeram para a segurança operacional,

sabe?

Nós, sem dúvida,
nos deparamos com

algumas fraudes.

Mas, na maioria das vezes,
eles estavam aprendendo

sobre a ameaça reptiliana e
a ameaça de seus aliados.

E esse grupo
se parece muito com a gente.

Basicamente, eles são como um primo
que vem ajudar um primo.

O inimigo do meu inimigo
é meu amigo.

Sim, sim.

Mas essas pessoas
chegavam dizendo que

queriam que nos livrássemos
de nossas armas nucleares,

que fossemos mais
amáveis e pacíficos.

E eles… eles não viam
aquilo como uma grande ameaça

vindo daquele grupo como quando vinha
do inimigo, os grupos reptilianos.

Uma das coisas que Tompkins

aborda e que é
diferente do que você disse

é que ele parece retratar
esses nórdicos,

pelo menos nessa parte
da entrevista,

como sendo basicamente do
espaço sideral, de outros mundos.

O que você acha que
está acontecendo aqui de fato?

É uma…

Bem, é uma mistura.

Eu não sei com que grupo
ele estava em contato.

Ele poderia muito bem estar
em contato com

um grupo não terrestre.

Mas os grupos com os quais
eu tive contato e que

se encaixam nessa descrição
alegam ser criados nesse planeta

por natureza e que
esse é o seu lar.

Agora, Corey, quero
abordar um assunto

muito delicado,
algo pessoal para você,

que todos que assistem
ao programa consideram

como o episódio preferido.

Quando você vivenciou
aquela fusão mental

com Kaaree, a sacerdotisa
do interior da Terra.

E você estendeu as mãos
para tocar as mãos dela.

Ela lhe ofereceu um tipo de
bebida que você negou.

Você não queria
ingerir a bebida.

O elixir de Ísis.

Vamos só
falar um pouco sobre

o que ela mostrou a você.

Isso corrobora de alguma maneira
com o que Tompkins acabou de

nos contar nessa entrevista?

Sim, e ela estava
se conectando comigo

para se concentrar em um
breve período da minha juventude.

E, enquanto regressávamos
para aquela época durante a fusão,

eu também pude ver a vida dela,
durante o mesmo período,

ou na idade dela que
correspondia à minha.

E uma da coisas que eu vi
foi uma série de reuniões

que ela teve com
militares.

Os trajes pareciam… o material
parecia ser da era de 1940, 1950.

E ela estava falando com
representantes russos

ingleses, canadenses,
americanos da

força militar…

Nossa.

… e ajudando-os.

Ele eles disseram que
ajudariam fisicamente.

Eles ajudariam com
tecnologia.

Portanto, sim. Há, sem dúvida,
algumas misturas.

Certo.

Agora, vamos passar
outro vídeo para você.

E esse vai tratar de algumas coisas
muito interessantes,

onde Tompkins
vai descrever

sua própria experiência na
compreensão das abduções

que estão ocorrendo.

E também vamos
ouvi-lo descrever

o que ele sabe, pessoalmente,
sobre o interior da Terra.

E esse material me deixou
boquiaberto,

porque, Corey, ele diz
algumas coisas aqui que

vão ainda mais além
do que você

já havia me dito.

E isso abalou minhas estruturas.
Então, fiquem ligados.

Vocês vão adorar.

Abduções e a Terra Interior

Muitas pessoas foram
abduzidas por anos.

E muitas delas continuam
sendo abduzidas.

Mas estamos na seguinte situação:
o que fazemos agora?

Como consertamos isso?

O que temos que fazer
para consertar isso?

Existem pessoas de instalações
extraterrestres ancestrais,

se quiser
chamá-las assim,

que estão vivendo no subsolo,
em cavernas enormes

há milhares de anos.

A Terra em si é
praticamente uma colmeia.

Ela tem milhões de
cavernas enormes.

Nós observamos as
pequenas cavernas

no Novo México.

E todo mundo vai lá
e observa a caverna.

Eles observam a
entrada de um escritório.

É só isso o que eles observam.

Quando falamos de
cavernas a nível terrestre,

uma das cavernas no
sul da Califórnia

vai até Oregon.

E chega a Nevada no sentido leste.

E trata-se de uma caverna.

E há cavernas
dentro daquela caverna

Há cavernas dentro de
cavernas, não só túneis.

Mas cavernas como bolhas
dentro de cavernas.

E algumas cavernas têm apenas
alguns quilômetros de comprimento.

Mas nós somos uma colmeia.

