Cabala - Mal que faz, Controlo Mental, Pedofilia

Fiona Barnett ~ Pedofilia; rituais com assassinato; projeto MKULTRA; adrenocromo

Partilhar no Facebook

O artigo só deve ser lido por maiores de 18 anos e que realmente queiram descobrir a verdade sobre a pedofilia e não só, que ultimamente começa a ser desmascarada com vários casos na igreja católica / hollywood, mas como tenho vindo a referir isso é apenas a ponta do icebergue. Neste artigo, é abordada a questão dos rituais que resultam em assassinato pelas elites (Illuminati). O artigo é uma denúncia de Fiona Barnett que acusou toda a elite australiana de pedofilia, desde os políticos, atores, polícia, igreja, juízes, etc. Se notarem, George Pell o n.º 3 do Vaticano foi acusado este ano de pedofilia, que envolve 4500 crimes de pedofilia ocorridos no seu país, a Austrália. O próprio pai da atriz Nicole Kidman (australiano) e a própria não escapa, tendo o mesmo cometido suicídio (a imprensa dá outra razão para o falecimento). Eu, o autor deste site oevento.pt irei disponibilizar alguns artigos que expõe o que os seres negativos são capazes de fazer e alguns têm de o fazer para permanecerem encarnados em corpos humanos. Obviamente que já coloquei no MENU dos Seres das Trevas alguns artigos. Neste artigo, fala-se do adrenocromo, uma substância criada a partir da adrenalina oxidada que corre no sangue de vítimas de assassinatos rituais traumatizados. Quando bebido, dá ao bebedor de sangue um poder… Fala-se também no horrível projeto MKULTRA da CIA que recentemente o canal história deu destaque, mas com poucos pormenores. No mês passado, um escritor inglês lançou um livro que associava altas figuras da elite inglesa à pedofilia, e o mesmo foi assassinado na semana passada (colocarei um artigo futuramente sobre isto). Quem desejar denunciar casos, deve sempre pedir proteção aos Seres de Luz! Vamos ao artigo de 30 páginas com detalhes inacreditáveis:

Fiona Barnett
O tráfico de crianças é executado como uma operação mundial única e integrada. Esta operação é coordenada pela CIA em colaboração com serviços de inteligência britânicos e australianos.

O detetive aposentado da NYPD, James Rothstein, foi nomeado para a primeira força-tarefa dos EUA para investigar essa operação de tráfico de crianças que, segundo ele, foi até à Casa Branca.

O detetive Rothstein descobriu que a CIA estava por trás de uma operação de chantagem, na qual prostitutas infantis eram usadas para comprometer políticos, militares, altos executivos e importantes autoridades do governo (nota do autor deste site: muitas vezes estas pessoas são drogadas de forma a terem relações com crianças onde tudo é filmado e depois são alvo de chantagem para servirem o Estado Profundo e isto é o que acontece no nosso mundo, daí o mesmo estar como está).

Rothstein, que prendeu o autor principal do caso Watergate, disse que a Watergate se preocupava apenas com esse problema humanitário e, especificamente, foi uma tentativa de obter uma lista de pedófilos VIPs comprometidos e as suas inclinações, realizada na Sede Nacional Democrata.

Falei com Rothstein, que disse que sabia de um anel idêntico de pedofilia VIP que existia aqui na Austrália, e que um oficial de inteligência australiano chamado Peter Osborne conhecia os detalhes disso.

A ala australiana desta operação de tráfico de crianças é coordenada pela ASIO (Australian Security Intelligence Organization). Durante os anos 70 e 80, a política do Partido Trabalhista Kim Beazley Snr dirigiu a operação de tráfico de crianças da ASIO.

Sob o governo de Kim Beazley, eu fui prostituída, aos 6 anos de idade, a uma orgia pedófila no Parlamento em Canberra, onde fui violada (estuprada) pelo então primeiro-ministro Gough Whitlam, o procurador-geral Lionel Murphy e o governador-geral John Kerr.

Durante essa mesma excursão, o futuro primeiro-ministro Bob Hawke me violou (estuprou) num quintal suburbano perto de Canberra, e o ex-presidente Richard Nixon me violou (estuprou) nas costas de um avião militar dos EUA / CIA em Fairbairn, principal aeroporto militar da Austrália onde a Força Aérea One pousa quando visita.

Depois disso, fui alvo do tráfico de crianças do aeroporto de Sydney para a Califórnia, EUA, num avião de carga. Eu fui envenenada com gás e enfiada numa caixa de madeira como um animal.

Durante esta viagem, fui violada (estuprada) pelo fundador da mídia Ted Turner numa festa de pedofilia realizada na Disneylândia, e fui traficada para o acampamento anual de verão no Bohemian Grove, com a presença de notáveis ​​políticos, empresários e outros VIPs.

Eu fui violada (estuprada) pelo reverendo Billy Graham numa cabine com tema de bolhas cor-de-rosa no Bohemian Grove. Billy Graham contou-me que o seu bom amigo Richard Nixon me havia recomendado a ele.

Fiona foi violada (estuprada) pelo presidente Richard Nixon a bordo de um avião militar em Fairbane, na Austrália, quando ela tinha apenas seis anos de idade. Estes são alguns de seus desenhos de abuso sexual:

desenhos de Fiona Barnett

No Bohemian Grove, eu era uma de um grupo de crianças vestidas como ursinhos de pelúcia e caçadas por desporto (esporte) por homens na floresta, com a música tema Teddy Bears Picnic. Eu também testemunhei o assassinato e ritual de uma mulher por convidados do sexo masculino vestidos com vestes negras luciferianas.

Agora vou estabelecer as bases para explicar a relação entre pedofilia, tráfico de crianças, abuso ritual, práticas de controlo da mente e o projeto MKULTRA da CIA.

Eu fui entregue à rede de tráfico de crianças da CIA por meus avós paternos, Helen e Peter Holowczak, que residiam no 14 McAlister Ave, Engadine, um subúrbio localizado na Sutherland Shire, ao sul de Sydney.

Eu tinha 15 anos quando a nossa família descobriu que Peter Holowczak não era meu parente de sangue. Esta notícia foi bem recebida, uma vez que Peter Holowczak era um pedófilo sádico que violentamente abusou de mim desde sempre. Peter Holowczak também abusou do meu pai e dos meus irmãos.

Meu pai, que tem TEPT complexo e DID, disse uma vez a meus parentes: “Tudo o que Fiona diz sobre os satanistas é verdade, mas nós simplesmente não contamos para ela, para o seu próprio bem”.

Peter e Helen Holowczak estavam entre o grande número de criminosos de guerra eslavos nazistas que receberam asilo pelo governo australiano através da Organização Internacional para os Refugiados.

A onda de nazistas eslavos oferecidos asilo na Austrália foi documentada no livro de Mark Aaron “War Criminals Welcome”: Austrália, um santuário para criminosos de guerra desde 1945.

Durante um episódio de 2001 do programa de televisão Lateline, Aaron explicou:

“A maioria dos criminosos de guerra que se estabeleceram na Austrália não eram alemães ou austríacos. Eram pessoas da Europa Central e Oriental, da Ucrânia, dos países bálticos, dos países da Europa Central da Checoslováquia, Croácia e Sérvia. As organizações ocidentais de inteligência, que lhes deram inteligência, foram então secretadas ou autorizadas a ir para países terceiros como a Austrália…”

O Centro Simon Wiesenthal tem um sistema de classificação pelo qual classifica (de A a F) o grau de cooperação de um país com o processo de localização, investigando e trazendo criminosos de guerra nazistas. A Austrália é classificada como F – a menos cooperativa.

Numerosos criminosos de guerra nazistas instalaram-se numa área ao sul de Sydney que ia do condado de Sutherland até Wollongong. Essas pessoas trabalhavam e se orgulhavam juntas, assim como haviam feito na Europa nazista. Eles carregavam versões eslavas, germânicas ou anglicizadas de seus antigos sobrenomes.

O Holowczak buscou refúgio de retaliação dos Aliados por sua colaboração com os nazistas. Desde quando eu tinha 6 anos, Peter Holowczak gabou-se de matar judeus para viver no campo de concentração nazista localizado em Lublin, na Polónia. Helen foi perseguida pelos russos por seu papel na Gestapo. Seu pai passou dois anos em um campo de trabalho siberiano por se recusar a revelar seu paradeiro aos russos.

Os polacos (poloneses) tendem a nomear as coisas após eventos literais da vida. Os Holowczaks nomearam sua casa australiana “Lublin” e pintaram esse título em arte folclórica numa placa pendurada na entrada da frente de sua casa em Engadine. Peter nomeou seu cão Doberman ‘Satan’ e o treinou para caçar e estuprar crianças.

Helen, que frequentava regularmente orgias com sua comunidade de refugiados eslavos, tinha três filhos para três homens diferentes, nenhum dos quais era Peter Holowczak. Helen quase nomeou seu filho mais novo de ‘Romance’ até que um vizinho australiano disse a ela que não fazemos esse tipo de coisa na Austrália.

Peter obteve seu cão Doberman de outro criminoso de guerra nazista eslava que recebeu asilo na Austrália. Este homem forneceu cães para a força policial de NSW. Ele também estava envolvido, na limpeza e eliminação de corpos após crimes rituais luciferianos.

