sessão 41à50

A LEI DO UNO ~ sessão 41 ~ animais são de segunda densidade ~ centros de energia ~ jejum

Partilhar no Facebook

41.2 QUESTIONADOR: Eu estou familiarizado com o Ritual Menor de Banimento do Pentagrama. Eu estava apenas imaginando se este ritual seria útil para preparar um ambiente para este tipo de trabalho? RA: Eu sou Ra. Isto está correto.

41.4 QUESTIONADOR: Ao tentar construir um entendimento a partir do início, digamos, começando com a infinidade inteligente e chegando à nossa presente condição do ser, eu estou tendo alguma dificuldade, mas eu acho que deveria voltar e investigar nosso sol, já que ele é o sub-Logos que cria tudo que nós experimentamos neste sistema planetário particular. Você poderia-me dar uma descrição do sol, do nosso sol?
RA: Esta é uma questão que não é facilmente respondida na sua linguagem, pois o sol tem vários aspectos em relação à infinidade inteligente, à energia inteligente, e a cada densidade de cada planeta, como vocês chamam estas esferas. Sobretudo, estas diferenças se estendem ao metafísico ou à parte tempo/espaço de sua criação.
Em relação à infinidade inteligente, o corpo solar é, igualmente a todas as partes da infinita criação, parte daquela infinidade.
Em relação à infinidade inteligente potencializada, que faz uso da energia inteligente, ele é a descendência, digamos, do Logos para um número muito maior de sub-Logos. A relação é hierárquica no sentido de que o sub-Logos usa a energia inteligente de formas estabelecidas pelo Logos e usa o seu livre arbítrio para co-criar as, digamos, nuances completas de suas densidades, como vocês as experimentam.
Em relação às densidades, o corpo solar pode fisicamente, como vocês diriam, ser visto como um grande corpo de elementos gasosos passando pelos processos de fusão e radiando calor e luz.
Meta-fisicamente, o sol alcança um significado, da quarta até a sétima densidade, de acordo com as crescentes habilidades das entidades nestas densidades, de entenderem a natureza deste corpo solar como a criação viva e co-entidade ou outro-self. Assim, na sexta densidade, o sol pode ser visitado e habitado por aqueles que habitam o tempo/espaço e pode até ser parcialmente criado de momento a momento pelos processos das entidades de sexta densidade em suas evoluções.

41.5 QUESTIONADOR: Em sua última declaração você quis dizer que as entidades de sexta densidade estão de facto criando a manifestação do sol em suas densidades? Você poderia explicar o que quis dizer com isso? RA: Nesta densidade, algumas entidades cujas formas de reprodução são a fusão, podem escolher realizar esta porção da experiência como parte do estado do ser do corpo solar. Assim, você pode pensar em porções da luz que você recebe como descendência da expressão generativa do amor de sexta densidade.

41.6 QUESTIONADOR: Então você poderia dizer que entidades de sexta densidade estão usando aquele mecanismo para estarem mais próximas de co-Criadoras com o Infinito Criador?
RA: Isto está precisamente correto como visto nas porções últimas da sexta densidade buscando as experiências da densidade do portal.

41.7 QUESTIONADOR: O que eu quero fazer agora é investigar como a primeira densidade é formada, o que acontece e como os centros de energia são primeiramente formados nos seres. Deixe-me primeiro te perguntar, faz algum sentido perguntar se o próprio sol tem uma densidade ou ele é de todas as densidades?
RA: O sub-Logos é do octavo inteiro e não é aquela densidade que experimenta os aprendizados/ensinamentos de entidades tais como vocês mesmos.

41.8 QUESTIONADOR: Quando a primeira densidade é formada, o – eu farei uma declaração de meu entendimento e se você me corrigir, eu irei… eu intuitivamente vejo a primeira densidade sendo formada por um centro de energia que é um vórtice. Este vórtice, então, causa estes movimentos espirais que eu mencionei antes da luz, vibração que é luz, que então começa a se condensar nos materiais da primeira densidade. Isto está correto?
RA: Isto é correto até onde seu raciocínio te levou. Entretanto, é bom observar que o Logos tem o plano de todas as densidades do octavo em potencial completude, antes de entrar no continuum espaço/tempo de primeira densidade. Assim, os centros de energia existem antes de serem manifestados.

41.9 QUESTIONADOR: Então qual é o ser mais simples que é manifestado? Eu suponho que deva ser uma célula única ou algo como isso. E como ele funciona com relação aos centros de energia? RA: O ser manifestado mais simples é luz ou o que vocês chamaram de fóton. Em relação aos centros de energia, ele pode ser visto como sendo o centro ou fundação de todos os campos de energia articulados.