E foi assim que esses
extraterrestres chegaram aqui,

alguns deles antes de
Noé construir a arca.

Alguns vieram depois
que ele construiu a arca,

depois do dilúvio.

Mas já ocorreram
sete tipos de dilúvio

por aqui.

Nós nos esquecemos disso.

Meu tio Walter tinha
detalhes das sete vezes

em que eles ocorreram.

Um foi em uma situação
onde terremotos contínuos

ocorreram do
Alasca ao Polo Sul,

todos ao mesmo tempo.

Isso abriu a coisa toda.

E provocou todo
tipo de dilúvio.

Então, sim, temos
extraterrestres aqui

no planeta que não estão
apenas vivendo em cavernas.

Eles têm cidades lá.

Eles têm indústrias lá.

Eles se divertem lá.

Eles têm uma…
talvez não como nós…

Mas eles têm uma
vida plena lá.

Eles nascem, trabalham e
saem do foco.

E alguns deles vivem vidas
ridiculamente curtas, como os humanos.

Outro ficam no meio-termo,
vivendo 2.000 ou 3.000 anos.

Outros não deixam de
viver, simples assim.

E essas pessoas
meio que vivem juntas

nas diferentes cavernas,
mas obviamente

com rotinas completamente diferentes,
vidas completamente diferentes

e missões diferentes.

Agora, a Força Aérea
se envolveu nisso.

Então, eles construíram escavadoras
que têm quase 800 metros de

comprimento.

E vão cavar um buraco

que vai ter 30 metros de diâmetro.

E nós temos trens por
todos os Estados Unidos,

espalhados pelo país, se conectando
até com a Nova Escócia,

e alguns deles se conectando
com outros países

localmente, neste
hemisfério em particular.

Mas os túneis extraterrestres
têm cerca de 90 metros,

chegando a quase 120 metros.

E esses túneis…
as escavadoras de túneis

cavam de 3 a 4 km por hora.

E reduzem tudo
a pedra, todo o

material… tudo…
vira material microscópico.

E eles borrifam isso naquele
revestimento do túnel, que acaba

ficando quase como vidro, ficando
então eletricamente ativo e

transformando-se em um túnel iluminado.

E esses caras estão lá,
a 3 km por hora,

operando esse túnel, que

agora tem veículos subsônicos
operando nos trilhos, e que não saem

dos trilhos, espalhados por toda a
instalação… não apenas da nossa,

como de Washington DC
e do Pentágono para

todas as instalações da Força Aérea
em Vandenberg.

Então, nós cruzamos os túneis
deles ao cavarmos os nossos.

E recebemos uma sugestão
pouco cortês para

seguirmos outra rota.

E, como no Novo México, temos
uma grande instalação lá.

E entramos em guerras com
alguns dos extraterrestres que

estão lá e guerras com
nossos militares

e pequenos conflitos
contínuos.

Mas nosso pessoal que é
levado do laboratório da

universidade para aquela instalação,
é levado muito rápido.

Tipo, em um segundo,
eles estão lá.

E eles os levam para dentro.

E permitem que continuem
aquela pesquisa que

estavam realizando
na universidade,

só que agora,
eles são escravos.

Eles não são um
parceiro de negócios.

Eles são escravos.

Portanto, temos escravidão
nessas cavernas

espalhadas pelo planeta.

Mas isso não é
algo especial,

já que na galáxia, entre os
diferentes extraterrestres,

eles fazem a mesma coisa.

Eles pegam os
caras bons

e os abduzem, levando-os para
as instalações em seus planetas.

Ou eles os levam
para o subsolo

de seu planeta de origem
e fazem a mesma coisa.

Mais uma vez, não é apenas a
Terra que é um laboratório.

Temos bilhões de laboratórios
em bilhões de estrelas

na galáxia
fazendo a mesma coisa.

Nossa colocação na hierarquia
é bem inferior, infelizmente.

OK, vocês viram.

Eu vi.

Corey viu.

Isso acabou de acontecer.

Nós não estamos
enganando você.

Não é uma piada, OK?

Tompkins é sincero.

Eu já o entrevistei
várias vezes.

E Corey, como você
se sente ao ver

esse incrível acervo
corroborando

com tudo o que
você tem nos contado?

É fantástico.

Ele descreveu as
pessoas no interior da Terra

como extraterrestres.

E ele disse que existem diferentes
expectativas de vida,

alguns vivem muito pouco,
assim como nós,

alguns vivem mais tempo, e
ele disse que alguns

vivem eternamente.