O que as pessoas devem apreciar é que os nazistas eram luciferianos. Durante o auge do poder, os nazistas realizavam rituais luciferianos em plena luz do dia nas ruas da Alemanha.

Luciferianismo é uma religião secreta, multi-geracional com suas raízes na antiga Babilónia e no Egito. Os luciferianos adoram vários deuses pagãos antigos, incluindo LúciferMoloqueBaalDagom, Imhotep, Hórus, Isis, Anúbis e Seth.

O nazismo atraiu e promoveu os eslavos que secretamente praticavam o luciferianismo. Os meus avós e outros criminosos de guerra eslavos que receberam asilo na Austrália reuniram-se para praticar secretamente sua marca de luciferianismo nazista aqui na Austrália. Com o tempo, os descendentes desses refugiados pedófilos luciferianos colaboraram com as dinastias luciferianas existentes, como os Kidmans, Conlon, Overtons, Huxley, Cardens e Cumpstons, e infiltraram o governo australiano e influenciaram o direito e a política.

Isso explica porque o direito está sendo confundido com o errado, porque os órgãos do governo apoiam o perpetrador, em vez da vítima do crime e porque a nossa legislação está refletindo cada vez mais a doutrina pedófila luciferiana.

Isso explica, por exemplo, porque a Comissão de Direitos Humanos da Austrália defendeu recentemente um pedófilo que mentiu em seu pedido de emprego sobre sua condenação e multou o funcionário por se recusar a contratar o pedófilo. O presidente da AHRC, que tomou essa decisão, é um dos meus estupradores pedófilos luciferianos.

Leonas Petrauskas era uma colaboradora próxima da minha avó lituana, Helen Holowczak. Como os Holowczaks, Petrauskas recebeu asilo através da Organização Internacional para os Refugiados.

Na verdade, o IRO o empregou como médico por um período na Europa. Petrauskas foi educado numa escola jesuíta. Os jesuítas são luciferianos que praticam assassinatos rituais e estupros infantis.Um número crescente de políticos australianos que detêm o poder são jesuítas.

Devido ao seu treinamento jesuíta, Leonas Petrauskas assumiu o papel de chefe sacerdote luciferiano dentro da diocese católica Sutherland Shire.

O catolicismo romano deriva do mitraísmo, o antigo culto luciferiano no qual padres do sexo masculino eram casados ​​com noivas de rapazes (alter boys) e prostitutas de templo (freiras) traziam filhos aos sacerdotes para assassinatos rituais em datas-chave de rituais.

A missa latina é uma versão caiada da alta massa negra luciferiana na qual um bebê recém-nascido é assassinado ritualmente, e seu sangue e carne são comidos. Este é o ritual que ocorreu em Bathurst City Hall em 1985, presidido pelo Presidente da AHRC.

A maioria dos meus autores foram criados católicos, e muitos associados com as faculdades católicas localizadas na Universidade de Sydney, particularmente Patricia Ann Conlon, que viveu no Sancta Sophia College, na Universidade de Sydney. Patricia Ann Conlon (nee Carden) foi a Grande Dama da área de Sydney.

Como sumo sacerdote jesuíta, Leonas Petrauskas presidiu os rituais luciferianos cometidos nas seguintes igrejas católicas:

  • A Igreja de Regina Coli, em Beverly Hills, Sutherland Shire (que foi presenteada e associada aos militares dos EUA),
  • Capelas BoysTown localizadas em Engadine, Sutherland Shire,
  • Igreja de São João Bosco localizada em frente a Engadine BoysTown

Outros locais católicos importantes do ritual luciferiano foram:

  • Capela de St. James localizada no campus da Universidade de Sydney,
  • Catedral de Santa Maria, cidade de Sydney.

O luciferianismo é organizado de acordo com uma estrutura hierárquica que se assemelha vagamente a um sistema de castas. No topo estão 13 dinastias familiares, incluindo os Rothschilds e a família real britânica .

Estes são reconhecidos pelo culto como semi-deuses . Abaixo deles, estão aproximadamente 300 linhagens luciferianas que geralmente têm um alto QI, embora isso tenha sido enfraquecido em algumas famílias devido ao casamento.

Abaixo deste grupo, sentam-se os plebeus que nunca conseguem atingir um status mais elevado porque não têm a linhagem desejada. Estes são seus clãs aleatórios baseados na nacionalidade (por exemplo, há um forte clã escocês em Bundaberg), orientação sexual (por exemplo, a Bond University tem um coven lésbico), associação a gangues ou estilo auto-denominado, o que quer que seja nesses dias.

É a partir dessas linhas que o culto obtém ‘criadores’ – mulheres que são forçadas a criar bebés não registados para sacrifício e tráfico sexual. Nós nos referimos a esses alimentadores inferiores como ‘coven scum’ .

O seu comportamento é geralmente bárbaro e requer manejo constante para impedi-los de expor o culto, e eles não mostram respeito pelos que estão na casta acima deles. Há muito ciúme e animosidade dirigida por esses membros inferiores em direção às linhas de sangue.

Eu venho de uma das 300 linhagens de sangue através de meus avós biológicos paternos – não dos Holowczaks que tinham o QI de um bloco de toalete e por isso se ressentiam da minha herança e status dentro do culto. Eu questiono se Helen Holowczak é minha avó biológica, e se ela usou meu pai como apenas outro adereço para escapar da Europa.

Helen mentiu para as autoridades europeias de imigração dizendo que Peter Holowczak era seu marido e pai de meu pai. Peter e Helen se casaram em Bathurst na Austrália no início dos anos 50. Localizamos meu verdadeiro avô paterno em Jelenia Gora, na Polónia. Conheci-o e, para minha alegria, ele era tudo o que Peter Holowczak não era: inteligente, atraente, altamente respeitado e ético.

Quando eu tinha 14 anos, a Grande Dama Patricia Ann Conlon me escolheu para sucedê-la. Com Sydney sendo a capital do Luciferianismo, isso efetivamente fez de Conlon a Luciferiana feminina mais alta do ranking na Austrália.

Fui selecionada com base na minha aparência ariana, nível de QI, linhagem, corpo impecável, força, habilidades e recetividade ao ensino. Mulheres com cabelos loiros ou ruivos eram candidatas, e isso se relacionava com a aparência dos arianos / pleiadianos que (como bem documenta a história regista) os nazistas aspiravam.

Linhagens de sangue são encorajadas a se casar dentro de sua casta. O pai dos meus filhos é da linhagem luciferiana Gardiner. Ele é o parente de sangue de Tony Gardiner, a mãe do atual rei da Jordânia que se converteu ao Islão e mudou o seu nome para Muna.

Portanto, minhas filhas são alvos duplos deste culto luciferiano. Eu me esforcei para proteger os meus filhos do sequestro do culto e atrair tentativas. Os membros do culto que servem na força policial de NSW tentaram sequestrara  minha filha de 10 anos, em 2015. Os meus esforços para combater isso resultaram, na polícia de NSW pedir desculpas à minha filha e dar-lhe uma bolsa de polícia.

Violação (estupro), tortura e assassinato de crianças são rotineiramente praticados dentro do luciferianismo por várias razões:

  1. Esses atos são tradições estabelecidas para apaziguar o seu deus Lúcifer.
  2. Alguns membros cometem violações (estupros) e assassinatos de crianças, mas não todos. Os que gostam disso foram condicionados a serem sexualmente excitados por serem abusados ​​e expostos a práticas como crianças.
  3. Acredita-se que ele confere poder ao praticante. A sodomia é chamada de “fonte da juventude” e é pensada para transferir a juventude da criança para o adulto abusador.

O luciferianismo é um culto. Somente a doutrinação da cultura é uma influência suficientemente forte no comportamento humano. Mas o impacto da doutrinação é reforçado pelo medo das consequências de trair ou expor o culto. A regra número um do luciferianismo é – não existe o luciferianismo . Aos 6 anos, aprendi bem esta lição.

Eu, Fiona Barnett fui levada a um parque nacional. Lá testemunhei um homem (que era um traidor) ter cada um dos seus 4 membros do corpo ligados a 4 veículos diferentes, que arrancaram a alta velocidade em direções opostas. Esse incidente ensinou-me a não falar sobre o culto luciferiano em que fui criada. O controle da mente é uma tradição luciferiana que remonta a milhares de anos. Prole Luciferiana é treinada em bruxariaprojeção astral e manipulação psíquica dos elementos físicos. As crianças são testadas aos 3 anos para saber se devem ser educadas conscientes ou dissociadas do seu envolvimento no culto.

As crianças com forte objeção ética às práticas de culto nunca são consciencializadas de seu envolvimento. Essas crianças são forçadas a se dissociar por meio de trauma e as suas mentes são fragmentadas. O meu marido e eu, éramos dois desses filhos.

A minha lembrança do meu envolvimento nessas atividades de culto estava em grande parte dissociada do meu pensamento quotidiano. Alguma consciência passou, como quando aos 12 anos, a mãe da minha melhor amiga Fiona LeCornu-Levett, veio me buscar na casa do meu avô, para me levar à sua casa em Macquarie Fields para uma visita.