41.10 QUESTIONADOR: Quando a primeira densidade é formada, nós temos fogo, ar, terra e água. Existe em algum momento o primeiro movimento ou individualização da vida numa porção de consciência que é automóvel. Você poderia descrever o processo da criação disto e qual tipo de centro energia que ela teria?
RA: A densidade primeira, ou do raio vermelho, apesar de atraída na direção do crescimento, não é de vibração apropriada para aquelas condições conducentes ao que você poderia chamar de centelha da percepção. Na medida em que as energias vibracionais se movem do vermelho para o laranja, o ambiente vibratório é tal que estimula aquelas substâncias químicas, que até então estavam inertes, para combinarem de tal forma que amor e luz iniciam a função de crescimento.
A suposição que você anteriormente fez com relação a entidades unicelulares tais como o dinoflagelado polimórfico está correta. O mecanismo é um de atração da luz espirilante para cima. Não há nada randômico sobre isto ou qualquer porção da evolução.

41.11 QUESTIONADOR: Como eu me lembro, o dinoflagelado polimórfico tem uma célula baseada em ferro em vez de cobre. Você poderia comentar sobre isso? RA: Esta informação não é central. A base de qualquer metabolismo, digamos, é aquela que pode ser encontrada nas substâncias químicas do ambiente de origem.

41.12 QUESTIONADOR: Eu estava apenas comentando sobre isto porque isto indica que ele tem o movimento de nossa vida animal com células baseadas em cobre e, ainda assim, ele tem as células baseadas em ferro da vida vegetal, indicando possivelmente uma transição da vida vegetal para animal. Estou errado? Minha memória está um pouco confusa sobre isso.
RA: Não é que você esteja incorreto, mas nenhuma conclusão deve ser tomada a partir de tal informação. Existem diversos tipos diferentes de bases para entidades conscientes, não apenas sobre esta esfera planetária, mas a uma extensão bem maior nas formas encontradas nas esferas planetárias de outros sub-Logos. O veículo químico é aquele que mais convenientemente abriga a consciência. O funcionamento da consciência é o item de interesse ao invés da formação química de um veículo físico.
Nós temos observado que aqueles, que vocês chamam de cientistas, têm-se ocupado com as várias diferenças e possíveis inter-relacionamentos de vários estágios, tipos e condições de formas de vida. Isto não é material frutífero, já que se trata daquilo que é de escolha de momento de seu sub-Logos.

41.13 QUESTIONADOR: Eu não queria desperdiçar tempo com aquela questão, mas aconteceu de você mencionar aquela única célula específica. Este dinoflagelado polimórfico, então, tem um centro de energia laranja? RA: Isto está correto.

41.14 QUESTIONADOR: Este centro de energia, então, se relaciona numa escala bem pequena ao centro de energia laranja no homem?
RA: A cor verdadeira é precisamente a mesma. Entretanto, a consciência do início da segunda densidade é primitiva e o uso do raio laranja limitado à expressão do self que pode ser vista como sendo movimento e sobrevivência.
Na terceira densidade, neste momento, aqueles que se prendem ao raio laranja têm um sistema de distorções bem mais complexo, através do qual o raio laranja é manifestado. Isto é de certa forma complicado. Nós nos esforçaremos para simplificar.
A cor verdadeira apropriada para terceira densidade é, como você averiguou, amarelo. Entretanto, as influências da cor verdadeira verde, agindo sobre entidades de raio amarelo, fez com que muitas entidades revertessem para a consideração do self, em vez de prosseguirem para a consideração do outro-self ou raio verde. Isto não pode ser visto como sendo de natureza negativamente polarizada, já que a entidade negativamente polarizada está trabalhando muito intensamente com as mais profundas manifestações de grupos de energia de raio amarelo, especialmente as manipulações de outros selfs para o serviço ao self. Aqueles revertendo ao raio laranja, e nós podemos acrescentar que são muitos sobre seu plano neste momento, são aqueles que sentem as vibrações da cor verdadeira verde e, portanto, respondem com a rejeição de atividades governamentais e societárias como tais e buscam mais uma vez o self.
Entretanto, não tendo desenvolvido o raio amarelo apropriadamente, de forma que ele equilibre os níveis vibratórios pessoais da entidade, a entidade então se depara com a tarefa de ativar ainda mais e balancear o self em relação ao self, assim são as manifestações de raio laranja nesta ligação espaço/tempo.
Assim, a cor verdadeira laranja é aquela que é sem diferença. Entretanto, as manifestações deste ou de qualquer raio podem ser vistas como sendo as mais variadas dependendo dos níveis vibratórios e equilíbrios dos complexos mente/corpo ou mente/corpo/espírito que estão expressando estas energias.

