sessão 31à40

A LEI DO UNO sessão 33 – catálise

Partilhar no Facebook

33.3 O instrumento tem um dispositivo para a assim chamada terapia por cores, e já que nós estávamos, na sessão passada, no conceito das diferentes cores, eu estava imaginando se estas, de alguma forma, se aplicam ao princípio da terapia por cores através da exposição do corpo físico a uma luz de determinada cor. Isto tem algum efeito benéfico e você poderia-me dizer algo sobre isso? RA: Esta terapia, como você a chama, é de certa forma malfeita e uma ferramenta de utilidade variável para instigar, no complexo mente/corpo/espírito de uma entidade, uma intensificação de energias ou vibrações, que podem ser de auxílio para a entidade. A variabilidade deste dispositivo é devida, primeiramente, à falta de cores verdadeiras usadas, em segundo lugar, à extrema variação de sensibilidade à vibração entre suas pessoas.
33.4 Eu pensaria que você poderia obter uma cor verdadeira passando a luz através de um cristal da cor em particular. Isto está correto? RA: Esta seria uma das formas de se alcançar precisão em cor. É uma questão do que você chamaria de controlo de qualidade que o celuloide usado é de uma cor variante. Esta não é uma variação grande e nem mesmo visível, entretanto, faz alguma diferença dadas as aplicações específicas.
33.5 Possivelmente o uso de um prisma, quebrando a luz branca no seu espectro e então removendo todas as partes do espectro, exceto aquela que você deseja que passe através de uma fenda para usá-la seria até melhor. Isto seria verdade? RA: Isto está correto.
33.6 Eu estava imaginando se há uma programação de experiências que faz com que um indivíduo obtenha certa catálise em sua vida diária. Por exemplo, enquanto nós seguimos com nossa vida diária, existem muitas coisas que podemos experienciar. Nós olhamos para estas experiências como ocorrendo por puro acaso ou por um projeto consciente nosso, como fazer compromissos ou ir a lugares. Eu estava apenas pensando se há um programador de catálises, eu poderia chamá-lo assim, por trás das cortinas, para criar as experiências necessárias para um crescimento mais rápido no caso de algumas entidades. Isto… isto acontece? RA: Nós acreditamos que entendemos o coração da sua questão. Por favor solicite mais informações se não estivermos corretos. A entidade encarnada, que se tornou consciente do processo encarnatório e, assim, programa a sua própria experiência, pode escolher a quantidade de catálise ou, para frasear isto diferentemente, o número de lições às quais ela será submetida para experimentar e para aprender numa encarnação. Isto não significa que tudo é predestinado, mas, em vez disso, que existem diretrizes invisíveis moldando eventos que funcionarão de acordo com esta programação. Assim, se uma oportunidade for perdida, outra aparecerá até que o, digamos, estudante da experiência de vida entenda que uma lição está sendo oferecida e se dedique a aprendê-la.
33.7 Então estas lições seriam reprogramadas, podemos dizer, enquanto a experiência de vida continua. Digamos que uma entidade desenvolva uma tendência que ela, na verdade, não escolheu desenvolver antes da encarnação. É possível programar experiências de forma que ela tenha uma oportunidade de aliviar esta tendência através de balanceamento. Isto está correto? RA: Isto está precisamente correto.
33.8 Então, a partir disto, eu extrapolaria para a conjectura, eu diria, de que a orientação em mente da entidade é a única coisa que tem alguma consequência. A catálise física que ela experimenta, sem importar o que está acontecendo em torno dela, será uma função estritamente de sua orientação em mente. Eu usarei como exemplo [exemplo apagado] isto sendo uma declaração da orientação em mente governando a catálise. Isto está correto? RA: Nós preferimos não usar quaisquer exemplos ditados ou provérbios bem conhecidos em nossas comunicações com vocês, devido à enorme quantidade de distorções a que qualquer ditado bem conhecido foi submetido. Portanto, nós podemos responder a primeira parte de sua questão pedindo que você apague o exemplo. É completamente verdadeiro, ao melhor do nosso conhecimento, que a orientação ou polarização do complexo mente/corpo/espírito é a causa das perceções geradas por cada entidade. Assim, uma cena pode ser observada em seu supermercado. A entidade em frente pode estar sem dinheiro suficiente. Uma entidade pode então usar esta oportunidade para roubar. Outra pode usar esta oportunidade para se sentir um fracasso. Outra pode, despreocupadamente, remover os itens menos necessários, pagar pelo que puder e seguir sua vida. A outra, atrás, observando, pode sentir compaixão, pode sentir um insulto por estar ao lado de uma pessoa atingida pela pobreza, pode sentir generosidade, pode sentir indiferença.
33.10 Eu perguntarei se lhe é familiar o filme chamado “A Nona Configuração”. Você está familiarizado com ele? RA: Nós examinamos seu complexo de mente e vemos esta configuração chamada “A Nona Configuração”.
33.11 Este filme trouxe este ponto, do qual nós estamos falando. E a entidade, o Coronel, teve que tomar uma decisão naquele ponto. Eu estava imaginando, com relação à polaridade, sua polaridade. Ele poderia ter cedido, digamos, às forças negativas, mas ele escolheu defender seu amigo em vez disso. É possível para você estimar qual é um polarizador positivo maior: defender a entidade orientada positivamente ou permitir a supressão pelas entidades orientadas negativamente? Você pode responder isso? RA: Esta questão toma o escopo da quarta densidade bem como sua própria e a resposta pode melhor ser vista pela ação da entidade chamada Jehoshua, que vocês chamam Jesus. Esta entidade seria defendida pelos seus amigos. A entidade lembrou seus amigos a abaixarem a espada. Esta entidade, então, se entregou para ser colocada à morte física. O impulso de proteger o outro-self amado é um que persiste através da quarta densidade, uma densidade abundante em compaixão. Mais que isto nós não podemos e não precisamos falar.