Jan Levett ouviu-me gritando com Peter Holowczak e ele nunca mais me tocaria, por ordem do padre Leonas Petrauskas, o sacerdote luciferiano da Sutherland Shire. Ao sairmos de carro, Jan me perguntou o que era aquilo. Eu desviei a conversa. Mas eu sempre me lembrei do incidente em minha mente consciente.

Também me lembro do tempo que eu Fiona Barnett aos 11 anos, quando tentei contar à minha mãe sobre o abuso infantil. Eu comecei a conversa dizendo que era especial. A minha mãe, sem noção disse-me que eu estava contando mentiras e então abandonei essa tentativa.

Quando eu tinha 8 anos, a minha mãe, o meu irmão e eu pintamos um mural na parede do meu quarto. Eu desenhei o que descrevi como um túnel do Dr. Who, após a imagem vista, durante os créditos de abertura da série de TV britânica.

Eu estava tentando dizeràa minha mãe que eu tinha acabado de ser sufocada durante um ritual de renascimento egípcio, no qual eu fui colocada numa sepultura sobre um corpo decomposto, enquanto o Livro dos Mortos era cantado.

Eu morri, fui revivida e acordei no hospital Sutherland, cercada por uma equipe médica preocupada. Eu tive uma experiência de quase morte, enquanto estava inconsciente e vi um túnel que lembrava aquele mostrado no início do Dr. Who. Eu estava tentando dizer à minha mãe, o que o culto fez comigo.

As minhas lembranças do luciferianismo imediatamente inundaram a minha mente consciente na forma de vertigem de início súbito e flashbacks de TEPT, depois que Peter Holowczak foi encontrado enforcado até a morte na Páscoa, 1991. As minhas lembranças não surgiram devido à intervenção terapêutica, hipnose ou algo parecido.

O relatório do legista determinou o suicídio da morte. No entanto, Helen disse à minha mãe que um grupo de homens, chegou à sua casa naquele dia e ordenou que ela fosse fazer compras. No seu retorno, Helen encontrou Peter pendurado no seu barracão.

“Você o matou!” Helen gritou comigo quando eu a visitei com minha mãe e o meu marido, para confrontá-la sobre o abuso sexual de Peter contra mim. O meu tio John apontou que eu nem estava em Sydney quando Peter morreu. O que Helen queria dizer era: o culto matou Peter como punição por me maltratar e me levar para longe de Sydney.

Peter Holowczak não foi o único culpado por eu deixar o culto. Antony Kidman (pai de Nicole Kidman) e Rosalind Frances Croucher (atual presidente da Comissão Australiana de Direitos Humanos) eram os culpados. Fui selecionada como Grande Dame pela minha antecessora, Patricia Anne Conlon.

Rosalind Croucher era ambiciosa, ciumento e queria o cargo para si mesma; Consequentemente, após a morte de Patricia Anne Conlon, Rosalind Croucher buscou vingança organizando o encontro de aniversário da Prefeitura de Bathurst em 1985, no qual fui violada (estuprada) num altar pelo ator B-grade Bruce Spence em frente a uma sala cheia de pedófilos Luciferianos incluindo vários Polícias da New South Wales  e padres católicos.

Rosalind Croucher presidiu a esta violação dos meus direitos humanos, ao lado do comissário da polícia de NSW, John Avery, do capitão de críquete australiano Richie Benaud e do oficial da ASIO e político federal Kim Beazley Snr.

Durante o ritual, uma grávida, no final do tempo e o seu filho não nascido, além de um grupo de aproximadamente 10 crianças, foram assassinados ritualmente no palco.

Todo o evento sórdido terminou numa orgia pedófila em que fui violada (estuprada) por um grupo, incluindo Rosalind Croucher, que urinou na minha boca.

O crime de Bathurst City Hall deu-me motivos para deixar o culto. Eu tinha acabado de completar 16 anos quando fui convocado perante o Grande Conselho Luciferiano que se reuniu no MacLaurin Hall da Universidade de Sydney.

A Universidade de Sydney abriga a sede australiana da OTO (Ordo Templis Orientis), da qual Antony Kidman e meus outros principais autores eram membros.

Quando eu tinha 9 anos, presenciei Antony Kidman presidindo o assassinato ritual de um menino no Grande Salão da Universidade de Sydney. Nicole Kidman tinha 11 anos e estava presente, sentada na primeira fila, durante o assassinato.

Este foi um assassinato ritual temático da OTO, com Kidman e outros quatro vestidos em vestes campestres coloridas baseadas no pentagrama da Estrela Oriental, que domina os ramos de Alistair Crowley Thelema, incluindo a Maçonaria e a OTO.

Eu tragoa  sua atenção para um documento intitulado, Ordo Templis Orientis, TRABALHO INTERNACIONAL, OASIS E MANUAL DO MESTRE DE LODGE , Revised Spring Equinox, 2002. Página 33 deste documento lista o nome Kylie McKiernan como tesoureiro da OTO.

Kylie estava numa posição administrativa sénior dentro da rede de transmissão da ABC em 2015, quando o programa de TV da ABC, o Media Watch, me atacou publicamente por falar numa conferência de imprensa sobre minhas experiências de tráfico de crianças. O apresentador deste show é a inteligência britânica.

A página 22 deste manual declara:

“Não sacrifique animais nem execute quaisquer outras ações ou práticas que possam afetar adversamente a reputação ou a situação legal da Ordem, incluindo … atos sexuais explícitos em eventos oficiais ou de acesso público”.

Isso é algo que você não leu no seu manual do clube de futebol local. Então, porque a OTO acha necessário alertar os seus membros para que não realizem sacrifícios rituais de sangue? 

Os maçons também estavam envolvidos no meu abuso. Fui submetido a rituais pedófilos luciferianos em vários templos maçónicos, incluindo a casa de Antony Kidman na 317 Pacific Highway, North Sydney.

A minha saída do culto luciferiano de Sydney deixou-os em apuros. A Grande Dama assume a posição desenhando no último suspiro da Grande Dama anterior.

Durante a minha audiência no Grande Conselho, Antony Kidman avisou-me que eu não daria nada sem o apoio do culto. Fiel à palavra de Kidman, minha habilidade em, e busca de, cada uma das minhas áreas de interesse tem sido frustrada por membros do culto até hoje.

Vou-lhe dar um exemplo. 20 anos atrás, trabalhei como oficial de liberdade condicional. Fui designado para o escritório de Serviços Corretivos em Burleigh Heads. Uma mulher chamada Catherine Hand queria o emprego de chefe do escritório da Bulreligh Heads.

Assim, o seu colega Rod, que era diretor regional da Corrective Services, apoiou o atual chefe do escritório de Burleigh Heads, contra a sua vontade, a trabalhar num escritório a uma hora de carro ao norte de sua casa em Burleigh. John tinha sido chefe de um escritório em funcionamento da Burleigh Heads por 20 anos.

Catherine Hand, que tinha um diploma em arte e experiência zero como oficial de condicional, assumiu e sistematicamente intimidou a equipe existente de Burleigh Heads e substituiu-os por jovens inexperientes como eu.

Numa ocasião, ela prendeu um oficial de condicional de 18 anos chamado Chris contra a parede. Ela gritou para ele que ele era um “idiota do caralho!” Na frente dos criminosos condenados que estavam presentes no escritório. Chris era um jovem empregado brilhante que passou a trabalhar para a polícia federal.

Um dia, Catherine Hand levou-me de lado para uma pequena conversa. “Fiona, você viu meu anel?”, Ela me perguntou. Ela mostrou o seu anel, que era um pentagrama da Estrela do Oriente com pedras preciosas coloridas.

“Este é o meu anel coven”, explicou ela. “A cada dois anos, as mulheres no meu coven se encontram, não importa onde estamos no mundo. Fiona, se você jogar bem suas cartas, vai longe na administração.

Catherine Hand informou-me que uma professora de cerâmica do Queensland College of Art (de onde ela e eu havíamos nos formado) também era membro de seu “coven”.

Eu só estava no escritório há 3 meses e fiquei enojada com os maus tratos de Catherine Hand ao pessoal existente; assim, recusei a sua oferta dizendo: “Não é material de administração”. No dia seguinte, apresentei uma queixa formal contra Catherine Hand pelo seu tratamento inadequado aos funcionários.

Catherine, em seguida, agrediu-me fisicamente, prendendo-me a uma parede e enfiando o rosto no meu. Ela deu-me 10 minutos para desocupar a minha mesa. O Departamento de Serviços Corretivos, então enviou-me uma carta dizendo que eu não fizera nada de errado, mas que estava sendo demitida porque estava preenchendo uma licença de maternidade (era a primeira vez que eu ouvia falar disso).

Eu fiz uma reclamação com a WorkCover. O governo, então contratou um detetive particular para assediar e me filmar às custas do contribuinte. A segunda encarregada do Departamento de Serviços Corretivos disse ao meu advogado que ela poderia “fazer o que quisermos” para mim.

Anel Estrela Oriente

O último local de trabalho em que fui alvo dos luciferianos, foi a Bond University. O meu supervisor da Universidade Bond, Norm Barling, ex-palestrante da Universidade de Bond, chamou desdenhosamente os meus professores de Psicologia Forense, Katarina Fritzon e Rebecca Doley de “bruxas lésbicas” depois que essas mulheres mentiram para o conselho de saúde australiano sobre mim e destruíram a minha carreira psicológica, apesar do meu excelente percurso académico.

O ataque deles veio depois que eu rejeitei os avanços sexuais de Katarina Fritzon, que incluíam duas agressões sexuais, objetivas na aula a conteúdo de palestras pró-pedófilo e expus a cobertura da Bond University de uma rede de tráfico sexual infantil que envolvia o Departamento de Serviços Infantis (DOCS) de Queensland.

Isso estava ligado a um anel de pedofilia DOCS do sudeste de Queensland que a polícia invadiu no ano 2000. A equipe do DOCS estava intencionalmente colocando crianças adotivas com pedófilos, que estavam prostituindo as crianças. Estes funcionários DOCS de tráfico de crianças passaram a trabalhar com verificações de segurança para crianças.

A adesão à legislação de notificação obrigatória foi apoiada pelo chefe da Comissão Infantil de Queensland, apesar de a Universidade de Bond ter retirado a minha queixa sem me consultar, determinou que havia motivos para investigar minha queixa.

Eu estava um pouco convencido quando o professor de psicologia forense e criminologia da Bond University, Paul Wilson, foi condenado e preso em 2016 por pedofilia. Paul Wilson publicou artigos pró-pedofilia no site da Bond University, no qual afirmava que as crianças eram participantes voluntárias da pedofilia e não eram prejudicadas por ela.

Na década de 1980, Paul Wilson organizou uma conferência pró-pedofilia na Universidade de Queensland, e em sala de aula ele acidentalmente mostrou o fim do filme porno infantil. A esposa de Paul Wilson, Robyn Lincoln, também professora da Bond University, fazia parte do conselho consultivo da Bravehearts, um falso grupo de defesa de vítimas de abuso infantil que ataca vítimas de abuso infantil silenciosamente.

Por exemplo, veja a biografia de Sarah Monahan, a criança estrela de TV que foi abusada sexualmente pelo ator Robert Hughes no set do Hey Dad! Programa de TV. Bravehearts tentou destruir o caso de Sarah.

Experiências Sexuais entre Homens e Rapazes, pelo pedófilo Professor Paul Wilson

Depois que Paul Wilson foi exposto publicamente como pedófilo, Terry Goldsworthy, um policial de Queensland, assumiu a posição de Paul Wilson como chefe de criminologia na Universidade de Bond, além do papel do conselho consultivo de Robyn Lincoln na Bravehearts.

Terry Goldsworthy, a quem eu nunca conheci, abusou da sua posição como detetive da polícia de Queensland para se comunicar com a Polícia de NSW em relação à queixa que fiz em 2008 sobre os crimes rituais de Bathurst City Hall em 1985.

Eu me apresentei aos detetives da polícia de Bathurst depois que Tor Nielsen relatou à polícia que ele viu 60 crianças sendo violentadas em rituais no mesmo salão pela polícia de NSW e padres católicos que trabalhavam nas proximidades do St Stanislaus College. Múltiplos pedófilos da St. Stanislaus College já foram acusados ​​e condenados pelos crimes de abuso ritual que a Tor Nielsen relatou.

Terry Goldsworthy mentiu por omissão quando não incluiu minha idade durante o ritual de 1985 e me denunciou como um perpetrador adulto em vez de vítima de abuso infantil de 15 anos de idade, ao Conselho de Psicologia de Queensland. Ele disse que a Polícia de NSW confirmou essa alegação e que eu fui alvo de uma investigação policial. Escrevi aos comissários de polícia de Queensland e NSW que me enviaram cartas confirmando que Terry Goldsworthy havia mentido para o Conselho de Psicologia de Queensland e para o escritório de Queensland da AHPRA. Reclamei à Polícia de Queensland sobre Terry Goldsworthy usando o seu papel como policial para acessar, distorcer e abusar do meu arquivo privado, mas eles apoiaram o autor de crimes em vez de mim.

O comportamento criminoso da Bond University foi o golpe final que me levou a ir a público sobre o abuso infantil.

O apoio corrupto do Queensland Psychology Board à notificação falsa e vexatória da predadora sexual britânica Katarina Fritzon contra mim, me levou a apresentar a minha própria queixa contra o psicólogo registado em Sydney, Antony Kidman, ao Conselho de Psicologia de NSW e ao escritório da NSW AHPRA. Kidman morreu algumas semanas depois, da minha notificação contra ele.

A equipe de segurança pessoal de Nicole Kidman informou a Sydney Paparazzi que Antony Kidman suicidou-se após a minha notificação contra ele.

pai de Nicole Kidman, Antony Kidman suicidou-se para não ser julgado como pedófilo

Você vê, eu não fui o primeiro a reclamar com o conselho de saúde sobre Antony Kidman. Eu já fui contactado por outras vítimas de violação (estupro), tortura e hipnose antiética de Antony Kidman . Muitas dessas vítimas eram traficadas por sexo infantil através da igreja Hillsong.

Então, encontrei uma forte ligação entre a igreja de Antony Kidman e Hillsong. A igreja de Hillsong foi fundada pelo pedófilo Frank Houston com o único propósito de obter vítimas de tráfico de crianças e produzir filmes porno infantis. Hillsong abusou de crianças ritualmente.

Os pedófilos luciferianos se infiltraram em todas as áreas do governo australiano, educação, saúde e serviços humanos. Eles têm controlo sobre a polícia, mídia, universidades, forças de defesa, parlamento, escolas, serviços de saúde, igrejas de todas as denominações, hospitais psiquiátricos e organizações falsas de defesa do abuso infantil, como Bravehearts. 

Você não pode entender a sua penetração a menos que tenha sido criado no seu mundo.

Projeto MKULTRA

Agora vou explicar a ligação entre o Luciferianismo e o Projeto MKULTRA da CIA , demonstrar a existência do Projeto MKULTRA na Austrália e identificar os principais criminosos do MK-ULTRA e os locais de abuso do MK-ULTRA na Austrália.

Os subprojetos do MK-ULTRA foram conduzidos na maioria dos hospitais, universidades e instalações de pesquisa da Austrália durante os anos 60, 70 e 80. A presença da MK-ULTRA na Austrália resultou de um acordo militar de segurança de 1951 entre nosso país e os EUA.

Este acordo levou à criação da Comissão Australiana de Energia Atómica em 1952, e à construção pela mesma empresa dos EUA, de duas instalações subterrâneas de pesquisa da CIA, uma em Lucas Heights (em 1958) e Pine Gap (em 1967). O Pine Gap serviu como ponto final para os dados coletados em toda a Austrália.

A Universidade de Sydney foi o centro da pesquisa australiana MK-ULTRA. A pesquisa MK-ULTRA na universidade foi iniciada na Austrália pelo psiquiatra da CIA e especialista em hipnose Martin Orne. Em 1960, Orne conduziu o Subprojeto 84 do MK-ULTRA sob o título ‘Formação de Atitude, Matrizes de Decisões’ na Universidade de Sydney durante uma conferência de dois meses.

O subprojeto 84 foi financiado pelo Escritório de Pesquisa Científica da Força Aérea dos EUA sob o número de concessão AF-AFOSR-88-63. Outros US $ 30.000 foram fornecidos pelo Human Ecology Fund, “Para estudar a natureza do processo de hipnose, como pode estar relacionado à indução de um estado motivacional alterado”.

A visita de Martin Orne à Universidade de Sydney foi patrocinada pela USEFA (Fundação Educacional dos Estados Unidos na Austrália) e a filial australiana do Programa de Bolsas de Estudo e Conferências Fulbright. O programa Fulbright foi um esquema da CIA para recrutar e treinar cientistas da MK-ULTRA e divulgar o know-how da MK-ULTRA.

Meses antes de sua visita à Universidade de Sydney, Martin Orne apresentou um artigo, “Comportamento anti-social e hipnose” na Universidade de Colgate, a convite do professor de psicologia George Estabrooks. Um especialista em hipnose e agente da CIA, George Estabrooks certa vez se gabou:

“A chave para criar um espião ou um assassino eficaz é dividir a personalidade de um homem, ou criar uma personalidade múltipla, com a ajuda do hipnotismo … Isso não é ficção científica … Eu fiz isso”.

O subprojeto 84 visava determinar se as pessoas hipnotizadas cometeriam atos perigosos e prejudiciais que não fariam de outra forma. O artigo resultante, “Controle social no experimento psicológico: comportamento anti-social e hipnose”, foi co-autoria de Martin Orne e Frederick Evans, um estudante de psicologia da Universidade de Sydney.

O seu artigo, publicado no Journal of Personality and Social Psychology (1965 [1], págs. 189-200), apresentava o seguinte resumo:

Rowland e Young descobriram que sujeitos hipnotizados estavam dispostos a realizar ações aparentemente anti-sociais como agarrar um réptil perigoso, mergulhando a mão em ácido concentrado e jogando o ácido num assistente “.

Esta publicação também observa: “Gostaríamos de agradecer a AG Hammer, então chefe do Departamento de Psicologia, pela sua cooperação com o uso de instalações departamentais.”

