revelação cósmica temporada 05

S05E11 William Tompkins

Partilhar:

S05E11 William Tompkins

Assista ao episódio clicando no link abaixo, usando o browser chrome: https://drive.google.com/file/d/1wsh0Ezf6S-SvC96NMrIIv0LFby53B5IR/view?usp=sharing

Se der erro, use o browser chrome em modo anónimo (teclando Ctrl + Shift + n) no PC e se necessário, antes tem de fazer logout do seu gmail. Se ainda não conseguir, aceda a partir de outro PC. Alerta-se que os episódios têm sido retirados da internet, portanto se detetar que o episódio foi denunciado, faça um comentário (não no facebook), para indicarmos outro link.

Episódio com legendas em português do Brasil (para quem não deseja assistir ao vídeo):

revelação cósmica temporada 5 episódio 11

Fico feliz que esteja aqui para ver este episódio porque ele é bombástico.

Você está prestes a ver um esboço biográfico de William Tompkins…

um engenheiro aeroespacial que resolver contar o que sabe…

com conhecimento exclusivo em uma ampla variedade de aspectos…

especificamente dados relacionados ao Programa Espacial Secreto…

que temos revelado no programa que tenho aqui com Corey Goode.

Quero que veja isto agora…

e conheça os detalhes de todos os meandros incríveis…

da ilustre carreira de William Tompkins. Veja só isto.

Quando era criança, com nove anos de idade…

por alguma razão, me interessei…

por construir modelos de barcos da Marinha.

Eu ia para a biblioteca para obter mais informações.

Às vezes havia transmissões de televisão sobre navios da Marinha.

Meu pai, no entanto, levou meu irmão e eu…

Ele é mais velho do que eu.

…até Long Beach. Morávamos em Hollywood.

E ele nos levava até Long Beach aos finais de semana…

onde, no início dos anos 30…

a Marinha estava preocupada com o que os Japoneses estavam fazendo na China.

Eles decidiram levar a Marinha Oriental…

para a costa Oeste, mas eles não tinham um porto.

Então tiveram que esperar pela construção de um quebra-mar…

bem na costa de Long Beach.

E este quebra-mar era grande o suficiente…

para dar conta da Marinha Oriental e da Frota do Pacífico.

Quando os navios chegaram foi uma novidade para todo mundo.

E para mim foi maravilhoso…

porque eu poderia ir até a baía e…

Não podia usar câmeras, mas eu podia desenhar…

todos os radares e as coisas confidenciais…

porque os navios são…

Eles só estão a dez ou 12 quadras de Long Beach.

Então, nos fins de semana…

a Marinha permitia que as pessoas subissem a bordo…

e visitassem os navios. Então meu pai levou meu irmão e eu até lá.

E eu estava muito interessado no porta-aviões.

Tínhamos dois deles naquela época.

E o Lexington e o Saratoga, ambos estavam bem ali.

Aquele grande, enorme porta-aviões…

De 300 metros de comprimento. Uma loucura.

Ele tinha 11 andares de altura.

E quando você entrava nele…

é um enorme hangar.

E não dava para acreditar no tamanho dele.

Mas para mim aquela coisa toda parecia…

um veículo espacial que alguém havia construído.

Era assim que o via.

Então precisei de ajuda para construir o Lexington.

E…

O porta-aviões Lexington.

Então eu precisava do radar.

Precisava de muitos outros detalhes dos canhões de 12 centímetros…

vinte milímetros…

quarenta milímetros, onde todas essas coisas estavam…

porque naquela época, eles estavam equipando todos os navios…

para condições de guerra com os equipamentos mais avançados…

que eles podiam inventar. Para conseguir fazer o radar…

eu andei pelo convés de voo…

e subi até o topo da torre…

ao lado do centro de controle…

onde se projetava uma sombra.

E esta sombra me deu a oportunidade…

de visualizar os dois lados dela…

e fazer marcações.

E eu consegui descobrir a forma e o tamanho.

E eu era muito bom em conseguir, matematicamente…

calcular o tamanho real.

Então eu andava até a proa do porta-aviões.

E havia umas catapultas secretas…

para impulsionar o avião…

e fazê-lo levantar voo mais rapidamente.

Claro, era confidencial, mas andei por lá…

anotei todos os números que precisava e voltei.

E no caminho para casa…

enquanto papai estava dirigindo de volta para Hollywood…

comecei a fazer meus esboços de perspectiva.