41.15 QUESTIONADOR: Você poderia-me dizer a primeira e mais simples entidade a ter ambos centros de energia do raio laranja e amarelo?
RA: Sobre a sua esfera planetária, aqueles tendo as primeiras experiências de raio amarelo são aqueles de natureza animal e vegetal que encontram a necessidade de reprodução por técnicas bissexuais ou que acham necessário depender de alguma forma de outros-selfs para sobrevivência e crescimento.

41.16 QUESTIONADOR: E então qual entidade seria a mais simples que teria ativação vermelha, laranja, amarela e verde?
RA: Esta informação foi coberta numa sessão prévia. Para talvez simplificar o seu questionamento, cada centro pode ser visto como potencialmente ativado em terceira densidade, as entidades do final da segunda densidade tendo a capacidade, se o uso eficiente foi feito da experiência, de vibrar e ativar o centro de energia do raio verde.
O ser de terceira densidade, tendo o potencial de autoconsciência completa, assim tem o potencial para ativação mínima de todos os centros de energia. As densidades quarta, quinta e sexta são aquelas refinando os centros de energia superiores. A sétima densidade é a densidade da plenitude e do direcionamento no sentido da ausência do tempo ou eternidade.

41.17 QUESTIONADOR: Bem, então um animal em segunda densidade tem todos os centros de energia de alguma forma no seu ser, mas apenas não ativados? RA: Isto está precisamente correto.

41.18 QUESTIONADOR: Agora, o animal em segunda densidade é composto de luz, como são todas as coisas. Onde eu estou tentando chegar é no relacionamento entre a luz, que compõe os vários corpos do animal, e o relacionamento disto com os centros de energia que são ativados e aqueles que não estão ativados e como isto é ligado ao Logos. É uma questão difícil de se perguntar. Você poderia-me dar algum tipo de resposta sobre isto? RA: A resposta é redirecionar os seus processos de pensamento a partir de qualquer visão mecânica da evolução. A vontade do Logos propõe os potenciais disponíveis à entidade em evolução. A vontade da entidade, na medida em que evolui, é a medida única do ritmo e meticulosidade da ativação e balanceamento dos vários centros de energia.

41.19 QUESTIONADOR: Na sessão de ontem, ou de anteontem, você mencionou velocidade variável de rotação ou atividade dos centros de energia. O que você quis dizer com isso, velocidade de rotação?
RA: Cada centro de energia tem uma ampla extensão de velocidade rotacional, ou como você poderia ver isso mais claramente em relação a cor, brilho. Quanto mais forte a vontade da entidade em se concentrar sobre e refinar ou purificar cada centro de energia, mais brilhante ou rotacionalmente ativo cada centro de energia será. Não é necessário que os centros de energia sejam ativados em ordem no caso da entidade autoconsciente. Dessa forma, entidades podem ter centros de energia extremamente brilhantes, enquanto estão bem desequilibradas no seu aspecto do raio violeta, devido à falta de atenção prestada à totalidade da experiência da entidade.
A chave para balancear pode então ser vista na resposta não-estudada, honesta e espontânea das entidades diante das experiências, assim usando a experiência ao máximo, então aplicando os exercícios de balanceamento e atingindo a atitude correta para o espectro mais purificado da manifestação do centro de energia em raio violeta. Isto é porquê o brilho ou velocidade rotacional dos centros de energia não é considerado acima do aspecto balanceador ou manifestação do raio violeta de uma entidade com relação à capacidade de colheita; pois aquelas entidades que estão desbalanceadas, especialmente com relação aos raios primários, não serão capazes de sustentar o impacto do amor e luz da infinidade inteligente à extensão necessária para colheita.

41.20 QUESTIONADOR: Você poderia-me dizer a diferença entre espaço/tempo e tempo/espaço?  RA: Usando suas palavras, a diferença é aquela entre o visível e invisível ou o físico e metafísico. Usando termos matemáticos, como faz aquele que você chama de Larson, a diferença é aquela entre e/t e t/e.

41.21 QUESTIONADOR: Você mencionou na última sessão que o jejum era um método de remoção de formas-pensamento não desejadas. Você poderia expandir sobre este processo e explicar um pouco mais sobre como isto funciona?
RA: Esta, como todas as técnicas de cura, deve ser usada por um ser consciente; ou seja, um ser consciente de que o livramento do material em excesso e indesejado do complexo do corpo é a analogia ao livramento da mente ou espírito do material em excesso ou indesejado. Assim, a única disciplina ou negação da porção indesejada como uma parte apropriada do self é tomada através da árvore da mente abaixo, através do tronco, para níveis subconscientes, onde a conexão é feita e, assim, o corpo, mente, e espírito, então uníssonos, expressam negação do material espiritual ou mental em excesso ou indesejado como parte da entidade.
Tudo então some e a entidade, enquanto entendendo, se você desejar, e apreciando a natureza do material rejeitado como parte do self maior, contudo, através da ação da vontade, purifica e refina o complexo mente/corpo/espírito, trazendo à manifestação a postura desejada do complexo mental ou do complexo espiritual.

41.22 QUESTIONADOR: Então isto seria como uma reprogramação consciente da catálise? Por exemplo, para algumas entidades, a catálise é programada pelo Eu Superior para criar experiências para que a entidade possa liberar-se de tendências indesejadas. Isto seria análogo então à entidade conscientemente programando esta libertação e usando o jejum como o método de comunicação para com ela mesma?
RA: Isto não está apenas correto, mas pode ser levado adiante. O self, se consciente a uma extensão grande o suficiente dos trabalhos desta catálise e das técnicas de programação, pode, através da concentração da vontade e da faculdade da fé, sozinha causar reprogramação sem a analogia do jejum, da dieta, ou de outras disciplinas análogas do complexo do corpo.

41.23 Eu tenho um livro, Iniciação, no qual a mulher descreve iniciação. Você está familiarizado com os conteúdos deste livro? RA: Isto está correto. Nós examinamos sua mente.

41.24 QUESTIONADOR: Jim leu o livro inteiro. Eu li apenas uma parte, mas eu estava imaginando se os ensinamentos no livro, com relação ao balanceamento, eram seus ensinamentos, ensinamentos de Ra? RA: Isto está basicamente correto com distorções que podem ser vistas quando este material for comparado com o material que nós oferecemos.

41.25 QUESTIONADOR: Porque os centros de energia vermelho, amarelo e azul são chamados centros primários? Eu penso que a partir do material prévio eu entendo isto, mas há algum rastro destas cores primárias de volta à infinidade inteligente que seja mais profundo do que o que você nos deu?
RA: Nós não podemos dizer o que pode parecer profundo para uma entidade. Os raios vermelho, amarelo e azul são primários por significarem atividade de uma natureza primária.
O raio vermelho é a fundação; o raio laranja o movimento na direção do raio amarelo que é o raio da autoconsciência e interação. O raio verde é o movimento através de várias experiências de trocas de energia, que têm a ver com compaixão e amor plenamente misericordioso, até o raio azul primário, que é o primeiro raio de radiação do self independente de quaisquer ações de outrem.
A entidade de raio verde é inefetiva diante de bloqueios de outros-selfs. A entidade de raio azul é um co-Criador. Isto pode talvez simplesmente ser uma redeclaração de atividade prévia, mas se você considerar a função do Logos como representante do Infinito Criador, ao efetuar o conhecimento do Criador pelo Criador, você pode talvez ver os passos pelos quais isto pode ser realizado.

41.26 QUESTIONADOR: Você poderia-me dizer sobre o desenvolvimento do complexo de memória social Ra, a partir de seu início e qual catálise ele usou para chegar onde está atualmente na ativação dos raios? Esta é uma questão longa demais?
RA: A questão não exige uma resposta longa, pois nós que experienciamos as densidades vibratórias sobre a esfera planetária que vocês chamam Vénus, fomos felizes por sermos capazes de nos movermos em harmonia com as vibrações planetárias, com graduação harmoniosa à segunda, à terceira e à quarta, e uma experiência de quarta densidade grandemente acelerada.
Nós gastamos muito tempo/espaço, se você desejar, na quinta densidade, balanceando a intensa compaixão que nós ganhamos na quarta densidade. A graduação novamente foi harmoniosa e o nosso complexo de memória social, que havia se tornado muito firmemente cimentado em quarta densidade, permaneceu com uma natureza muito forte e prestativa.
Nosso trabalho de sexta densidade foi também acelerado devido à harmonia de nosso complexo de memória social, de forma que nós fomos capazes de empreender como membros da Confederação para ainda mais rapidamente nos aproximarmos da graduação para sétima densidade. A nossa harmonia, entretanto, tem sido uma séria fonte de ingenuidade em relação ao trabalho com seu planeta. Existe alguma questão breve antes de deixarmos este instrumento?

20 de março de 1981

nota: a expressão Self refere-se ao Eu (pessoa), que nem sempre foi traduzido nos livros.

O que é “A LEI DO UNO”
resumos da sessão 1 à 10
resumos da sessão 11 à 20
resumos da sessão 21 à 30
resumos da sessão 31 à 40
resumos da sessão 41 à 50

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.