Começando com o Subprojeto 84, a Universidade de Sydney tornou-se um grande centro para o MK-ULTRA. pesquisa de hipnose durante o início dos anos 1960. O professor de psicologia John Sutcliffe liderou um grupo de pesquisa que incluía o colega professor de psicologia Alfred Gordon Hammer e os estudantes de psicologia Frederick Evans, Peter Sheehan, Campbell Perry e Wendy Walker.

Todos esses pesquisadores fizeram contribuições significativas para a pesquisa de hipnose do MK-ULTRA. A maioria também serviu no Conselho da Fundação da Memória Falsa, uma entidade da CIA fundada por perpetradores e pedófilos do MK-ULTRA para desacreditar os relatos de tráfico de crianças, abuso ritual e controle mental do MK-ULTRA.

Em novembro de 1962, John Sutcliffe publicou um artigo intitulado “Identidade pessoal, personalidade múltipla e hipnose” no International Journal of Clinical and Experimental Hypnosis [Vol.10 (4), pp 231-69].

O estudo de Sutcliffe considerou se o transtorno de personalidade múltipla decorre de sugestão hipnótica, e se “graus de tendência à múltipla personalidade são preditivos de graus de hipnotizabilidade”. O controle mental envolve o uso de hipnose antiética para dissociar a mente e resultar em transtorno de personalidade múltipla ou DID.

Em 1963, Frederick Evans recebeu uma bolsa da CIA Fulbright para continuar a pesquisa de hipnose com Martin Orne em Harvard. Em 1966, Evans e Orne assumiram posições na Universidade da Pensilvânia, quando era um ramo de experimentação de hipnose do MK-ULTRA. Os estudantes Peter Sheehan e Campbell Perry juntaram-se a eles. Alfred Hammer também passou dois anos sabáticos nos laboratórios da Martin Orne nos EUA nos anos 60 e 70.

Em 1961, Wendy Thorn recebeu uma bolsa de estudos de pós-graduação na Universidade Nacional Australiana (ANU) para estudos sobre o efeito placebo, depois de concluir sua tese em 1960 na Universidade de Sydney, sobre amnésia pós-hipnótica.

No mesmo ano, ela apresentou um artigo à APS sobre “Hipnose e sugestionabilidade”. Thorn observa em sua tese de 1962 da ANU que, “Este estudo também teria faltado muito sem as informações, conselhos e materiais fornecidos pelo Professor H. J Eysenck”. Hans Eysenck era então diretor do Subprojeto MK-ULTRA 111.

Em 1963- 4, Wendy Thorn estava envolvido em pesquisa de hipnose com o Subprojeto MK-ULTRA 84 Dr. Frederick Evans. Ela estava atualmente recebendo financiamento da CIA através do Projeto Studies in Hypnosis, que foi dirigido por Martin Orne.

Frederick Evans recebeu uma bolsa Fulbright para trabalhar com Martin Orne em Harvard em 1963. Wendy Thorn depois continuou a trabalhar com Frederick Evans e Hans Eysenck.

Durante os anos 50 e 60, a maioria das principais universidades australianas tinha professores e alunos no programa MK-ULTRA da CIA, incluindo a Universidade Nacional Australiana, La Trobe, e a Universidade da Austrália Ocidental.

A maioria das cadeiras da Sociedade Psicológica Australiana (APS), o corpo que certifica nossos psicólogos, estava envolvida em pesquisas antiéticas de MK-ULTRA.

Estes incluíam Alfred Hammer, que presidiu a APS nos anos 60, quando o MK-ULTRA começou, e o primeiro professor de psicologia Bob Bond University, que conduziu experimentos antiéticos na Universidade LaTrobe, em Melbourne, na década de 1970, deixando os participantes permanentemente traumatizados.

O professor da Universidade LaTrobe, Gary Dorsett, escreveu um artigo intitulado ‘Lollies cozidos e Band-aids: homens e crianças gays’, no Gay Information Quarterly Journal (Primavera de 1982) em que ele defendeu a legalização da pedofilia.

Bob Montgomery também lecionou na ANU. Leonard GH Huxley serviu como vice-chanceler da ANU de 1960 a 1967. Leonard George Holden Huxley fazia parte do conselho da USEFA na época em que supervisionou a Palestra Fulbright concedida a Martin Orne.

Huxley foi nomeado para a diretoria do período de 1960 e também estava no conselho da CSIRO (Organização Científica e Industrial de Pesquisa da Commonwealth, que também conduziu a pesquisa MK-ULTRA), com Richard Casey como o executivo. Richard Casey ajudou a estabelecer a ASIO e a ASIS e ajudou a garantir o financiamento da USEFA em 1959. Forneci uma breve introdução à presença documentada e irrefutável do Projeto MK-ULTRA na Austrália. O meu pesquisador Steve McMurray descobriu muito mais que eu não tenho tempo para compartilhar aqui.

Fui submetido aos procedimentos do MK-ULTRA no campus da Universidade de Sydney. Esses atos de crime foram perpetrados por funcionários da Universidade de Sydney das faculdades de Química, Medicina, Odontologia e Psicologia, e ex-alunos que mantiveram a associação vitalícia com sua Universidade. Outros perpetradores internacionais visitaram e usaram as instalações da Universidade de Sydney para abusar de mim.

A maioria dos meus principais criminosos frequentou a Universidade de Sydney juntos, numa época em que a Universidade de Sydney era o centro de pesquisa do MK-ULTRA e a sede nacional da OTO (Ordo Templis Orientis). Dr. Leonas Petrauskas formou-se em Medicina Tropical em 1957, enquanto o Dr. Antony Kidman estava matriculado.

Kidman e Telford Conlon formaram o segundo ano de química juntos em dezembro de 1959, no mesmo ano em que a futura esposa de Conlon, Patrícia Anne Carden, passou o terceiro ano de inglês.

Holsworthy consultor militar anestesista Coronel John Overton (que era vizinho de Antony Kidman) e celebrou cirurgião de transplante de coração Dr. Victor Chang se formou na mesma classe medicina juntos em 1962.

Ator John Bell (que gangue me estuprou com Kidman) também se formou Universidade de Sydney em 1962. Rosalind Croucher estudou na Universidade de Sydney também.

Meu recrutamento como um rato de laboratório MK-ULTRA começou com meu agressor Leonas Petrausaks, que era um especialista em venenos de criaturas marinhas e publicou artigos sobre isso em PNG. Petrauskas frequentou a Escola Australiana da Administração do Pacífico (ASOPA), que surgiu no Departamento de Antropologia da Universidade de Sydney.

A ASOPA era uma cobertura para a atividade MK-ULTRA, antropologia armada e pesquisa de armas biológicas MK-NAOMI conduzida em Papua Nova Guiné. O MK-NAOMI recebeu financiamento da CIA através dos Subprojetos MK-ULTRA 13, 30 e 50. Os documentos mostram, na PNG, que Petrauskas trabalhou ao lado de notáveis ​​recrutas do MK-ULTRA, incluindo Margaret Mead, e o principal cientista de armas biológicas de Hitler, Erich Traub.

A ASOPA foi fundada pelo partido trabalhista Alfred Conlon, que trabalhou para a inteligência britânica. Alfred Conlon recrutou a antropóloga Camilla Wedgewood para a ASOPA. Camilla Wedgewood tinha laços com a inteligência britânica e trabalhou na Universidade de Sydney. Alfred Conlon também nomeou o agente da CIA John Kerr (também meu estuprador) como diretor da ASOPA.

O primeiro-ministro australiano Gough Whitlam (outro de meus estupradores) nomeou seu amigo John Kerr como governador geral da Austrália. Depois que Whitlam ameaçou expor os agentes da CIA na Austrália e fechar a instalação subterrânea da CIA em Pine Gap, a CIA orquestrou um golpe contra Whitlam.

A CIA empregou o “seu homem” John Kerr para promulgar legislação arcaica para demitir Whitlam em nome da Monarquia Britânica. Bob Hawke (também meu estuprador), que também trabalhou para a CIA, desempenhou um papel em destituir Whitlam. Whitlam foi forçado a obedecer desde que a CIA o tinha comprometido como pedófilo.

O filho de Alfred Conlon, Telford, não apenas estudou com Antony Kidman na Universidade de Sydney, mas publicou trabalhos de pesquisa juntos. Telford Conlon casou-se com Patricia Anne Carden.

O arquivo do Arquivo Nacional da Patricia Anne Conlon está atualmente selado por razões de segurança nacional. Isso indica a associação de Ann com agências de inteligência e o seu papel no Projeto MK-ULTRA da CIA.

Como Luciferiana Grande Dame, o papel de Patricia Anne Conlon era supervisionar a seleção e o treinamento de crianças. Esse treinamento incluiu conhecimentos e habilidades esotéricas e empregou técnicas de controle mental baseadas em trauma. Patricia Ann Conlon fez facilmente a transição para trabalhar para a CIA, onde ajudou na seleção e treinamento de crianças vítimas do MK-ULTRA.

Patricia Anne Conlon foi publicamente reconhecida como uma feminista pioneira e comunista que trabalhou para o pedófilo do Partido Trabalhista Neville Wran. Patricia Anne formou-se em técnicas de MK-ULTRA enquanto fazia uma bolsa de pós-graduação em 1964-65 na Universidade de Saskatchewan, Canadá.

O MK-ULTRA era desenfreado na Universidade de Seskatchewan quando Patricia Anne estava numa bolsa de ciências sociais lá. Os professores Humphrey Osmond e Abraham Hoffer foram os dois maiores nomes de perpetradores do MK-ULTRA depois de Aldous Huxley.

A associação Rockefeller financiou a pesquisa de Osmond e Hoffer sobre o adrenocromo. A adrenocrona é uma substância química criada a partir da adrenalina oxidada. Ocorre no sangue de vítimas de assassinatos rituais traumatizados. Quando bebido, dá ao bebedor de sangue uma droga induzida e excita-os sexualmente. Foi o que ocorreu durante a missa negra luciferiana conduzida na prefeitura de Bathurst.

Antony Kidman e Leonas Petrauskas foram associados próximos do Dr. Harry Bailey, que foi treinado em métodos de sono profundo pelo perpetrador de MK-ULTRA, Ewan Cameron. A CIA financiou o projeto de sono profundo Bailey’s MK-ULTRA no notório Hospital Privado Chelmsford, em Sydney. Fui submetido a procedimentos MK-ULTRA por Harry Bailey, na presença de Kidman e Petrauskas, em Chelmsford.

Antony Kidman foi aluno de psicologia na Universidade de Sydney durante o experimento e palestras de Martin Orne. Mais tarde, ele estudou na Universidade da Pensilvânia com o famoso psicólogo clínico Aaron Tim Beck (outro membro da diretoria da False Memory Syndrome Foundation).

Na Universidade da Pensilvânia, Kidman tornou-se um colega de longa data de Martin Seligman, cuja pesquisa de Desamparo Aprendida formou o núcleo do programa de tortura da CIA.

Antony Kidman retornou à Austrália em 1972 após anos de trabalho no Hospital St. Elizabeth, em Washington DC, no Laboratório de Farmacologia Pré-Clínica, que estava envolvido com a pesquisa do LSD e serviu como um centro do Programa de Pesquisa em Esquizofrenia do Rito Escocês.

Tanto Jacqueline Goodnow quanto John W. Gittinger realizaram pesquisas nesse hospital e foi um dos principais centros de pesquisa da MK-ULTRA.

John Gittinger era o psicólogo chefe da CIA. Ele desenvolveu a bateria de testes (PAS) usada para avaliar potenciais gerentes e agentes de casos da CIA. Gittinger treinou Antony Kidman nos métodos de controle mental MK-ULTRA e supervisionou diretamente as técnicas do MK-ULTRA perpetradas contra mim. Essas técnicas incluíam tortura, agressão física, agressão sexual, drogas, electrocussão e hipnose anti-ética.

Os aspetos de controle mental do meu abuso ocorreram principalmente nos laboratórios da Universidade de Sydney, na Base do Exército de Holsworthy, no reator nuclear de Lucas Heights e no Pine Gap. Holsworthy é a base militar mais antiga da Austrália. Está localizado ao sul de Sydney, perto da casa dos meus avós em Engadine.

A Base do Exército de Holsworthy fica ao lado do reator nuclear Lucas Heights, agora chamado de ANSTOW (Organização Australiana de Ciência e Tecnologia Nuclear). O reator nuclear Lucas Heights é uma instalação de pesquisa subterrânea de 20 andares conectada via túnel subterrâneo a outra instalação subterrânea de pesquisa (7 andares) na Base do Exército de Holsworthy.

Os dados e materiais coletados desses laboratórios foram entregues na principal instalação militar subterrânea da CIA / EUA na Pine Gap. As alturas de Holsworthy e Lucas apresentavam salas subterrâneas dedicadas ao ritual luciferiano e à adoração de sua antiga divindade Dagon. Todos os principais líderes militares australianos eram luciferianos. A maioria dos funcionários da Universidade de Sydney era Luciferiana.

Os experimentos MK-ULTRA e os procedimentos de objetivo final foram conduzidos usando crianças como ratos de laboratório. Essas crianças vítimas foram originadas de covens luciferianos, vários cultos, lares BoysTown, Daruk Boys Home, centros de detenção juvenil do governo e da igreja, serviços de proteção infantil, assistência social, prisão policial, igrejas católicas, bordéis de prostituição infantil, pais pedófilos chantageados, e a igreja Hillsong (fundada pelo pedófilo Frank Houston).

Algumas crianças foram sequestradas das ruas. Outras crianças foram criadas especificamente para servir como ratos de laboratório humanos, os seus nascimentos não foram registados. As crianças foram presas em gaiolas abaixo de Holsworthy e nunca viram a luz do dia. As crianças foram torturadas, violadas (estupradas) e assassinadas em nome da segurança nacional, com pleno conhecimento e bênçãos dos governos da Austrália e dos Estados Unidos.

Como George White escreveu a Sydney Gottlieb em 1971:

… foi divertido, divertido e divertido. Onde mais poderia um menino americano de sangue vermelho mentir, matar, enganar, roubar, estuprar e pilhar com a sanção e bênção do Todo-Maior?

Havia duas categorias principais de vítimas de tráfico de crianças da CIA:

  • aquelas consideradas dispensáveis ​​e destinadas ao assassinato, e
  • aquelas consideradas úteis a longo prazo (um destino pior do que a morte).

Eu estava no último grupo. Aos 5 anos de idade, fui apresentado a um painel no salão da casa de Leonas Petrauskas ‘Engadine. Este painel incluiu John Gittinger, Antony Kidman e a Grande Dama Patricia Anne Conlon.

Lá, Gittinger me perguntou se eu gostaria de ser especial e ele prometeu me tornar especial. Imediatamente depois, Gittinger me submeteu a uma bateria de testes em Holsworthy, incluindo um exame físico completo, testes de resistência, testes de QI e múltiplas varreduras cerebrais.

Gittinger então me aceitou no programa MK-ULTRA baseado no meu alto QI, criatividade, força física e resistência, características loiras de olhos azuis, linhagem e intuição. John Gittinger buscou particularmente minha capacidade cognitiva visual-espacial, ou força hemisférica direita.

Os nazistas reconheceram o conhecimento e as técnicas esotéricas luciferianas como fonte de energia que procuravam armar. É por isso que eles viajaram pelo mundo coletando conhecimento esotérico e técnicas de dissociação do pedófilo Dali Lama e outros colaboradores nazistas.

O objetivo final do MK-ULTRA era criar super soldados. Eles usaram crianças soldados para esse propósito. Eu era uma daquelas crianças recrutadas para as Operações Especiais da Delta. Delta é composto por vítimas do MK-ULTRA. Falei recentemente com um ex-membro da Delta e perguntei sobre o que me lembrava.

Ele me disse que só ouviu rumores de um programa de super soldado com crianças sendo empregadas como soldados, para acompanhar os russos. Não viu nada ele mesmo.

Mas enquanto eu pressionava por informações, essa pessoa se dissociou, tornou-se indecifrável e começou a gaguejar referências a sugestões de programação do MK-ULTRA. Então, eu diria que todos os soldados da Delta Special Ops se dissociaram de seus conhecimentos sobre o programa de super soldados da CIA. Eu sabia disso como o Projeto Jason.

Fui submetido a treinamento militar completo aos 6 anos de idade e designado para uma pequena unidade de todos os soldados do sexo masculino. Meu treinamento básico de soldados foi supervisionado pelo Coronel Victor Change na Base do Exército de Holsworthy. Chang era um ativo da CIA com treinamento em técnicas de lavagem cerebral e tortura.

O público australiano conhecia Chang como um famoso cirurgião de transplante cardíaco que foi morto a tiros em uma sarjeta de uma maneira condizente com sua verdadeira natureza criminosa. O assassinato de Chang foi espalhado pelos principais meios de comunicação relacionados ao tráfico de órgãos do mercado negro.

Meu treinamento foi completado nos EUA aos 14 anos pelo tenente-coronel Michael Aquino em um laboratório especial estabelecido na base subterrânea de Dulce. O treinamento delta incluía o armamento da habilidade psíquica ou o treinamento de guerra psíquica.

Durante a década de 1950, a CIA financiou o desenvolvimento do tanque de privação sensorial por John Lilly e sua pesquisa sobre ondas cerebrais e estados alterados de consciência. Em seu livro, “Programming and Metaprogramming no Human Biocomputer”, Lilly explicou como as crianças podem ser programadas usando o LSD e seu tanque de privação sensorial.

De facto, os níveis de programação mais fundamentais do MK-ULTRA (ou seja, alfa, beta, delta, ómega e teta) são colocados via trips LSD num tanque de privação sensorial. O cérebro naturalmente se divide em cinco estados dissociativos, e é por isso que existem cinco compartimentos básicos. Minhas cinco divisões básicas foram organizadas de acordo com uma forma de pentagrama da Estrela do Oriente, com um porteiro colocado no pentágono que ficava no meio de cinco portas.

Durante a década de 1950, a CIA financiou simultaneamente o desenvolvimento de Robert Monroe do que é chamado de Gateway Experience (Experiência de Gateway), ou Sincronização Hemisférica. Isso é comumente conhecido como projeção astral. Jornais e documentos militares registam que o Exército dos EUA enviou soldados a Monroe para treinamento no Processo Gateway.

No Reino Unido, o treinamento padrão da polícia militar, há 25 anos, consistia numa visão remota que permitia aos MPs patrulharem bases do Reino Unido localizadas em territórios estrangeiros.

Eu trago a sua atenção para um documento militar dos EUA aprovado para liberação pela CIA em 2010. O documento datado de 9 de junho de 1983 é dirigido ao Comandante do Grupo Operacional do Exército dos EUA em Fort Meade, pelo Tenente Coronel Wayne M. McDonnell.

O cabeçalho do assunto diz: ‘Análise e Avaliação do Processo Gateway’. Este documento descreve a física por trás da projeção astral interdimensional como engajada pelos militares.

Eu trago a sua atenção para um memorando de 14 de janeiro de 1953 intitulado “Técnicas de Interrogatório” que afirma:

“Se os serviços do Major Louis J. West, USAF (MC), um hipnotizador treinado, podem ser obtidos e outro homem bem fundamentado em convencional técnicas de interrogatório psicológico e polígrafo, e os serviços do tenente-coronel [DELETED], um centro de pesquisa de interrogatório bem equilibrado poderia ser estabelecido em um local especialmente selecionado. ”

Major Louis J. West coordenou experimentos MK-ULTRA na UCLA. Documentados nos principais jornais e revistas, incluindo o Psychology Today (1974), esses experimentos envolveram o condicionamento comportamental de crianças autistas usando bastões de gado, violência física e electrocussão através de um piso de metal electrificado. West contratou Ivar Lovaas para conduzir os experimentos, que por sua vez consultavam regularmente o pai do condicionamento operante, BF Skinner.

Eu sei os nomes dos dois homens cujos nomes estão omitidos neste documento. Eles eram John Gittinger e o tenente-coronel Michael Aquino. Eu conheço a localização do centro de pesquisa. Foi construído na base militar subterrânea localizada perto de Dulce, Novo México.

Um documento de 1956, sem título, descreve o “centro de pesquisa” ou “laboratório” que a CIA construiu em Dulce:

“Este laboratório incluirá uma câmara especial, na qual todos os aspetos psicologicamente significativos do ambiente podem ser controlados. Esta câmara conterá, entre outras coisas, um polígrafo de amplo espectro para gravações simultâneas de uma variedade de reações psico-fisiológicas do indivíduo a ser estudado.

“Nesta configuração, as várias hipnótico, farmacológica, e variáveis sensório-ambientais vai ser manipulado de uma forma controlada, e gravações contínuas quantitativas das reações dos sujeitos experimentais será feita.”

A “câmara” em Dulce era uma versão vertical do tanque de privação sensorial de John C. Lilly. A câmara de privação sensorial de Lilly foi combinada com o Processo Gateway para desenvolver as habilidades psíquicas das vítimas MK-ULTRA, e se engajar na viagem astral interdimensional extrema que incluiu contactar e comunicar com entidades interdimensionais, como descrito no documento Fort Meade lançado pela CIA em 2010.

De acordo com documentos militares dos EUA, os candidatos para o Processo Gateway exigiam alta inteligência, imaginação e criatividade – as mesmas características pelas quais o psicólogo da CIA John Gittinger me avaliou.

Gittinger estava particularmente interessado no funcionamento hemisférico direito. Crianças de alto QI têm uma preferência de aprendizagem visual-espacial. Quando realizam tarefas cognitivas, ambos os hemisférios do cérebro são ativados, em comparação com indivíduos de inteligência média cujo hemisfério esquerdo apenas se acende.

A alta capacidade de processamento visual-espacial foi essencial para a visualização durante o treinamento do MK-ULTRA e para o Processo do Gateway. É por isso que Gittinger testou-me aos 5 anos de idade usando o Stanford Binet LM e o subteste Block Design da série Weschler, as melhores medidas de QI visual-espacial.

Após o treino, minha unidade e eu fomos enviados para a América do Sul, onde a CIA estava conduzindo operações contra os chamados governos comunistas.

Quando eu era criança, a CIA dizia que o nosso inimigo era o comunismo. Hoje, a CIA diz que o nosso inimigo é o terrorismo.

A CIA continua a ganhar dinheiro com o tráfico de crianças, lavando-o através dos bancos e canalizando-o para organizações terroristas da CIA que dizimaram a Síria e outras nações. Em 2016, o representante da Síria na ONU declarou duas vezes que as forças do Estado Islâmico estavam armadas com super soldados geneticamente modificados produzidos e fornecidos pelos EUA.

Em 2015, soldados geneticamente modificados de 2,1m de altura foram filmados decapitando 21 cristãos no Egito durante a revolta dos fundamentalistas árabes orquestrados pela CIA. Estes super soldados são descritos como não caucasianos na aparência árabe. Eles se parecem com os super soldados desenvolvidos em Pine Gap e Dulce há 45 anos. Putin disse recentemente que a Rússia está desenvolvendo super soldados que são “piores que bombas nucleares”. Eu sei exatamente o que ele quis dizer.

O Commonwealth Bank da Austrália foi recentemente multado em 700 milhões de dólares por 54.000 violações das leis contra o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo. Nicole Rose, chefe da AUSTRAC, a organização que investiga lavagem de dinheiro pelos bancos, disse que envolve o crime organizado, a exploração infantil e a importação de drogas. O Commonwealth Bank lavou dinheiro obtido do tráfico sexual infantil e canalizou esse dinheiro para atividades terroristas internacionais.

Eu reitero: o tráfico de crianças é executado como uma única operação mundial integrada. Esta operação é coordenada pela CIA.

O clássico livro de 1978 ‘Dope Inc.’

Eu trago a sua atenção para um livro de 1978 intitulado ‘Dope Inc.‘ A última edição foi publicada em 2010, mas eu recomendo a cópia de 1978 que está disponível online gratuitamente. Este livro revolucionou o modo como os agentes da lei da droga consideram o crime contra as drogas.

Isso levou o banco HSBC a perder a sua licença para operar nos EUA. Os autores do Dope Inc descobriram que o tráfico de drogas é executado como uma única operação mundial integrada, desde os seus cartéis até a pessoa que vende drogas a viciados na rua. Esta operação começou com as Guerras do Ópio, onde a monarquia britânica forçou a China a aceitar heroína produzida na Índia.

Duas organizações bem reconhecidas resultaram dessa operação: a linha de cruzeiros da P & O foi estabelecida para transportar a heroína; e a Hong Kong-Shanghai Banking Corporation (banco HSBC) foi criada para lavar o dinheiro das drogas. Os judeus da corte que serviram à monarquia britânica, incluindo os Rothschilds, administraram o dinheiro obtido com essa operação de tráfico de heroína.

A Dope Inc explica como o tráfico de drogas e a operação de lavagem de dinheiro relacionada, estabelecida nas Guerras do Ópio, é a mesma operação existente hoje. De facto, o HSBC foi recentemente multado pelas autoridades dos Estados Unidos por ainda se envolverem em lavagem de dinheiro de drogas.

Se você seguir a trilha do dinheiro, ainda leva de volta à monarquia britânica. Esta é a mesma monarquia britânica que presenciei em crimes rituais luciferianos em 1980 na igreja anglicana de St. James, na cidade de Sydney.

O livro Dope Inc dedica um capítulo a explicar o envolvimento da aristocracia britânica num antigo culto egípcio, como a Grã-Bretanha iniciou a contra-cultura droga / rock nos EUA com a ajuda da CIA, e as ligações entre práticas de culto egípcias, contra cultura, e a CIA que foi criada pela inteligência britânica. O Dope Inc explica como e porque a CIA administra o moderno tráfico de drogas e lavagem de dinheiro como uma única operação mundial integrada.

Quando você lê Dope Inc, se você riscar a palavra ‘drogas’ e inserir a palavra ‘crianças’ – então você tem uma foto da organização de tráfico de crianças CIA que violou os meus direitos humanos.

Eu lutei para fazer a polícia testemunhar declarações sobre os crimes que eu testemunhei e fui vítima. Completei quatro dias de depoimentos de testemunhas, e a polícia iniciou uma investigação que incluía bater a porta em torno de Engadine e invadir a casa dos meus avós falecidos.

A polícia prometeu tomar mais 5 dias de declarações. Mas de repente tudo foi fechado. Mais tarde recebi um telefonema frio de uma advogada que disse que o detetive da polícia de Sutherland encarregado do meu caso era ela própria traficante de crianças e membro da rede de pedofilia que ela deveria estar investigando.

Os ataques à minha família pela polícia de NSW, ASIO e outras instituições foram implacáveis. Eu documentei essas informações e até consegui fotos do militar que me perseguiu em Sydney quando tentei fazer declarações de testemunhas policiais. Não é paranóia – quando você tem fotos.

A maneira como fui tratada por ousar falar sobre o meu abuso infantil, e por tomar uma posição pró-vítima contra os pedófilos luciferianos, tem sido muito pior do que o meu abuso original. As autoridades que deveriam apoiar as vítimas não fizeram nada além de sabotar o meu caso.

Eles se envolveram no que aprendi ao interagir com outras vítimas, como as táticas usadas para desacreditar e silenciar as vítimas.

A atual Comissão Australiana de Abuso Infantil Australiano é mais um exercício de controlo de danos e coleta de informações. Vítimas de tráfico de crianças VIP que testemunharam perante a Comissão Real acabaram sendo alvo de silêncio.