Mais tarde naquela semana, depois da escola…

fiz um desenho detalhado.

Depois construí aquela parte do navio…

e coloquei no modelo.

Deveria haver, aproximadamente…

quarenta modelos de navios nesta coleção…

portanto algumas pessoas descobriram a coleção.

Os jornais ficaram sabendo e escreveram artigos sobre o garoto da Marinha.

Então a Loja de Departamentos Broadway…

na Hollywood Boulevard…

solicitou que exibíssemos os modelos na vitrine deles.

Eles abriram uma grande área.

Havia uma mesa lá dentro para mim…

com alguns dos meus modelos expostos…

e eles me pediam para demonstrar como criava os modelos.

E fiz isso depois da aula todo…

A semana toda e aos finais de semana…

então foi um grande empenho. Mas o primeiro artigo…

que se referiu a isto…

atraiu várias pessoas da Marinha que estavam de folga…

para sair da base e ir até Hollywood.

Eles iam pra lá mesmo. Então eles foram ver os modelos.

E eles se admiraram com a precisão destes modelos.

E um deles contatou um cara do Departamento de Inteligência da Marinha.

E isto se tornou uma história complicada.

A Inteligência da Marinha foi até o escritório do meu pai em San Pedro.

Eles o confiscaram.

Eles o investigaram por dois dias e meio…

e finalmente descobriram que ele não era russo…

nem um espião.

Mas, naquela conversa…

eles foram até nosso pequeno apartamento em Hollywood.

Eu dividia o quarto com meu irmão…

e tinha pilhas de papel…

até metade da altura do quarto.

Esses caras entraram neste pequeno quarto e olharam para essas coisas.

Eles estudaram tudo.

Voltaram três dias depois.

Eles olharam tudo novamente. Voltaram quatro dias depois…

e revisaram quase tudo que eu tinha.

E eu tinha centenas de esboços, centenas de desenhos…

centenas de tipos de coisas em pré-perspectiva…

porque eu pegava todas essas coisas malucas…

e estava visualizando como poderia usar tudo isto para montar os modelos.

Então eles absolveram meu pai.

Muito bem. Depois disso, mudamos para Long Beach…

por causa dos negócios do meu pai…

e estávamos a 11 quadras da praia.

Então agora posso ir até a praia…

e me inteirar sobre as coisas mais recentes.

E isso funcionou muito bem.

Lá eu estudei em uma escola especial…

por alguns anos…

voltei para Hollywood…

entrei no ensino médio em Hollywood.

E, claro, em aulas de desenho.

E esta jovem estava sentada ao meu lado…

e ficava espantada com a rapidez que eu conseguia fazer os desenhos.

Eu tinha…

Eu era bem mais avançado que todos na classe…

porque já fazia essas coisas antes.

COLÉGIO HOLLYWOOD TERRITÓRIO DO XEIQUE

Nós nos formamos no Colégio Hollywood.

Ela estava nas minhas aulas de inglês.

E eu não era introvertido, mas eu não era…

Eu não gostava de inglês, não gostava de falar em público…

nem nada do gênero.

Mas ela estava lá e quebrava o gelo…

e nós conversávamos. E eu ficava mais tranquilo.

Enfim, a professora me escolheu…

e queria que eu fosse lá para frente e falasse para todos.

Então falei sobre os modelos dos navios…

e falei sobre o que acontecia nestes porta-aviões…

e contratorpedeiros, cruzadores, submarinos e tudo mais.

Eu aprendi oratória…

naquela aula…

ao ponto…

de ser chamado para dar informações sobre os modelos de navios…

nos jornais…

para falar…

na…

abertura…

do Estádio em Hollywood…

O Estádio Hollywood.

E falei para quatro diferentes grupos…

sobre a Marinha.

E falei como um palestrante profissional.

É inacreditável o que aquela aula fez por mim.

Uma das pessoas que estavam envolvidas com a Marinha…

pediu ao meu pai para levar meu irmão e eu até o Telescópio Mount Wilson…

que ficava perto de Pasadena.

Uma região muito bonita.

Então, olhar através daquele telescópio de 2,5 metros…

foi um evento.

E poder ouvir algumas daquelas reuniões…

que os astrônomos estavam fazendo…

eles nos permitiram participar dos afazeres deles do dia a dia.

E foi surpreendente para mim…

que algumas das perguntas que estavam sendo feitas…

indicavam para mim que…

não há nada lá fora.

E eu, de certa forma, naquele momento…

sabia que havia planetas…

que tinham pessoas neles.

Eu sabia. Não havia dúvida.

E levantei este assunto algumas vezes…

e, claro, fui cortado…

porque este pessoal é formado em astronomia…

e sabem o que está acontecendo…

mas não sabiam.

Então esta pequena parte depois levou a…

Inteligência da Marinha…

confiscar novamente meu pai e eu…

e nos levaram até San Pedro…

e criaram um pacote para mim…

para entrar na Marinha…

e implementar um programa. Não sabia o que era.

Em vez de começar um treinamento imediatamente…

a Marinha me mandou para a Vultee Aircraft, em Downey, Califórnia…

na área de Los Angeles…

que agora é a NASA.

Um emprego lá na NASA…

era converter…

sistemas de comunicação extraterrestres…

fazê-los funcionar…

e depois copiá-los.

Depois fui para Lockheed…

trabalhar no túnel de vento.

E eles me tiraram do túnel de vento…

e me colocaram em outra pesquisa.

Tive este pressentimento…

sim, Lockheed é bom…

mas há alguma coisa acontecendo em Santa Monica.

DOUGLAS PRIMEIRA AO REDOR DO MUNDO

Douglas. Fui até lá e fui contratado para fazer esboços.

E logo cheguei nos modelos de barcos.

Em um curto período de tempo…

a empresa Douglas…

usou meus modelos de barcos, levaram eles para todos os lados…

para fazer propaganda da Douglas Aircraft Company.

Então o vice-presidente da Douglas…

pediu para eu construir…

um barco a vela muito grande…

que deveria ser uma cópia do barco a vela do Sr. Douglas…

que ele havia atracado em San Pedro.

Tive que ir até lá para tirar medidas e fazer os desenhos.

Construí o negócio em pouco tempo porque sabia como fazer.

E eles me deram o barco como presente de Natal.

Então agora estou dentro com o vice-presidente da Douglas.

Então fui trabalhar na Douglas…

fazendo esboço por duas semanas…

E meu chefe…

Chefe de Seção…

começou a verificar meu histórico.

E, claro, fala de todas aquelas coisas…

que fiz na Marinha.

Então ele me coloca neste laboratório de ideias…

e é aqui que chegamos no primeiro laboratório de ideia, certo?

Ele ficava dentro da Douglas, em uma área separada.

E há 200 caras nele.

E uma das minhas atribuições…

tinha uns 12 anos…

e foi uma que havia levado…

para Douglas. Voei até lá e dei aos engenheiros da Douglas…

quando estava na Marinha.

DOUGLAS AIRCRAFT COMPANY, INC. DIVISÃO DE SANTA MONICA

E aqui está nos arquivos… Eu havia me referido a ela…

E aqui está um dos meus documentos que fiz na Marinha…

e fui até lá e dei a eles.

E acontece…

que isto se torna o primeiro laboratório de ideias.

Como no TRW mais tarde…

nós investigamos todos os aspectos de extraterrestres…

militar, comercial, o que for.

E fui designado para desenhar para a Marinha…

cerca de 16 a 18 diferentes classes…

de grupos de naves de guerra da Marinha americana…

que não existem.

E as maiores tinham de um a seis quilômetros.

Essas naves voam no espaço.

Elas são naves espaciais transportadoras.

Eu desenhei naves espaciais da Marinha americana…

que finalmente foram construídas…

no fim dos anos 70…

em Utah, no subsolo.

E esta é a…

Você viu as imagens de naves espaciais da Marinha americana.

Solar Warden.

A Solar Warden foi criada em um laboratório de ideias…

dentro do Departamento de Engenharia na Douglas.

E muitas outras coisas saíram de lá.

REVELAÇÃO CÓSMICA

POR DENTRO DO PROGRAMA ESPACIAL SECRETO COM COREY GOODE E DAVID WILCOCK

Disclaimer: Os artigos são escritos em português do (Brasil ou de Portugal) ou numa mistura de ambos.
Este site publica artigos próprios e de outros informantes no qual se limita a publicá-los: isto quer dizer que pode não concordar com os mesmos. Você deve usar a sua intuição com aquilo que ressoa ou não consigo.

Partilhar:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments