sessão 31à40

A LEI DO UNO sessão 34 – carma – raios

Partilhar no Facebook

34.2 Você declarou, em um momento anterior, que a penetração do oitavo nível, ou nível da infinidade inteligente, permite que um complexo mente/corpo/espírito seja colhido, se desejar, a qualquer tempo/espaço durante o ciclo. Quando esta penetração do oitavo nível ocorre, o que a entidade que penetra isto experiencia? Você poderia me dizer isto? RA:  A experiência de cada entidade é única em percepção da infinidade inteligente. Percepções variam de um prazer ilimitado a uma forte dedicação ao serviço a outrem enquanto no estado encarnado. A entidade que alcança a infinidade inteligente, muito frequentemente perceberá esta experiência como uma de inefável profundidade. Entretanto, não é usual para a entidade, imediatamente desejar a cessação da encarnação. Em vez disso, o desejo de comunicar ou usar esta experiência para ajudar a outrem é extremamente forte.
34.4 Você definiria carma? RA: Nosso entendimento de carma é aquele que você poderia chamar de inércia. Aquelas ações, que são colocadas em movimento, continuarão usando as formas de balanceamento até que o princípio maior ou controlador, que você pode ligar ao freio ou parada, seja invocado. Esta parada da inércia da ação pode ser chamada de perdão. Estes dois conceitos são inseparáveis.
34.5 Se uma entidade desenvolve o que é chamado de carma numa encarnação, existe então uma programação que ocorre algumas vezes para que ela experiencie catálise que irá habilitá-la a chegar a um ponto de perdão e assim aliviar o carma? RA: Isto é, em geral, correto. Entretanto, ambos self e qualquer outro-self envolvido podem, a qualquer tempo durante o processo de entendimento, aceitação e perdão, aperfeiçoar estes padrões. Isto é verdade em qualquer ponto de um padrão de encarnação. Assim, aquele que colocou em movimento uma ação pode se perdoar e nunca mais cometer aquele erro. Isto também freia ou para o que vocês chamam de carma.
34.6 Você poderia-me dar exemplos de ação catalítica para produzir aprendizado sob cada um dos títulos da última sessão que tivemos… Você poderia-me dar um exemplo do self não-manifestado produzindo catálise de aprendizado? RA: Nós observamos seu interesse na catálise da dor. Esta experiência é a mais comum entre suas entidades. A dor pode ser do complexo físico. Mais frequentemente em seu complexo mental e emocional. Em alguns poucos casos, a dor é espiritual em sua natureza de complexo. Isto cria um potencial para aprendizado. As lições a serem aprendidas variam. Quase sempre estas lições incluem paciência, tolerância e a habilidade para o toque de luz. Muito frequentemente, a catálise para dor emocional, seja ela a morte do complexo físico de outro-self que é amado ou alguma outra perda aparente, irá simplesmente resultar no oposto, em um amargor, uma impaciência, uma azedura. Isto é a catálise que foi entortada. Nestes casos, então, haverá catálise adicional provida para oferecer ao self não-manifestado mais oportunidades para descobrimento do self como Criador todo-suficiente, contendo tudo que existe e cheio de contentamento.
34.7 O que nós chamamos de doenças contagiosas têm algum papel neste processo com relação ao self não-manifestado? RA: Estas assim chamadas doenças contagiosas são aquelas entidades de segunda densidade que oferecem uma oportunidade para este tipo de catálise. Se esta catálise é desnecessária, então, estas criaturas de segunda densidade, como vocês as chamam, não têm um efeito. Em cada uma destas generalizações você pode, por favor, notar que existem anomalias das quais nós não podemos falar detalhadamente, mas apenas na forma ou caminho geral das coisas como vocês as experimentam.
34.8 Que papel o que nós chamamos de defeitos de nascença fazem neste processo? RA: Esta é uma porção da programação da totalidade do complexo mente/corpo manifestada na mente/corpo/espírito de terceira densidade. Estes defeitos são planejados como limitações, que são parte da experiência desejada pelo complexo total da entidade. Isto inclui predisposições genéticas, como vocês as chamam.
34.9 Você me daria o mesmo tipo de informação sobre o self em relação ao self societário? RA: O self não-manifestado pode encontrar suas lições como aquelas que desenvolvem qualquer um dos centros de influxo de energia do complexo mente/corpo/espírito. As interações entre o self e o societário se concentram mais frequentemente sobre o segundo e terceiro centros de energia. Assim, aqueles mais ativos em tentar refazer ou alterar a sociedade, são aqueles trabalhando a partir de sentimentos de serem corretos pessoalmente ou tendo respostas que colocarão o poder em uma configuração mais correta. Isto pode ser visto como sendo uma viagem completa do negativo para o positivo em orientação. Ambos ativarão estes centros de raios de energia.
Existem alguns poucos cujos desejos de ajudar a sociedade são de uma natureza de raio verde ou superior. Estas entidades, no entanto, são poucas devido ao entendimento, digamos, do quarto raio, que o amor universal livremente dado é mais desejado que principalidades ou até a reorganização das pessoas ou estruturas políticas.
34.10 Se uma entidade fosse fortemente predisposta na direção de efeitos societários positivos, o que isto faria com seu raio amarelo na aura como oposto a uma entidade que quisesse criar um império na sociedade e governá-lo com punho de ferro? Qual seria a diferença na atividade do raio amarelo destas duas entidades? RA: Deixe-nos tomar duas almas positivamente orientadas não mais ativas em seu tempo/espaço físico. Aquele conhecido como Albert Schweitzer, que foi a uma estranha e, para ele, bárbara sociedade, a fim de que pudesse curar. Esta entidade foi capaz de mobilizar grandes quantidades de energia e do que vocês chamam dinheiro. Esta entidade gastou muita energia de raio verde tanto como curandeiro quanto como amante do seu instrumento conhecido como o órgão. O raio amarelo desta entidade era brilhante e cristalizado pelos esforços necessários para obter os fundos para promulgar seus esforços. Entretanto, os raios verde e azul eram de uma natureza excepcionalmente brilhante também. Os níveis mais altos, como vocês podem chamá-los, sendo ativados, os pontos de energia, como vocês podem chamá-los, mais baixos, permanecem em um ser balanceado, bem, bem brilhantes.
O outro exemplo é a entidade, Martin Luther King. Esta entidade lidou, em um grande grau, com padrões vibratórios de raios laranja e amarelo. Entretanto, esta entidade foi capaz de manter aberta a energia de raio verde e, devido à severidade de seu teste, se qualquer coisa, esta entidade pode ser vista como tendo se polarizado mais na direção positiva, devido a sua fidelidade ao serviço a outrem em face de grande catálise.
34.12 Você poderia me dar o mesmo tipo de informação que nós temos obtido aqui com relação ao self não-manifestado interagindo entre self e dispositivos, brinquedos, etc. – invenções?
RA: Neste caso, em particular, nós novamente nos concentramos, na maior parte, nos centros de energia laranja e amarelo. Em um sentido negativo, muitos dos dispositivos entre suas pessoas, isto é o que vocês chamam de dispositivos de comunicação e outras distrações tais como jogos menos competitivos, podem ser vistos como tendo distorções de manter o complexo mente/corpo/espírito desativado, de forma que a atividade dos raios laranja e amarelo seja bem enfraquecida, assim cuidadosamente diminuindo a possibilidade de uma eventual ativação do raio verde.
Outros de seus dispositivos podem ser vistos como ferramentas com as quais a entidade explora as capacidades de seus complexos físico ou mental e, em alguns poucos casos, o complexo espiritual, assim ativando o raio laranja no que vocês chamam de desportos de equipa (esportes de time) e em outros dispositivos tais como suas formas de transporte. Estes podem ser vistos como sendo formas de investigar os sentimentos de poder; mais especificamente, poder sobre outrem ou o poder de um grupo sobre outro grupo de outros-selfs.
34.13 Qual é o efeito global total da televisão em nossa sociedade com relação a este catalisador? RA: Sem ignorar as tentativas de raio verde de muitos de comunicarem, através deste meio, informação, verdade e beleza como poderiam ser úteis, nós devemos sugerir que a soma dos efeitos deste dispositivo é aquela da distração e sono.
34.14 Você poderia me dar o mesmo tipo de informação, como a que nós temos trabalhado agora, com relação ao relacionamento do self com guerra e rumores de guerra? RA: Você pode ver isto em relação a seus dispositivos. Esta guerra e relacionamento do self é uma percepção fundamental da entidade amadurecendo. Existe uma grande chance de acelerar em qualquer direção desejada. Alguém pode se polarizar negativamente assumindo atitudes belicosas por qualquer razão. Outro pode se encontrar na situação de guerra e se polarizar de alguma forma na direção do positivo ativando laranja, amarelo, e então verde por ações, digamos, heróicas tomadas para preservar os complexos mente/corpo/espírito de outros-selfs.
Finalmente, alguém pode se polarizar fortemente no terceiro raio (posteriormente corrige para quarto raio) por expressar o princípio do amor universal às custas totais de qualquer distorção na direção do envolvimento em ações belicosas. Desta forma, a entidade pode se tornar um ser consciente em um período bem curto de seu tempo/espaço. Isto pode ser visto como sendo o que você chamaria de uma progressão traumática. Deve ser notado que, entre suas entidades, um grande percentual de toda progressão tem como catalisador o trauma.
34.15 Você acabou de usar o termo terceiro raio naquela declaração. Era este o termo que você queria usar? RA: Nossa intenção era raio verde. Nossa dificuldade está em nossa percepção do raio vermelho e raio violeta como fixos; assim, os raios interiores são aqueles que estão variando e devem ser observados como aquelas indicações de precedência nas tentativas de se formar uma colheita.
34.16 Então, o raio vermelho, um intenso raio vermelho, seria usado como índice para precedência, no sistema de encarnação por precedência, tanto quanto o intenso raio violeta? RA: Isto está parcialmente correto. Na graduação ou colheita para quarta densidade positiva, o raio vermelho é visto apenas como aquele que, sendo ativado, é a base para tudo que ocorre em níveis vibratórios, a soma disto sendo a energia do raio violeta. Este raio violeta é a única consideração para quarta densidade positiva. Ao avaliar a quarta densidade negativa colhível, a intensidade do raio vermelho, tanto quanto do laranja, é analisada bem cuidadosamente já que uma grande quantidade de vigor e energia deste tipo é necessária para a progressão negativa, sendo extremamente difícil abrir o portal para a infinidade inteligente a partir do plexo solar central. Isto é necessário para colheita na quarta densidade negativa.
34.17 É possível para você usar como exemplo o nosso General Patton e me dizer o efeito que a guerra teve nele e em seu desenvolvimento? RA: Aquele de quem você fala, conhecido como George S. Patton, foi alguém em quem a programação de encarnações prévias criou um padrão ou inércia que era irresistível em sua encarnação, em seu tempo/espaço. Esta entidade era de uma forte ativação do raio amarelo com aberturas frequentes do raio verde e aberturas ocasionais do raio azul. Entretanto, ela não se achou capaz de quebrar o molde de experiências traumáticas prévias, de uma natureza belicosa. Esta entidade se polarizou de alguma forma na direção positiva em sua encarnação devido a sua unicidade de crença em verdade e beleza. Esta entidade era bem sensível. Ela sentia uma grande honra/dever na preservação daquilo que era sentido pela entidade como sendo verdadeiro, bonito e em necessidade de defesa. Esta entidade se percebia como uma figura galante. Ela se polarizou de alguma forma na direção negativa pela sua falta de entendimento do raio verde, que carregava consigo, rejeitando o princípio do perdão que é implícito ao amor universal.
A soma total vibracional desta encarnação foi um ligeiro aumento em polaridade positiva, mas uma redução em sua capacidade de colheita devido à rejeição da Lei ou Caminho da Responsabilidade; ou seja, percebendo o amor universal, ainda assim, prosseguiu lutando.
34.18 A morte desta entidade, quase imediatamente após a cessação da guerra – isso poderia ter ocorrido a fim de que ela pudesse imediatamente reencarnar para possivelmente fazer colheita? RA: Isto está precisamente correto.

4 de março de 1981, fonte: http://www.llresearch.org

nota: a expressão Self refere-se ao Eu (pessoa), que nem sempre foi traduzido nos livros.

resumos da sessão 1 à 10

resumos da sessão 11 à 20

resumos da sessão 21 à 30

resumos da sessão 31 à 40

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.