Desde que me apresentei perante a Comissão Real há vários anos, fui contactado por centenas e centenas de vítimas de abuso infantil. Um número considerável destes é vítima do que eu sofri – tráfico de crianças da CIA, abuso ritual e controle mental da CIA.

Pelo que essas vítimas compartilharam comigo, agora tenho uma visão muito clara do tráfico sexual infantil na Austrália. Vou dar um exemplo do que aprendi com as vítimas:

A Polícia de NSW foi o tema de uma Comissão Real dos anos 1990 conduzida pelo juiz James Wood. Esta investigação resultou de alegações de tráfico sexual infantil em Sydney envolvendo os mesmos luciferianos e pedófilos que traficaram e abusaram de mim.

A Wood Royal Commission era uma lavagem. O comissionário (juiz) James Wood encobriu relatos de tráfico sexual infantil envolvendo a igreja Hillsong, Antony Kidman, Daruk Boys em casa, o bordel menino Costellos em Kings Cross, juízes, advogados, igrejas católicas, creches e policiais de NSW.

Múltiplas vítimas chamadas Kings Cross, acusaram o chefe de polícia Roger Rogerson. Rogerson foi responsável pelo assassinato de Sally Ann Huckstep, que morreu depois de escrever uma reportagem sobre prostituição infantil em Kings Cross para uma revista porno, nos dias em que revistas pornográficas publicavam material sobre pedofilia.

O policial limpo que se recusou a relatar o assassinato de Sally Anne como suicida teve a sua carreira destruída e a vida ameaçada pela polícia de NSW, depois que ele testemunhou perante a Comissão Real contra os seus colegas corruptos. Aquele policial ainda está escondido em estado de trauma. Roger Rogerson nunca foi levado à justiça. Em 2016, Roger Rogerson foi preso por um homicídio de 2014.

Outro perpetrador notável nomeado para a Wood Royal Commission foi Bob Carr. Bob Carr serviu como jornalista da ABC, Premiere de NSW, e Ministro dos Negócios Estrangeiros no governo federal australiano.

Em 2012, Bob Carr e Kim Beazley Jnr (filho do agente da ASIO, Kim Beazley Snr, que me traficou para o Bohemian Grove), participaram no acampamento de verão de pedofilia da Bohemian Grove às custas dos contribuintes australianos.

O comissário James Wood encobriu todos os relatos de tráfico sexual de crianças VIP, abuso ritual e controle da mente. Isso não é surpreendente, considerando que James Wood foi nomeado pela vítima Dean Henry e outros para a atual Comissão Federal de Abuso Infantil como membro do anel pedófilo que ele foi contratado para investigar.

Agora mencionarei os dois casos criminais mais horríveis ​​e famosos da história australiana. Um é o assassinato de caminhantes cometido pelo serial killer Ivan Milat. O outro é o assassinato de uma bela jovem enfermeira chamada Anita Cobby, cometido por um gang de jovens, incluindo Les Murphy.

Ivan Milat assassinou vítimas de maneira ritual luciferiana, assim como Les Murphy. Os detalhes de ambos os assassinatos não foram divulgados ao público. Eu descobri o que foi feito a Anita Cobby através de duas pessoas que leram o arquivo de seu caso; uma advogada que trabalhou no seu caso, e um guarda de prisão que leu o arquivo de Les Murphy.

O que nunca foi dito ao público: Les Murphy e o seu gang assassino fizeram lacerações profundas no corpo de Anita Cobby e fizeram sexo com essas feridas. Esse tipo de crime só pode ser aprendido, e é o tipo de crime ensinado a crianças vítimas de abuso ritual.

Tanto Ivan Milat quanto Les Murphy foram abusados ​​e ensinados a cometer violações (estupros), torturas e assassinatos no estilo Luciferiano durante o encarceramento em lares de meninos. Les Murphy frequentou o Daruk Boys Home, onde meninos foram prostituídos por funcionários para pedófilos VIP e usados ​​para experimentos com o MK-ULTRA, incluindo o Subprojeto 74: os efeitos psicológicos da circuncisão.

Eu vi a circuncisão fracassada de uma vítima Daruk que teve o seu pénis cortado e fez manchetes nas notícias internacionais. O uso de Daruk como fonte de ratos de laboratório para crianças MK-ULTRA explica porque os arquivos de muitas vítimas foram destruídos.

Ivan Milat frequentou a Engadine BoysTown aos 13 anos, o mesmo local onde o meu pai, meus irmãos e eu fomos abusados, e onde as vítimas foram recrutadas para experimentos com o MK-ULTRA. Ivan Milat estava no culto luciferiano que abusou de mim e os Milats associaram-se aos Holowczaks. Ivan Milat procurou que as vítimas fossem usadas em rituais Luciferianos e ajudou a eliminar os corpos depois.

Ele estreitamente associado com o criador de cães eslavos. Ivan Milat contratou vítimas de meninos por abuso de pedofilia VIP no bordel de Boy Costellos. Les Murphy trabalhou atrás do bar no bordel menino Costellos quando ele tinha 16 anos de idade.

Meu último ponto é este:

TODOS os principais crimes na Austrália derivam da operação única e integrada do tráfico mundial que descrevi. Se você dissolver essa operação, praticamente eliminará o tráfico de crianças, drogas e armas na nossa sociedade – e talvez em todo o mundo.

artigo final do autor deste site: se ainda conseguiram ler este artigo, adicione este site aos seus favoritos, porque quando acontecer O Evento, estes seres não permanecerão cá na Terra e você se desejar permanecer também tem que melhorar a sua energia, frequência e vibração!

artigos relacionados:

clique no menu A CABALA para os restantes seres negativos existentes

Reptilianos

Arcontes

Métodos que a Cabala usar para fazer mal às pessoas

Grupo Quimera

Máfia Khazariana – A História Oculta – Rothschilds – 11 setembro 2001

fontes originais (em inglês) sendo que o site da Fiona é fionabarnett.org:

http://humansarefree.com/2018/09/survivor-child-trafficking-ritual-sex.html

fionabarnett.org/2018/08/02/connections-between-cia-child-trafficking-ritual-abuse-mk-ultra-mind-control/

http://www.smh.com.au/national/political-elite-were-part-of-paedophile-ring-alleged-victim-fiona-barnett-claims-20151023-gkgwx8.html

http://www.news.com.au/national/crime/survivor-of-alleged-elite-paedophile-ring-including-former-prime-minister-speaks-out/story-fns0kb1g-1227579834065

http://www.skynews.com.au/news/national/2015/10/23/alleged-pedophile-ring–includes-politicians-.html

http://www.theaustralian.com.au/news/survivor-of-alleged-elite-paedophile-ring-including-former-prime-minister-speaks-out/story-e6frg6n6-1227579834065

http://www.sunshinecoastdaily.com.au/news/alleged-victim-says-vip-pedophile-ring-included-fo/2817282/

http://www.canberratimes.com.au/national/political-elite-were-part-of-paedophile-ring-alleged-victim-fiona-barnett-claims-20151023-gkgwx8.html

http://www.tweeddailynews.com.au/news/alleged-victim-says-vip-pedophile-ring-included-fo/2817282/

http://www.dailymail.co.uk/news/article-3285747/Victim-alleged-sex-trafficking-network-claims-involved-paedophile-parties-Parliament-House-involving-THREE-former-prime-ministers.html

http://www.dailymail.co.uk/wires/aap/article-3284979/Survivor-elite-pedophile-ring-speaks.html

http://www.northernstar.com.au/news/alleged-victim-says-vip-pedophile-ring-included-fo/2817282/

http://www.dailytelegraph.com.au/news/nsw/victim-of-alleged-paedophile-ring-claims-she-was-abused-at-parties-attended-by-political-elite/story-fni0cx12-1227579993634?sv=d5e35d7a986d5e7e640790267f7340a

https://au.news.yahoo.com/a/29890538/survivor-of-elite-paedophile-ring-speaks/

http://www.ntnews.com.au/news/national/abuse-survivor-makes-sensational-claims/story-fnjbnvyj-1227580016230

http://www.tweeddailynews.com.au/news/sex-abuse-victim-inundated-by-calls-of-fellow-suff/2819096/

http://www.independent.co.uk/news/world/australasia/a6706176.html

http://www.abc.net.au/news/2013-07-05/royal-commission-hears-claims-about-paedophile-teacher/4801178

http://www.tweeddailynews.com.au/news/tweed-sex-abuse-whistleblower-attend-white-balloon/1957720/

http://www.tweeddailynews.com.au/news/1988-teacher-gary-willis-transferred-to-east-murwi/1935138/

http://www.tweeddailynews.com.au/news/alleged-18-year-spree-of-abuse/1926748/

http://www.tweeddailynews.com.au/news/provest-demands-answers-over-teacher-sex-abuse-cla/1929491/

http://www.tweeddailynews.com.au/news/education-minister-is-being-kept-abreast-of-abuse-/1932766/

http://www.echo.net.au/2013/07/silence-over-paedophile-teacher-case/

Fiona Barnett uma lutadora que não tem medo de contar a verdade!

 

Partilhar no Facebook

One Commnet on “Fiona Barnett ~ Pedofilia; rituais com assassinato; projeto MKULTRA; adrenocromo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.