33.12 Enquanto nos aproximamos do fim deste ciclo mestre, pode existir uma quantidade maior de catálise para as entidades. Eu imagino que se, já que as vibrações planetárias não são compatíveis de forma alguma com as vibrações da quarta densidade e a catálise está aumentada, se isto criará uma polarização ligeiramente maior e, portanto, criará uma colheita positiva maior devido a esta catálise, e, da mesma forma, criará uma maior polarização negativa, assim criando uma colheita negativa ligeiramente maior por este mecanismo de transição que é, infelizmente, de certa forma, mais catalisador do que seria se o planeta tivesse alcançado um estado de consciência mais elevado. Isto acontece? RA: A questão deve ser respondida em duas partes. Primeiramente, as catástrofes planetárias, como você pode chamá-las, são um sintoma da difícil colheita em vez de uma catálise programada conscientemente para a colheita. Assim, nós não nos preocupamos com elas, pois elas são aleatórias com relação à catálise consciente, tal como nós podemos tornar disponível.
A segunda porção é esta: os resultados da catálise aleatória, do que vocês chamam de mudanças terrenas, também são aleatórios. Assim, nós podemos ver vórtices de probabilidade/possibilidade indo na direção positiva e negativa. Entretanto, ela será como será. As verdadeiras oportunidades para catálise consciente não são uma função das mudanças terrenas, mas do resultado do sistema de precedência de encarnações, que, no momento da colheita, colocou em encarnação aqueles, cujas chances de usar as experiências de vida para se tornarem colhíveis, são as melhores.
33.13 Este sistema de precedência também é usado para o lado do serviço a si para se tornarem colhíveis para aquele lado? RA: Isto está correto.
33.14 O que eu gostaria que você fizesse é listar todos os principais mecanismos desenvolvidos para prover experiência catalítica que não incluem interação com outro-self. Esta é a primeira parte da questão que eu perguntarei. RA: Nós entendemos, com base nesta pergunta, que você percebe que o mecanismo primário para experiência catalítica em terceira densidade é o outro-self. A lista de outras influências catalíticas: primeiramente, o universo do Criador; em segundo lugar, o self.
33.15 Você poderia listar quaisquer fatores relacionados ao self que poderiam – ou formas pelas quais o self é influenciado cataliticamente para produzir experiência? RA: Primeiramente, o self não-manifestado. Em segundo lugar, o self em relação ao self societário criado pelo self e outro-self. Em terceiro lugar, a interação entre o self e os dispositivos, brinquedos e entretenimentos de invenções do self e outro-self. Em quarto lugar, o relacionamento entre o self e aqueles atributos que você pode chamar de guerra e rumores de guerra.
33.16 Eu estava pensando, possivelmente a catálise da dor física. Como isto… Isto faria parte deste conjunto? RA: Isto está correto, fazendo parte dos fatores do self não-manifestado; ou seja, o self que não precisa de outro-self a fim de se manifestar ou agir.
33.17 Nós ainda temos tempo suficiente para perguntar a segunda parte desta questão que é listar os principais mecanismos desenvolvidos para prover a catálise que inclui ação com outro-self? Nós temos tempo suficiente para isso? RA: Vocês têm muito tempo para isto, pois nós podemos expressar esta lista em uma de duas formas. Nós poderíamos falar infinitamente ou nós poderíamos simplesmente declarar que qualquer interação entre self e outro-self tem o potencial para catálise que existe na diferença de potencial entre o self e outro-self, isto moderado e fortalecido pelo fato constante do Criador como self e como outro-self. Você pode perguntar mais sobre essa questão, se desejar informação específica.
33.19 Existe qualquer diferença na atividade ou brilho do raio violeta entre entidades que estão no nível de entrada da quarta densidade positiva e negativa? RA: Isto está correto. O raio violeta da quarta densidade positiva será tingido com a tríade de energias verde, azul e índigo. Esta tintura pode ser vista como uma porção de um arco-íris ou prisma, como você o conhece, os raios sendo bem distintos. O raio violeta de quarta densidade negativa tem em sua aura, digamos, a tintura de vermelho, laranja, amarelo, estes três raios estando turvos, em vez de distintos.
33.20 Apenas como um pequeno apêndice àquela questão, como os raios de quinta e sexta densidade se parecem? RA: Nós podemos falar apenas aproximadamente. Entretanto, nós esperamos que vocês entendam, digamos, que existe uma distinta diferença na estrutura da cor de cada densidade. Quinta densidade é talvez melhor descrita como extremamente branca em vibração. A sexta densidade de uma brancura que contém uma qualidade dourada como você a perceberia; estas cores tendo a ver com a integração em sabedoria da compaixão aprendida em quarta densidade, então em sexta a integração da sabedoria de volta a um entendimento unificado de compaixão vista com sabedoria. Esta cor dourada não é de seu espectro, mas é o que você chamaria de viva.

1 de março de 1981, fonte: http://www.llresearch.org

nota: a expressão Self refere-se ao Eu (pessoa), que nem sempre foi traduzido nos livros.

resumos da sessão 1 à 10

resumos da sessão 11 à 20

resumos da sessão 21 à 30

resumos da sessão 31 à 40

Partilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *