Benjamin Fulford

BENJAMIN FULFORD – “13 famílias da linhagem ‘Illuminati’ intentam ações pela paz” 25.12.2017

Partilhar no Facebook

A paz na Terra e o carinho a todas (e não apenas ao homem, mas a todas as formas de vida) parece ser um objetivo realista em 2018, agora que 13 famílias da linhagem “Illuminati”, observando que o seu antigo domínio sobre o planeta Terra se desintegra,  intentam pela paz. Na semana passada, um representante do G7 (Alemanha, Reino Unido, EUA, Japão, Itália, França e Canadá) encontrou -se com o representante da Sociedade Dragão Branco – SDB para discutir condições de paz, de acordo com um membro da SDB presente na reunião. O G7, é claro, é uma frente política para 13 famílias de linhagem de sangue. Não há dúvida de que esta reunião permitiu que as pessoas de dentro do complexo industrial militar, que trabalham no espírito de Jesus Cristo e que, portanto, todos nós desejamos “Feliz Natal e Ano Novo”.

A oferta da linhagem de sangue para negociar a paz, está diretamente ligada à condição extraordinária, anunciada pelo presidente norte-americano Donald Trump, na semana passada. Quem ainda não o viu, pode ler o documento histórico no link abaixo.

https://www.whitehouse.gov/briefings-statements/text-letter-president-congress-united-states-6/

Já foi publicado em português no site na semana passada e pode ser lido aqui

“Depois do Hanucá, Trump declarou o estado de emergência e assinou uma ordem executiva em 20 de Dezembro, congelando a propriedade de acusados de abusos de direitos humanos e corrupção, capturando a todos para provocar a falência de Bush, Clinton, Soros, cabala e a máfia global Judaica”, sendo esta a forma de como a fonte do Pentágono resumiu a situação.

A fonte do Pentágono, também, enviou uma cópia desta foto com uma explicação: “Trump trajava roupas roxas, quando no dia 18 de Dezembro, revelou a sua estratégia de segurança nacional, como parte da vitória sobre a revolução púrpura de Soros/Hillary e bebia água com as duas mãos para simular algemas”.

Respondendo claramente a esta situação, o representante da linhagem de sangue organizou uma reunião para 23 de Dezembro, data de aniversario do Imperador Japonês e afirmou que ele era um representante da Família Imperial, bem como do G7. O representante que se comportou como se negociasse uma rendição, afirmou que as linhagens querem manter os estados e instituições nacionais existentes, como são agora, mas que disseram que estão dispostos a cooperar e a financiar uma nova agência internacional de planeamento futuro.

O negociador da SDB disse que os estados nações e as instituições nacionais existentes, poderiam ser permitidas a continuarem as suas existências e enfatizou que a SDB está interessada em criar algo novo e não destruir nada do antigo. Ainda assim, alguns limites como a divisão artificial da Península Coreana devem mudar, concordaram ambos os lados. Ambos também concordaram que as Nações Unidas, como atualmente estão estruturadas, são disfuncionais e requerem reformas drásticas. Em suma, os dois lados estavam próximos o suficiente para alcançar esses pontos para chegar a algum tipo de possível acordo.

No entanto, o delegado disse que as famílias de linhagem de sangue querem manter o controlo sobre os bancos centrais e da criação de dinheiro, porque “se o povo tiver o controlo sobre a política monetária, ninguém iria trabalhar”. Ele acrescentou que, embora houvesse um Conselho de 13 na Suíça que representava cada uma dessas famílias, como o Imperador do Japão, seus membros, realmente, não eram da verdadeira linhagem familiar. Ele disse que as famílias existem mais como instituições do que estritos representantes de linhagem sanguínea.

O representante da SDB disse que apoiava a ideia de que o dinheiro deve ser ganho, mas disse que os bancos centrais sob o controle de nações poderiam imprimir dinheiro para pagar coisas como educação, militares, obras públicas, saúde, pesquisa espacial e pesquisa científica. O negociador da SDB, também, disse que a sociedade que ele representa insiste num Jubileu ou numa abolição única de todas as dívidas, públicas e privadas, juntamente com uma redistribuição única de ativos adquiridos injustamente. Se concordarem com essas condições, as linhagens de sangue podem continuar a funcionar num papel diminuído no setor corporativo da economia, disse o representante do SDB.

Neste ponto, as negociações foram encerradas, já que, obviamente, a linhagem não está autorizada a negociar a abolição dos bancos centrais privados ou do jubileu.

No entanto, no dia seguinte, um representante do grupo conhecido como “Golden Dragon (Dragão Dourado)”, que controla uma parte do atual sistema financeiro internacional com suporte de ouro, enviou a seguinte mensagem para a SDB: “Estou muito satisfeito com a reconciliação e as negociações para que os Estados Unidos comecem a atualizar a nova transição económica”.

O que deve ser notado é que, enquanto o governo militar representado por Trump, definitivamente, é vitorioso nos Estados Unidos, as linhagens ainda têm um forte controlo sobre o resto do mundo. Então, mesmo que Trump use um “estado de emergência económicoo” para abolir os cartões de crédito americanos, a próxima vez que os americanos forem aos postos de gasolina, verão que não poderão mais pagar combustível usando o seu cartão. Isso significará uma difícil aterragem, como já aconteceu em Porto Rico.

Em 07 de Dezembro David L. Norquist, Subsecretário de Defesa e Controlador dos EUA, numa conferência de imprensa, descreveu a extinção do governo dos EUA da seguinte forma: “… a equipe militar sabe como trabalhar, mas não está capacitada a pagar, até o incêndio terminar… coisas simples, como pensões às famílias e militares mortos em serviço, sem permissão para fazê-lo… Os contratantes não poderão informar e trabalhar… Não posso enfatizar como a extinção é destrutiva… é algo como uma onda de choque através da organização, muito destrutivo”.

https://www.defense.gov/News/Transcripts/Transcript-View/Article/1391630/department-of-defense-press-briefing-by-pentagon-chief-spokesperson-dana-w-whit/

Em outras palavras, falar com o Golden Dragon sobre “a nova transição económica” é definitivamente o caminho a seguir. Nenhuma data de negociação específica foi estabelecida até à publicação deste boletim.

De qualquer maneira, o regime militar dos EUA continuará a sua ofensiva contra a cabala nos próximos dias e no Ano Novo para maximizar o seu poder de negociação.

Nessa frente, fontes do Pentágono dizem que George Soros não está morto, como relatado anteriormente, mas sim, mantido sob custódia e interrogado por vários meses. Recentemente, foi “removido de Atlanta para Base Naval de Camp David, na medida em que a cabala se colapsa”, dizem as fontes. Muitos outros oligarcas de alto nível, também estão detidos e incomunicáveis há algum tempo, acrescentam fontes da CIA.

“Em 21 de Dezembro, Solstício de Inverno, [O Secretário de Defesa dos EUA, James] Mattis, visitou, a [Base Naval na Baía de Guantamamo] para preparar um ‘lugar muito especial’ para Soros e a cabala, onde poderiam ser batizados”, continuam fontes do Pentágono.

Outra pessoa escalada para o “batismo” é “o israelita, bilionário de conflito de diamante e património do Mossad, Dan Gertler, sancionado pelos seus laços com a Marcom Rich [aquartelado em Zug, na Suíça] e à Fundação Clinton”, dizem fontes do Pentágono. “Essa escalada poderá se estender a outros oligarcas Judeus, quando o presidente do Google, Eric Schmidt, se retirar”, observam. Por exemplo, agora, provavelmente não é um bom momento para ser Mark Zuckerberg do “Spybook”.

O isolamento dos oligarcas da máfia khazariana (adoradores de satanás e, portanto, não judeus, mesmo que afirmem ser) foi claramente destacado na última derrota diplomática de Israel na ONU (contando aqueles que não votaram e se abstiveram). Os únicos países que votaram com Israel contra a resolução condenando o plano americano para unilateralmente mudarem as suas embaixadas para Jerusalém foram: Guatemala, Honduras, Ilhas Marshall, Micronésia, Nauru, Palau, Togo e Estados Unidos. “Isso poderia marcar um passo para os EUA rejeitarem Israel e deixar a Rússia, a China, a UE e a ONU serem justos negociadores pela paz”, dizem fontes do Pentágono.

Essa voz contra Israel não se referiu a Jerusalém, todavia, para os israelitas foi um sinal do mundo de que eles só podiam reconstruir o templo e ter paz se negociassem de boa fé com os seus vizinhos. O mundo está doente e cansado da constante pirataria, da guerra e das mentiras de fanáticos religiosos que pensam ter algum direito divino de governar o mundo fora de Jerusalém. Como os judeus religiosos referem corretamente, Deus faz as obras de Deus, e não alguns fanáticos que se ocupam de si mesmos para fingir ser Deus.

O mundo deseja paz e isso é  que podemos conseguir em 2018 quando as famílias de linhagem, finalmente chegaram à mesa de negociações.

“Usamos o termo Illuminati” em nossas citações, porque os representantes das próprias famílias de linhagem se chamavam “Illuminati”. Todavia, existe um grupo que há muito se opôs às regras da linhagem, que também se chamava de “Illuminati”. Dessa forma, decidimos chamar o primeiro grupo como “linhagem” e ao outro como “Illuminati gnósticos”.

Autor: Benjamin Fulford, 25.12.2017

Fonte: http://benjaminfulford.net

mais artigos de BENJAMIN FULFORD clique no menu BENJAMIN FULFORD

Quem é BENJAMIN FULFORD?

Partilhar no Facebook

One Commnet on “BENJAMIN FULFORD – “13 famílias da linhagem ‘Illuminati’ intentam ações pela paz” 25.12.2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.