Vamos primeiro ouvir
seu feedback

sobre a declaração de que eles
são extraterrestres.

Bem, eu concordo que
um contingente muito grande

de extraterrestres, com muitos
tipos diferentes, tem o que

chamávamos de embaixadas
nas cavernas de todo o planeta.

Mas como expliquei
no meu depoimento,

eu tive um contato recente
com um grupo, um grupo do

interior da Terra, que alegava
ter se desenvolvido

nesse planeta, o que não faria
deles não terrestres.

Sim.

Algumas dessas pessoas podem,
de fato, ser nativas da Terra.

Elas apenas evoluíram
ou se desenvolveram

nessas áreas no interior da Terra.

Sim.

OK.

Outra coisa que
me surpreendeu e que

me chocou foi quando eu vi
a declaração dele de que

existem milhões de cavernas.

E o fato de ele usar
a palavra “colmeia”.

Só quero esclarecer
para todo mundo que

está nos assistindo que ele
não viu o seu depoimento.

Ele nunca ouviu você se referir
a isso como a colmeia terrestre.

Você não havia visto
“A Lei do Uno”,

que também se refere
a isso como a colmeia terrestre.

Portanto, temos aqui três fontes
independentes documentadas,

além de outras pessoas que mencionaram
isso dessa forma para mim

em particular… outros informantes
que preferem não aparecer.

Vamos começar com isso.

Você concorda que, de fato,
existem milhões

de cavernas dentro da Terra?

Sim, sim.

Da forma como a Terra se
desenvolveu, havia, acredito,

algo semelhante a um sistema
vascular passando por ela,

sabe, de rocha derretida.

E ele arrefeceu, formando
todos os tipos de cavernas.

E depois, a atividade
tectônica na Terra,

louca como ela é, também
ajudou nessa criação.

Humm.

Algumas pessoas escreveram
comentários sobre

um artigo que escrevi recentemente
falando sobre o interior da Terra,

dizendo que elas não entendiam
por que essas cavernas

seriam seguras em casos
como terremotos gigantes

na superfície da Terra.

Sim.

Elas ficam
bem mais abaixo,

mais fundo na crosta
do que a maioria das falhas,

exceto as
falhas mais profundas.

Então, elas não costumam,
dependendo

do nível de desenvolvimento
tecnológico…

assim, os diferentes
não terrestres que

vivem em eras diferentes…
sabe, eles estão

em estágios diferentes
de desenvolvimento.

Para alguns dos grupos
mais tecnológicos,

não seria tão difícil

viver perto de falhas geológicas.

Mas a maioria delas tem de
30 e 50 km de profundidade

na crosta.

Certo, e um
terremoto só

sacudiria perto da superfície.

Os tremores nem chegariam
tão longe assim

a ponto de serem significativos.

Sacudiria tudo…
sim, a coisa toda.

As ondas de choque viajam
pela rocha nas duas direções.

Mas muitos deles, dos grupos
mais tecnicamente desenvolvidos,

têm tecnologia para
mitigar isso.

Ah, como amortecedores.

Sim, tipo isso.

Algo do tipo.

Energético.

Ele também
disse que…

quero ouvir seu comentário
sobre isso sem incutir

minha opinião.

Ele mencionou a caverna que
vai da Califórnia até Oregon,

e depois até Nevada,
segundo ele,

em uma caverna única
e contígua.

Essa é uma
declaração chocante.

O que você tem a dizer sobre isso?

Bem, eu falei
um pouco sobre

esse mesmo sistema de cavernas.

Em parte dele, nós temos
submarinos entrando e saindo,

passando pelo interior dos
Estados Unidos e surgindo em lagos.

OK, então algumas
dessas cavernas

não são ocas e
cheias de ar.

Em alguns casos,
eles têm água do mar.

É uma mistura.

Depende de como a
caverna é selada,

como a caverna funciona,
em comparação com uma caverna

próxima.

Muitas vezes,
elas terão

uma área com água
e com os submarinos.

Eles escavam até outra
área de caverna que é,

de alguma maneira,
naturalmente pressurizada,

o que mantém a água fora,
e constroem as instalações

Certo.

Outro aspecto
muito perturbador

desse vídeo que acabamos de ver
é que ele descreve

o que parece ser uma série
de diferentes tipos de

escravidão.

Ele descreve escravidão dentro
da Terra, seres humanos sendo

levados para outros sistemas solares.

E você falou sobre isso
em outros episódios.

E também o fez com
George Noory em “Beyond Belief”,

aqui no Gaia.

Mas você pode falar um pouco
de como se sentiu

ao vê-lo falar sobre
o tráfico de escravos?

Sim, e talvez ele só esteja
falando de uma pequena parcela

por ser algo muito perturbador,
ou por só ter conhecimento dessa parte.

Mas ele estava falando do
cenário de abdução,

que ele mencionou.

Mas as pessoas desaparecendo
do planeta,

que estão sendo abduzidas,
que, por um determinado

período, estavam sendo abduzidas
por não terrestres

e sendo levadas do
nosso sistema estelar

para tráfico de escravos.

Depois, chegamos à conclusão:
“ei, isso é uma mercadoria…”

e nós éramos o grupo comercializado.

E eles começaram a
obter e negociar

humanos em troca de tecnologia
e material biológico.

E o que podemos fazer
quanto a esse tráfico de escravos?

Isso é muito perturbador
para as pessoas.

Acho que elas podem
se sentir impotentes.

Há algo que possamos fazer
para tentar pôr um fim nisso

e libertar as pessoas
na Terra?

Bem, o máximo que
podemos fazer é

alertar as pessoas
de que isso existe.

Você não pode enfrentar um
problema a menos que

saiba de sua existência.

E todo mundo está adormecido.

Com as mentes controladas.

E essa informação vai ser

muito perturbadora e
difícil de aceitar

para muitas dessas pessoas.

Mas o que as pessoas podem
fazer para mitigar isso

é, sobretudo, se educar e
educar os outros sobre o assunto.

Assim, quando a informação
for divulgada,

as pessoas não vão ficar na cama
chupando o dedo.

Você também
mencionou algumas mensagens

que as Aves Azuis
enviaram a você sobre

o que acontecerá com as pessoas
mantidas como escravas

enquanto passamos por essa transição e
pela derrota do Draco.

E acho que isso diz respeito a
certos grupos separatistas.

Certo, e há alguns
grupos não terrestres

e alguns grupos separatistas
que estão ajudando nisso.

Os infiltrados que
se infiltraram no programa,

o programa de tráfico de
escravos galáctico,

começaram a colocar
rastreadores nas vítimas,

para que eles
pudessem rastreá-las

aonde quer que fossem,
não importando em que lugar

dessa galáxia ou de outras galáxias,
e enviar seus aliados

para buscá-las.

E, ao serem pegas,

elas entram em diferentes
estados psicológicos

por causa do que passaram.

E o grupo Maia ancestral tem
ajudado muitas dessas pessoas

a se recuperarem e
se curarem em seus planetas.

Resumindo,
você acha que,

à medida que temos acesso
aos pontos negativos,

à derrota do Draco,

como discutimos em outros
episódios, haverá

uma operação de salvamento
e resgate generalizado

dessas pessoas que
foram escravizadas?

Isso já está
sendo feito.

OK.

Mas é importante que
as pessoas

fiquem sabendo que
algo já está sendo feito

e que muitas dessas pessoas que
podem estar escravizadas agora

serão libertadas em breve
enquanto enfrentamos essa mudança.

Sim, e depois que
passarem pelo processo de cura,

elas retornarão para a nossa
sociedade, do jeito que ela

estiver naquele momento.

Nossa.

Certo.

Bem, isso foi
realmente fascinante.

Quero agradecer a você
por assistir ao nosso programa.

Isso, sem dúvida, é impressionante.

Depois de todo esse tempo, as pessoas
dizem: “ah, mas Corey não tem validação”.

Bom, o que acabamos de ver
virou esse jogo.

E eu o encorajo a falar sobre isso
com todos que você conhece,

porque agora que nós
reunimos tudo isso,

talvez muitas pessoas que não
levariam esse conteúdo a sério

passem a encará-lo
com outros olhos.

E precisamos da sua ajuda.

Precisamos que o máximo
de pessoas possível

se eduque
a esse respeito.

E como Corey disse, é crucial
para o futuro da humanidade

que deixemos de agir
como avestruzes,

que estejamos conscientes
do que está acontecendo.

Esse é o ”Revelação Cósmica”.

Estou aqui com Corey Goode
e William Tompkins.

Sou seu apresentador, David Wilcock,
e agradeço pela audiência.

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO
COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Disclaimer:
1. Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
2. Os artigos colocados neste site, são diferentes dos colocados nos corruptos meios de comunicação de massas. Não significa que os autores concordam ou discordam com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo. Ninguém é dono da verdade absoluta e este site não foge à regra.

Partilhar:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments